ESPECIAL FREGUESIAS


EDITORIAL

Do ouro ao orgulho

RUI MIGUEL GRAÇA
APóvoa de Lanhoso deu mais importante passo para a afirmação da filigrana como um elemento identitário, símbolo concelhio e, ao mesmo tempo, forma de homenagear homens e mulheres que, ao longo de várias gerações, trabalham os finíssimos fios que dão corpo a verdadeiras peças de arte. Falo naturalmente da abertura da Sala de Interpretação da Filigrana (SIF), que está agora instalada na Casa da Botica, num momento que serviu igualmente para lançar a Rede de Monumentos e Sítios.
Naturalmente que, para a Póvoa de Lanhoso, era imperioso a existência deste tipo de espaço museológico, uma vez que não fazia sentido lan-çar-se na etapa da certificação, sem possuir um local onde os visitantes possam perceber todo este universo. Desde o labor das pessoas, às próprias peças que podem ser vistas e admiradas por quem se deslocar à Casa da Botica.
Recorde-se que o município da Póvoa de Lanhoso, com a colaboração do município de Gondomar, está a dar passos decisivos para a certificação da filigrana, algo que pode ainda potenciar o concelho em outros pontos do globo.
Noutro âmbito, destaque para o encerramento das comemorações do centenário de António Celestino, com a inauguração de um mural de homenagem ao escritor em S. João de Rei. Obviamente que ganha ainda mais relevo quando este monumento fica na sua terra natal, próxima até da sua habitação, a conhecida Casa do Ribeiro. António Celestino é, sem sombra de dúvidas, também um dos orgulhos da Póvoa de Lanhoso e, merece amplamente que a sua memória perdure no tempo.
Por último, é verdade que faltou o ouro ao Grupo Desportivo Porto d’Ave, naquela que poderia ter sido uma conquista histórica para o clube axadrezado do concelho. Todavia a história não se faz apenas de vencedores, já que o grupo de trabalho, bem como todos aqueles que se deslocaram ao Estádio Cidade de Barcelos, para apoiar a equipa, deram uma verdadeira lição de entrega, empenho, abnegação e fair-play. É certo que a magnífica campanha não foi coroada com a Taça Associação de Futebol de Braga, contudo e, depois de ter regressado ao escalão máximo, jamais se imaginaria que o  Porto d’Ave seria capaz de fazer um campeonato de grande nível e pudesse chegar à final. Não foi este ano, ficou a experiência da participação e de deixar as suas gentes sonhar. Contudo a ambição deve manter-se, no sentido de regressar ao grande palco e, quem sabe, já na próxima temporada conseguir o que nesta escapou por pouco.

Nova sala localizada na Casa da Botica

Filigrana ganha 
espaço de divulgação

Homenagear os mestres filigraneiros das Terras da Maria da Fonte e assumir, cada vez mais, a filigrana como um marca identitária do concelho foi um dos objectivos da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso ao inaugurar, no passado Sábado, dia 17 de Junho, a Sala da Interpretação da Filigrana.
O espaço resulta da reconversão da até então Sala da Interpretação do Território, localizada na Casa da Botica, junto ao Posto de Turismo.  No mesmo espaço, os visitantes ficam a conhecer parte do processo produtivo, má-quinas e ferramentas antigas utilizadas no trabalho do ouro, que marcam a vida de gerações de mestres filigraneiros. Ali, respira-se tradição. Na mesma ocasião, foi apresentada a Rede de Monumentos e Sítios.
Vários artesãos marcaram presença nas cerimónias, aos quais se juntaram o vereador da cultura, André Rodrigues, o presidente da Assembleia Municipal, Amândio de Oliveira, o presidente da junta  de freguesia de Travassos, Manuel Sousa, e outros elementos, assim como técnicos da autarquia ligados ao projecto. Dignificar ainda mais o grande trabalho que é feito pelos artesãos do concelho de Póvoa de Lanhoso é um dos objectivos da Sala de Interpretação do Território, como referiu o vereador André Rodrigues.  
A apresentação de um vídeo promocional marcou o arranque da Rede de Monumentos e Sítios da Póvoa de Lanhoso, num espaço que pretende agregar o património material e imaterial, assim como a restauração e o alojamento. O projecto integrará os monumentos e sítios com valor histórico, patrimonial e paisagístico. “Venha sentir a Póvoa de Lanhoso!” é o convite deixado pelo vídeo promocional.
A par disso, a autarquia apresentou um conjunto de materiais promocionais do concelho, dirigido, essencialmente, para os turistas. Azulejos, lápis, esferográficas, brochuras e blocos de notas são alguns dos artigos promocionais do concelho, que passarão a estar à venda no Posto de Turismo, Casa da Botica e Centro Interpretativo Maria da Fonte.

Vila

Largo do Amparo e Largo 
da Alegria intervencionados

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso já iniciou os trabalhos de requalificação do Largo  do Amparo e Largo da Alegria, ambos no centro da vila. “Responder a crescentes preocupações de configuração desta zona como local de encontro comunitário e permanência, bem como a articulação entre este espaço, o comércio local e os transportes de passageiros – públicos e táxis” são as razões apontadas pela autarquia       que esclarece ainda que “actualmente, estas áreas encontram-se em precárias condições de uso, quer pela deterioração dos seus elementos constitutivos (pavimentos, passeios, coberto vegetal, etc.), quer ainda pelo seu desajustamento em relação às suas atuais solicitações urbanas, acima referidas”.
Com esta intervenção, a autarquia procura, assim, promover a qualidade urbanística, ambiental e paisagística da vila. O projecto é co-financiado pelo NORTE 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo de Europeu de Desenvolvimento Regional, que conta com um investimento elegível de 172.302,15 €, ao qual corresponde a comparticipação comunitária de 85% no valor de 146.456,83 €.

Apresentação do candidato do PSD


“Orgulho no passado                   
e um projecto de futuro”

Foi num ambiente de festa e de ‘casa cheia’ que o PSS apresentou a sua candidatura às próximas autárquicas, que decorrem a  1 de Outubro. Perante cerca de 2300 pessoas, que participaram no jantar realizado no dia 10 de Junho, o PSD apresentou Avelino Silva como candidato à Câmara Municipal e João Duque como candidato à Assembleia Municipal. O momento ficou também marcado pela apresentação dos candidatos às Assembleias de freguesia. Um momento de festa, confraternização e união da família social-democrata, com o PSD a entrar com o pé direito na corrida às próximas autárquicas.
O mega jantar, o maior de sempre no concelho, contou com a presença do Presidente da Distrital de Braga do Partido Social Democrata, José Manuel Fernandes.
Um ambiente de verdadeira festa e entusiasmo, com Avelino Silva a ser recebido com uma verdadeira ovação.


Nos discursos, Manuel Baptista falou com o coração e deixou de lado os discursos em papel.
O presidente da Comissão Política do PSD não esqueceu todos os presidentes de Junta que o acompanham desde 2005 e que este ano terminam a sua caminhada.
Manuel Baptista falou dos investimentos na educação, desporto e equipamentos sociais, no investimento no abastecimento de água, no apoio aos idosos, nas medidas sociais de apoios às rendas, aos alunos do concelho e à natalidade.
“É esmagador e emocionante estar em cima deste palco e sentir toda esta energia, vejo que estamos no caminho certo rumo ao futuro. Não podíamos iniciar este caminho de melhor forma, arrancando para mais uma vitória do PSD que será certamente mais uma vitória dos povoenses”, referiu Avelino Silva.
“Orgulho no passado, sentido de responsabilidade e projecto de futuro, são estes os princípios base da minha candidatura que com a vossa ajuda continuará ao serviço da terra que amamos”, referiu Avelino Silva, no seu discurso.
Orgulho na gestão e no trabalho desenvolvido nos últimos doze anos, com a liderança do nosso companheiro e amigo Manuel Baptista; sentido de responsabilidade para que todo esse trabalho não seja desvalorizado e interrompido; e o projecto de desenvolvimento da Póvoa de Lanhoso para a próxima década que vai apresentar aos povoenses foram as razões apontadas por Avelino Silva para aceitar liderar a candidatura do PSD à Câmara Municipal.
A criação de um regulamento que permita o apoio aos idosos na comparticipação dos seus medicamentos será pois a primeira medida de Avelino Silva, caso seja eleito. “Não permitirei que hajam idosos que não sejam devidamente medicados por falta de dinheiro”, referiu o candidato.

CAPA chancelou novo livro, ilustrado por Domingos Silva

José Abílio Coelho apresentou 
‘O Cachorrinho Manco'

O auditório do CIMF – Centro Interpretativo da Maria da Fonte encheu, na noite do dia 14 (quarta-feira, véspera de feriado do Corpo de Deus), para a apresentação do mais recente trabalho de ficção do escritor e historiador José Abílio Coelho. Trata-se de um conto para a infância intitulado ‘O Cachorrinho Mancho’, ilustrado com belíssimas pinturas do pintor Domingos Silva e chancelado pelo CAPA – Clube de Adopção e Protecção de Animais da Póvoa de Lanhoso.
O vereador da Cultura, André Rodrigues, abriu a sessão de apresentação congratulando-se com edição deste livro que vem ajudar o CAPA na sua função de dar apoio a animais abandonados, dado toda a receita que vier a ser apurada com a venda reverter para o Clube de Adoção e Proteção de Animais, adiantando ainda que o mesmo foi custeado pelo município no âmbito do orçamento participativo de 2015.
Elisabete Coelho, que apresentou e conduziu o processo aprovado pela votação população em favor do CAPA, disse que o livro contém uma história que vai ajudar crianças e adultos a entenderem o muito que se pode fazer, em termos comportamental e de legislação, em favor dos animais abandonados, referindo que o texto está muito bem acompanhado por sugestivas ilustrações de Domingos Silva.
Por fim, José Abílio Coelho fez um breve historial do nascimento deste livro, cujo pontapé de partida teve início há cerca de um ano a pedido de Elisabete Coelho, acrescentando que gostou muito de escrever a história do cachorrinho manco e de ter colaborado gratuitamente neste projecto do CAPA. Referiu-se ainda às ilustrações de Domingos, afirmando que este artista plástico povoense valorizou, com o seu trabalho, a edição, de tal modo que se o texto não se sustentasse por si só, as ilustrações davam-lhe a necessária beleza para ser por todos apreciado.
O livro, com 40 páginas ilustradas a cores, encontra-se à venda, ao peço de 10 euros, revertendo o produto apurado para as necessidade do CAPA.

Peça de teatro no theatro club

António – um nome, dois mundos

Estreou no passado sábado, 17 de Junho, no Theatro Club da Póvoa de Lanhoso, inserida no programa das Comemorações do 100.º aniversário do Hospital António Lopes/Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, a peça de teatro “António – um nome, dois mundos”.
Esta peça, um drama que procurou retratar a vida e obra de António Lopes, teve como objectivo homenagear o benemérito e sua esposa, dando a conhecer à comunidade a sua história de  vida.
A peça resultou de uma parceria estabelecida entre a Misericórdia e a Câmara Municipal. Foi escrita e encenada por Maíra Ribeiro e baseada em pesquisa histórica de José Abílio Coelho, historiador e autor de diversas obras sobre os grandes beneméritos António Lopes e D. Elvira Câmara Lopes. O elenco e figurinos tiveram a participação de elementos das duas instituições.
Pela elevada adesão e pela qualidade da sua encenação, a peça vai ser reposta já no dia 12 de agosto, para aqueles que agora não tiveram oportunidade de assistir. Poderá, contudo, voltar a palco em Setembro.
A Misericórdia continua, nos próximos dois meses, com outras actividades do Centenário, culminando, entre 31 de Agosto e 5 de Setembro, com um programa especial durante o qual se inaugurarão as obras feitas no velho edifício do Hospital António Lopes. O convite de participação continua aberto à comunidade.

Para alunos, professores e funcionários

Semana Aberta da EPAVE 
com programa recheado

Durante esta semana, de 19 a 23 de Junho de 2017, a Escola Profissional do Alto Ave viveu a sua  X Semana Aberta, com um programa recheado de actividades e eventos propostas por alunos, professores e funcionários.
Participam no evento várias entidades de renome como a Universidade do Minho – UM, a Associação para a Defesa do consumidor- DECO, o Instituto Politécnico do Cavado e do Ave – IPCA, além de outras entidades e empresas ligadas à temática do ensino profissional.
São momentos altos deste evento a abertura dos espaços de formação prática à comunidade local e empresários, a caminhada para divulgação da oferta formativa e contacto com a comunidade na rua, o desfile de moda, com a apresentação de uma prova de aptidão profissional e o almoço partilhado com toda a comunidade escolar rumo às merecidas férias de Verão.
O encerramento desta X Semana Aberta tem lugar esta sexta-feira, e ficará marcado pela assinatura de mais um protocolo de colaboração no âmbito da formação profissional prática com a empresa Feluaço, SA., do concelho da Póvoa de Lanhoso.

S. João de Rei

Memória de António Celestino 
perpetuada em mural

O nome de António Celestino ficará para sempre ligado à história da freguesia de S. João de Rei. O descerramento de um mural, a 9 de Junho,  marcou o encerramento das comemorações do centenário do nascimento do escritor, falecido a 2013, colocado próximo da sua habitação, a Casa do Ribeiro. Nesta iniciativa, que marcou o final de seis meses de comemoração, estiveram envolvidas a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal. 
As cerimónias de inauguração contaram com a presença de amigos e familiares, do presidente da Assembleia Municipal, Amândio de Oliveira, do presidente da Câmara Municipal, Manuel Baptista, do vereador da cultura, André Rodrigues, do presidente da Junta de Freguesia de S. João de Rei, João Paulo Macedo, assim como de José Abílio Coelho, amigo do escritor e membro da comissão executiva das comemorações do centenário do nascimento de António Celestino.
Além do descerrar do mural, a noite ficou marcada pela entrega dos prémios do concurso literário António Celestino, dirigido desta feita ao público em geral, com a apresentação do documentário ‘Retrato a carvão em moldura dourada’ e a actuação do quinteto de metais da Banda Musical de Calvos, com a interpretação de poemas do autor. ‘Tó de Porto d’Ave’ foi o autor do texto vencedor deste ano. 
Nos discursos, Paulo Macedo, presidente da Junta de Freguesia, referiu que a vida de uma comunidade não se faz apenas de grandes obras mas faz-se também de afectos e memórias. O autarca referiu ainda que António Celestino foi um homem que à sua maneira amou S. João de Rei e ali viveu parte da sua vida e ali produziu parte da sua obra literária. 
André Rodrigues, vereador da Cultura, referiu a grande honra em presidir à comissão executiva, que, durante meio ano, organizou várias iniciativas. “Este memorial diz mui-to do que foi António Celestino e da importância que teve e daquilo que nos deixou. Foi um grande escritor mas essencialmente um embaixador do concelho, que deu a conhecer a Póvoa de Lanhoso nos quatro cantos do mundo”, referiu o vereador.

Da Câmara Municipal

Bebés receberam apoios

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso entregou mais 50 apoios no âmbito da medida Naturalanhoso, num investimento de 26.250 euros. Esta medida já beneficiou directamente 481 crianças com os cerca de 280 mil euros atribuídos, desde que foi implementada em 2013. “É um gosto enorme poder atribuir estes apoios. Nós fomos dos primeiros concelhos a dar este apoio. Já atribuímos mais de 200 mil euros nesta medida, sendo que este valor tem de ser gasto no comércio da Póvoa de Lanhoso e com isso também estamos a incentivar e a fortalecer a economia local. É com todo o gosto que o atribuímos. Espero que estas crianças sejam muito felizes e que haja cada vez mais bebés a nascer no nosso concelho”, salientou o Presidente da Câmara Municipal, Manuel Baptista, à margem da cerimónia. Por entre biberões, carrinhos de bebé, chupetas e algum choro, esta entrega decorreu no dia 8 de Junho, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, e foi ainda uma forma de dar a estas crianças as boas-vindas ao concelho da Póvoa de Lanhoso. Os valores atribuídos variam conforme o número de crianças do agregado: 500 euros para o primeiro e/ou segundos filhos; 750 euros para o terceiro filho; mil euros para o quarto filho e seguintes. São elegíveis as despesas realizadas em artigos de puericultura, designadamente vestuário, produtos alimentares, carrinhos de passeio, carrinhos auto, de entre outros produtos destinados ao bebé. O programa NaturaLanhoso é um instrumento de incentivo à natalidade, contribuindo para promover a melhoria das condições de vida da população, especialmente das crianças nos primeiros meses de vida, e para fomentar a economia do concelho, uma vez que o apoio tem que ser despendido no comércio local.
Em 2016, a Póvoa de Lanhoso renovou a distinção de Autarquia Mais Familiarmente Responsável pelo sétimo ano consecutivo, o que é considerado o reconhecimento pela implementação de um conjunto de medidas transversais “amigas” das famílias povoenses.

Nos dias 15 e 16 de Julho

Caminhada com história

Decorre, nos dias 15 e 16 de Julho, mais uma edição da ‘Caminhada com História’, promovida pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. Com esta iniciativa, a autarquia pretende “proporcionar um fim-de-semana de evasão pelo território povoense, explorando vários pontos de interesse patrimonial que foram, e continuam a ser, determinantes para o desenvolvimento da região, contemplando, por outro lado, a típica paisagem minhota, caracterizada pelos seus relevos acentuados e vales encaixados e verdejantes, formando verdadeiros cenários idílicos, que pretendem fazer despertar sensações únicas em cada um dos participantes’.
O ponto de encontro tem lugar no dia 15, na Praça Eng.º Armando Rodrigues, às 9 horas, num percurso com um grau de dificuldade tido como moderado. No primeiro dia, os participantes percorrem uma distância de 23 quilómetros, sendo que a distância no segundo dia reduz para os 12 quilómetros. A data limite de inscrição é o dia 14 de Ju-lho e as inscrições são limitadas a 100 participantes, com o preço a situar-se nos 15 euros, que inclui: Guias no terreno; oferta do Passaporte da Rede de Monumentos e Sítios da Póvoa de Lanhoso; entrada e visita guiada ao Castelo de Lanhoso; visita ao Castro de Lanhoso; visita à igreja do Horto; entrada e visita guiada à Sala de Interpretação da Filigrana; entrada e visita guiada ao Centro Interpretativo Maria da Fonte; entrada e visita ao Theatro Club; entrada e visita guiada à igreja românica de Verim; entrada e visita guiada à capela de S. António, da Casa do Requeixo, em Frades; visita à capela de S. Sebastião de Verim; visita ao núcleo megalítico de S. Mamede, Castro de S. Mamede, sepultura escavada na rocha, Castelo Roqueiro e Capela de S. Mamede; chá e cavacas; Moscatel e bananas; café e bebidas; jantar de sábado; pequeno-almoço de domingo; almoço de domingo; espaço para banhos; pernoita (acantonamento) no Centro Teresiano de Verim (em saco cama); animação musical durante o jantar; seguro de acidentes pessoais; reportagem fotográfica digital da actividade; e verde de Honra no final da caminhada.
A organização informa que a inscrição é obrigatória, para que o seguro possa ser activado. Os interessados em participar em mais uma edição da caminhada com história devem contactar: castelo.lanhoso@mun-planhoso.pt

Armando Silva, presidente do SC Maria da Fonte

Maria da Fonte distinguido 
com o Troféu Disciplina

Entre as 18 equipas concorrentes na Pró-Nacional, o SC Maria da Fonte destacou-se no ‘fair-play’ ao ficar em primeiro lugar no Troféu Disciplina, um prémio instituído pelo Jornal Correio do Minho e Rádio Antena Minho.
“Objectivo de qualquer presidente é ter uma equipa disciplinada. Claro que  não tínhamos esse objectivo definido, mas sempre pro- curamos ter equipas disciplinadas”, apontou Armando Silva.
O presidente considerou que “a equipa mereceu esta distinção”, realçando que “foi um campeonato muito bem disputado” ao ponto de mencionar que “provavelmente foi dos campeonatos em que houve maior respeito pela parte das equipas e para isso foi importante a qualidade e a formação dos nossos árbitros que mudou para melhor. Tudo isso ajuda aos clubes disputarem os jogos com maior fair-play”. “A responsabilidade será sempre a mesma e faz com que o próximo plantel deve ter em conta este factor”, concluiu Armando Silva.

Especiais


EDITORIAL

Condes e condessas

Rui Miguel Graça
Ao campeonato regional e nacional de Men’s Physique que já tinha conquistado, o jovem povoense Pedro Conde acrescentou agora o título de vice-campeão europeu, numa prova que decorreu no passado fim-de-semana, na cidade de Barcelona, em Espanha.
Vestindo as cores da selecção nacional, isto é em representação de Portugal, o jovem povoense arrecadou duas medalhas de prata, na categoria júnior e na categoria men’s physique até 1,73 m.
“Comecei a preparação para esta prova em 26 de Dezembro. Levanto-me bem cedo, por volta das 6.30 horas da manhã, para  realizar uma caminhada. Depois, vou para as aulas e tenho de levar as minhas refeições, que são se-te normalmente. Ao fim das aulas, volto aos treinos”, explica Pedro Conde, aluno do terceiro ano do Curso de Engenharia de Sistemas de Informação.
Trata-se de um verdadeiro Conde a representar o concelho da Póvoa de Lanhoso e é deste tipo de exemplos que os jovens devem querer ser e também seguir. É um exemplo de abnegação, de entrega, de paixão e também associado a isso  está um estilo de vida saudável. Pedro Conde falou com o Maria da Fonte (página 15), admitindo que esta sua paixão proíbe uma vida social normal, como qualquer jovem de 22 anos costuma ter.
Contudo esta semana, no concelho da Póvoa de Lanhoso, o Maria da Fonte foi ao encontro de Dona Ro-salina, uma verdadeira condessa e que estava muito bem disposta.
“De olhos bonitos, pele formosa, Rosalina Maria Pereira completou, a 18 de Abril, um século de vida. Cem anos de muitas histórias e boa disposição. Perfeitamente autónoma, passa o dia na sua casa, entretida a cuidar do jardim, a sua grande paixão. Faz as suas refeições e dor-me em casa do filho, cuja habitação se encontra junto à sua”, pode ler-se na página 12 desta edição. Um          exemplo de vida, de crença, de longevidade. Dizem que conviver com a Dona Rosalina é um verdadeiro elixir da juventude. O seu segredo está bem à vista.
É com este cruzamento intergeracional, com relatos de vida de jovens e seniores, com feitos de condes e condessas que o também centenário e sempre jovem Maria da Fonte gosta de ir ao encontro dos seus leitores.

‘AS misericóridas e a saúde: passado, presente e futuro’

“Sector social pode ajudar 
Estado a cumprir a missão”

Presidindo à cerimónia de encerramento do seminário internacional ‘As Misericórdias e a Saúde: Passado, Presente e Futuro’, organizado, a 5 de Maio, pela Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, o Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, referiu que olha para o sector social como “um sector de confiança, que pode ajudar o Estado a cumprir a sua missão, num tempo em que os recursos continuam escassos” e mostrou-se disponível a alargar a relação com o sector social a outras áreas.
Para o membro do Governo, o sector social é “um parceiro de viagem mas de longo termo, não de uma viagem de oportunidade, de oportunismo mas de alguém que está no Estado há muito tempo com uma responsabilidade solidária, subsidiária e complementar e que não procura retirar do Estado uma outra vantagem que não seja servir o bem comum com razoabilidade, bom senso e com pru-dência”.
Manuel de Lemos, da União das Misericórdias Portuguesas, salientou que a Misericórdia da Póvoa de Lanhoso é uma Santa Casa exemplar, pela maneira como é liderada, pelo trabalho que desenvolve e a forma como o desenvolve.
Aproveitando a presença do Ministro e do Secretário de Estado da Saúde, Manuel Lemos frisou que a relação com a ARS tem sido crescentemente mais fácil, tendo conseguido encontrar um clima de diálogo e compreensão. Manuel de Lemos não deixou de referir que as Misericórdias são o maior parceiro do Estado em termos do Sistema Nacional de Saúde.
A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso fez-se representar pela vice-presidente, Gabriela Fonseca, que, de entre outras considerações, fez referência à reposição da Consulta Aberta no Hospital António Lopes, mostrando o regozijo por tal medida e deixou a nota de que o concelho está de boa saúde, com uma boa resposta ao nível dos cuidados primários de saúde.
Ao longo do dia, foram abordados temas relacionados com as primeiras Misericórdias, a realidade das Misericórdias italianas, a importância do sector social e da sua relação com o Sistema Nacional de Saúde e com a Universidade; os ‘brasileiros de torna viagem’ e a sua filantropia ao serviço da saúde, bem como a assistência aos enfermos nos séculos XIX e XX, e os novos paradigmas para o futuro.
A iniciativa inseriu-se no programa comemorativo do centenário do Hospital António Lopes, cujo culminar tem lugar no próximo dia 5 de Setembro, data em que se comemoram os cem anos da obra erigida pelo benemérito António Lopes e que ficará marcada, como referiu o provedor Humberto Carneiro, na sessão de encerramento, pela inauguração da totalidade das profundas obras de remodelação e modernização do ‘velho’ edifício. Recorde-se que, o arranque do programa comemorativo, a 5 de Setembro de 2016, ficou gravado a ouro com a inauguração da nova Unidade Médico-Cirúrgica do Hospital António Lopes.
Humberto Carneiro recordou que o hospital povoense, “construído a expensas desse grande benemérito a quem a Póvoa de Lanhoso tanto deve, foi, ao longo dos últimos 100 anos, um raio de sol e de esperança que espreitou por entre as nuvens, para oferecer às gentes da terra a assistência na doença que antes não possuíam”.
“Exemplarmente moderno quando foi inaugurado em 5 de Setembro de 1917, um dos melhores que à sua escala  existiam no país, como à época registaram periódicos de tiragem nacional, o nosso hospital mudou muito, para melhor, durante este século de existência. Permito-me apenas recordar a recente inauguração da nova Unidade Médico-Cirúrgica que mais que duplicou o espaço físico disponível, acompanhada da natural modernização técnico-científica e do crescimento em termos de serviços e da contratação de competentes profissionais de saúde”, referiu ainda o Provedor da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso.

Lanhoso

Escavação arqueológica
sob tumuli concluída

Estão concluídos os trabalhos arqueológicos de valorização de dois monumentos sob tumuli (antas ou dólmens), localizados na Serra do Carvalho.
“Esta intervenção arqueológica, que contou com uma dezena de voluntários de dentro e de fora do concelho da Póvoa de Lanhoso, resultou numa parceria entre a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, a Junta de Freguesia de Lanhoso e a empresa de arqueologia NEXO. Nesta primeira fase do processo de valorização dos monumentos, foi possível identificar e defi-nir a couraça pétrea (conjunto de pedras pequenas que impedia o deslizamento de terras e profanação da mamoa) destes monumentos, associada a algum material cerâmico distribuído pela superfície. A fase da musealização é a próxima etapa destes trabalhos que têm como objectivo a futura fruição pública”, refere a autarquia.
No decorrer dos trabalhos arqueológicos, o vereador da Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, André Rodrigues, e o presidente da Junta de Freguesia de Lanhoso, António Machado, visitaram a área de trabalho com o propósito de se inteirarem do desenvolvimento dos mesmos e enaltecer os presentes por se terem disponibilizado para contribuir para o estudo e valorização do património arqueológico do nosso território.

Exercício plutão 17-2

Exército testa treino 
operacional ena Póvoa

Mais de duas centenas de militares estão, até hoje, aquartelados na vila da Póvoa de Lanhoso para um exercício que culmina o treino operacional do Grupo de Reconhecimento (GRec) sediado no Regimento de Cavalaria n.º 6, em Braga, e que constitui a força do Exército português disponível para intervir em qualquer local.
O Exercício Plutão 17-2    realizou-se ao longo da semana e implicou a simulação de uma zona de alto conflito com a força a assumir a missão de expulsar os invasores, restabelecer as condições de segurança e abrir caminho á ajuda humanitária, mas foram “incidentes simulados” ressalvou o comandante da Intervenção (BrigIn), Brigadeiro General Francisco Xavier de Sousa, no dia em que foi ao terreno.
A visita do comandante da BrigIn foi marcada pela presença da vice-presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Gabriela Fonseca, do presidente da Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, e do 2.º comandante dos Bombeiros Voluntários locais, Luís Soa res, a quem explicou: “treina-mos no nosso território aquilo que pode acontecer noutros cenários”.
Para o Brigadeiro General, a presença da vice-presidente do município “demonstra a simbiose entre o RC6 e as autarquias”, assumindo: “queremos estar fora das fortificações” por considerar que “é através destas ligações que os militares vão estabelecendo laços que podem ser importantes noutras situações”.
Gabriela Fonseca manifestou a disponibilidade do município em apoiar este e outros exercícios até porque é importante “ter forças militares e de segurança devidamente preparadas para o que for necessário”.
A vice-presidente do município encarou ainda o facto do Exército português, e em particular o RC6, ter forças em missão em vários países como “um sinal de reconhecimento do seu trabalho e da sua preparação”.
Além dos militares do RC6, participam no exercício forças do Regimento de Artilharia Antiaérea n.º 1 - Que-luz; Regimento de Engenharia n.º 3 - Espinho e Regimento de Artilharia n.º 5 - Vendas Novas.

Reportagem

Capela dos Pastorinhos 
nasceu nos Moinhos Novos

No ano em que se celebram os cem anos das Aparições de Fátima, o lugar dos Moinhos Novos, na vila da Póvoa de Lanhoso, inaugurou e benzeu uma nova capela, baptizada como a ‘Capela dos Pastorinhos’. A cerimónia decorreu na tarde de domingo, dia 7 de Maio, numa data em que se celebrava o Dia da Mãe. A cerimónia foi presidida pelo Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, que benzeu o espaço e celebrou a Eucaristia, coadjuvado pelo Arcipreste da Póvoa de Lanhoso e pároco da vila, padre Armindo Gonçalves, e pelo vice-arcipreste, padre Albino Carneiro. No acto solene marcaram presença, de entre outras personalidades, os presidentes da Assembleia e Câmara Municipal, Amândio de Oliveira e Manuel Baptista, respectivamente; a vereadora Gabriela Fonseca, assim como os representantes de vá-rias instituições da vila da Póvoa de Lanhoso. Augusto e Daniel, moradores naquele lugar, lideraram o grupo de trabalho. O projecto da obra esteve também a cargo de uma moradora, arquitecta Sabrina Machado Gonçalves.
“Esta era uma obra há muito por nós sonhada. É uma obra que muito nos orgulha”, referiu Augusto, em nome de todos os que trabalharam e contribuíram para a obra.
Foi um projecto ambicioso, levado a cabo pelos moradores do lugar dos Moinhos No-vos, em trabalho que embeleza uma zona que não se encontrava até ao momento cuidada, e cujas vistas são deslumbrantes sobre a nossa vila, dispondo a população de um espaço para a sua devoção religiosa”, explicou, aproveitando para agradecer a todos quantos contribuíram para a obra.

Ferreiros

Rosalina: centenária 
muito bem disposta

Tem cem anos mas a sua aparência engana. De olhos bonitos, pele formosa, Rosalina Maria Pereira completou, a 18 de Abril, um século de vida. Cem anos de muitas histórias e boa disposição. Perfeitamente autónoma, passa o dia na sua casa, entretida a cuidar do jardim, a sua grande paixão. Faz as suas refeições e dorme em casa do filho, cuja habitação se encontra junto à sua. Nasceu em Moure e aos 22 anos veio para Ferreiros, freguesia de onde era natural o marido.
Os pais, sempre trabalharam no campo e ela seguiu as mesmas pisadas. Tempos difíceis mas tempos alegres.
“Era duro, nem se fala. Não havia máquinas como agora. Fazia-se tudo à mão. Trabalhava-se muito. Eu trabalhei muito e passava-se mal. Eram tempos difíceis mas tempos mais alegres. Ouvia-se as pessoas a cantar nos campos. Era bonito. Agora, não se vê nada disso. Onde quer se via uma tocata e uma dança. Era um tempo escravo mas muito alegre. Era um tempo escravo mas o povo durava mais do que agora. Agora, não falta nada e o povo morre muito cedo”, explica a D. Rosalina.  
“Antigamente, não faltava povo nos campos. Agora, não se vê ninguém”, refere ainda, dando nota dos caminhos em mau estado que existiam no passado.  Junto a si tem o filho Manuel, com a filha Maria da Conceição a residir também naquela freguesia.
As saudades do passado, do tempo do antigamente, em que se convivia mais marcam o seu coração.
Tem saudades do tempo de antigamente, acha que se convivia mais. “A mocidade ninguém os vê. Antigamente, ia-se à igreja na tarde de do-mingo e no final ficávamos a conversar”, explica.
Não liga muito à televisão e prefere ocupar o seu tempo livre no jardim. “Quer lhe der jardim dá-lhe a vida”, refere o filho Manuel, dando nota de que a sua mãe tem um dom para o jardim.
O marido tinha de negócio de cabras, ovelhas e andava também ao jornal. Tem 7 netos e 11 bisnetos, que se mostram muito contentes pelo centenário da D. Rosalina.
“Antigamente, só pensávamos em trabalhar. Trazíamos do monte os carros de mato. Passou-se muito sacrifício. Era meio-dia e ainda estávamos em jejum no monte, a carregar mato. Nem se fala no que se passava. Trabalhei muito e ainda aqui ando. Muitos dizem que durei muito porque levei boa vida mas trabalhei muito”, refere.
Não é esquisita na comida mas tem no arroz o seu alimento de eleição. “Gosto muito de arroz. Gosto de todas as maneiras”, afirmou.
A família mostra toda a sua satisfação por ver a D. Rosalina cheia de saúde e alegria. Depois da festa em família, no dia 22 de Abril, seguiu-se, no dia seguinte, a homenagem pela Junta de Freguesia, num momento que com a presença de familiares e amigos.

Educação

Câmara promove 
formação parental

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, através do Projecto Municipal de Educação Parental, vai desenvolver novas acções no âmbito do Programa de Educação Parental ‘Mais Jovem, Mais Família’, em colaboração com os Agrupamentos de Escolas do concelho. Esta formação tem como objectivo apoiar os pais e as mães a responder aos desafios com que se confrontam e a proporcionar contextos de promoção de uma parentalidade positiva.
Desta forma, arrancou, este mês, mais uma edição do Programa de Educação Parental ‘Mais Jovem, Mais Família’, que irá decorrer até Julho, todas as quintas-feiras, das 18h30 às 20h30, na Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso. Desta vez, tem como destinatários pais e mães de jovens entre os 11 e os 16 anos, que frequentem o Agrupamento de Escolas de Póvoa de Lanhoso.
O ‘Programa Mais Família, Mais Criança’, destinado a pais com crianças até aos 9 anos de idade, tem vindo a ser implementado desde 2009 e conta já com um total de 15 edições. No âmbito do Programa ‘Mais Família, Mais Jovem’, destinado a pais de jovens entre o 10 e os 18 anos, realizaram-se 3 edições desde o início da sua implementação, em 2012.
Desde 2009 até ao presente, participaram na formação parental um total de 142 pais/mês e de 24 técnicos/as de saúde do Centro de Saúde da Póvoa de Lanhoso (no âmbito administrativo, de enfermagem e médico).

PLANO DE ACTIVIDADES DA REDE SOCIAL LOCAL

Missa campal sénior reuniu 
duas centenas de pessoas

NCerca de duas centenas de seniores participaram na missa campal, que a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, no âmbito da Rede Social, promoveu no passado dia 2 de Maio, dando resposta a anseios transmitidos pelos utentes dos Centros de Convívio e IPSS’s do concelho.
Esta missa Campal Sénior, para assinalar o Mês de Maria (Maio), foi celebrada no exterior do Centro de Interpretação do Carvalho de Calvos, pelo padre Albino Carneiro e concelebrada pelo padre Rafael Poças. O executivo municipal esteve representado pela vice-presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Gabriela Fonseca. No final, houve ainda lugar à distribuição simbólica de rosas brancas de papel.
Esta foi a primeira vez que esta actividade foi realizada no nosso concelho, sendo que demonstrou ser do agrado das pessoas participantes.       O espaço escolhido, junto ao centenário Carvalho de Calvos, também proporcionou as condições desejáveis para esta realização, numa manhã que brindou os presentes com sol e calor.
Este momento integrou o Plano de Actividades da Rede Social Local, atendendo aos anseios manifestados por utentes das várias entidades parceiras
A próxima actividade que irá reunir esta mesma população sénior está prevista para Junho, no dia 29, com a realização do já tradicional Arraial Minhoto, para assinalar os Santos Populares e que irá realizar-se no Parque do Pontido.

IFBB Campeonato Europeu

Pedro Conde vice-campeão 
europeu de Men’s Physique

Ao campeonato regional e nacional de Men’s Physique, o jovem povoense Pedro Conde junta agora o título de vice-campeão europeu, numa prova que decorreu no passado fim-de-semana, na cidade de Barcelona, em Espanha. Envergando a camisola da selecção nacional, o jovem povoense arrecadou duas medalhas de prata, na categoria júnior e na categoria men’s physique até 1,73 m. Um grande feito para um jovem que iniciou a competição apenas há um ano. A todas estas conquistas, Pedro Conde era o mais jovem atleta em prova. O sonho de há muito foi agora concretizado, fruto de muito empenho, esforço e dedicação. Ao treino, junta-se uma alimentação rigorosa, com o jovem povoense a não descurar qualquer pormenor.
Os melhores de cada país reuniram-se em Barcelona e, na categoria Men’s Physique, brilhou. Pedro Conde representou a Federação Portuguesa de Culturismo, integrando uma comitiva de cerca de 15 atletas.
“Nunca esperei ganhar estas medalhas. Já há muito que sonhava ter uma destas em casa e trouxe duas”, referiu Pedro Conde ao ‘Maria da Fonte’. Os apoios em termos nacionais são nulos, valendo o apoio de empresas do concelho e da autarquia para esta deslocação a Barcelona.
“Apoios existem poucos em Portugal mas eu, por acaso, tenho a sorte de ter patrocinadores que me apoiam todos os meses”, explicou o jovem atletas, referindo que, por mês, gasta 500 euros na alimentação.
“Comecei a preparação para esta prova em 26 de Dezembro. Levanto-me bem cedo, por volta das 6h30 da manhã, para realizar uma caminhada. Depois, vou para as aulas e tenho de levar as minhas refeições, que são sete normalmente. Ao fim das aulas, volto aos treinos”, explica Pedro Conde, aluno do terceiro ano do Curso de Engenharia de Sistemas de Informação.
“Era o atleta mais novo. Para mim, ficar no top 6 já era muito bom mas quando percebi que iam chamando os outros e eu ficando para trás, percebi que tinha ganho a medalha de prata passou-me tudo pela cabeça, tudo o que me privei, tudo o que fiz. Valeu a pena”, explica.
Na hora dos agradecimentos, Pedro Conde não esquece os pais, o irmão e todos os amigos, apoios importantes na sua caminhada. À família de sangue, junta-se também a família de coração - a família Carvalho, que o tem acompanhado desde criança e que vibram com as suas conquistas.
“É muito complicado e exigente, não só fisicamente mas também psicologicamente, porque eu tenho 22 anos, mas por exemplo não posso sair à noite, não posso ter uma vida social de um jovem de 22 anos, e isso também faz falta.

ALUNOS POVOENSES ESTIVERAM NA PROVA EM BRAGA

Mais de uma centena 
de crianças disputaram 
apuramento à regional

O Clube de Golfe de Braga acolheu em Palmeira, neste fim-de semana, a final municipal do Projecto de Desenvolvimento Juvenil de Golfe, uma iniciativa  realizada a nível nacional pela Federação Portuguesa de Golfe. Durante dois dias mais de uma centena de crianças do 3.º e 4.º ano competiram pelo apuramento da concelhia para a regional  que terá lugar no dia 28 de Maio, em Vale de Pisão - Santo Tirso.
As fases anteriores foram disputadas nos agrupamentos escolares e a final nacional disputa-se no complexo do Jamor nos dias 26 e 27 de Junho. A competição internacional será em St. Andrews data a confirmar.
No primeiro dia disputaram esta etapa os jovens dos Agrupamentos Escolares (A.E.) Sá de Miranda e Mos-teiro e Cávado (Braga) e no segundo dia participaram os agrupamentos Gonçalo Sampaio e Póvoa de Lanhoso (Póvoa de Lanhoso) e Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo (Vieira do Minho).
No ranking de Braga, a título individual, na categoria 3º Ano Rapazes, o campeão foi Tiago Manuel Martins Barroso, os vice-campeões Afonso Xavier Ferreira Faria e José Gabriel Peixoto Pinto ficando Miguel Ângelo Duarte Ferreira, Bruno Manuel Ro-cha Silva e Tomás Abreu nas posições seguintes.
As vencedoras na categoria raparigas foram a campeã Luana Maria e a vice-campeã Bárbara Duarte Ribeiro Lo-pes. Conquistou o título de campeão do 4º. Ano Rapazes Filipe José Ferreira da Rocha e o de vice-campeão Tomás de Morais Moutinho. Nas posições seguintes ficaram Pedro Duarte Machado Cou-tinho, Tomás José Silva Dias, André Nogueira Simões, Da-niel Campos Azevedo e Lucas Veloso.
Venceram na categoria raparigas a Campeã Helena Ferreira em e a vice-campeã Vanda Oliveira de Sousa, se-guindo-se Lara Filipa Sousa Silva, Beatriz Cunha Borges, Leonor Machado Conceição e Ana Catarina Dias Costa.
Na concelhia de Vieira do Minho, Tomás Ferreira Pereira e Miguel Ângelo Gonçalves Pereira levam para casa o título de campeão e vice-campeão respectivamente, na categoria 3º ano rapazes. Na categoria raparigas o município falhou o apuramento.
Na categoria 4º ano, rapazes Vasco Travessa foi o campeão e Afonso Costa o vice-       -campeão. Inês Catarina e Beatriz Gonçalves conquistaram os títulos campeã e vice-campeã na categoria raparigas.
Do município de Póvoa de Lanhoso venceram na categoria 3.º ano rapazes o campeão Bruno Daniel da Cunha Fernandes e o vice-campeão Gabriel Matos Alves, seguido de Ivo Rafael Antunes Ferreira, Afonso Gonçalves Fernandes e Guilherme Ramos Silva. Na categoria raparigas conquistaram o título de campeã Beatriz Vieira da Silva e vice-campeã Inês Santos Faria. Venceram na categoria 4º ano rapazes o campeão Tomás Filipe Costa Almeida e o vice-campeão, seguido de Abel Júnior de Matos Couto. Na categoria raparigas Eduarda Filipa Almeida e Carolina Mendes da Rocha conquistaram o primeiro e segundo lugares.

ESPECIAIS FREGUESIAS

EDITORIAL

Póvoa de Lanhoso 
é concelho empreendedor

Paulo Monteiro
Já o tenho dito várias vezes e em crónicas anteriores de que o Minho é o grande motor e impulsionador da economia do nosso país. O distrito de Braga, principalmente, tem sido um grande responsável pela criação de empregos e graças a muitas das novas empresas que têm apostado na nosso região. Um núnero muito considerável de multinacionais têm apostado na nossa região e com muito sucesso.
Ora, a Póvoa de Lanhoso não foge à regra e é, segundo os últimos dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística o concelho mais empreendedor, do Norte do país, com 18 empresas criadas por cada 10 mil habitantes.
O assunto acabou mesmo por ser alvo e um estudo feito esta semana pelo ‘Jornal de Notícias’ que chegou à conclusão de que a região Norte foi a que mais empresas deu a ganhar ao pais em 2016.
O Norte viu nascer 11586 entidades do género, e perdeu 10315, o que dá um saldo positivo de 1271, caso único no país. Só para termos a noção de quanto a região Norte tem sido importante para o desenvolvimento económico do país basta ver que o segundo melhor saldo positivo pertence ao Algarve, com 81... muito longe do Norte. Isto para já não falar (mas para comparar...) do pior desempenho que pertence à região de Lisboa com um saldo negativo de 2961.
Mas os números do concelho da Póvoa de Lanhoso ganham ainda mais importância se fizermos uma análise global... se o factor população for tido em conta, a Póvoa de Lanhoso continua no pódio e ocupa um excelente segundo lugar a nível nacional só perdendo o primeiro lugar para Beja que é quem mais empreendeu em 2016 com 23,4 empresas ganhas por cada 10 mil habitantes. Segue-se a Póvoa de Lanhoso  com com menos cinco empresas e meia ganhas.
E voltando às multinacionais, o concelho vai ganhar com o Solar Transparency, um projecto a instalar na Póvoa de Lanhoso, de energia fotovoltaica e que representa um investimento a rondar os 25 milhões de euros, para além da criação de muitos postos de trabalho.
Mais uma vez a Póvoa de Lanhoso a contribuir para um melhor desempenho da nossa economia uma vez que esse contributo se soma aos contributos de outros concelhos vizinhos e que, todos juntos, são uma importantissima mola de desenvolvimento económico do nosso país. Ganha a Póvoa. Ganhámos todos.
E é sempre bom receber excelentes notícias, vindas de fora, quando estas dizem respeito a este concelho e ao seu desenvolvimento.

Segundo dados do INE é o concelho mais empreendedor do Norte do país

São criadas 18 empresas     
por cada dez mil habitantes

Segundo os dados mensais do Instituto Nacional de Estatística, relativos à criação e dissolução de pessoas colectivas e entidades equiparadas, no Norte do país, a Póvoa de Lanhoso é o concelho mais empreendedor, com 18 empresas criadas por cada 10 mil habitantes.
“O ano 2016 fica marcado pelo aumento significativo da criação de postos de trabalho, muito fruto do crescimento e instalação de empresas na Póvoa de Lanhoso. Os dois principais parques industriais estão totalmente comprometidos para projectos empresariais, destacando-se as novas empresas em Mirão e o crescimento exponencial da Prozis”, refere o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
Manuel Baptista sublinha ainda a aprovação, no ano passado, de um projecto pioneiro a nível mundial na área da energia fotovoltaica, num investimento total de cerca de 24 milhões de euros. “A autarquia intermediou junto do Governo e do Portugal 2020 no sentido de trazermos para o nosso concelho o projecto Solar Transparency, que para além dos valores envolvidos irá criar centenas de postos de trabalho. Isto mostra o quanto estamos empenhados em atrair o máximo de investimento possível para a Póvoa de Lanhoso”, refere o presidente da Câmara Municipal. Este trabalho da autarquia passa ainda pela criação de medidas fiscais e administrativas apelativas à fixação de empresas.
Só o Gabinete de Promoção de Desenvolvimento Económico do Município da Póvoa de Lanhoso apoiou a criação de 13 novas empresas no concelho, em 2016. Estes projectos conseguiram financiamento de diferentes programas, num valor total de 223.802.00€.
O “Bem me Quero” é o mais recente projecto aprovado e em pleno funcionamento na Póvoa de Lanhoso. Trata-se de um centro de treino promovido por dois empreendedores povoenses, que pretendem ser referência ao nível do treino funcional e de outras modalidades ligadas ao desporto e ao bem-estar.
“A aposta da autarquia no apoio aos empresários e empreendedores é fundamental para fixar os nossos jovens. O maior apoio social que pode ser garantido às famílias é o acesso ao mercado de trabalho, evitando as respostas sociais que desejamos que sejam apenas temporárias”, acrescenta Manuel Baptista.

Filigrana de Portugal

Póvoa de Lanhoso e Gondomar 
rumo à certificação

Filigraneiros da Póvoa de Lanhoso e de Gondomar bem como a associação ‘Portugal à Mão’  reuniram na Adere-Minho – Associação para o Desenvolvimento Regional do Minho, em Braga, com o objectivo de apresentar a versão final do caderno de especificações que unificará a definição de filigrana, sendo esta, e por isso, uma peça essencial no âmbito da certificação da “Filigrana de Portugal”.
“Este é o culminar do primeiro passo que vai permitir certificar e elevar a Filigrana”, salienta o Vereador da Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, André Rodrigues. “Os nossos agra-decimentos ao Município de Gondomar por esta parceria e aos nossos artesãos pelo seu envolvimento e empenho neste projecto”, destaca ainda o mesmo responsável.
Este processo arrancou no passado mês de Março, com a assinatura de um protocolo de colaboração e compromisso mútuo, como pedra basilar de todo este processo, entre a Póvoa de Lanhoso e Gondomar, dois concelhos de arte-sãos e mestres da arte da filigrana por excelência, que irá visar num futuro cada vez mais próximo a “promoção conjunta de uma candidatura a Património da Humanidade”. A “Filigrana de Portugal”, marca registada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial, propriedade de ambos os municípios, abre portas para o tão acalentado sonho de levar a filigrana, como técnica específica, registada e regulamentada, além-fronteiras.

Candidatura à Câmara Municipal

Lúcio Pinto quer
ser alternativa independente

Uma “alternativa independente” é o que propõe Lúcio Pinto ao avançar com a candidatura à presidência da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso para as eleições autárquicas de 1 de Outubro que marca, também, o ‘corte’ com o Partido Socialista (PS) em que militava há quase 30 anos.
Lúcio Pinto escolheu um local emblemático do concelho - a envolvente do Castelo de Lanhoso - para anunciar, ontem, a sua candidatura liderando uma lista independente em resposta “ao apelo e sentimento que tantos e tantos povoenses vinham e vêm manifestando” e corporizando “um movimento político inédito no concelho da Póvoa de Lanhoso” explicou aos jornalistas.
O candidato independente assume o distanciamento do PS e revelou que, anteontem, transmitiu ao presidente da Federação Distrital do partido a sua desfiliação, uma decisão que tomou “com pena” e com “a mágoa de terminar perto de 30 anos de militância”.
É o próprio a revelar que estava afastado da militância activa há mais de cinco anos e a reconhecer que “o PS da Póvoa de Lanhoso poderia ter tido outra atitude”, mas dá o o momento como ultrapassado e garante que a sua candidatura independente “não é na óptica de um ex-socialista” e que não está contra o PS nem contra nenhum outro.
Questionado pelos jornalistas se chegou a ser sondado pelo PS para as próximas eleições autárquicas, Lúcio Pinto responde que não e diz mesmo que, hoje, não abdicaria da candidatura independente se lhe fosse proposto ser o candidato do PS.
Quanto à motivação para regressar às lides políticas, Lúcio Pinto afirma que a candidatura independente “é a resposta ao apelo sistemático que foi recebendo” e que “aceita o desafio de discutir o desenvolvimento do concelho”.
O candidato apresentou-se sem convidados, sem bandeiras e sem cartazes, mas assegura que esta “não é candidatura de um homem só” e dá conta que tem recebido, nos contactos até agora desenvolvidos, apoio e compromisso de todos quadrantes políticos.
Lúcio Pinto mostra-se ciente das dificuldades e do caminho a percorrer, mas também consciente de que “o momento certo para avançar e que este é o projecto certo para o concelho”.

Eleições autárquicas

Frederico Castro 
quer criar 500 empregos

Depois de ter encabeçado a candidatura, em 2013, à presidência da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Frederico Castro é novamente o candidato do Partido Socialista às próximas autárquicas, que se realizam a 1 de Outubro.
Frederico Castro, actual vereador do PS na Câmara Municipal, terá pela frente Avelino Silva, candidato do PSD, e Lúcio Pinto, que se apresenta como candidato independente. Os dados estão lançados.
Licenciatura em Ciência Política e Administrativa, Frederico Castro, empresário, de 40 anos, foi indigitado pela Comissão Política do Partido Socialista da Póvoa de Lanhoso, após votação secreta e por unanimidade, como candidato a Presidente da Câmara Municipal.
A criação de 500 novos postos de trabalho num mandato é a grande aposta de Frederico Castro. Se vencer as próximas autárquicas, Frederico Castro dá uma grande prioridade à rede de saneamento. Privilegiar políticas de envelhecimento activo, com o alargamento e enriquecimento da oferta da rede de centros de convívio do concelho, são outras das apostas. Em 2013, o PS elegeu três vereadores: Frederico Castro, Fátima Moreira e Lídia Vale.

No dia 14 de abril de 1845

António Lopes nasceu há       
172 anos na Póvoa de Lanhoso

Consta do livro de assentos de batismo da freguesia de Fontarcada, arciprestado da Póvoa de Lanhoso, referente a 1845 que, às sete horas da tarde do dia 14 de abril desse mesmo ano nascera, naquela mesma paróquia, um indivíduo do sexo masculino a quem foi dado o nome de António Emílio. Era filho natural de Maria da Conceição (em documentos futuros será sempre referida como Maria da Purificação) e neto materno de José Miguel Fernandes e de sua mulher, Henriqueta Rosa Soares. O seu batismo teve lugar na paroquial de Fontarcada no dia 15 de abril, sendo padrinhos António Filipe Alves Vieira, cirurgião e morador na vila da Póvoa, e Emília Rosa, irmã da mãe do batizado e moradora no lugar da Quintã.
José Miguel Fernandes, seu avô materno era dono da Casa da Oliveira de Cima, no lugar de Pomarelho, onde a mãe do recém-nascido dera à luz. Proprietário agrícola de algum significado e homem de certo destaque social e político no meio, encontramo-lo, no ano seguinte de 1846, aquando da revolta da Maria da Fonte, nas crónicas de Azevedo Coutinho como “comissário da junta de saúde”, cargo que apenas lhe podia caber se pagasse um impostos de um determinado valor. Diz Azevedo Coutinho no seu folhetim ‘História da Maria da Fonte’ que José Miguel Fernandes “pôde, com as mais sensatas reflexões, dissuadi-las do intento” (falava do primeiro motim de Fontarcada), adiantando o cronista que “Este homem era bem quisto da gente da freguesia, pela sua honradez e cordura; e por isso as mulheres respeitaram-no e desistiram do seu propósito”. Também a nome do padrinho escolhido para o recém-nascido nos monstra ser a família bem relacionada na vila, já que António Filipe Alves Vieira, da família Lisboa, era não apenas cirurgião, mas chegou mesmo a ser presidente da câmara pela mesma altura.
Quando o menino nasceu seus pais ainda não eram casados, como se percebe pelo assento de batismo. Viriam a consorciar-se pouco tempo depois, tendo o casal gerado mais, pelo menos, quatro filhos e três filhas. Ser mãe solteira era, à época, bastante comum. Muitas parturientes nesse estado abandonavam depois os seus filhos à Roda (os chamados “expostos”), mas esta mãe amou profundamente o seu filho primogénito, dando-lhe toda a proteção que podia. Por isso, uma profundíssima ligação entre ambos durou até à morte da mãe, em agosto de 1910.
Quando esta casou com o pai do seu filho, Miguel José Lopes, natural e residente em S. Gens de Calvos, foi com ele habitar nessa freguesia. O seu António passava temporadas com os pais e outras com a tia e madrinha Emília Rosa, nas terras que esta possuía no lugar da Quintã de onde se deslocava também amiudadas vezes a Pomarelho. Pelo que antes se disse, conclui-se rapidamente que o rapazinho não nasceu miserável, nem sequer pobre, como tantas vezes se quis fazer crer. Era de família remediada quer por parte da mãe, quer pela do pai.
Entre Pomarelho, Calvos e Quintã gastou os seus anos de meninice. Não conseguimos apurar como, nem com quem, mas sabemos que aprendeu a “ler, a escrever e a contar”, ferramentas indispensáveis para, como aconteceu com tantos outros jovens do noroeste português, especialmente nos três últimos quartéis do século XIX, quando emigrou para o Brasil, se poder empregar no comércio.
Em 1852, contando 12 anos de idade (grande parte dos que abalavam para o outro lado do Atlântico partiam antes dos 14 anos para evitarem o recenseamento militar), embarcou no cais do rio Douro, numa barca batizada de “Leal”, tendo chegado ao Rio de Janeiro quarenta e um dias depois da partida.
No Brasil casou e enriqueceu, pelos negócios e pelo casamento. Mas o amor à terra natal nunca o abandonou. Pelos quarente anos e depois de quase três décadas de trabalho no Rio de Janeiro, voltou a Portugal e comprou casa na sua terra.
O resto é por demais conhecido: António Lopes – cujo 172º aniversário do nascimento hoje se comemora – foi o maior benemérito que a Póvoa de Lanhoso conheceu ao longo da sua história contemporânea.

Ao prolongamento de pré-escolar

Câmara Municipal 
entregou material lúdico

Puzzles coloridos, construções e jogos para desenvolvimento da motricidade são alguns dos materiais que estão a ser entregues pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso aos jardins-de-infância da educação pré-escolar, para apoio ao prolongamento de horário.
A entrega simbólica, do material lúdico e pedagógico, realizou-se junto da Escola EB1 da vila,  a 3 de abril, através da Vereadora da Educação da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Gabriela Fonseca. Ali, serão abrangidas cerca de 30 crianças.
“De vez em quando é necessário enriquecer a sala das actividades de animação e apoio à família por forma a substituir o material que se desgasta e dotar o espaço com novos materiais que contribuam para o desenvolvimento intelectual e físico das nossas crianças. É o que estamos a fazer”, explica a Vereadora da Educação, Gabriela Fonseca. Este equipamento vem reforçar a componente de apoio à família, na vertente da realização de actividades de animação sócio-educativa, aumentando a qualidade educativa de todo o tempo em que a criança está no prolongamento.
“O material novo vai permitir substituir outro, reforçar o apetrechamento destas respostas e incentivar, sobretudo, o desenvolvimento da chamada motricidade fina (trabalhos de movimentação com dedos e mãos) nas crianças. A estes aspectos, junta-se a componente da novidade, que suscita a curiosidade e a vontade de explorar por parte das crianças. De lembrar que as actividades de animação e apoio à família (AAAF) têm como grande objectivo o fruir. Estas crianças, de entre outras actividades, usufruem também de natação, música e expressão física e motora”, refere a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.

Fontarcada

Doze anos de prisão 
por matar sogra à paulada

O homem que matou a mãe da ex-companheira à paulada       foi condenado a 12 anos de cadeia. Recorde-se que tudo aconteceu a 18 de Fevereiro de 2016, quando um homem, de 69 anos, residente em Travassos, foi detido por suspeita de ter assassinado, à paulada, a mãe da ex-companheira.  A idosa, de 87 anos, residente na Travessa de S. João, em Fontarcada, foi encontrada inconsciente, e com graves ferimentos na cabeça, por uma vizinha, na sua residência. Assistida pelos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso e pela equipa médica da VMER de Barcelos, a idosa veio a falecer no local.
No dia seguinte à ocorrência dos factos, a Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga, anunciou a detenção de um homem, de 69 anos, residente em Travassos, ex-companheiro da filha da vítima, por suspeita de autoria do crime. Presente a tribunal, ficou em prisão preventiva.
Segundo o “Maria da Fonte” apurou na ocasião, o suspeito e a filha da vítima estavam separados há algum tempo, tendo ambas as mulheres regressado à habitação da vítima, em Fontarcada. Emília Alves tinha fracturado uma perna neste mês de Fevereiro e encontrava-se sozinha quando tudo aconteceu. Foi encontrada por uma vizinha, que ali se deslocou a pedido da filha.
Segundo notícias vindas a público, “o colectivo de juízes deu como provado que o arguido teve intenção de matar mas que se enganou no alvo, já que pensaria que estava a agredir o alegado amante da ex-companheira”.
“O arguido estava acusado de homicídio qualificado, mas o tribunal condenou-o por homicídio simples, considerando que não houve premeditação e que não agiu por motivo fútil. Para o tribunal, na origem do crime estiveram os ciúmes do arguido”, referem as notícias. O homem negou a intenção de matar. Foi também condenado a pagar 80 mil euros de indemnização à família da vítima.

Póvoa de Lanhoso recebeu ‘Rescue day’

Maior evento internacional 
de salvamento do planeta

As mais avançadas técnicas de salvamento e desencarceramento foram dadas a conhecer no passado fim-de-semana, 8 e 9 de Abril, naquele que foi o maior evento internacional de salvamento e desencarceramento. O Rescue Day, promovido pela Interfire, Weber Rescue Systems e Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, contou com a colaboração da Câmara Municipal.
Os Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso foram os escolhidos para a organização deste evento, que se realiza pela primeira vez a nível nacional. Ao todo, oito bancas de formação, 120 formandos e um grupo de formadores portugueses e alemães de grande qualidade. Bombeiros de todo o país marcam presença no evento, iniciado na manhã de ontem.
O evento integrou oito bancas de formação, alusivas às novas tecnologias, elevação de emergência de tractores agrícolas, Sobe e Desce – Técnica Combinada para Encarcerados Tipo II, Segurança e Estabilização de Emergência, Desencarceramento em veículos pesados, viaturas capota-das/Tombadas lateralmente, acidente com separador auto-estrada e trauma. A excelente caracterização das “vítimas” transporta os presentes para um cenário “quase real”.
A vinda para a Póvoa de Lanhoso de um evento de carácter internacional é um motivo de orgulho para toda a organização, naquele que é o concretizar de um sonho de há vários anos, como explicou uma responsável da Interfire.
Na abertura do Rescue Days, na manhã de Sábado, dia 8 de Abril, no Fórum dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, Fernando Matos, da Interfire, referiu a “alegria enorme por ver tanta gente, conseguir juntar tanta gente e de vários pontos do país”, agradecendo a colaboração dos Bombeiros da Póvoa de Lanhoso e da Câmara Municipal.
“Sem eles isto não era possível. Foi muito importante toda a ajuda. Foram fantásticos”, disse Fernando Matos, referindo-se aos bombeiros da Póvoa de Lanhoso.
Já o responsável da Weber, Reiner Antritter, destacou o enorme empenho e trabalho de todos os que integraram a organização. “Sintam-se orgulhosos por participar no primeiro Rescue Day a acontecer em Portugal. Aproveitem esta oportunidade porque ela é única”, referiu.
António Veloso, comandante dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, deu nota das muitas horas de trabalho na organização do evento, para que todos possam tirar o maior proveito das técnicas que são partilhadas ao longo dos dois dias, agradecendo à autarquia, às empresas do concelho e a todos os Bombeiros que estiveram envolvidos na organização.
A mesa de honra contou, para além dos nomes acima referidos, com a presença do representante da direcção dos Bombeiros da Póvoa de Lanhoso, Albano Fonseca; do Representante de Federação dos Bombeiros do Distrito de Braga, Bruno Alves; do Comandante do DTER da GNR da Póvoa de Lanhoso, Ricardo Lopes; da Comandante Operacional distrital de Braga, Marina Esteves; do presidente da Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, e do presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista.
O autarca da Póvoa de Lanhoso destacou que a formação é importante, dado a evolução dos equipamentos e realçou que a Póvoa de Lanhoso é uma terra acolhedora, sempre de portas abertas para eventos como este.

Aniversário do Desportivo da Goma

Equipa de triatlo é a aposta

O aniversário do Desportivo da Goma, a 1 de Abril, ficou marcado pela apresentação da equipa de triatlo, composta por 14 atletas, um deles, Adelino Soutinho, um filho da terra, bem conhecido dos povoenses. Refira-se que o triatlo integra três modalidades: natação, bicicleta e corrida e é desporto olímpico desde 2002.
Aproveitar a beleza e o potencial da Barragem da Andorinha e toda a sua área envolvente é um dos objectivos da direcção do Desportivo da Goma, presidida por Aristides Costa. De 2001 a 2013, Aristides Costa presidiu à Junta de Freguesia de Sobradelo da Goma. Já nessa ocasião, enquanto autarca, defendia um plano de desenvolvimento para o local, aproveitando o excelente espelho de água das Andorinhas e todo o potencial do espaço.
“O desporto é uma alavanca fundamental para fomentar aquele espaço magnífico para as práticas desportivas ao ar livre”, explica Emanuel Matos, seccionista do Desportivo da Goma e elemento da equipa de Triatlo.
O Desportivo da Goma organiza este ano, o Trial das Andorinhas (2.ª edição), numa prova que decorre a 4 de Junho. A esta, junta-se, também, e uma prova de triatlo, a 30 de Julho, naquela que é a terceira edição, e a Subida a Nado da Barragem da Ando-rinha, prevista para 10 de Setembro.
Emanuel Matos explica que, em 2015, a prova de triatlo contou com 50 participantes, passando, em 2016, a contar para o campeonato regional, num ano em que participaram 120 a 130 atletas.
“Este ano, contamos trazer mais gente. A prova continua a contar para o campeonato regional. Queremos cimentar e implementar aqui o triatlo de uma forma mais consistente e, provavelmente, por-que temos todas as condições, trazer uma prova do nacional. Queremos fazer as coisas bem feitas”, refere o seccionista Emanuel Matos. Criar uma escola de triatlo é também um projecto para o futuro.
Esta é a primeira equipa de triatlo do concelho e a segunda equipa a surgir no distrito de Braga. Metade dos atletas, são estreantes na modalidade. A ideia é cimentar e criar união na equipa. Os resultados têm sido muito positivos, nas três provas já disputadas em duatlo. Nos próximos tempos, seguem-se também provas de triatlo.
No dia 8, decorreu a 3.ª prova do Circuito Regional Norte de Duatlo, em Lamego, com o GDG/IVL a estar representado por 7 atletas. Por equipas, a formação povoenses alcançou o quarto lugar, cimentando a sua 3.ª posição no campeonato regional norte.

SUPLEMENTO


EDITORIAL

O orgulho concelhio

RUI MIGUEL GRAÇA
Oconcelho da Póvoa de Lanhoso está em festa. Por estes dias decorrem as festividades em honra do padroeiro, S. José, naquele que é o momento de exaltação concelhia e que deixa os povoenses todos orgulhosos de pertencerem a este terriório.
Aliás, este tipo de eventos, para além dos momentos de animação, servem para mostrar o que de me
Nesta edição, o jornal Maria da Fonte apresenta um suplemento de doze páginas totalmente direcionado às festas concelhias da Póvoa de Lanhoso. Um trabalho que visa representar tudo o que se realiza ao longo destes dias, culminando neste domingo, dia do Pai, dia de S. José.
lhor a Póvoa de Lanhoso tem, bem como enaltecer a sua história e identidade. As festas concelhias são um palco priviligiado para fazer perdurar no tempo a história e o legado dos antepassados, exemplo disso é o tema escolhido para o cortejo histórico e etnográfico, que trouxe às ruas da vila a vida e obra do grande benemérito António Ferreira Lopes. Se as gerações mais antigas têm bem presente o passado, certo é que nas mais novas há a tendência de o esquecer, o que não é o caso neste tema em questão, já que tem havido um trabalho importante por parte das entidades, concretamente da Santa Casa da Misericórdia, que tem levado junto dos mais novos tudo o que se refere ao legado de António Lopes. O cortejo etnográfico, promovido pela Câmara Municipal, foi ainda  umas das faces mais visíveis desta projecção, já que os quadros apresentados retrataram toda a sua vida. Retrataram-no para todas as gerações, inclusivamente para aqueles que, por estes dias, visitaram as terras da Maria da Fonte. E, nesse aspecto, o concelho saiu à rua para demonstrar todo o labor e preparação de vários meses. As actividades desportivas, as cerimónias religiosas, a gastronomia, a exaltação das tradições são razões de sobra para evidenciar toda a riqueza da Póvoa de Lanhoso.

PARA O MUNICÍPIO OS EMPRESÁRIOS SÃO “PILARES FUNDAMENTAIS” AO DESENVOLVIMENTO

Novas empresas em Mirão

O Parque Industrial de Mirão prepara-se para acolher três novas empresas.  Flight Dynamics, Amplobjectivo e Luxury Clovers são as empresas que escolheram a Póvoa de Lanhoso para instalar a sua actividade. Projecção e construção de aeronaves, recolha e tratamento de resíduos e construção de casas modulares são as áreas de actuação das referidas empresas. No dia 3 de Março, Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, deu as boas vindas aos empresários de três entidades que estão em fase de instalação, no Parque Industrial de Mirão.“Para a autarquia os empresários são pilares fundamentais no desenvolvimento do concelho. Por esse motivo trabalhamos diariamente para os apoiar na sua instalação, minimizando as dificuldades de contexto normalmente associadas. Esta iniciativa de boas vindas é apenas um momento simbólico revelador de que estamos ao lado dos empresários”, referiu o autarca.No mercado desde 2009, a Flight Dynamics, é especializada em projectar e construir aeronaves.
Neste momento, tem em mãos o projecto CROSSOVER (1.ª aeronave), que está pronto para ir para o mercado. SPEEDSTER é um projecto com cerca de dois anos, trata-se de uma aeronave com uma linha muito desportiva, que está perto da fase de construção.A Amplobjetivo, que foi pensada para fazer a diferença no setor de recolha e tratamento de resíduos, nomeadamente aos resíduos plásticos e papel em que, actualmente, os geradores desses resíduos têm de pagar para os depositar.
Na Amplobjetivo esse serviço irá ser gratuito. Outra vertente, e talvez a mais importante, será a busca contínua de resíduos sólidos que possam ser seleccionados com destino à exportação.A Luxury Clovers – Lda. dedica-se à construção de casas modulares, encontrando-se a trabalhar, nesta primeira fase, no mercado francês. O processo envolve a preparação e montagem de estrutura metálica; a impermeabilização e isolamento térmico acústico; os acabamentos de paredes exteriores; a aplicação de caixilharias; pichelaria e eletricidade; acabamentos de paredes interiores e pisos; cozinhas, instalações sanitárias e equipamentos. Encontra-se em fase de recrutamento de profissionais de diversas áreas: serralheiros, picheleiros, pintores e ajudantes de construção civil.

CONTE - CONCURSO NACIONAL DE TEATRO

“Só os amadores conseguem 
manter viva esta chama
maravilhosa que é o teatro”

O consagrado actor Ruy de Carvalho marcou presença, na noite de sábado, dia 4 de Março, na Gala de Encerramento do CONTE – Concurso Nacional de Teatro, um evento que decorreu na Póvoa de Lanhoso, numa parceria da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Federação Portuguesa de Teatro e Fundação Inatel.
“Cada vez tenho mais orgu-lho em ser amador profissional. Sou profissional de teatro mas sou amador no coração. Amo aquilo que faço e sofro por aquilo que faço. Só os amadores conseguem manter viva esta chama maravilhosa que é o teatro”, disse o patrono do CONTE, que, recentemente, completou o seu 90.º aniversário.
‘Palco de Babel’, do Grupo Dramático e Recreativo da Retorta, conquistou o Prémio Ruy de Carvalho, entregue ao Melhor Espectáculo. Iniciado a 28 de Janeiro, o CONTE contou com nove peças a concurso.
“O CONTE é muito mais do que um concurso de teatro, é um projecto de promoção, divulgação, defesa e valorização do teatro não profissional, que muito contribui para a formação e desenvolvimento sociocultural das comunidades”, referiu o vereador da Cultura da autarquia da Pó-voa de Lanhoso, André Rodrigues, dando conta do grande histórico de tradição tea-tral da Póvoa de Lanhoso, assim como da aposta do município na formação de crianças e jovens.
“Nove espectáculos, com companhias de todo o país, que evidenciaram um aperfeiçoamento da qualidade cénica e estética que reforçou a fidelização dos públicos proporcionando-lhes uma grande satisfação na fruição dos espectáculos. Uma forte razão para o Município se orgulhar em receber nesta belíssima sala de teatro os agentes culturais que se dedi-cam à arte de Talma”, salientou ainda o vereador da Cultura.
Tânia Falcão e Carla Raposeira representaram a Federação Nacional de Teatro e a Fundação Inatel, respectivamente.
“A Federação Nacional de Teatro tem tentado congregar todos os grupos de teatro associativo, para que se juntem à nossa causa. Juntos seremos mais e juntos teremos voz”, destacou Tânia Falcão, da Federação Nacional de Tea-tro, vincando que “o maior prémio é o aplauso do público, que nos dá ânimo, coragem, espírito de sacrifício, entrega, para continuar”.