EDITORIAL

Armindo Veloso




 
Palavra 

No tempo que vivemos tudo serve para entreter o povo.
Durante as últimas semanas de cada ano virou moda entreter a  malta com a eleição da palavra que melhor espelha esse ano que finda. Desde “Troika” a “Ronaldo” passando por “Justiça” aparece de tudo.
Começa-se por muitas propostas, passa-se para uma lista curta com as mais referenciadas e, finalmente, há fumo branco com a eleita. Nunca entrei neste jogo mas ele deu-me mote para este texto.
Para mim, a palavra mais marcante do ano que agora termina é sem dúvida nenhuma “Francisco”.
Ela, no meu entendimento, é a palavra. Quer se queira uma palavra global ou uma palavra eleita no concelho da Póvoa de Lanhoso.
O Papa Francisco é, finalmente, um papa do povo. O Papa que a igreja dos nossos tempos precisava.
Não me meto em assuntos de profunda religiosidade porque não tenho conhecimentos das matérias e deixo isso para os teóricos muitos deles a olharem Francisco de soslaio. Lembro que é um papa americano, primeiro da história, o primeiro não europeu há mais de 1200 anos e Jesuíta!
No que me interessa e naquilo que julgo interessar ao povo anónimo, este homem é o Homem certo no tempo certo. A mensagem que leva consigo para todo o lado seja sobre o tema que for, mais consensual ou mais fracturante, é sempre uma mensagem de esperança realista. E depois a forma:  da janela da praça de S. Pedro, no meio das multidões, numa qualquer conferência, este homem transmite empatia, profundidade e simplicidade.
Num mundo onde a solidariedade humana e a verdade são tão escassas, “Francisco” é a palavra.

Bom ano novo para todos.

Até um dia destes

No âmbito do programa “Naturalanhoso”

Câmara Municipal
entregou apoios à natalidade

Cerca de 30 mil euros é o valor dos apoios à natalidade entregues pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, no âmbito do programa “Naturalanho-so”. A entrega, de forma simbólica, decorreu no dia 18 de Dezembro, nos Paços do Concelho, e estendeu-se a 53 crianças. Esta é a segunda fase de entrega dos apoios do Naturalanhoso. Em Julho deste ano, a autarquia da Póvoa de Lanhoso entregou apoios a 42 crianças. Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, fez-se acompanhar pela vice-presidente Gabriela Fonseca na entrega dos apoios à natalidade.
Cláudia Lopes, residente em S. Martinho do Campo e mãe de Salvador, de apenas um mês, foi uma das beneficiárias do Naturalanhoso. “Costuma-se dizer que grão a grão enche a galinha o papo e todo o apoio que nos é dado é sempre bem-vindo. Utilizamos, no nosso caso, para comprar o carrinho, a babycoque e é sempre uma ajuda muito preciosa, ainda mais nestes tempos de incerteza”, apontou Cláudia Lopes. Quanto à condição, de realizar as compras nas lojas comerciais da Póvoa de Lanhoso, a jovem mãe revelou que “faz todo o sentido”.
“É também darmos riqueza ao nosso concelho. Não fazia sentido a Câmara dar-nos este dinheiro e nós irmos utilizá-lo noutro concelho ou noutro distrito. Fez todo o sentido dar riqueza um bocadinho também aos nossos e às nossas lojas que também precisam e o comércio tradicionalmente”, disse ainda.
 Tiago é o segundo filho de Pedro Esteves. Para este povoense, esta é uma medida importante e uma boa ajuda. Parte da verba será canalizada para a compra de roupa.
Cacilda Rodrigues, de Garfe, mãe do Gonçalo, de 5 me-ses, irá aplicar a verba na aquisição de vacinas, não comparticipadas pelo Serviço Nacional de Saúde, de fraldas e toalhitas.
“Isto é um miminho que nós damos aos povoenses. Não é por um subsídio de fazer disto uma bandeira. Agora, é sempre um mimo e é agradável. Também é uma forma de incentivarmos o comércio local”, destacou Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. “É uma forma da Câmara mimar e acarinhar a natalidade e, paralelamente, ajudar o comércio local”, reforçou ainda o autarca.

quinhentos euros que as pessoas engravidam.  Não podemos

Festa de Natal reuniu cerca de 300 seniores

Cerca de 300 seniores participaram na tarde do dia 17 de Dezembro na Festa de Natal que a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso promoveu para os utentes seniores de IPSS’s e Centros de Convívio do concelho.    
O presidente da Câmara Municipal, Manuel Baptista, e o seu Executivo também participaram nesta iniciativa. A tarde foi abrilhantada pela apresentação da peça “1514”, que tem a particularidade de apresentar comos actores funcionários da própria Câmara Municipal assim como jovens povoenses. Esta produção teatral da responsabilidade da autarquia surgiu no âmbito da comemoração, em 2014, dos 500 anos da atribuição dos Forais Novos à Póvoa de Lanhoso. Numa breve intervenção, Manuel Baptista agradeceu aos actores da peça de teatro pelo momento de animação e desejou a todos, em especial, aos seniores, umas Boas-Festas.
Nesta edição, participaram os Centros Sociais de Serzedelo, de Calvos, de Monsul, de Taíde, de Garfe; o Centro Teresiano de Verim, a Casa de Trabalho de Fontarcada, a Em Diálogo, a Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, a Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga e os Centros de Convívio de Esperança, de Vilela, de Fontarcada, de São João de Rei, de Friande e da Póvoa de Lanhoso. A festa decorreu no Narcisu’s Eventos, em Fontarcada, e terminou com o habitual lanche.

D. Jorge ortiga presidiu à cerimónia

Confraria do Pilar
inaugurou sede 

A Confraria de Nossa Senhora do Pilar inaugurou, a 17 de Dezembro, a sua sede social, no Horto, na Póvoa de Lanhoso. D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga, presidiu à cerimónia e benzeu a sede social da confraria, num momento que contou a presença dos elementos dos órgãos sociais da confraria, bem como dos representantes do poder civil e religioso e muitos povoenses.
Depois da bênção, pelo arcebispo primaz de Braga, seguiu-se o descerrar da placa que marca a inauguração do concretizar de um sonho.
“Este espaço não pode fugir a esta dinâmica da vida da Igreja, o encontro, nomeadamente de uma confraria, que se reúne para planear, para programar mas, também, por-que não, para pegar na palavra de Deus e ouvir a palavra de Deus, também para rezar e fazer com que a Confraria do Pilar esteja, efectivamente, ao serviço dos mais carenciados e dos mais necessitados”, referiu D. Jorge Ortiga.
Carlos Correia, juiz da Confraria de Nossa Senhora do Pilar, revelou que a inauguração da obra foi “a realização de um sonho de muitos homens, antes a actuais”.
“Nunca tivemos uma sede social na confraria de nossa Senhora do Pilar. Tínhamos que fazer reuniões na Igreja, em espaços cedidos pela câmara municipal, na Casa Paroquial. É um edifício singelo mas para nós é muito importante”, disse ainda o juiz da Confraria do Pilar.
“Como presidente de câmara, cabe-me apoiar estas instituições”, disse Manuel Baptista, presidente da câmara municipal, revelando o prazer em trabalhar com Carlos Correia.
“Temos colaborado com toda a gente, uns mais do que outros. No fundo, só dou aquilo que tenho e que me pedem”, disse ainda Manuel Baptista. 

Arcebispo de Braga visitou Paços do Concelho

O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, recebeu o Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, nos Paços do Concelho, no âmbito da visita pastoral à paróquia de Nossa Senhora do Amparo.
Para além de Manuel Baptista, estiveram ainda presentes os vereadores Gabriela Fonseca e Armando Fernandes, bem como outros elementos da comunidade, como o presidente da Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, e o Arcipreste da Póvoa de Lanhoso, Padre Armindo Gonçalves.
 Esta visita realizou-se no passado dia 11 de Dezembro, tendo permitido a apresentação de cumprimentos e a troca de impressões. Na sua passagem pelos Paços do Concelho, D. Jorge Ortiga ainda teve oportunidade de assinar o Livro de Honra do Concelho e de receber algumas lembranças alusivas às Terras de Lanhoso.

Galegos

Arcebispo Primaz de Braga
visitou sede de Junta

No decurso da visita pastoral a Galegos, D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga, visitou, no dia 12 de Dezembro, a Junta de Freguesia de Galegos, tendo sido recebido pelos elementos do executivo da Junta de Freguesia, representantes de associações e populares. 
Ricardo Silva, presidente da Junta de Freguesia, manifestou a honra por receber uma “figura tão ilustre da Igreja”, agradecendo a visita em seu nome, em nome da freguesia e de toda a população.
“É um prazer estar aqui neste lugar, por onde passa um pouco a vida do povo de Galegos”, destacou D. Jorge Ortiga, apontando que “a razão de ser, quer da Junta quer da igreja é sempre um povo, um mesmo povo”.
“É imperioso darmos as mãos, é imperioso colaborarmos para este objectivo de proporcionarmos às pessoas aquilo que é indispensável para uma vida humana plenamente realizada”, disse ainda D. Jorge Ortiga.

U.F. Esperança e Brunhais

Actividades natalícias 
envolvem população

Com vista a assinalar a quadra natalícia, o   executivo da União de Freguesias de Esperança e Brunhais promoveu um conjunto de actividades dirigidas aos seniores e às crianças.
Os mais novos, que frequentam a catequese realizaram uma visita ao Pavilhão da Água, no Parque da Cidade, no Porto, que contemplou ainda o almoço e a visita ao maior presépio movimentado do mundo, que figura no Guiness Book, o Presépio da Cavalinho, em São Paio de Oleiros, lanche e oferta de uma esferográfica e um bloco de notas como lembrança.
Foi também organizado um Almoço de Natal, essencialmente dirigido a todos os seniores e crianças da comunidade, com um preço simbólico de 2,5 euros. Aos participantes foi oferecido um guarda-chuva da U.F. Esperança e Brunhais.
A todos os utentes do Centro de Convívio de Esperança e Brunhais foi-lhes oferecido um panamá, um cachecol e uma escalfeta (aquecedor dos pés) para maior conforto dos seus momentos de actividade.
“Envolvidos neste espírito natalício que vivemos, quis este executivo da União das Freguesias, ir pessoalmente cumprimentar e desejar a todos os residentes  Boas-Festas a quem oferecemos um postal evocativo a esta quadra natalícia”, refere António Marques.

Visitantes dos vários pontos da região norte

Garfe é a “Aldeia dos Presépios”

Dezasseis presépios, espalhados pelos vá-rios lugares da freguesia, transformam Garfe na “Aldeia dos Presépios”. A abertura da 13.ª edição de “Garfe – Aldeia dos Presépios”, decorreu no dia 14 de Dezembro, numa cerimónia que contou com a apresentação da encenação “Uma prenda de Natal”, pelas gentes da freguesia, e a abertura da exposição de colecção de presépios do padre Luís Peixoto Fernandes, que conta, agora, com 620 presépios.
Até 4 de Janeiro, os visitantes podem apreciar as várias construções que colocam Garfe num ponto de passagem obrigatória na época natalícia. Os moradores de cada lugar colocaram mãos à obra na construção de verdadeiras obras de arte. Uns mais pequenos, outros maiores, muitos deles com figuras em tamanho real, trazem magia à época natalícia e promovem o convívio entre as gentes de Garfe.
Além dos presépios, foi preparado, em colaboração com a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, um programa cultural, a realizar na Igreja Paroquial. Depois da Noite de Talentos, segue-se, neste sábado, dia 27, a Noite de Fados, e, a 3 de Janeiro, o Encontro Musical da Aldeia dos Presépios, com os grupos da terra. Todas as iniciativas têm início pelas 21.30. horas A tudo isto, junta-se ainda a “Noite de Jogos de Natal”, nesta sexta-feira, dia 26, às 20h30, na sede dos escuteiros e, no dia 28, a “Noite de Contos de Natal”.
Para além de D. Francisco Senra, bispo-auxiliar de Braga, a abertura da “Aldeia dos Presépios” contou com a presença do Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga. Uma comitiva de La Fare Les Oliviers (França) juntou-se também ao evento.

Natal convida a renascer
“O Natal é esse convite a renascer sempre, a não ficarmos prostrados, caídos, numa atitude de quem foi vencido mas a renascer de novo, na esperança, na confiança, na certeza da vitória. Vivemos tempos que não são fáceis, vivemos tempos de pessoas que se enfrentam com situa muito complexas e, por isso, este renascer, este entusiasmo de viver, esta capacidade de começar sempre de novo é um grande sinal do Natal. Estais a fazer com que o Natal seja cristão e não apenas comercial”, disse D. Francisco Senra Coelho.
“É, de facto, muito importante num tempo em que o Natal para muita gente já não diz nada em relação a Cristo, em que se afasta Cristo, porque se prefere o Pai Natal e a árvore de Natal, é imprescindível que o presépio seja apresentado e manifestado porque o Natal é o presépio, naquilo que ele é e naquilo que significa”, referiu D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga.
“O melhor de tudo, são as 16 maravilhas que vão encontrar. Há, de facto, presépios extraordinários. Vejo uma mudança para melhor em muitos deles. Quero dizer que me sinto orgulhoso com esta gente”, revelou o padre Luís Peixoto Fernandes, pároco de Garfe e um dos grandes impulsionadores da iniciativa.
“Como se sinto orgulhoso de ser um de vós. Garfe está de parabéns. Isto é obra de todos vós, sem não deixar de dizer que é, essencialmente, a obra de um homem, que é o nosso padre Luís”, salientou Paulo Ferreira, presidente da Junta de Freguesia de Garfe, dando um abraço ao sacerdote, em nome de toda a comunidade, agradecendo tudo o que faz pela freguesia de Garfe.
Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, mostrou-se orgulhoso pela iniciativa, por ter uma freguesia com uma “iniciativa tão bonita, que é a família, que é o Natal”.
“O que nos une é este calor humano, esta luta diária que nós fazemos para que, cada vez mais, as coisas se tornem grandes. Nós, Câmara, temos o dever e a obrigação de apoiar estas iniciativas”, disse anda o autarca.
ções

Garfe

D. Francisco Senra Coelho
visitou sede de Junta

No decurso da visita pastoral à freguesia de Garfe, D. Francisco Senra Coelho, bispo-auxiliar de Braga, visitou o edifício da sede da Junta de Freguesia. Paulo Ferreira e os restantes elementos da Junta de Freguesia receberam o bispo-auxiliar, tendo-o presenteado com uma oferta, que assinalou a passagem de D. Francisco Senra Coelho pela freguesia.
“Esperamos que este espísolidariedade, que é isso que queremos no próximo ano para toda esta comunidade Garfense”, revelou Paulo Ferreira, presidente da Junta.
“A igreja tem esta preocupação, de dizer aos seus filhos, aos cristãos, que sejam bons cidadãos, que transformem a sua dimensão ética numa cidadania comprometida”, disse D. Francisco Senra Coelho.
“Este fenómeno que nós sentimos, com consequências sociais muito graves, tem, antes de tudo, uma crise de valores”, revelou o bispo-auxiliar de Braga.
rito natalício e que o próximo ano traga aquilo que são os valores da Igreja, que são a amizade, fraternidade, paz e

EDITORIAL

Armindo Veloso




 
Presidenciáveis 

As eleições presidenciais só terão lugar em 2016 mas já vão sendo faladas com regularidade nos media, principalmente na parte que diz respeito ao comentário político.
Como sempre acontece fala-se insistentemente em alguns nomes por interesses editoriais, individuais ou colectivos de certos lóbis.
Como sabemos a esquerda comunista, CDU, terá sem surpresas um candidato próprio.
O bloco de esquerda - ainda há ‘bloco’?... -, a seu tempo decidirá. E, no meio destas franjas de onde será difícil sair um candidato ganhador, aparecerá Garcia Pereira, MRPP, para mais umas horas de promoção individual onde o retorno vai direitinho para o seu escritório de advocacia. Quem sabe aparecerá também o omnipresente Marinho e Pinto.
Mas, se não houver milagres o próximo Presidente da República emanará do tal grande bloco central. E, dentro desse grande bloco, começa-se a falar insistentemente em nomes como: António Guterres; Santana Lopes; Marcelo Rebelo de Sousa; Sampaio da Nóvoa; Carlos César.
Como não vivemos tempos de as simpatias pessoais acerca de pessoas ou de cores políticas imperarem, há dois nomes que não são falados ou se o são são-no como segundas escolhas que julgo serem os que reúnem mais condições para Exercerem as funções difíceis de Presidente da República.
Para mim, Guilherme Oliveira Martins, primeiro, e Jaime Gama, logo a seguir, seriam ambos excelentes Presidentes da República.
Homens experientes onde o sectarismo político nem passa perto. Lembro o desempenho actual e passado de Guilherme de Oliveira Martins enquanto Presidente do Tribunal de Contas e ministro e  Jaime Gama enquanto Presidente da Assembleia da República e também ministro.
Nos próximos tempos precisamos de um Presidente da República competente e com o qual os portugueses não tenham muita confiança. Não, não me enganei, o “não ter muita confiança” é no sentido de alguma distancia positiva. Serem afirmativos e credíveis e não terem vulgarizado as suas imagens com a espuma dos tempos actuais.
Refiro-me a estes dois nomes de centro esquerda tendo em conta o dentro de portas porque se   falarmos do mundo global que vivemos, aí, sobressai Durão Barroso que foi só o português que desempenhou o lugar mais alto à escala internacional e que daria valor acrescentado ao cargo. Mas, como a inveja fala mais alto não vejo que tenha condições para avançar pelo menos nas próximas.
 
Até um dia destes.

MANUEL BAPTISTA AMPLAMENTE SATISFEITO COM O PRIMEIRO ANO DESTE MANDATO

Aproveitamento exemplar
do quadro comunitário

Faço um balanço muito positivo. Normalmente o primeiro ano dos mandatos é apenas dedicado ao planeamento e ao encerramento físico e financeiro de projectos ou obras do mandato anterior. Mas este ano foi diferente. Aproveitamos de uma forma exemplar o encerramento do quadro comunitário pois conseguimos aprovar obras muito importantes para o concelho na área cultural, desportiva e de segurança, que rondam os 3.000.000€. Por outro lado, estivemos muito empenhados na preparação da estratégia para o novo quadro comunitário, envolvendo também os Povoenses nessa discussão. 

- Que balanço traça deste primei-ro ano do terceiro mandato?
MB – Faço um balanço muito positivo. Normalmente o primeiro ano dos mandatos é apenas dedicado ao planeamento e ao encerramento físico e financeiro de projectos ou obras do mandato anterior. Mas este ano foi diferente. Aproveitamos de uma forma exemplar o encerramento do quadro comunitário pois conseguimos aprovar obras muito importantes para o concelho na área cultural, desportiva e de segurança, que rondam o 3.000.000€. Por outro lado, estivemos muito empenhados na prepara-ção da estratégia para o novo quadro comunitário, envolvendo também os Povoenses nessa discussão. 

- Quais foram então as principais conquistas neste período?
MB – O projecto de maior dimensão é o Centro Interpretativo Maria da Fonte. Compramos as casas ao lado do Theatro Club e avançamos com a sua requalificação para instalar um equipamento cultural dedicado à nossa heroína, com uma componente cultural muito forte, como é exemplo a parceria que recentemente fizemos para lá instalar uma escola de música. Na área desportiva aprovamos a colocação de relvado sintético no campo de jogos municipal e no campo de jogos de S. Emilião. Estas duas obras permitem melhorar muito os equipamentos desportivos do concelho de apoio aos clubes e essencialmente à formação. Depois da construção do pavilhão em Monsul e do sintético do Porto d’Ave estes dois projectos permitem ter uma abrangência concelhia de equipamentos desportivos com excelentes condições.

- E em outras áreas?
MB-  Estamos também a terminar uma obra de melhoria da eficiência energética das piscinas cobertas que nos permitirá reduzir os custos mensais deste equipamento e fizemos uma acordo com o Ministério da Administração Interna para requalificar o quartel da GNR, permitindo assim a manutenção do destacamento da Póvoa de Lanhoso que é um serviço muito importante para a segurança dos cidadãos. Posso ainda dar o exemplo da conclusão do processo de revisão do PDM, que é aguardado há muitos anos ou as obras que vamos executando nas freguesias, seja ao nível da conservação da rede viária seja no alargamento da rede de água e saneamento. Foi de facto um ano muito positivo para o concelho, apesar das naturais dificuldades deste tempo que passamos.
(...
)

ESTRELA DE NATAL REÚNE EVENTOS MÁGICOS

Eventos natalícios colocam
o concelho no radar do país

‘Póvoa de Lanhoso – A Estrela de Natal 2014’, que engloba a ‘Aldeia dos Presépios’, em Garfe, e a ‘Aldeia Natal’, no Diverlanhoso, em Oliveira, assume-se, cada vez mais, como o cartaz turístico da Póvoa de Lanhoso. O religioso alia-se ao profano, numa verdadeira conjugação de esforços e transformam o concelho da Póvoa de Lanhoso num ponto de passagem obrigatório na época natalícia.
Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, destacou que estas iniciativas são uma marca da Póvoa de Lanhoso. A autarquia associou-se a estas iniciativas e reforçou a iluminação natalícia na vila, dando um brilho maior à sede do concelho. Inaugurada a 28 de Novembro, a iluminação de Natal deste ano representa um investimento de cerca de 7 mil euros. O autarca apontou que é necessário, em cada ano, associar a inovação e a criatividade para cativar cada vez mais pessoas.
Com abertura a 5 de Dezembro, a ‘Aldeia Natal’, no Diverlanhoso, decorre até 28 de Dezembro e a ‘Aldeia dos Presépios’, que inicia neste Domingo, dia 14 de Dezembro, prolonga-se até 4 de Janeiro. No dia 10 de Dezembro, a Câmara Municipal vai levar cerca de 200 crianças do quarto ano de escolaridade à ‘Aldeia Natal’.
Armando Fernandes, vereador da Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, revelou que o objectivo é “promover o nosso concelho, que é a Povoa de Lanhoso. Esta relação de parceria tem-se estreitado cada ano que passa. O ano passado tivemos uma experiência nova com a paróquia de Garfe, onde preparamos uma performance teatral, que foi um sucesso e envolveu muita gente de Garfe, cerca de 40 pessoas de Garfe. Este ano, estamos também a preparar uma performance para esta iniciativa”. A Associação de Turismo da Póvoa de Lanhoso associa-se à ‘Estrela de Natal’, com a realização de iniciativas que visam a divulgação do comércio local.

ATÉ AO PRÓXIMO DIA 28 DE DEZEMBRO

Circo é a novidade
na ‘Aldeia Natal’

Dez mil visitantes é a meta que a “Aldeia Natal”, no Diverlanhoso, em Oliveira, espera alcançar na edição deste ano, que apresenta, de entre outras novidades, um circo de Natal. Desde o dia 5 de Dezembro que os vários bungalows vestiram nova roupagem, condizente com a época natalícia e apresentam aos mais pequenos, e suas famílias, a Casa do Pai Natal, a Casa das Artes, a Casa Floco de Neve, a Casa Eco Natal, entre ou-tras. A estas, junta-se o cinema de animação, um circo, uma mini-discoteca, um mercadinho de Natal, animação de rua, o eco-concurso, o slide, a mina encantada, a escalada, o percurso de pontes infantil e os trampolins. Um verdadeiro mundo de magia espera pelos mais pequenos até 28 de Dezembro.
Nas tardes de 20 e 28 de Dezembro, o evento é transmitido em directo na TV. A ‘Aldeia Natal’ pode ser visitada, de 5 a 28 de Dezembro, às Quintas e Sextas-feiras, das 10h30 às 17 horas; e aos Sábados e Domingos, das 10h30 às 18 horas. O bilhete para a ‘Aldeia Natal’ tem um custo de 6 horas e o bilhete para o circo custa 4 horas. O bilhete conjunto para ambos os eventos tem um preço de 8 euros.
Na apresentação do even-  to, Paulo Barbosa, director  do Diverlanhoso, apontou que este ano, a ‘Aldeia Natal’ apresenta inovações e melhorias.
“Tenho a certeza de que os conteúdos das casas temáticas deste ano são melhores, mais completos, mais profissionais do que o que foram nas outras duas edições, daí também a maturidade do evento. Agora é esperar pelas crianças e por quem nos quiser visitar e fazer com que seja um dia inesquecível para quem nos visita e que fique na memória de todos como um dia bem passado e que, para o ano, queiram voltar”, revelou aquele responsável.

Garfe

Padre Luís dá a conhecer
a sua colecção de presépios

A edição deste ano de ‘Garfe – A Aldeia dos Presépios’, no concelho da Póvoa de La
O ‘Maria da Fonte’ foi conhecer a colecção de presépios do padre Luís Fernandes. Naquele momento, a colecção contava com 528 presépios mas o sacerdote esperava chegar aos 550 presépios até ao dia de abertura da mostra.
Na colecção, há presépios para todos os gostos. Dos mais pequenos aos maiores, dos presépios em madeira, passando pelo vidro, prata, latão, barro, porcelana e tecido. Vieram de várias partes do mundo. A estes, juntam-se, por estes dias, quatro presépios vindos de Angola e Moçambique e um presépio inca, que será oferecido por Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. (...)
nhoso, cuja abertura está marcada para o próximo Domingo, dia 14 de Dezembro, conta com a exposição da colecção particular de presépios do padre Luís Peixoto Fernandes, pároco de Garfe, e uma dos grandes impulsionadores da iniciativa.

PODE SER VISITADA ATÉ AO DIA 4 DE JANEIRO

Garfe transforma-se
na ‘Aldeia dos Presépios’

Decorre, neste Domingo, dia 14 de Dezembro, a abertura da 13.ª edição de Garfe – Aldeia dos Presépios. Uma das novidades deste ano da ‘Aldeia dos Presépios’ é a exposição da colecção privada de presépios do padre Luís Peixoto Fernandes, pároco daquela freguesia, numa mostra que contará com mais de 500 presépios e estará patente no Salão Paroquial, podendo ser visitada, todos os dias, das 10 às 18 horas.
De 14 de Dezembro a 4 de Janeiro, 15 presépios, espalhados pelos vários lugares, transformam Garfe na ‘Aldeia dos Presépios’. Os moradores de cada lugar colocaram mãos à obra na construção de verdadeiras obras de arte. Uns mais pequenos, outros maiores, muitos deles com figuras em tamanho real, trazem magia à época natalícia e promovem o convívio entre as gentes de Garfe.
“Temos a certeza que vão ser tão bons ou melhores que os dos anos anteriores. Toda a gente está motivada e a trabalhar bem”, revelou o padre Luís Peixoto, principal mentor da iniciativa, no momento de apresentação do evento, que decorreu nos Paços do Concelho. Este ano, a ‘Feirinha de Natal’ decorre só aos Domingos, junto à Igreja Paroquial. No Domingo, dia de abertura, decorre, pelas 14 horas, o Passeio Pedestre da ‘Aldeia dos Presépios’, seguindo-se, pelas 16 horas, a encenação teatral “Uma prenda de Natal”, numa iniciativa do Theatro Club em colaboração com a comunidade de Garfe, e a abertura da exposição de presépios. Às 18 horas, decorre uma missa no presépio de Fonte do Minho/Comenda/S. Pedro.
Além dos presépios, foi preparado, em colaboração com a autarquia da Póvoa de Lanhoso, um programa cultural, a realizar na Igreja Paroquial, que contempla a Noite de Talentos (20 de Dezembro), Noite de Fados (27 de Dezembro) e Encontro Musical da Aldeia dos Presépios, com os grupos da terra (3 de Janeiro). Todas as iniciativas têm início pelas 21h30. A tudo isto, junta-se ainda a ‘Noite de Contos’ e a ‘Noite de Jogos de Natal’.
 Outras das novidades prende-se com a escolha de um padrinho. Este ano, a “Aldeia dos Presépios” é apadrinhada por Manuel Santa Cruz Do-migues Basto Oliveira, da Arriva Portugal. Paulo Ferreira, presidente da Junta de Freguesia de Garfe, frisou que esta é a iniciativa que dá mais projecção à freguesia, que vive três semanas de intensa actividade, com milhares de pessoas a percorrer os vários presépios.

SUGESTÃO DA ASSOCIAÇÃO DE TURISMO

Bolachas de Chocolate
para adoçar o Natal

Falar de Natal é falar de doces. Rabanadas, aletria, mexidos e outras iguarias são presença obrigatória à mesa na noite de Natal. De geração em geração, as receitas foram passando de mão em mão e permanecem, nos nossos dias, em quase todos os lares.
Nesta edição, que antecede o Natal, trazemos uma proposta apresentada pela Associação de Turismo da Póvoa de Lanhoso, no decurso de um workshop realizado, no dia 4 de Dezembro, na Nanu, Boutique de Bolos: Bolachas de Chocolate. Uma receita simples em que os mais pequenos se podem transformar em mestres doceiros.
Ingredientes:
100 gramas de chocolate para culinária ou chocolate em pó, 250 gramas de farinha; 100 gramas de açúcar, 100 gramas de manteiga, 1 ovo e 1 colher de chá de fermento em pó para bolos.
Preparação:
Pré-aquecer o forno a 180º;
Pulverize o chocolate numa picadora se este for de tablete.
Junte todos os ingredientes e bata. Depois, com as mãos, amassar e formar uma bola.
Estenda a massa com o rolo numa superfície polvilhada com farinha. Com um copo ou um cortante, corte as bolachinhas.
Leve ao forno cerca de 20 minutos, num tabuleiro previamente untado e polvilhado com farinha.
Sugestão: Podem ser comidas simples ou decoradas com pasta de açúcar.

ALUNOS DO CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE COMUNICAÇÃO

EPAVE promove filigrana 
povoense em Braga

Com o objectivo de dar a conhecer e divulgar a cultura e a arte do concelho da Póvoa de La-nhoso, os alunos do 2.º ano do Curso Profissional Técnico de Comunicação – Marketing, Relações Públicas e Publicidade da EPAVE, promovem no centro comercial Liberdade Street Fashion em Braga, uma expo
“As peças de filigrana são feitas à mão, exigindo do artesão uma grande habilidade e destreza, pois a técnica consiste na arte de torcer dois finos fios de ouro ou de prata, que aliada a uma enor-me criatividade resulta em autênticas peças de arte única”, explicam os responsá-veis da EPAVE, revelando ainda que “esta arte transforma os ourives em verdadeiros embaixadores que levam o nome da Póvoa de Lanhoso – Terra do Ouro aos quatro cantos do mundo”.
sição de peças de filigrana  de artesãos da Póvoa de Lanhoso.

NO ARRANQUE DO PROJECTO ‘SOCIAL ANGELS’

Empreendedorismo e emprego
jovem no centro do debate

O seminário ‘A Sociedade Civil no estímulo ao emprego jovem’ foi a iniciativa que marcou o arranque do projecto ‘Social Angels’, promovido pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso em parceria com a Sol do Ave e financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian.
Realizado no dia de ontem, os trabalhos abordaram duas temáticas: as novas abordagens para a criação de emprego e a mobilização e capacitação da comunidade na promoção do empreendedorismo.
“O trabalho que temos desenvolvido ao longo dos últimos anos na vertente de apoio às empresas e ao comércio local, bem como na ligação aos mais jovens por via de projectos escolares ou, por exemplo, do projecto CLDS, permitiu-nos identificar a necessidade de trabalharmos de uma forma mais directa a promoção do empreendedorismo jovem.
Todos nós sabemos que este con
“Queremos apenas orientar uma estratégia que vise, essencialmente, despertar novos empreendedores, criando uma resposta que incentive o surgimento de novos negócios. Essencialmente que ajude os jovens e os desempregados a valorizar as suas ideias, aproveitando o enorme potencial humano que existe na Póvoa de Lanhoso”, apontou o autarca, pedindo aos jovens que “vejam neste projecto uma oportunidade para aproveitarem as vossas ideias e mesmo que não seja possível passar à prática todas as vontades, ganhem o gosto por lutarem pelo vosso emprego em vez de aguardarem que ele surja do nada”.
Para Mafalda Cabral, da Sol do Ave, este projecto pode ser o início e a preparação de outros investimentos significativos para a Póvoa de Lanhoso.
José Mendes, vice-reitor da Universidade do Minho, destacou, ao longo dos trabalhos, que é nas cidades mais pequenas que os jovens universitários são mais empreendedores. O orador fez também referência ao empreendedorismo por uma questão de cultura, assim como ao empreendedorismo por uma questão de necessidade e deixou como sugestão que “os negócios que permitem ganhar dinheiro são aqueles que têm alta diferenciação”.
“Criar uma empresa ou ser empreendedor requer um conjunto de características pessoais que são muito exigentes”, disse ainda o vice-reitor da UM.
Recorde-se que o “Social Angels” tem como objectivo captar o espírito inovador e empreendedor do território, através da criação de uma comunidade empreendedora, com a participação de múltiplos agentes na construção de projectos facilitadores de empregabilidade jovem.
celho, historicamente, é fértil em indústria e são muitos os exemplos de empresários determinados que criam diariamente produtos de reconhecido valor. Somos excelentes, por exem-plo, na ourivesaria, no têxtil ou na transformação da pedra. Temos muitas empresas a trabalhar para a maiores cadeias internacionais”, referiu Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, na sessão de abertura.

PLATAFORMA DE COOPERAÇÃO

Autarquia e Universidade 
do Minho estreitam laços

A Câmara Municipal integra, desde ontem, a plataforma UM – Cidades da Universidade do Minho. O memorando de adesão
A plataforma UM-Cidades procura colocar em diálogo os agentes do conhecimento, do lado da Universidade, com os agentes da política e da prática na gestão do território, tal como explicou o vice-reitor da UM, no decurso da cerimónia.
Criar a ponte entre o conhecimento na área das cidades e dos territórios de baixa densidade e a política e a prática que acontece no terreno, nomeadamente nas Câmaras Municipais, é um dos objectivos da plataforma.
A criação de uma Academia de Formação Executiva, dirigida a eleitos, dirigentes e técnicos superiores de municípios e empresas que actuam sobre o território, a realização de debates e seminários com convidados seleccionados que endereçam temas relevantes para as cidades e o território e a instituição dos prémios ‘Município do Ano’, que distinguem as boas práticas dos municípios no território nacional, nas dimensões social, economia e ambiental, são alguns dos pilares em que assenta a UM – Cidades.
“Isto só faz sentido, a partir da Universidade do Minho, se tivermos connosco os actores e os agentes que estão no terreno e esses actores são, desde logo, maioritariamente, as Câmaras Municipais”, disse ainda o vice-reitor da UM, adiantando ainda que os municípios aderentes têm condições preferenciais no acesso às actividades da UM – Cidades e, por outro lado, a capacidade de influenciar aquilo que a UM – Cidades vai realizando, nomeadamente novas áreas de formação. Previsto está também a criação de um Conselho Consultivo, onde têm assento os representantes dos municípios aderentes.
Para além da proximidade geográfica que liga a Póvoa de Lanhoso e Braga, com a adesão à plataforma UM – Cidades a autarquia da Póvoa de Lanhoso fica mais próxima do conhecimento, como destacou o presidente  da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, que classificou o trabalho desenvolvido por aquela universidade como uma refe-rência a nível nacional, europeu e até mundial.
foi assinado, nos Paços do Concelho, por Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e José Mendes, presidente da UM – Cidades e vice-reitor da Universidade do Minho.

PISCINA COBERTA OFERECE MAIOR CONFORTO

Autarquia aposta na Eficiência 
Energético-Ambiental

No âmbito da realização de trabalhos referentes à promoção da Eficiência Energético-Ambiental na Piscina Municipal Coberta da Póvoa de Lanhoso, os serviços de natação/hidroginástica que funcionam neste equipamento estiveram encerrados entre os dias 24 e 29 de Novembro para permitir uma intervenção, que visou oferecer maior conforto, comodidade, bem-estar e tornar aquelas instalações municipais energeticamente mais eficientes.
“Este projecto insere-
A autarquia lembra que a racionalização dos consumos energéticos é uma questão cada vez mais premente. Para além da importância que a racionalização tem em termos financeiros, também tem efeitos ambientais, que importa não descurar. Ciente da importância destas duas dimensões, a autarquia decidiu avançar com uma intervenção na piscina coberta municipal, que visa requalificar e melhorar a infra-estrutura e equipamento já existentes.
Através da colocação de um sistema solar térmico, da reformulação do actual sistema de AVAC e da optimização dos sistemas de iluminação da Piscina Municipal Coberta, a autarquia pretende alcançar significativas poupanças de energia, mantendo o conforto e qualidade do serviço prestado a toda a população e alcançar vantagens do ponto de vista económico e ambiental. Face às novas exigências de certificação dos edifícios, tornar este edifício energeticamente mais eficiente transforma-se portanto numa prioridade.
“Esta certificação tem dois objectivos fundamentais: a poupança de energia e a protecção do ambiente, permitindo que todos os cidadãos possam saber qual o verdadeiro consumo ou custo energético do edifício. A autarquia pretende, assim, contribuir para o equilíbrio entre o meio ambiente e para a utilização sustentável dos recursos disponíveis, respeitando e preservando os direitos das gerações futuras”, esclarece a Câmara Municipal, dando conta de que esta operação é financiada pelo Programa Operacional Regional do Norte - ON.2 no âmbito do ‘Eixo Prioritário I – Competitividade, Inovação e Conhecimento’. O valor total de investimento é de 366.666,86€, tendo sido considerado como investimento total elegível 361.087,51€. O financiamento FEDER atribuído é de 252.761,26€, correspondendo a uma taxa de comparticipação de 70%.

Santo Emilião

Associação Jovens
inaugurou sede

O edifício da antiga escola EB1 de Santo Emilião acolhe, desde o passado Domingo, dia 7 de Dezembro, as actividades da Associação Jovens Emilianos. A cerimónia, realizada pelas 15h30, contou com um ambiente de festa e com a participação de mais de cem pessoas.
De entre outros, marcaram presença na cerimónia o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, os vereadores Gabriela Fonseca e André Rodrigues, o presidente da Junta de Freguesia de Santo Emilião, Artur Salgado, o padre Domingos Gonçalves, assim como o presidente da AJE, Artur Miguel Salgado.
No decurso da cerimónia, foram distinguidos como Sócios Beneméritos a Junta de Freguesia de Santo Emilião e a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
“As actividades criadas pela A.J.E. terão sempre como fundamento, desenvolvimento do cariz solidário, despor-tivo e recreativo de cada pessoa que nelas participem. É este objectivo que nos move e que fez com que um dia um grupo de jovens, se sentassem à mesa e debatessem sobre a necessidade da existência de uma associação de jovens na freguesia, para suprimir tal lacuna na comunidade local”, referiu Artur Miguel Salgado, aquando da cerimónia de inauguração da nova sede da Associação Jovens Emilianos.
Artur Miguel Salgado deu a conhecer que a sede da associação estará aberta todos os Sábados, das 14h30 às 24h00, com o intuito de receber todos os seus associados, onde irão poder usufruir de um espaço acolhedor, onde poderão socializar e onde terão apoio a nível escolar, já que a associação irá criar um horário para o apoio ao aluno, onde todos os sócios irão usufruir de ajuda para as mais diversas necessidades a nível escolar.
“Neste preciso momento gostaria de falar para a direcção que me acompanha, pois sem eles hoje não estaríamos aqui a festejar tal momento. Sim, porque todo o trabalho que aqui podem ver, foi fruto do suor e dedicação de todos os órgãos sociais da associação. Aqui eles passaram muitas noites a trabalhar, muitas horas dos seus fins-de-semana, desde as limpezas iniciais, passando pelas pinturas, até à construção do mobiliário presente nas instalações. Eles foram incansáveis. Em meu nome pessoal o meu muito, muito obrigado a todos eles”, disse ainda Artur Miguel Salgado.
As últimas palavras serão dirigidas a toda a população de Santo Emilião, pois “a Associação de Jovens Emilianos, só poderá ser útil e uma mais-valia para todos nós se houver uma cooperação mútua com a comunidade. A AJE foi criada com o objectivo de desenvolver a união juvenil na freguesia mas também o desenvolvimento da comunidade”.

AJE criada em Outubro 
A Associação de Jovens Emilianos foi fundada a 22 de Outubro de 2014, partindo da vontade de jovens dedicados e empenhados em fomentar a prática do associativismo juvenil na freguesia de Santo Emilião.
A missão da Associação de Jovens Emilianos, prende-se, essencialmente, com o facto de ajudar os jovens da freguesia de Santo Emilião e res-tantes jovens associados a desenvolverem a cooperação e solidariedade entre os seus associados, através da realização de actividades direccionadas ao estilo de vida juvenil. Este tem ainda como missão promover o estudo, investigação e difusão de notícias referentes aos jo-vens, numa concertação entidades públicas e privadas visando a integração social e o desenvolvimento de políticas adequadas à sua condi-ção.

Descrição
A associação tem por objecto fomentar o desenvolvimento das tradições da freguesia de Santo Emilião; promover e desenvolver actividades para a população juvenil; formar um movimento juvenil; colaborar com outras entidades para bem-estar da população da freguesia de Santo Emilião; participar e fomentar actividades cultu-rais, pedagógicas, educativas e desportivas; coadjuvar as diferentes instituições com cariz educativo e social; fomentar acções, atitudes positivas dos jovens face à vida; Inserir espírito de voluntariado em todos os associados e em toda a população circundante; promover a educação ambiental; e impulsionar a criatividade dos jovens, entre outras.

PARA O BIÉNIO 2014-2016

Luís Carvalho reeleito
presidente da JSD

No passado dia 7 de Novembro de 2014, decorreram as eleições para Comissão Política de secção da Póvoa de Lanhoso da Juventude Social-democrata, para o biénio 2014-2016. Para este acto eleitoral, que contou com a participação de 217 militantes da JSD/Póvoa de La-nhoso, concorreram duas listas.  A Lista A, encabeçada por Luís Carvalho, que tinha como mote “No melhor caminho” e a lista U, encabeçada por Gabriel Meira, sob o lema “Chegou a hora da mudança”.
Luís Carvalho, de 26 anos, natural da freguesia de Vilela, actual Conselheiro Nacional da JSD, presidente da Assembleia de Freguesia de Vilela e deputado na Assembleia Municipal da Póvoa de Lanhoso, foi reeleito presidente da Comissão Política da JSD/Secção Póvoa de Lanhoso.
“Esta é a vitória do trabalho, da persistência, do esforço e dedicação dos últimos anos, especialmente dos últimos dois, à estrutura. É com enorme satisfação que vejo que a maioria dos militantes depositaram a confiança na minha candidatura, mas é também com enorme sentido de responsabilidade que assumo que a partir de agora serei o presidente de todos os militantes da JSD/Póvoa de Lanhoso e espero o contributo de todos para que continuemos a lutar pelo desenvolvimento, dinamização e aumento da qualidade de vida dos jovens povoenses e população em geral”, começou por afirmar Luís Carvalho.
A actual situação económico-financeira nacional, sentida também no concelho da Póvoa de Lanhoso,  exige que os jovens sejam dinâmicos, empreendedores e criativos na resolução dos vários problemas com os quais são confrontados no dia-a-dia. “Não nos passará ao lado questões como a educação, os comportamentos de risco, a acção social, a saúde, o desemprego jovem, o desporto e a formação. A todas elas, a JSD da secção da Póvoa de Lanhoso estará atenta. O caminho será difícil e o trabalho árduo, mas com união e espírito de grupo tornar-se-á mais fácil trilhar o caminho para um futuro de sucesso, pois os ingredientes para atingir tais objectivos estão presentes nos novos elementos eleitos”, afirma Luís Carvalho.
Agradecendo a todos os militantes o voto de confiança, Luís Carvalho explica que “este projecto de união, força e renovação é também abraço por jovens que, para além companheiros, são também amigos. Aproveito, desde já, para agradecer-lhes toda a confiança e dedicação. De igual forma, agradeço a todos os militantes da JSD/ Póvoa de Lanhoso o voto de confiança na minha candidatura. Contem comigo e com a minha equipa.”

PÓVOA DE LANHOSO recebeu a visita do seleccionador nacional

Fernando Santos demonstra 
apoioa associação 
de deficientes visuais

Fernando Santos mostrou-se solidário, fora dos relvados, ao participar numa iniciativa da Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga.
O timoneiro da selecção nacional de futebol foi recebido, na Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, pela vice-presidente, Gabriela Fonseca, e pelo vereador Armando Fernandes, seguindo-se a visita à sede da AADVDB e à Escola Secundária, onde aí participou numa de-monstração de goalball e respondeu às questões da plateia.
A Federação Portuguesa de Futebol fez-se representar pelo vice-presidente, Carlos Coutada. Fernando Santos fez-se acompanhar da esposa e ainda de Bernardino Pedroto, amigo de longa data.  “É sempre com muito gosto que nós, na câmara municipal, recebemos personalidades da sociedade portuguesa, seja a convite directo da câmara seja através das instituições, como é este caso. A Associação de Invisuais é um bom exemplo disso. Ao longo do ano vai associando à sua actividade a vinda de personalidades, que ajudam, de certa forma, a promover e a valorizar o trabalho que é desenvolvido pela Associação de Invisuais do Distrito de Braga e, por isso também, uma palavra ao Domingos, pela sua permanente capacidade de mobilização e trabalho”, referiu a vice-presidente do município povoense, felicitando a Federação Portuguesa de Futebol e o seleccionador.-

ASSOCIAÇÃO DE ANDEBOL DA P. LANHOSO

João Ferreira
quer estabilizar andebol

Coordenador das equipas da Associação de Andebol da Póvoa de Lanhoso, João Ferreira, traça balanço da época e aponta os objectivos da AAPL.
Desportivamente, como estão as equipas da AAPL?
Volvidos dois meses do início das actividades desportivas, vamos então fazer uma pequena reflexão sobre o desenvolvimento dos vários escalões etários. Sendo nós um clube mais vocacionado para a formação desportiva dos jovens da Póvoa de Lanhoso, este ano não esquecemos alguns daqueles que ao longo dos anos foram passando pelo andebol povoense e apresentamos também uma equipa de seniores, com a quase totalidade dos jogadores da Póvoa e alguns deles ainda com a idade de juniores.

Quais os objectivos da AAPL?
O principal objectivo é tornar o andebol numa modalidade estável na Póvoa. Desta forma, queremos estabilizar a equipa de seniores, fazer com que os povoenses, cada vez mais vão ao pavilhão apoiar a sua equipa e dêem o tempo por bem passado. A evolução desportiva é importante, mas é imprescindível estabilizar a equipa para, posteriormente, podermos crescer. Depressa e bem há pouco quem! Nos Juvenis, a história é diferente.
A AAPL conseguiu, meritoriamente, subir à primeira divisão. Então, o nosso principal objectivo é conseguir manter o escalão entre os melhores. Estamos já perto de conseguir esse desiderato e estou certo que os nossos jovens vão crescer desportivamente por participarem num campeonato entre os melhores. Nos Iniciados, apesar de um plantel curto, os jovens iniciam agora a fase final, também entre os melhores da zona norte. Este escalão e os infantis estão a passar por uma fase difícil e é reflexo daquilo que se passa nas escolas, com a desvalorização do Desporto Escolar.
Os Infantis e os Minis, são dois escalões que iniciaram há pouco a sua actividade, sendo de salientar a alegria dos mais novos nas deslocações ou nos festands, encontros quinzenais organizados para jovens raparigas e rapazes até aos dez anos.
Para concluir, o objectivo é fixar, de uma vez por todas, o andebol na Póvoa de Lanhoso, levar mais pessoas ao pavilhão, jogar com os melhores e ajudar ao desenvolvimento e crescimento dos jovens do concelho

Têm tido muitas dificuldades?

Deixo esse apontamento para a Direcção, falando apenas da parte de implementação desportiva. As dificuldades são variadas.
Existe um conjunto de actividades na povoa que dificultam a prática regular de actividade física aos nossos jovens. E é pena já que hoje em dia os jovens para além de sobrecarregados com actividades lectivas, passam imenso tempo nos computadores e no facebook. Isto deveria levar a um incremento da prática desportiva. São muitas as actividades semanais e as horas não chegam para tudo.

EDITORIAL

Armindo Veloso




 
Mintam-nos, senhores 

Durante uma legislatura,  completa ou não, é voz corrente condenar-se os Primeiro Ministros, principalmente esses que representam os governos no seu todo, de mentirem com quantos dentes têm na boca. Ouve-se muitas vezes dizer que esses mentirosos não verão mais o meu voto, etc, etc. No entanto, lá no fundo, eu acho, e não sou só eu a achar, que os grandes culpados dos líderes partidários com possibilidades de chegarem a Primeiro Ministro mentirem somo nós e só nós.
Se um candidato a Primeiro Ministro, com hipóteses de o vir a ser, dissesse a verdade nós votaríamos na sua força partidária? A maioria de nós não. Não votávamos.
Se analisarmos a personalidade de Passos Coelho, ele é, não tenho dúvidas, um homem que gosta de dizer a verdade. Julgo que lhe está no sangue. Mas, teria ganho as eleições sem mentir em assuntos estruturantes da governação? Não me parece.
Agora que governou mais de três anos é mais fácil ser verdadeiro e deixar o povo julgar. Se achar que ele merece, reelege-o. Se não achar perderá mas a história julgá-lo-á e não lhe dará má nota dadas as circunstâncias.
António Costa: Acompanho com interesse este homem que também gosta da verdade. É, no entanto, constrangedor vê-lo a não querer mentir mas ao mesmo tempo não poder dizer a verdade.
Numa entrevista recente, à pergunta se iria devolver por inteiro os cortes feitos aos funcionários públicos respondeu que sim. Mas, logo a seguir, entre dentes, disse que tinha um compromisso para uma década e que só se comprometia nesse cenário. Mas que diferença faz, meu Deus. Da mesma forma reagiu acerca do corte suplementar de IRS e aos cortes nas pensões.
O facto de fazer promessas num horizonte de dez anos com palavras subtis defendê-lo-á no futuro, se vier a ser Primeiro Ministro. Mas não é isso que o povão menos atento espera. Este, espera  ‘leite e mel’.
Ainda bem que o próximo Primeiro Ministro será Passos Coelho ou António Costa e não um megalómano qualquer.
Por muito que nos custe garantem-nos o essencial: realismo e bom  senso.
Até um dia termos uma crise de ‘pau e pedra’...
 
Até um dia destes.

ORGANIZADO PELA GNR DA PÓVOA DE LANHOSO

Simulacro de acidentes
para sensibilizar condutores

Um atropelamento na passadeira e um despiste, com duas vítimas encarceradas, foi o cenário que os automobilistas avistaram, na tarde de domingo, dia 16 de Novembro, ao passar na Estrada Nacional 103, no sentido Póvoa de Lanhoso – Braga. O simulacro, organizado pela GNR da Póvoa de Lanhoso, integrou uma campanha de sensibilização e de prevenção rodoviária, a fim de transmitir aos condutores conselhos de segurança, como forma de assinalar o Dia Mundial em Memória das Vítimas na Estrada. Bombeiros Voluntários e Câmara Municipal participaram na iniciativa.
Durante cerca de duas horas, o trânsito foi desviado, pelos militares da Divisão de Trânsito, para uma zona de lazer, com o cenário a sensibilizar os condutores que por ali passaram.
“Esta é uma campanha de sensibilização que tem sido desenvolvida ao longo dos últimos três anos, em parceria com os Bombeiros Voluntários e a Câmara Municipal. Visa, essencialmente, a sensibilização dos condutores para os perigos que correm e para alguns comportamentos que são considerados comportamentos de risco”, explicou o Alferes Ivo Morais, Adjunto do Comandante do DTER da GNR da Póvoa de Lanhoso.
Excesso de velocidade, condução sob o efeito de álcool e não utilização dos dispositivos de segurança foram alguns dos comportamentos de risco destacados por aquele militar que salientou a diminuição, este ano, do número de acidentes mas também a diminuição também dos comportamentos de risco. Tal diminuição é fruto não só das campanhas de sensibilização promovidas pelas forças de segurança mas também da consciencialização dos condutores para os perigos que advêm dos comportamentos de risco, conforme explicou o Alferes Ivo Morais.

Serzedelo e S. Martinho são zonas problemáticas
Armando Fernandes, vereador da Protecção Civil da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, explicou que a iniciativa “visa sensibilizar os condutores para terem uma condução defensiva e alertá-los para a quantidade de pessoas que morrem ou ficam gravemente feridas nas estradas portuguesas”.
“Os números deste ano são significativos. Já morreram nas estradas portuguesas cerca de 400 pessoas e mais de 1700 ficaram gravemente feridas e há necessidade que os condutores tenham uma condução defensiva e tomem as devidas precauções”, revelou o Vereador da Protecção Civil.
Quanto a zonas problemáticas no concelho, Armando Fernandes apontou duas situações, “uma delas na Estrada Nacional 103, na freguesia de Serzedelo, e temos alertado as Estradas de Portugal para a necessidade de colocar algum tipo de barreiras, onde têm acontecido nos últimos anos alguns acidentes e alguns deles fatais e também em S. Martinho de Campo, na Nacional 210, onde também têm surgido algumas situações de perigo”.

ENVOLVER OS JOVENS NA CONSTRUÇÃO DO CONCELHO

‘Social Angels’ para combater
o desemprego jovem 

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e a Sol do Ave apresentaram, na tarde de Segunda-feira, dia 24 de Novembro, nos Paços do Concelho, o projecto “Social Angels” – Comunidade Empreendedora, que visa dar resposta ao problema do desemprego juvenil e mobilizar toda a comunidade para que, de uma forma criativa e participada, identifiquem e desenvolvam ideias susceptíveis de dar origens a projectos facilitadores da empregabilidade juvenil.
Uma das primeiras iniciativas do projecto acontece nesta quinta-feira, dia 27 de Novembro, com a realização do seminário ‘A Sociedade Civil no estímulo ao desemprego Jovem’. Iniciado a 1 de Outubro, o ‘Social Angels’ prolonga-se até Março de 2016 e tem como destinatários jovens do ensino profissional. Numa primeira fase, o trabalho desenvolve-se com jovens da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso mas a intenção é alargar o projecto a outros jovens em situação de desemprego.
“Pretende-se, desta forma, envolver 50 jovens no pro-cesso colectivo de participação e construção de projectos de empreendedorismo, representando os seus interesses no âmbito da empregabilidade. Capacitar 50 jovens em temáticas no âmbito da empregabilidade e outras que implicam a sua relação com a sociedade”, esclareceu Maria José Afonso, da Sol do Ave, referindo que o objectivo é alargar o número de jovens envolvidos. No final do projecto, e de acordo com aquela responsável, serão criados 8 projectos de empreendedorismo, sendo três deles estruturantes, que, para além da criação de auto-emprego, possam dar origem a outros postos de trabalho.
Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, destacou a importância do projecto e revelou “abraçar com o cora-ção o projecto”, uma vez que o emprego é uma preocupação da autarquia da Póvoa de Lanhoso.
“Acredito que temos massa crítica na Póvoa de Lanhoso para que este seja um projecto de sucesso”, referiu ainda Manuel Baptista.
Recorde-se que o Social Angels - Comunidade Empreendedora é cofinanciado pelo Programa Cidadania Activa - EEA Grants - Fundação Calouste Gulbenkian.

COMUNIDADE UNIDA NAS INSTALAÇÕES DO BANCO DE VOLUNTARIADO

Confecção de compotas ‘reuniu’ 
diferentes respostas sociais

Diversas pessoas participaram numa acção de confecção de compotas, que decorreu nas instalações do Banco de Voluntariado, no passado dia 27 de Outubro.
 Esta foi uma acção que envolveu diferentes respostas sociais promovidas pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso – Banco de Voluntariado, Loja Social e o projecto Especial.Mente, num esforço conjunto. Com esta acção, foi possível reunir diferentes dimensões da intervenção social.
 A dinamização de um espaço ocupacional, de relação e de partilha (projecto Especial.Mente), a confecção de um produto diferente a integrar o cabaz de apoio às famílias apoiadas pela Loja Social, o envolvimento de voluntários do Banco de Voluntariado e a transformação e o aproveitamento de frutas disponíveis foram os objectivos da acção, que foi dinamizada e orientada pela voluntária Virgínia Melo.
 Existe a possibilidade de se realizarem idênticas acções no futuro. Estas compotas serão agora distribuídas no âmbito do variado apoio social prestado pelo Município, através de respostas distintas.

PROJECTO SIGO É TIDO COMO UM INSTRUMENTO VITAL NO APOIO SOCIAL

Violência doméstica:
67 processos desde Janeiro

De Janeiro até 13 de Novembro, já se registaram 67 processos de violência doméstica no concelho da Póvoa de La-nhoso. Estes dados foram transmitidos por Carla Melo, responsável do SIGO - Serviço para a Promoção da Igualdade de Género, criado em 2010 pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. À autarquia da Póvoa de Lanhoso, juntam-se vários parceiros, nomeadamente o Ministério Público, GNR e IPSS’s do concelho.
Estas informações foram dadas a conhecer no decurso do seminário ‘A medicina de género, a saúde e os impactos da violência doméstica e de género na saúde’, no dia 20 de Novembro, no âmbito da Semana Municipal para a Igualdade promovida pela autarquia da Póvoa de Lanhoso.
A Póvoa de Lanhoso não foge à regra e também aqui as maiores vítimas de violência são as mulheres. Os números são expressivos: 2013 – 70 mulheres e 16 homens; e 2014 – 53 mulheres e 14 homens.
O fenómeno, de acordo com Carla Melo, é transversal a todas as idades e não afecta somente os idosos ou os casais. Dos 28 aos 47 anos é a faixa etária onde se registam o maior número de casos de violência doméstica. Quanto à idade média do denunciante, nas mulheres é de 54 anos e nos homens de 79 anos. Em 2014, os parceiros do SIGO deram acolhimento a 7 mulheres, com quatro a serem encaminhadas para casas-abrigo.
Na abertura do seminário, Gabriela Fonseca, vice-presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, destacou que “a autarquia da Pó-voa de Lanhoso foi pioneira na introdução deste tema nos planos de actividades das Câmaras Municipais”.
“Juntamos vários parceiros ao projecto, fomos desenvolvendo um trabalho positivo e hoje é conhecido como um importante instrumento de apoio às políticas sociais, sendo o concelho, nesta matéria, um exemplo, o que naturalmente muito nos orgulha”, revelou a vice-presidente, referindo-se ao SIGO.

ASSOCIAÇÃO ‘EM DIÁLOGO’ UNE VÁRIAS INSTITUIÇÕES

Universidade do Saber
promove inclusão social

A Em Diálogo – Associação para o Desenvolvimento Social da Póvoa de Lanhoso apresentou, na passada sexta-feira, dia 14 de Novembro, a ‘Universidade do Saber’, um projecto que visa a inclusão social de pessoas em situação de maior vulnerabilidade social, através do desenvolvimento da capacidade criativa e da aquisição de competências e conhecimentos em diferentes áreas artísticas, dando um especial enfoque no artesanato contemporâneo. O momento ficou também marcado pela assinatura de acordos de parceria com artesãos, empresas e entidades do concelho, nomeadamente a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
Clarisse Matos Sá, presidente da Em Diálogo, destacou a importância das parcerias para o desenvolvimento do projecto, iniciado em Outubro de 2011, nomeadamente com as empresas do concelho e com a Câmara Municipal.
Recentemente, e numa parceria com a autarquia, foram criadas quatro personagens ligadas à história da Póvoa de Lanhoso: Maria da Fonte, S. José, D. Teresa e D. Afonso Henriques, feitas em feltro e outros materiais têxteis, podendo ser usadas como peças decorativas ou como brinquedos para as crianças.
A ‘Universidade do Saber’ tem como públicos-alvo os utentes do GAAS – Gabinete de Atendimento/Acompanhamento Social, que se encontram em situação de desemprego, jovens à procura de 1.º emprego, reformados, bem como outras pessoas que mesmo não se enquadrando numa destas problemáticas, vivenciam situações de solidão e isolamento; e o público em geral que manifeste interesse pela aprendizagem de novos conhecimentos artísticos.
Ana Teresa Carneiro, coordenadora do projecto, deu a conhecer o atelier ‘Nós & Companhia’, desenvolvido no âmbito daquele projecto, e os workshop´s, na área do artesanato contemporâneo e tradicional, abertos à comunidade em geral.
Agendas, notebook´s, livros de receitas, livros de bebé, livros de endereços, livros de honra, trabalhos inovadores e personalizados, tal como os álbuns de scrapbooking, lembranças para baptizados, comunhões e casamentos, são algumas das criações desenvolvidas no atelier ‘Nós & Companhia’.
A criação de postos de trabalho é um dos objectivos da ‘Em Diálogo’, que pretende apresentar uma candidatura ao novo quadro comunitário.
Gabriela Fonseca, vice-presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, felicitou a ‘Em Diálogo’ pela criação de mais uma valência de cariz social, referindo ainda que a autarquia  sempre privilegiou o trabalho com as IPSS’s e instituições do concelho.

ROTARY CLUBE DA PÓVOA DE LANHOSO

Domingos Vieira homenageado

O atleta paralímpico Domingos Vieira foi a figura homenageada pelo Rotary Club da Póvoa de Lanhoso, no decurso da homenagem ao profissional promovida por aquele clube rotário. Para além da cerimónia de homenagem, a noite de festa ficou marca-da pela entrada de um novo elemento para a família rotária, a psicóloga Sílvia Oliveira. De entre as várias conquistas desportivas de Domingos Vieira destacam-se o título de campeão regional norte (de 2011 a 2014), troféus Minhoto em 2013, 8.º lugar nos Jogos Paralímpicos em Londres, campeão nacional (de 2010 a 2012), medalha de Bronze na Taça do Mundo, em Belfast e 1.º lugar no Torneio Internacional, na Tunísia.
Praticante de boccia, Domingos Vieira é voluntário nos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso. Para além do boccia, os tempos livres são ocupados pela natação e o convívio com os amigos.
Jorge Magalhães, presidente do Rotary Club da Póvoa de Lanhoso, destacou o momento especial vivido por aquele clube rotário, com a homenagem a um profissional e a entrada de um novo elemento na família rotária. O presidente do Rotary Club da Póvoa de Lanhoso agradeceu a Domingos Vieira por dar o exemplo e a lição de vida.
O homenageado, Domingos Vieira, agradeceu a presença de todos, não esquecendo a secção de Desporto Adaptado do Sporting de Braga, aos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso e à Câmara Municipal.
“Sem essas pessoas eu não teria crescido. Espero continuar a crescer e a trazer bons resultados para a Póvoa de La-nhoso”, revelou Domingos Vieira.
António Lourenço, comandante dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso e elemento do clube rotário povoense, mostrou-se satisfeito com a escolha de Domingos Vieira.
“Representa, sobretudo, um lutador, um homem que enfrenta a vida e um homem que consegue ultrapassar todos os obstáculos que lhe vão aparecendo pela frente. Isso, provavelmente, é muito mais que o sucesso que muitos povoenses possam ter ao longo da vida”, salientou António Lourenço, destacando ainda que o homenageado é um excelente colaborador.
“Pela pessoa que é, pela empatia que cria com todos, pelo bom ambiente que cria, pela amizade que conquistou de todos os bombeiros é um elemento que transforma o dia-a-dia, dos voluntários e dos profissionais dos bombeiros, para melhor”, disse ainda António Lourenço.
Da parte de Luís Matos Silva, presidente da ATPL, e de Armando Fernandes, vereador da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Domingos Silva recebeu os mais rasgados elogios.

LITERATURA

Adriana Ribeiro apresentou
‘Uma nova Esperança’

Descobrir uma nova esperança na obra de Adriana Ribeiro foi o convite deixado por Daniela Teixeira, da Chiado Editora. Com 39 anos, Adriana Ribeiro, natural da Póvoa de Lanhoso, licenciou-se em Literaturas Clássicas e Portuguesa, na Universidade de Coimbra. Actualmente, é colaboradora da Assis, em Lanhoso.
“O gosto pelas letras desenvolveu nesta área levou-a a optar por um percurso académico nesta área, licenciando-se em Literaturas Clássicas e Portuguesa, na Universidade de Coimbra”, revelou Elisabete Carvalho, amiga da autora, aquando da apresentação da obra, adiantado que o seu “gosto pela leitura viciou-a em livros e a leitura despertou-lhe o gosto pela escrita”.
“Uma nova esperança”, fala de amores e desamores das pessoas e das circunstâncias da vida de todos nós, como explicou Adriana Ribeiro, vincando que se trata de uma obra de ficção.
Armando Fernandes, vereador da Cultura da Câmara Municipal, deu os parabéns à autora, incentivando-a a “não deixar de sonhar e não deixar de passar para o papel aquilo que lhe vai na alma”. O responsável pela área da cultura vincou que “todos nós precisamos de ter uma nova esperança”.
Com um gosto especial pela leitura, Adriana Ribeiro não descarta a publicação de uma nova obra. Aventurar-se num outro género de escrita, nomeadamente contos infantis, também não foi descartado por Adriana Ribeiro.

CONSENSO EM TODA AS BANCADAS

Acordos entre Câmara e Juntas 
aprovados por unanimidade

O último ponto da ordem de trabalhos da última Assembleia Municipal mereceu o consenso de todas as bancadas. Em discussão estava a celebração de acordo de execução entre a Câmara Municipal e as juntas de freguesia do concelho, para delegação legal de competência e a celebração de contratos interadministrativos e de atribuição de subsídios entre a Câmara Municipal e as juntas de freguesia do concelho.
O compromisso assumido pelo presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, de transitar as verbas que as juntas de Freguesia não gastem para o ano seguinte e de aumentar em 10% o valor a transferir, em ambos os contratos, com os mesmos a serem revistos anualmente, levou o Partido Socialista a interromper os trabalho e a reunir o grupo parlamentar. Na hora de votação, o ponto foi aprovado por unanimidade. O presidente da Câmara Municipal leu a última parte dos referidos protocolos, informação que, segundo os elementos do PS, não constava dos documentos que tinham em sua posse. Foram essas declarações e o compromisso assumido pelo presidente de Câmara, que levaram à unanimidade na hora de votação.
“Foi aquilo que eu combinei com os senhores presidentes de Junta”, salientou o presidente Manuel Baptista, referindo-se ao aumento de 10% na totalidade das verbas a transferir para as Juntas de Freguesia.
“Todos os presidentes de Junta querem o melhor para as suas freguesias”, disse Gilberto Anjos, presidente       da União de Freguesias de Águas Santas, revelando, que no seu caso a verba a receber passa dos 21 mil para os 18 mil euros, neste ano. Gilberto Anjos, disse também, numa outra intervenção, que “a Câmara não teve a preocupação de saber se a verba era suficiente ou não. O que os presidentes de junta querem é justiça e igualdade para todos”.
No período antes da ordem do dia, José Manuel Lopes, do CDS/PP, em substituição de José Eduardo Vieira, pediu que os serviços da Assembleia fossem mais zelosos na transcrição das intervenções e questionou o executivo quanto ao trabalho desenvolvido no combate à vespa asiática, relembrando o conselho deixado por José Eduardo Vieira, na última Assembleia Municipal, de que os madeireiros poderiam ser pessoas muito úteis na identificação dos ninhos.
Na resposta, o presidente da Assembleia Municipal da Póvoa de Lanhoso, Amândio de Oliveira, saliento que, até ao momento, os serviços têm sido rigorosos nas transcrições, alertando que o protesto deixado pelo deputado do CDS/PP não especifica qual a intervenção que não foi correctamente transcrita.
Algumas intervenções no período antes da ordem do dia levaram o presidente da Assembleia Municipal a pedir mais contensão na linguagem. Também o presidente da Câmara Municipal pediu contenção e respeito.
No que diz respeito à vespa asiática, Manuel Baptista referiu que já foram identificados 40 ninhos, com a Pó-voa de Lanhoso a ser um exemplo neste campo.
O deputado do CDS/PP questionou ainda a Câmara Municipal quanto à verba recebida da Braval para a cultura. Na resposta, o presidente da Câmara Municipal revelou que o apoio para a cultura é de 15 mil euros e que o assunto foi público.
No que diz respeito à Braval, a comissão de ambiente deixou um conjunto de questões que serão encaminhada para aquela entidade por parte dos serviços da Assembleia Municipal.
A análise da actividade do município e sua situação financeira; a análise e votação das Grandes Opções do Plano para 2015; a análise e votação da organização dos serviços municipais, estrutura e competências, bem como o regulamento e organigrama; a análise e votação do Mapa de Pessoal para vigorar no ano de 2015; a análise e votação de propostas da Câmara Municipal para fixação de impostos municipais; a análise e votação de proposta da Câmara para celebração de acordo de cedência da escola do 1.º ciclo do ensino básico de Monsul à junta de freguesia daquela freguesia; a análise e votação da 2.ª Revisão Orçamental; a Informação sobre os compromissos plurianuais assumidos; o Relatório trimestral relativo à situação económica e financeira do município da Póvoa de Lanhoso, contemplando o acompanhamento do PAEL, foram outros dos assuntos debatidos. No decurso dos trabalhos, os vereadores Fátima Moreira e Frederico Castro pediram para usar da palavra, com Manuel Baptista a não permitir tal situação. Levada a questão a votação, o plenário não permitiu o uso da palavra aos dois vereadores.

EPAVE foi tema na Assembleia
Pela voz do deputado Carlos Vieira, o PS trouxe à Assembleia Municipal a situação a EPAVE, mostrando preocupação quanto ao futuro da instituição que, no ano passado, apresentou um resultado líquido negativo de 25 mil euros.
Na resposta às questões deixadas, e de entre outras considerações, Manuel Baptista deu conta da total confiança no administrador da EPAVE.
O presidente da Câmara Municipal revelou que está a ser feito um estudo para avaliar o valor da EPAVE. O autarca apontou que aquele estabelecimento de ensino conseguiu aumentar o número de alunos e diminuir o orçamento em relação ao ano passado.

N.ª Sr.ª do Amparo

Magusto reuniu
cerca de 500 pessoas

Cerca de 500 pessoas participaram, no dia 16 de Novembro, no tradicional magusto promovido pela Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso, presidida por Avelino Silva. 
Foi um dia muito animado onde não faltaram as tradicionais castanhas assadas e o bom vinho.
A animação ficou a cargo do Grupo de Cantares da Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso e foram ainda apresentadas algumas danças que os utentes do Centro de Convívio desta freguesia protagonizaram. Foi uma tarde de grande alegria e convívio intergeracional.

EDITORIAL

Armindo Veloso




 
Excesso de zelo 

Uma boa parte da sinalização de trânsito quer vertical quer horizontal fica muito a desejar nas  estradas nacionais ou municipais do nosso país.
Desde o tamanho da sinalética vertical que é muito pequena comparada com, por exemplo, os nossos vizinhos espanhóis; sinais de trânsito ‘abraçados’ por vegetação ou pura e simplesmente vandalizados; semáforos onde só se vê o ferro de suporte porque os sinais propriamente ditos estão no meio de ramos de árvores;  passadeiras ‘invisíveis’;  lombas descomunais ou parcialmente  desfeitas; sinais desactualizadíssimos; sinalização de obras a dez metros das mesmas ou a assinalar obras do mandato anterior, enfim, temos de tudo.
Mas, à portuguesa, também temos o excesso de zelo.
Quem percorrer a estrada entre Arcas e Águas Santas, refiro esta porque passo lá muitas vezes e saltou-me à vista, vai deparando com uma sementeira de sinais de trânsito que roçam o ridículo.
Duplos sinais por ali abaixo que ora limitam 70 ora limitam 50km/hora no espaço de vinte ou trinta metros; proibições de ultrapassar onde só loucos, que os há, o fariam precedidos de mais dois a indicar curva perigosa seguindo-se entroncamento e, pasme-se, há um sinal de ‘Escola/Crianças’ enviesado vá-se  lá saber porquê. Será por causa do relevo do terreno?... Enfim, há de  tudo.   
Não sei, e ainda bem que não sei porque para o caso pouco me interessa, quem foram os responsáveis por tamanha sementeira de placas novinhas em folha o que é certo é que o ambiente é que paga e a utilidade de tanta informação é pouca ou nenhuma.
Será que há alguém que goste de ver uma sementeira de placas, desnecessárias, de ferro pintado nas bonitas bermas, quando limpas, das nossas estradas? Francamente não sei mas como há gostos para tudo...
Cumpre ao estado através das leis da República e dos seus organismo locais zelar pelo ordenamento do território coisa que raramente fez de Lisboa para cima e de Beja para baixo.
Não há, no entanto, nenhuma lei que supere a lei do bom senso.

Até um dia destes.

DISTINÇÃO ATRIBUÍDA PELO OBSERVATÓRIO DAS FAMÍLIAS NUMEROSAS

Póvoa de Lanhoso continua 
a ser ‘Autarquia Mais 
Familiarmente Responsável’

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso voltou a receber a distinção de Autarquia Mais Familiarmente Responsável. Esta distinção, atribuída pelo Observatório das Famílias Numerosas, acontece pelo quinto ano consecutivo.
“Este é um reconhecimento que nos deixa muito satisfeitos, porque prova que as políticas sociais que seguimos estão consolidadas. A nossa preocupação permanente é melhorar a qualidade de vida dos povoenses e as respostas sociais e de educação são um importante contributo para atingirmos permanentemente esse objectivo”, considera o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista.
 Respostas como o Naturalanhoso, o subsídio de apoio às rendas, as bolsas de estudo e os Prémios de Mérito Escolar, o apoio social escolar, os transportes escolares, os manuais escolares gratuitos, os Cartões Municipais, os Centros de Convívio, o Banco de Voluntariado e a Loja Social, o Serviço para a Promoção da Igualdade de Género, o Plano Municipal da Igualdade, de entre muitas outras, constituem algumas das medidas existentes.
 A construção dos Centros Escolares e de equipamentos desportivos, como o Pavilhão do Centro Educativo do Cávado, a renovação da bandeira de Praia Acessível e outras medidas também contribuem para a renovação desta distinção, que é o reconhecimento desta política transversal de apoio às famí
Em 2013, a Póvoa de Lanhoso recebeu a bandeira com palma, que é a que é entregue às autarquias que recebem a distinção por três   ou mais anos consecutivos.
A entrega da respectiva bandeira está marcada para o próximo dia 19 de Novembro (quarta-feira), pelas 17h00, no Auditório da sede da Associação Nacional de Municípios em Coimbra.
lias Povoenses implementada pelo Município.