EDITORIAL

Póvoa de Lanhoso
fomenta a igualdade

Paulo Monteiro
P‘Portugal +igual’ é o nome da Nova Estratégia Nacional para a Igualdade e Não Discriminação (ENIND) que é apresentada no próximo dia 16 de Abril no Theatro Club, e que conta com a presença da secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro. São vários os momentos e participações nesta acção que a Póvoa de Lanhoso - mais concretamente a autarquia - abraçou e que tem desenvolvido importantes contributos na área. Aliás, já no passado dia 23 de Março a autarquia assinalou o Dia Municipal para a Igualdade. Dia escolhido por ser esta a data apontada pelos historiadores como a do início da Revolução da Maria da Fonte. Na altura, desde o presidente aos funcionários da câmara deixaram mensagens numa tela, alusiva ao tema e que, juntamente com outras, vão fazer parte de mais um grande momento que está marcado para Novembro. De 19 a 25 desse mês a Póvoa de Lanhoso recebe a VIII Semana Municipal para a Igualdade. Iniciativas que são de louvar e que têm recebido elogios de todo o país. Um trabalho notável e que deve continuar a ser apoiado.
E já que estamos a falar em igualdade... na Póvoa de Lanhoso existem várias associações que precisam do seu apoio. Uma delas, tem feito um trabalho notável no apoio aos invisuais. Falo naturalmente da  Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga, criada a 19 de Janeiro de 1996 e actualmente presidida por Domingos Silva. Foi juntamente com Luísa Maria Rodrigues Sousa Dias e Manuel Santa Cruz Oliveira, o responsável por criar esta associação há 22 anos e que muito e bom trabalho tem feito em prol dos invisuais do distrito e que tem sido fortemente elogiado. Por isso quando falamos em Igualdade podemos também ter um gesto simples mas que pode ajudar muita gente. Esse gesto simples é inscrever-se como sócio da AADVDB. Eu já o fiz. E você de que está à espera? Vamos ajudar os bons exemplos desta terra...

Praça Eng. Armando Rodrigues vai ser valorizada

Centro da vila 
vai ganhar novo pulsar

Já iniciaram as obras de remodelação e valorização da mais emblemática praça da Póvoa de Lanhoso – a Praça Eng. Armando Rodrigues. Os trabalhos iniciaram a 26 de Março e obrigaram ao corte de circulação, até 15 de Maio, num dos traçados da praça. O objectivo primeiro desta intervenção, de acordo com a autarquia, é responder às urgentes necessidades que actualmente se verificam e potenciar um novo fôlego de desenvolvimento e urbanidade no local historicamente mais representativo e emblemático da Póvoa de Lanhoso.
“Tivemos a preocupação de não desvirtuar a identidade desta praça, realizando uma intervenção que pretende, acima de tudo, melhorar o conforto de quem a usa e os espaços pedonais. As praças têm de estar preparadas para as pessoas, porque são pontos de encontro. É isso que vamos fazer, permitindo também uma maior área para o comércio. No fundo, estamos a dar mais vida a este espaço público central, que já carecia de um melhoramento”, refere o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva.
A Requalificação da Praça Eng.º Armando Rodrigues e envolvente é, no essencial, constituída por uma intervenção de natureza infra-estrutural que tem por objecto a Praça Engenheiro Armando Rodrigues e envolvente (Rua D. Elvira Câmara Lopes e Largo Barbosa e Castro).
Os principais trabalhos a levar a cabo são ao nível de arruamentos e passeios, iluminação, rede de águas pluviais, espaços verdes e rega. Está ainda prevista a criação de palco na Praça e de um passadiço sobre o ribeiro do Pontido.
Este é um projecto promovido pelo Município da Póvoa de Lanhoso e co-financiado pelo Programa Operacional Regional do Norte - NORTE 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, que conta com um investimento elegível de 658.691,91€, ao qual corres-ponde a comparticipação comunitária de 85% no valor de 559.888,12€.

Taíde

Comunidade celebrou a Páscoa

Dos mais pequenos aos mais velhos, todos se uniram na celebração da Páscoa. Paróquia, Junta de Freguesia, Escuteiros, Centro Social e outras instituições da terra estiveram de mãos dadas nas celebrações pascais. O Lava-pés, a Via Sacra e a Bênção do Lume Novo foram alguns dos momentos das celebrações pascais. No centro Social de Taíde, os mais velhos recriaram a Via Sacra, com a Crucificação de Jesus. No terreiro das Músicas, foram colocados três símbolos pascais: a Cruz de Cristo, o Cordeiro e o Círio Pascal, construídos pelos elementos das várias associações da freguesia. Na Bênção do Lume Novo, que decorreu na Igreja Paroquial São Miguel de Taíde, as crianças da Catequese e seus pais participaram na Vigília Pascal.

Visita aos Paços do Concelho

Póvoa de Lanhoso mantém vivas 
tradições pascais

Na manhã de domingo, os Paços do Concelho da Póvoa de Lanhoso abriram as portas para receber a visita pascal. O presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, recebeu o arcipreste, Armindo Gonçalves, assim como as diferentes cruzes, que, ao longo do dia de Páscoa, percorreram a paróquia de Nossa Senhora do Amparo – Póvoa de Lanhoso.
“Esta é uma tradição que queremos manter, assim como outras, o que demonstra acima de tudo o nosso respeito por esta festividade assinalada pela comunidade católica”, referiu o presidente da Câmara Municipal, Avelino Silva, à margem desta recepção, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, onde também marcaram presença os vereadores Gabriela Fonseca e André Rodrigues.
O autarca referia-se também à exposição de arcos de Páscoa elaborados pelos utentes dos Centros de Convívio da Póvoa de Lanhoso, em exposição no Jardim António Lopes, no coração da vila povoense, e à Queima do Judas. Neste último caso, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso foi uma das entidades que apoiaram esta iniciativa da Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso, que reuniu uma enorme moldura humana, no largo em frente ao edifico da Câmara Municipal, para assistir à leitura do testamento e à queima do Judas, num momento que contribui para a divulgação e para a continuidade desta tradição pascal.

Póvoa de Lanhoso

‘Queima do Judas’ 
atrai cada vez mais público

A Queima do Judas, com a Leitura do Testamento, são motivos de atracção no Domingo de Páscoa e traz cada vez mais povoenses aos Paços do Concelho. A organização está a cargo da Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso, com a colaboração da Câmara Municipal, que promove este espectáculo pelo quarto ano consecutivo. Mais uma vez, foram muitos os que ali se concentraram para assistir a um espectáculo, encenado por Maíra Ribeiro, directora artística do Theatro Club.
Este ano, e como explica Maíra Ribeiro, o espectáculo trouxe aos Paços do Concelho a Genesis, a história da criação do Mundo, pelo facto de a Queima do Judas, apesar de ser um evento profano, estar directamente ligado a uma cultura religiosa. Da criação à destruição do mundo. Assim foi o cenário criado, mostrando aos presentes aquilo que o homem desvalorizou e destruiu.
 Todos participaram, desde crianças das oficinas do Theatro Club aos utentes do Centro de Convívio. Participaram no espectáculo da Queima de Judas cerca de 60 povoenses.

Moure

Compasso pela mãos dos Anjos

Neste ano, acompanha-dos pelo padre Elias Amaral, a família Anjos levou o compasso pascal a todas as habitações da freguesia de Moure. Gilberto Anjos, presidente da União de Freguesias de Águas Santas e Moure, transportou a Cruz Pascal, levando a mensagem de Cristo Ressuscitado a todos os moradores. Ao seu lado, o pai António, assim como os irmãos Ricardo e Leia, a esposa e os filhos.
Mesmo debaixo de chuva, a boa-disposição foi a nota dominante. Em cada habitação, Gilberto Anjos e a esposa ofereceram como lembrança uma caneca, assinalando a época pascal, embelezada com desenhos da autoria dos filhos Guilherme e Gustavo.
A Nuno Coelho, filho de um dos seus grandes amigos, Fernando Coelho, coube a tarefa de levar a campainha, anunciando a chegada do Compasso Pascal. Páscoa é tempo de celebrar a Ressurreição de Jesus mas é também tempo de convívio das famílias. De vários pontos do país, e também do estrangeiro, foram vários os que se deslocaram até Moure para acompanhar as celebrações pascais.

Investimento de 3,7 milhões de euros

Água vai chegar 
a 90% do concelho

Fruto de um investimento de mais de 3,7 milhões de euros, o abastecimento de água da rede pública vai chegar a 90% do concelho. Os trabalhos iniciaram em Fevereiro   e decorrem ao longo de 15 meses. Neste momento, as obras decorrem nas freguesias de Serzedelo, Oliveira, Covelas, Brunhais, Espe-rança e Santo Emilião.  
Na sua deslocação às obras que decorrem em Oliveira e Serzedelo o presidente da Câmara, Avelino Silva,  Muni-cipal considerou que “estas obras perturbam o quotidiano das pessoas, mas são obras absolutamente fundamentais para todos”.
A autarquia avança que estas intervenções fazem parte da empreitada designada  “Fecho das Redes de Abaste-cimento de Água dos Subsistemas da Agere/Ponte do Bico, Andorinhas e Rabagão e das redes de águas residuais dos Subsistemas da Bacia do Ave e de Serzedelo”, que tem um valor de adjudicação superior a três milhões e 700 mil euros (3.752.487,96€). Segundo os mesmos, esta empreitada engloba as obras que materializam as cinco candidaturas que a Autarquia viu aprovadas pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, que permitirá o financiamento a 85% das despesas elegíveis através do fundo de coesão.

Pinheiro - Serra do Carvalho

Viaturas ‘pararam’ 
depois de abastecer

Cerca de uma dezena de automóveis avariaram depois de abasteceram gásoleo no  posto de abastecimento localizado na Estrada Nacional 103, no lugar de Pinheiro, na Serra do Carvalho. Tudo aconteceu na manhã de sexta-feira, dia 6 de Abril. Pela manhã, foi possível avistar algumas viaturas paradas ao longo da via.
Alguns dos lesados apresentaram denúncia no Livro de Reclamações daquele estabelecimento. A GNR foi chamada ao local, que, por sua vez, solicitou a presença de técnicos da Entidade Nacional para o Mercado dos Combustíveis, que é a entidade supervisora para o sector. Dos depositos de gasóleo foram retiradas amostras de combustível, tendo os mesmo sido selados.
Um dos lesados é Manuel Pereira da Silva, emigrante na Suíça e com residência em Galegos, Póvoa de Lanhoso.
Manuel Silva veio com a família à terra natal passar a Páscoa. O regresso à Suíça aconteceu nesta segunda-feira mas viu-se impedido de o fazer na sua viatura, tendo sido obrigado a fazer o regresso de avião. Naquela manhã, pelas 8.30 horas, dirigiu-se ao posto de abastecimento na EN. Foi-lhe dito que não havia gasóleo simples, pelo que abasteceu com gasóleo aditivado.  Iniciou a marcha e um pouco mais à frente o carro deixou de andar, descreveu, testemunhando que o mesmo aconteceu a outras pessoas. Ao seu lado parou uma outra viatura, um Audi, também na mesma situação.
Algumas das viaturas ficaram para-das no meio da estrada e outras nem das bombas de gasolina saíram, refere o lesado.Esta situação aconteceu a quem abasteceu gasóleo.
A viatura de Manuel Silva, um Mercedes 220 CDI, de matrícula suíça, foi rebocada, naquela manhã, para a Mercedes, em Braga, onde permanece para ser inspeccionada, revelou o proprietário. Daqui a algum tempo, Manuel Pereira da Silva terá que regressar novamente à Póvoa de Lanhoso para levar de volta o seu automóvel.
As férias de Páscoa trouxeram despesas acrescidas a Manuel Pereira da Silva, uma vez que se viu obrigado a comprar passagens de avião para os três adultos e uma criança.
Estão em causa milhares de euros de prejuízos.

Fontarcada

Mulher que motivou buscas 
foi encontrada em Braga

Residente em Fontarcada, uma mulher de 30 anos esteve desaparecida, no sábado, dia 7 de Abril, durante mais de 14 horas. Foi encontrada, pelas 22 horas, em S. Victor, tendo sido encaminhada para o Hospital de Braga.
Durante o dia, tinha sido dado o alerta do seu desaparecimento, que levou as autoridades a fazer deligências  no terreno para a tentar localizar.
Segundo foi possível apurar, a mulher, de nacionalidade kosovar, saiu de casa de ma-nhã e não regressou. Mãe de quatro filhos, deixou o telemóvel em casa.
Face ao sucedido, as crianças foram encaminhadas para uma instituição de acolhimento, já que o pai foi recentemente vítima de um acidente de trabalho que o feriu com gravidade. Nas buscas no terreno estiveram militares da GNR, do Destacamento Territorial da Póvoa de Lanhoso e do Destacamento de Intervenção do Comando Territorial de Braga.
A pedido da GNR, durante a tarde, as buscas foram reforçadas por cerca de uma dezena de operacionais dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso apoiados por três veículos, mas foram desmobilizados ao final da tarde, confirmou o comandante da corporação, António Veloso.  Finalmente, ao início da noite a mulher de 30 anos acabou por ser encontrada  em Braga, dando por finalizada a operação de buscas do seu desaparecimento.

S. João de Rei

GNR deteve cinco pessoas 
e resgatou sete trabalhadores

Cinco pessoas foram detidas e sete trabalhadores foram resgatados pela GNR da Póvoa de Lanhoso, numa operação que envolveu dezenas de militares. Tudo aconteceu na manhã de terça-feira, dia 3 de Abril, com a GNR a dar cumprimento a mandados de busca emitidos pelo Tribunal da Póvoa de Lanhoso. Para além de uma quinta, em S. João de Rei, as buscas decorreram ainda em Montalegre e Braga, numa operação que envolveu mais de cinquenta militares dos postos da GNR do Destacamento Territorial da Póvoa de Lanhoso.
Da operação resultou a detenção de cinco pessoas, três homens e duas mulheres: um casal de S. João de Rei, assim como um outro casal e o seu filho, de Montalegre.
Sobre os detidos, que aguar-dam julgamento em liberdade, recaem as suspeitas de escravatura e tráfico de seres humanos. Presentes ao Tribunal da Póvoa de Lanhoso, às  duas mulheres e ao jovem foi aplicado o Termo de Identidade e Residência, sendo que os dois homens mais velhos ficam obrigados a apresentações bi-semanais, estando proibidos de contactarem entre si, de contactarem os ofendidos e impedidos de sair do concelho onde residem sem autorização.
Da exploração agrícola de S. João de Rei, foram resgatados três trabalhadores na terça-feira, tendo outros quatro sido retirados do local no dia anterior pela GNR. Os sete trabalhadores, com idades entre os 40 e os 75 anos, estão colocados em instituições de acolhimento do distrito. Uma das pessoas, a pedido da GNR, foi transporada ao Hospital de Braga. Do local, foram levados vá-rios documentos e algumas armas, sendo que algumas delas estão inoperacionais. Os documentos pessoais dos trabalhadores estariam alegadamente na posse do casal detido. Há quem aponte as condições deploráveis em que viviam os trabalhadores.
Rapidamente, a notícia das buscas  espalhou-se pela população. Alguns populares mostraram-se surpreendidos. “Coitado. Ele até ajudava os coitadinhos”, considerou um morador do baixo concelho.