CAPA – Clube de Adopção e Protecção de Animais
O ‘Orelhas’ e amigos
precisam da sua ajuda


Modalanhoso
Moda povoense brilhou
em noite de grande glamour


Editorial

Armindo Veloso



Rir e comer

Num destes últimos sábados subia eu a Avenida da Liberdade, em Braga, quando duas mulheres com ar de mulheres de mercado, praça como se dizia dantes, se aproximavam de mim em sentido contrário. Mesmo de ombro com ombro comigo, uma gritou a bom gritar. - Ó Rosa tu muito comes! A Rosa, vi eu depois, era uma outra mulher que vendia flores na rua junto ao antigo Nosso Café e devorava um pedaço de pão com uma laranja. - Comer e rir é o melhor da vida! Foi a resposta da Rosa com um tom de voz que pedia meças.
Que cena tão simples, tão genuína e tão profunda.
A felicidade anda mais vezes de mão dada com a simplicidade do que com a riqueza.
Dirão alguns que o povo se entretém com coisas simples – uma forma de dizer fado, futebol e Fátima – e que os regimes políticos se dão melhor dessa forma. É verdade. Mas o que me interessa trazer a este texto é a felicidade intrínseca.
O tom de voz, os sorrisos cruzados e a postura daquelas mulheres não iludiam. Era mesmo felicidade.
A riqueza material, aquela que nos é vendida pelas televisões e pelas revistas, embrulhada pelas colónias, roupas e festas, esconde, muitas das vezes, depressões e infelicidades profundas.
Já repararam os dramas que nos são contados pelas queridas TV's e revistas cor de rosa de famosos e famosas que deviam, à partida, serem felizes como ninguém?
No meio de milhares, dois exemplos: Diana, a educadora de infância que virou princesa e morreu de forma dramática; Letícia, a jornalista que correu o mundo a contar histórias. Já se perguntaram onde pára o brilho dos olhos dela?
Ó Rosa, grite bem alto a estas gerações do rabanete e da colónia cara que dar umas boas gargalhadas e comer um arroz de frango ajuda a viver com felicidade em todos os lugares e em todas as posições...

Até um dia destes.
CASTELO

Animação de Verão

O programa “Verão Con(vida)” trouxe, mais uma vez, animação ao centro da vila. À noite, a Praça Engenheiro Armando Rodrigues ganha nova vida e são muitos os povoenses que ali se deslocam para apreciar os vários espectáculos e saborear uma bebida nas esplanadas ali instaladas.
Mais do que a música e o folclore, a iniciativa tem permitido o encontro de familiares e amigos que ali passam bons momentos de confraternização.
CASTELO DE AREIA
Roubos

Na última edição de Julho alertamos para o facto de os larápios aproveitarem a confusão para surripiaram as carteiras e bolsas. Apesar dos alertas, o furto de carteiras continua a manter-se, sobretudo, na feira semanal, um local apetecível devido ao grande movimento de pessoas que ali se verifica, em especial neste mês de Agosto.

Voluntariado


Férias aproveitadas
para vigiar a floresta


Trocaram a praia e o lazer pelo voluntariado e empregam o seu tempo livre a vigiar a floresta do seu concelho. São 32 os jovens voluntários para a floresta que se revezam pelos quatro postos de vigia da Póvoa de Lanhoso.
Se para uns é a primeira vez, outros já são repetentes e continuam empenhados na missão.
O programa de Voluntariado Jovem para as Florestas do Instituto Português da Juventude (IPJ) já mobilizou 350 jovens no concelho povoense, desde as primeiras candidaturas há seis anos.
Este ano, o município da Póvoa de Lanhoso espera chegar à meia centena de jovens, o que será conseguido com a candidatura aprovada para prolongar a vigilância até Setembro.
Para André Martins e Eduarda Moura, ambos estudantes, é a primeira missão como voluntários para as florestas.
Instalados no posto de vigia da Serra do Carvalho, garantem que está a correr bem e que até “tem havido poucos incêndios”.
No dia em que o ‘Correio do Minho’ visitou o posto de vigia, André e Eduarda detectaram uma ignição em Geraz do Minho que ficou resolvida em minutos.
Antes de irem para o terreno, os jovens têm formação ao nível de cartografia para aprenderem a identificar os locais e poderem dar indicações fiáveis, explica Manuela Freitas, do Gabinete Técnico Florestal (GTF) da Póvoa de Lanhoso.

Sensibilizados para a protecção da floresta
Do alto do posto de vigia de Oliveira, os jovens voluntários alcançam os concelhos da Póvoa de Lanhoso, Guimarães e Fafe.
Hélder Duarte, de 19 anos, e Mónica Moreira, de 21, são os voluntários daquele posto.
Ele está no programa pela segunda vez. Ela já é veterana e já conta quatro a vigiar a floresta.
Para Hélder Duarte, que se prepara para ingressar no ensino superior, “é um serviço que se presta à comunidade” aproveitando as férias.
Mónica também destaca o “serviço público”, mas sobretudo o facto de “proteger o que é nosso”.
Estes dois jovens estão de olho na maior mancha de pinheiro manso do concelho povoense.
Mesmo assim, às vezes, o tempo custa a passar e, sobretudo, em dias de calor, os jovens procuram alguma sombra.
Filipa Oliveira e Mafalda Carvalho, estudantes e no programa pela segunda vez, já começam a ganhar gosto neste tipo de voluntariado.
Ambas assumem que estão, hoje, mais sensibilizadas para a prevenção de incêndios e para a protecção da floresta.

Durante dois dias


Folclore foi rei

Nos dias 14 e 15 de Agosto, a Praça Engenheiro Armando Rodrigues, no centro da vila recebeu o Festival Folclórico Professor Gonçalo Sampaio, um dos momentos marcantes do programa “O Verão (com)vida”, promovido pela Câmara Municipal da P. Lanhoso.
Durante aqueles dias, doze grupos folclóricos, locais e nacionais, subiram ao palco e mostraram as suas danças no tabulado ali instalado.
Durante os dois dias, foram muitos os povoenses, e não só, que se deslocaram ao centro da vila para apreciarem as actuações dos vários grupos.
Apesar do calor que se fazia sentir na tarde de segunda-feira, dia 15, a Praça Engenheiro Armando Rodrigues, contou com uma participação considerável de público.
Alzira Rocha, natural de Caldas das Taipas, e emigrada em França, não arredou pé do centro da vila, apesar do imenso calor que se fazia sentir. “Gosto muito do folclore e todos devemos manter vivas as nossas tradições. Costumo assistir ao festival e este ano não foi excepção”, disse, num momento em que se preparava para um “pezinho de dança” com o marido.
Mário Sousa veio de Vieira do Minho para assistir ao festival. “Soube que o rancho dos Anjos vinha aqui actuar e resolvi vir até à Póvoa de Lanhoso. É uma boa iniciativa e deve manter-se”, disse aquele vieirense.
Durante os dois dias subiram ao tabulado os seguintes ranchos: Rancho Folclórico de Porto d’Ave (Taíde), Rancho Folclórico de Verim, Rancho Folclórico Maria da Fonte (Fontarcada), Rancho Folclórico de Garfe, Rancho Folclórico da P. Lanhoso, Rancho Infantil e Juvenil da P. Lanhoso, Rancho Cultural e Recreativo de Sinde (Tábua), Rancho Folclórico Alcaria Fundão (Fundão), Rancho Folclórico A Mocidade dos Anjos (Vieira do Minho), Grupo Folclórico Identidade Lusa (Oliveira Bairro - Aveiro), Rancho Folclórico da Associação Recreativa e Cultural da Aveleda (Vila do Conde)e Rancho Folclórico S. Julião de Covelas.

Câmara assegurou transporte


Passeio
pelo Cávado


No âmbito da iniciativa “Caminhar pelo Concelho”, realiza- se neste sábado, dia 27 de Agosto, o Passeio Pedestre do Cávado, no baixo concelho.
A concentração está marcada para as 9 horas, no Praça Engenheiro Armando Rodrigues, no centro da vila, com a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso a assegurar o transporte até ao início do percurso pedestre.
“Através de caminhos rurais que se estendem desde S. João de Rei a Verim, num percurso não muito exigente, com cerca de sete quilómetros, alcançaremos nas margens do rio Cávado, a pujante «Boca de Saída», obra do homem que «desvia» a natureza. Daí, rumaremos a norte, por caminhos abrigados pela floresta e ao som das águas que nos guiam até à Praia Fluvial de Verim”, dá a conhecer a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. O percurso, de 7 km, num grau de dificuldade intermédio, tem a duração de aproximada de 2h15. O custo é de 2,50 euros (seguro de participação) e cada participante terá direito a um guia, transporte de e para o ponto de encontro e garrafa de água. Para 17 de Setembro está agendado o Percurso Pedestre Monte do Merouço, em Sobradelo da Goma.

Semana da Juventude


Balanço positivo

De 7 a 14 de Agosto, a Póvoa de Lanhoso recebeu mais uma edição da Semana da Juventude, organizada pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, através do Pelouro da Juventude.
No final, os responsáveis autárquicos traçaram um “balanço positivo” da iniciativa, cujo programa apresentou propostas diversificadas, que procuraram ir ao encontro dos interesses dos jovens povoenses, em particular, e da população, em geral.
“A Mesa Redonda “Geração à Rasca – Que oportunida-des?” foi um dos momentos do programa, tendo reunido intervenientes políticos ou ligados a projectos e entidades relacionadas com a juventude ou com o empreendedorismo que conversaram com os participantes, no Espaço Jovem, apontando possíveis caminhos ou oportunidades.
Houve ainda um acampamento, música, magia, stand up comedy, jogos tradicionais e outros, um passeio de Vespa e de outras Motos Clássicas e actividades desportivas varia-das, que passaram pelo downhill urbano, por sessões de Pilates ou de Step, de entre outras, e por danças brasileiras ou kaiaks, por exemplo, para apontar, de uma forma geral, as propostas da edição de 2011 da Semana da Juventude”, destaca a autarquia, em nota de imprensa.

Políticas de Juventude
A Semana da Juventude realizou-se, este ano, sob a égide do Ano Internacional da Juventude e consolida a estratégia do município para a Juventude, consagrando a adopção de políticas de juventude que promovam as capacidades dos jovens e a sua formação e participação activa enquanto cidadãos responsáveis e interventivos

Programa diversificado
O programa decorreu de 7 a 14 de Agosto, tendo englobado um Passeio de Vespa e outras Motos Clássicas (o Trans-Lanhoso), um Torneio de Matraquilhos, no Espaço Jovem, em que a equipa de Bruno Almeida e Flávio Oliveira foi a vencedora; sessões de Pilates, Step/Localizada e da Maratona Indoor Cycling com o DJ Luís Martinho, numa coordenação do ginásio Killer Kilo, Danças Brasileiras, numa coordenação do Ginásio Saúde e Lazer Fitness (de Taíde), no Pontido; e música com bandas de gara-gem: “Os Lúciferes” da Póvoa de Lanhoso e os “Os Indignu” de Barcelos, na Praça Eng. Armando Rodrigues.
Na Praça Eng.º Armando Rodrigues, ainda se realizaram o Game Day, com inú-meras participações, tendo sido disponibilizadas diferentes consolas (Nintendo Wii; XBOX 360; Play Station 3, Simuladores) com cerca de 15 jogos diferentes; e uma Noite de Magia. Para além disto, no Parque de Lazer do Pontão, em Sobradelo da Goma, houve Kaiaks para os interessados. O programa ficou completo com o segundo Acampamento Jovem, no Pontido; o Stand Up Commedy com António Raminhos; e a 1º Prova de Downhill Urbano "Pelos trilhos do Pilar", no Pilar.

Moda


Povoense brilhou na passerelle

Largas centenas de pessoas assistiram ao Moda Lanhoso, que vem marcando, anualmente, o calendário de actividades da Câmara Municipal da P. Lanhoso. Realizado em parceria com a Associação de Turismo da P. Lanhoso, este espectáculo deu palco às lojas, aos modelos e aos talentos locais, ao mesmo tempo que se associou a uma causa solidária. O Anfiteatro do Pontido recebeu, no dia 9 de Agosto, uma noite de beleza e de animação e as bancadas receberam uma multidão.
“O Modalanhoso é o culminar de uma estratégia do município de apoio ao comércio local, sendo que, este ano, promovemos outros dois eventos deste género nas freguesias, nomeadamente em Sobradelo da Goma e em Monsul”, referiu Gabriela Fonseca, vice-presidente da Câmara Municipal. Na sua intervenção, agradeceu a presença do público, com uma saudação especial aos emigrantes; a participação de modelos, de comerciantes e de criadores; à Associação de Turismo pela parceria; e a todos os que colaboraram pelo empenho que tornou possível o sucesso do evento. Lojas de moda interior, ourivesarias, ópticas, acessórios de moda, sapatarias, moda jovem e infantil, cabeleireiros(as) e centros de estética, vestuário e acessórios de noivos, de-coração e de produtos de cosmética tiveram oportunidade de apresentar os seus artigos ou as suas criações e produções através de jovens manequins de ambos os sexos da P. Lanhoso.
Joana Cruz, modelo povoense vencedora do concurso ‘A procura de um sonho – Face Model Of The Year 2010”, também abrilhantou a passarela. O evento deu ainda oportunidade a criadores de moda locais (Diana Veloso, Florbela Fernandes e o Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso) para apresentarem publicamente o seu trabalho e deu palco a alguns dos participantes do Festival de Talentos, realizado em Junho deste ano no Theatro Club, com actuações musicais e de dança.
O evento associou-se a uma causa solidária, como aconteceu em 2010. Desta vez, procurou apoiar a compra de uma cadeira de rodas articulada para uma menina que sofre de paralisia cerebral profunda, através de rifas, que deram direito a prémios.

Ferreiros


Ampliação do cemitério

A freguesia de Ferreiros acolheu, no passado domingo, dia 21 de Agosto, a cerimónia de inauguração das obras de renovação e ampliação do cemitério. O acto teve o seu início pelas 10h30, com a celebração da eucaristia, pelo padre António Couto, à qual se seguiu a roma-gem até ao cemitério, com a bênção do novo espaço e o descerramento de uma placa alusiva àqueles melhoramentos, pelo presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, e pelo presidente da Junta de Freguesia local, José Manuel Alves. Findo aquele acto, seguiram-se os discursos, junto à Igreja Paroquial. José Manuel Alves, presidente da Junta de Freguesia de Ferreiros, referiu, no seu discurso, que a ampliação do cemitério permitiu a criação de mais cinquenta sepulturas. Tal obra veio colmatar uma necessidade há muito sentida pelos autarcas e pelo povo da freguesia, uma vez que o campo santo apenas possuía três sepulturas disponíveis.
Na sua intervenção, José Manuel Alves destacou as obras realizadas que passaram, entre outras, pela escavação, construção de muros, remodelação de muros e passeios e a colocação de uma rede de drenagem, bem como a criação de lugares de estacionamento. A par disso, foi criado um horário de funcionamento do campo santo.
Aproveitando a presença do presidente da Câmara Municipal da P. Lanhoso, o presidente da Junta de Freguesia de Ferreiros apontou como obra prioritária a intervenção na estrada das Boucinhas, a qual se encontra em calçada à fiada, mas com um piso muito degradado. Na sua intervenção, e de entre outras considerações, o presidente da câmara deu conta do projecto que a autarquia tem para o centro da vila e considerou que a intervenção no caminho é uma necessidade.

Clube de Adopção e Protecção de Animais


Animais precisam da sua ajuda

O Lelo, o Orelhas, o Sebastião, o Brown, o Artur, a Mimi, a Cigana e a Holly são alguns dos cães que se encontram no Canil Municipal e que esperam por um novo dono que lhes dê o carinho e a atenção que não tiveram até serem recebidos pelo CAPA – Clube de Adopção e Protecção de Animais, que gere aquele espaço municipal. Com o seu olhar meigo, estes amigos de quatro patas procuram alguém que os acolha e que lhes dê uma nova oportunidade.
Actualmente, o Canil Municipal acolhe cerca de 40 cães, entre machos e fêmeas, repartidos pelas 12 boxes. Aos voluntários do CAPA cabe a tarefa de limpeza do espaço e alimentação dos animais. Sandrina Oliveira é um dos elementos que integra a equipa do CAPA. Natural de Guimarães, e a residir actualmente em Braga, Sandrina Oliveira despende de parte do seu tempo livre para ajudar os amigos de quatro patas. Evitar o abate e encontrar novos donos para os animais do canil é um dos objectivos da equipa do Clube de Adopção e Protecção de Animais. A cidade de Guimarães é um dos locais onde a população é mais receptiva e onde o número de adopções é superior. Por esse facto, aquela cidade tem sido o local escolhido para a realização das campanhas de adopção.
“Há pessoas que vêem o animal como um objecto, que se encontra acorrentado a um metro de corrente. Achamos que essas não são condições dignas para ter um animal.
O animal tem que correr, tem que brincar e conviver com as pessoas. Já por isso, é um animal de companhia e não um objecto preso a uma corrente”, elucida Sandrina Oliveira, revelando que uma das missões do CAPA é a de mudar as mentalidades.
“Os nossos animais são animais que já passaram por muito. Muitos deles chegam maltratados e aleijados. Com o nosso esforço, tentamos tratá-los e tentamos socializá-los. Alguns são animais que nasceram no monte, conviveram com poucas pessoas e alguns deles terão sido maltratados. Chegam cá com problemas e tentamos socializá-los e prepará-los para uma futura adopção”, explica Sandrina Oliveira.

Animais chegam maltratados
“Temos alguns que chegaram maltratados. O Jumbo é um cão que chegou ao canil em Janeiro. É um cão com traumas, é um cão complicado, com problemas e com quem é difícil lidar. Estamos a tentar fazer um treino específico. O objectivo é fazer um curso de obediência. Tem cerca de três anos e foi deixado acorrentado à porta do canil. É um cão que não é sociável com outros, É muito ciumento e tem um temperamento bastante complicado. Chegou a ser adoptado para uma senhora e sem querer, na tentativa de chamar a atenção, acabou por a mordiscar”, explica Sandrina Oliveira.
Mais sorte teve o Barbas, um cão recolhido por umas pessoas na vila da Póvoa de Lanhoso. “Tinha a pata partida e tinha chip mas não estava registado. Esteve connosco quase um ano e foi adoptado há cerca de um mês e foi para a Bélgica. Já temos fotografias dele”, dá conta Sandrina Oliveira.
Para além da recolha feita pelos serviços camarários, alguns dos animais são aturados para o interior do canil e muitas vezes são deixados acorrentados no local.
“No sentido de não abater, tentamos juntar animais, o que não é fácil tendo em conta os seus temperamentos. Colocamos um macho por box e depois várias fêmeas. Tal situação é possível porque esterilizamos as fêmeas”, revela Sandrina Oliveira.

Frades


Fiéis subiram monte S. Mamede
Monte acima, foram muitos os peregrinos que se deslocaram, na manhã de quarta-feira, dia 17 de Agosto, ao alto do Monte de S. Mamede, para prestar veneração àquele santo. Muitos dos devotos chegaram ao alto do monte bem cedo. De merendeiro na mão, estenderam as suas mantas debaixo das árvores para ali passar o dia. A par do culto a S. Mamede, são muitos os que ainda mantêm a tradição e permanecem no cimo do monte durante o dia de festa.
Na área envolvente, os carros foram-se juntando e o espaço ficou repleto. Às viaturas, juntaram-se os vendedores.
De tudo um pouco de podia encontrar naquela manhã. Doces, fruta, calçado, vestuário, brinquedos, cd’s e roulottes de comes e bebes eram algumas das ofertas no local.
Antes da celebração da eucaristia, que contou com sermão pelo padre Albino Carneiro, os devotos visitaram as duas capelas no alto do monte e alguns aventuraram-se na subida até ao posto de vigia.
“São Mamede é patrono do gado e é invocado por causa do leite, quando os animais têm falta de leite para dar às suas crias ou as mães quando estão no período de lactação e, tendo falta de leite, recorrem ao mártir para que este lhe conceda as suas benesses”, pode ler-se no livro “Subindo o Monte de Penafiel de Soaz ao encontro de São Mamede”, da autoria do povoense Sérgio Manuel da Costa Machado.
No decurso da pregação, o padre Albino Carneiro considerou S. Mamede como o exemplo de vida e de santidade. “Continuamos a celebrar um homem que, no sem tempo, marcou a vida da Igreja”, referiu o sacerdote que destacou a necessidade de “voltarmos à originalidade da nossa fé”.
“O exemplo de S. Mamede para nós, hoje, é de que não podemos viver sem Deus”, disse ainda o padre Albino Carneiro, que frisou a necessidade de “vivermos de acordo com a nossa fé e com o nosso ser de baptizado”.
Findo o sermão, seguiu-se a procissão na qual se incorporaram os andores, as bandeiras e os devotos de S. Mamede.
Unicamente composta pelos actos religiosos, a festa em honra de S. Mamede, realizada na manhã do dia 17 de Agosto contou com a presença de muitos devotos, vindos de vários pontos do concelho.

Friande


Sr.ª da Ajuda venerada pelos fiéis

A população de Friade prestou culto, de 11 a 15 de Agosto, a Nossa Senhora da Ajuda, com as festividades a decorrer na sua capela, no lugar de Nossa Senhora da Ajuda. Para além dos momentos religiosos, o programa das festas deste ano contemplou a música e o folclore, aos quais se juntaram as touradas, o bazar e a subida ao bacalhau, que trouxeram momentos de grande animação até aquela freguesia do baixo concelho.
Neste ano, a animação musical esteve a cargo do conjunto “Minhotos Marotos”, “Novo Império” e “Alta Tensão”. O folclore foi trazido a público pelo Grupo Recreativo e Folclórico de Mosteiro, do concelho de Vieira do Minho. Depois da procissão de velas, o ponto alto das cerimónias religiosas ocorreu na tarde de domingo, dia 14 de Agosto. Pelas 14 horas, a Capela de Nossa Senhora da Ajuda recebeu a celebração da eucaristia, à qual se seguiu a procissão, que integrou vários andores adornados com flores naturais.
A eucaristia, celebrada pelo padre Marco Gil, contou a presença do padre Fernando Senra, que ficou responsável pelo sermão em honra de Nossa Senhora da Ajuda. Por volta das 14 horas, o povo foi-se concentrando junto ao templo para assistir ao acto religioso que antecedeu a majestosa procissão.
Tal como noutras festas e romarias, o espaço envolvente ao templo contou com a presença dos vendedores de doces e brinquedos e das roulottes de comes e bebes.
Num momento em que os emigrantes marcam presença na freguesia, as festas em honra da Senhora da Ajuda contaram com uma grande participação, que trouxe muita animação aos vários momentos do programa.
No decurso da pregação, o padre Fernando Senra falou nos vários títulos de Nossa Senhora, os quais têm sentido pelo facto de Nossa Senhora ter sido a escolhida para ser a mãe de Deus.
“Maria é a nossa mãe no Céu e não só no Céu. Maria é a mãe das nossas mães e a mãe de cada um de nós. É o nosso melhor amparo, é ela que nos deita a mão e nos ajuda”, referiu o padre Fernando Senra. Findo o sermão, teve lugar a procissão em honra de Nossa Senhora da Ajuda, na qual se incorporaram vários andores.
A Junta de Freguesia de Friande, com o apoio da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, procedeu ao arranjo do largo e do espaço exterior ao cemitério. Para muitos, a surpresa foi total pois o espaço estava totalmente remodelado.
Ao centro, numa pequena rotunda, uma fonte com a imagem, em pedra, de Nossa Senhora da Ajuda, deixou maravilhados alguns dos presentes. A esta, junta-se um parque infantil e de manutenção, muito do agrado de pequenos e graúdos. No mesmo espaço, os mais novos podem divertir-se e, ao mesmo tempo, os pais e familiares podem usufruir das várias máquinas e depender de alguns minutos para o exercício físico. Os espaços em terra receberam relva, árvores e diversas plantas, que embelezaram a área. A tudo isto, junta-se o cemitério, devidamen- te cuidado e renovado, tanto no exterior como no interior.
As obras ali executadas for-am uma enorme surpresa para alguns dos presentes, sobretudo de fora da freguesia.
Maria Cunha, emigrada em França, deslocou-se a Friande para assistir à procissão. “Vim à procissão e gostei muito do que aqui fizeram. Está tudo muito bonito. Não contava que uma freguesia como Friande, que é uma freguesia pequena tivesse um espaço tão bonito. Agora, é preciso mantê-lo assim belo e esperar que as pessoas usufruam destas máquinas de ginástica aqui colocadas”, disse.

Associação de Invisuais


Hulk e Rúben Micael apoiam

Uma sessão de autógrafos, que contou com a presença de duas importantes figuras do plantel do Futebol Clube do Porto – Hulk e Rúben Micael, foi a forma encontrada pelo clube portista para se associar à causa da Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga (AADVDB), localizada na Póvoa de Lanhoso. Na tarde de terça-feira, dia 16 de Agosto, e durante cerca de uma hora, os dois atletas portistas, acompanhados de elementos do clube, distribuíram autógrafos pelos sócios e simpatizantes do clube azul e branco. A presença das duas importantes figuras do clube trouxe muita gente até à Praça Engenheiro Armando Rodrigues, na expectativa de verem os atletas portistas e de conseguirem um autógrafo. Muitos jovens, acompanhados de cachecóis, bolas e t-shirts, mostravam-se ansiosos pela chegada dos seus ídolos, a fim de conseguirem um autógrafo dos atletas portistas.
Zé Amaro, conhecido cantor, marcou presença no evento e deliciou os presentes com algumas das suas melodias. No final dos autógrafos, Domingos Silva e Clarisse Matos, da AADVDB, procederam ao sorteio de uma bola e de uma camisola autografada pelo plantel do F. C. Porto.
Num mês que coincide com a presença de muitos emigrantes no concelho, e apesar da pouca divulgação, a Praça Engenheiro Ar- mando Rodrigues encheu-se de adeptos portistas.
Mas, não foram só os adeptos portistas que marcaram presença no centro da vila. Com 9 anos, e residente na freguesia de Oliveira, Ana Rita Neves, que não é simpatizantes do clube azul e branco, foi das primeiras a conseguir um autógrafo. De bola na mão, lá conseguiu um autógrafo para o primo e mostrou-se satisfeita por ter visto os dois jogadores, que ela considera importantes. Apesar de não ser portista, também o Alexandre, da freguesia de Lanhoso, se encontrava na fila para conseguir um autógrafo. Os irmãos Leandro e Joana Henriques, de Fontarcada, ambos adeptos do F. C. Porto, mostraram- -se satisfeitos por terem conseguido um autógrafo. “Sinto-me feliz. É bom ver ao vivo um dos meus ídolos. Este é o primeiro autógrafo que consigo”, revelou a Joana Henriques.

DESTAQUES

Acção de fiscalização decorreu na feira semanal
GNR apreende material contrafeito

Câmara Municipal

Candidaturas ao HabitaLanhoso

A.F. Braga
Emilianos quer subir de divisão

Editorial

Armindo Veloso



Melros e nós

A maior parte dos meus leitores vivem no campo ou têm essa origem mesmo residindo em pequenos ou médios centros urbanos. Até diria que em Portugal muito pouca gente poderá dizer que as uvas vêm das figueiras...
Uma das sensações mais marcantes que me persegue desde miúdo é o acompanhamento, a par e passo, de um casal de melros desde a primeira raiz colocada num ramo de árvore, hera, ou arbusto, cuidadosamente seleccionado, até ao zarpar dos juvenis pr'a vida.
Quais operários/arquitectos tecem uma obra de arte onde os dois ovos darão origem, a maior parte das vezes, ao mesmo número de crias – depois de um choco centenas de vezes revezado em turnos combinados com minúcia.
Após o nascimento inicia-se um vaivém incansável para alimentar os famintos passarinhos que quase se vêem crescer a olho nu.
Passadas três semanas já o ninho é pequeno para suas majestades. Quando grandes, fortes e bem vestidos, e após uns treinos de batimentos de asas, eis que os dedicadíssimos pais sobrevoam o ninho e repenicam sons acicatando os juniores para irem à vida. Se eles não forem depois de muitos ensinamentos, intensificam a pressão chegando ao ponto de os empurrar ninho fora. Vão trabalhar malandros, parecem dizer.
Os mesmos pais que trabalham durante mais de dois meses incansavelmente para terem os filhotes, são os mesmos que os empurram ninho fora. Duas provas de amor.
Poderíamos extrapolar esta descrição, mais coisa menos coisa, para todo o mundo animal. Todo? Todo não. Exceptuando o que se julga rei: o Homem.
Sendo certo que não foi assim durante quase toda a história da humanidade, nos tempos mais recentes uma boa parte dos filhos ficam em casa pelos trinta acima.
Dantes, um dantes próximo, os jovens faziam-se à vida cedo para obterem liberdade, saindo do “jugo” dos pais, e sexo. Sendo certo que havia muitas crianças nascidas “por obra e graça do Espírito Santo”, o que é certo é que o sexo era determinante para casamentos muitas das vezes precoces.
Hoje, liberdade? Toda! Alimentação? Maravilha! Sexo? “Sempr'abrir”!
Então para que raio os meninos e as meninas de trinta e tal hão-de sair de casa se têm os melhores empregados do mundo: os pais. Chamem-lhes burros...
Que racionais que são os melros.
Até um dia destes.
CASTELO

ModaLanhoso
Mais uma vez, a vila da Póvoa de Lanhoso dá a conhecer à população e a quem a visita o que de melhor tem para oferecer: o comércio local. A iniciativa junta, no mesmo palco, lojas de vestuário, bijutaria, calçado, centros de estética, ourivesarias, ópticas e cabeleireiros. Assumindo-se como uma montra do comércio local, a ModaLanhoso tem cativado cada vez mais assistência, com a aposta a recair na prata da casa, ao invés de nomes sonantes da moda nacional.
CASTELO DE AREIA
Barulho

Quem vive na Avenida da República, na vila, não tem tido noites de grande descanso, sobretudo às sextas-feiras, sábados e domingos. Durante a noite, os moradores têm que suportar, em alguns momentos, a falta de respeito de alguns automobilistas, que transformam a estrada numa espécie de pista de corridas.

Câmara Municipal


Apoio ao Munícipe com ajuda
ao consumidor e ao emigrante


A funcionar no edifício dos Paços do Concelho, o Gabinete de Apoio ao Munícipe da Póvoa de Lanhoso proporciona diversas respostas, de entre as quais ao nível do CIAB – Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Consumo (Tribunal Arbitral) e do Apoio ao Emigrante.
“Sempre que resulte lesado numa aquisição de bens ou serviços, qualquer interessado pode recorrer aos serviços do CIAB junto do Gabinete de Apoio ao Munícipe, que funciona de Segunda a Sexta-feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, no edifício da Câmara Municipal (rés-do-chão), na Vila da Póvoa de Lanhoso. Os processos aí recebidos serão reencaminhados para o CIAB, onde um jurista prestará os esclarecimentos necessários e tentará a resolução dos conflitos através da mediação. Caso a mediação não resulte, os processos serão preparados para a conciliação e arbitragem a realizar nas instalações do CIAB, em Braga”, destaca a Câmara Municipal.
Do acordo de cooperação com a Direcção-Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso criou, também, um Gabinete de Apoio ao Emigrante, que funciona nos mesmos horários. Informar os emigrantes e ex-emigrantes sobre os seus direitos adquiridos, especialmente no âmbito da segurança social é um dos objectivos.
Pensões do Estrangeiro, Autorizações de Residência, Alteração de Cartas de Condução, Equivalências Escolares são algumas das razões pelas quais deve procurar este serviço no Gabinete de Apoio ao Munícipe.

Jónatas Pego


ISAVE tem novo presidente

Doutorado em Genética Molecular, pela Universidade de Utrecht, Holanda, Jónatas Pego, de 40 anos, é o novo presidente do ISAVE. Em comunicado, dá a conhecer o novo presidente da instituição e revela que “para além de uma actividade académica intensa e de vá-rias publicações, tem uma estreita ligação ao ISAVE. É, desde 2002, professor coordenador e responsável por diferentes unidades de nove licencia-turas. Ao longo dos anos, assumiu diferentes cargos de responsabilidade dentro da instituição no Conselho Pedagógico, Conselho Técnico-Científico e Conselho para a Qualidade”.
“Mais recentemente, foi assessor da presidência do ISAVE como interlocutor com a A3ES (Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Supe-rior) e responsável pela coordenação do processo de acreditação das licenciaturas do ISAVE. Desenvolveu investigação na Universidade do Minho em biomateriais com aplicações dicas, tendo participado na organização de cursos de formação avançada. Na Holanda, na Universidade de Utrecht, orientou projectos de investigação de Mestrado. Foi ali que tirou o doutoramento, numa academia reconhecida como a primeira entre as Universidades Holandesas e colocada entre as melhores da Europa, de onde já saíram doze investigadores laureados com o Prémio Nobel”, destaca o ISAVE, em nota de imprensa.
“O ISAVE tem de assumir o aprender a aprender em cada estudante, pois só a capacidade de aprender ao longo da vida forma pessoas com poder criativo e interventivo para sonhar e concretizar. Os professores transmitem conhecimento teórico e ensinam a aplicá-lo mas ensinam também a aprender e ensinam a ser. É este o papel fundamental hoje do ensino superior, é este o papel do ISAVE com uma equipa jovem de professores qualificados no conhecimento e no humanismo”, defende Jónatas Pego. Este quer um ISAVE “no sentido da ciência, da inovação, da aprendizagem como meio contínuo e sempre associado ao ser”. “Estamos num novo caminho, num caminho que sabemos que será de passos calmos, mas bem definidos e com um sentido: o do rigor científico, o da qualidade, o do ser. Há hoje no ISAVE uma nova vontade de criar e transformar”, revela.
Assumir um papel cada vez mais revelante na região é um dos objectivos dos responsáveis do ISAVE, com a actividade da instituição a passar por formar “profissionais altamente qualificados que contribuam, cada vez mais, para a saúde da população, da pessoa. Profissionais que vejam a pessoa antes de ver a doença”. Destacando a importância da qualidade das instalações, Pego assegura que “é a qualidade pedagógica, técnico-científica e humana do nosso corpo docente que determina a elevada qualidade dos profissionais que aqui são formados. Há muito para fazer, longos caminhos, desafios que enfrentaremos com sagacidade e determinação”.

Teatro

Castelo recebe ‘O Desejado’

Com estreia marcada para esta quinta-feira, dia 11 de Agosto, o Castelo de Lanhoso acolhe a encenação ‘O desejado’, numa produção do Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso. Assim, nos dias 11, 12, 13, 20 e 21 de Agosto, o Castelo transforma-se para receber a comédia ‘O Desejado’, com texto e encenação de Moncho Rodriguez.
Pedro Giestas, conhecido actor, é a figura de cartaz desta encenação que conta com a participação de Sofia Lemos, Armando Luís, Roberto Moreira, Marta Carvalho, Catarina Rodriguez, Vítor Cruz, Sérgio Diogo, Dalila Lourenço, Júlia Lima, Cláudio Lopes, Ana Silva, Adriana Mendonça e António Lourenço. “Certos de que o Desejado, El-rei D. Sebastião, por artes de encantamento, ocultou-se num castelo misterioso dentro de uma pedra, como conta o mito da Pedra do Rei-no, uma companhia de cómicos ambulantes, peregrinando de terra em terra chega até ao monte do Pilar, lugar onde está o Castelo de Lanhoso. Acreditam que ali vive o Encoberto, adormecido dentro da Pedra e com as suas artes e artimanhas de cómicos faranduleiros podem despertar o Desejado, para que ele venha salvar o seu o seu povo pois grande já é o padecimento. Noé (Pedro Giestas) e sua mulher Aldonça (Sofia Lemos) acreditam que se voltam a representar a vida do Encoberto, poderá ele, El-rei Desejado, voltar e na própria cena há-de conduzir o seu povo para o Reino do Encantado”, pode ler-se na sinopse de “O Desejado”. “Se há ainda quem acredite na volta do Desejado, o sebastianismo continua a ser oportuno e mais que sempre actual. Para aqueles em que o Encoberto é apenas um mito, encontrarão neste espectáculo muitos outros motivos para se divertirem com a lenda. Para os que em nada acreditam, nada poderemos oferecer a não ser a poética cómica de uma história na qual não se deve acreditar pois, se tudo o que ela revela, se por acaso parecer real é, tão somente, pura coincidência”, lê-se ainda na sinopse.

Feira semanal da Póvoa de Lanhoso


Material contrafeito apreendido

Depois da feira semanal de Amares, os militares do Destacamento Territorial (DTER) da Póvoa de Lanhoso realizaram, na manhã de quinta-feira, dia 4 de Agosto, uma acção de fiscalização na feira semanal da Póvoa de Lanhoso, que culminou na apreensão de material, alegadamente contrafeito, que ascende a mais de 50 mil euros.
A operação, que envolveu 13 militares do DTER da Póvoa de Lanhoso, que contaram com a colaboração do Destacamento de Intervenção da GNR de Braga, levou à apreensão de diverso material contrafeito e à identificação de quatro indivíduos, com idades entre os 19 e os 35 anos. No decurso da acção, foram apreendidos 796 artigos têxteis (t-shirts, fatos de treino, casacos e camisolas), 33 pares de calças, 45 pares de meias, 38 malas, 5 pares de óculos de sol e 24 perfumes. De entre as marcas alegadamente contrafeitas, destaca-se a Adidas, Puma, Nike, Tommy Hilfiger e Throttleman. O material apreendido será sujeito a peritagem.
Em apenas dois dias, na feira semanal de Amares e da Póvoa de Lanhoso, os militares do DTER da GNR da Póvoa de Lanhoso apreenderam material contrafeito cujo valor ultrapassa os 300 mil euros. Na manhã de quarta-feira, dia 3 de Agosto, e numa operação realizada na feira semanal de Amares, que envolveu mais de quarenta militares da GNR, foram aprendidos 550 pares de óculos de sol; 168 relógios; 280 artigos têxteis; 330 bolsas de senhora; 150 pares de calças; 310 perfumes e 1 telemóvel. No decurso da referida operação, foram identificados 27 indivíduos, alguns dos quais de nacionalidade estrangeira, por venda de material alegadamente contrafeito.

Vilela


José Malhoa anima Sra. da Alegria

Os momentos religiosos, com a realização das novenas, de 15 a 18 de Agosto, marcam o arranque das festas em honra de Nossa Senhora das Maravilhas, cujo ponto alto ocorre de 19 a 22 de Agosto. Realizadas na sua capela, as festividades aliam a vertente religiosa aos momentos de animação. Depois da música gravada durante o dia, a noite de sexta-feira, dia 19, é preenchia com a actuação do grupo de cantes “Amigos de Sobreposta”, que prometem trazer muita animação à freguesia de Vilela.
No sábado, depois da salva de morteiros, segue-se o peditório da Comissão de Festas pelos lugares da freguesia, acompanhados de gaitas de foles. Às 20h30, estão em destaque os actos religiosos, aos quais se segue a procissão de velas. Mais tarde, pelas 22 horas, entra em palco o conjunto musical “Sons do Minho”, que actuará até às 24 horas, hora a que será queimada uma sessão de fogo.
Para o domingo, dia 21, o programa das festas contempla, às 11h30, a missa em honra de Nossa Senhora das Maravilhas, cantada pelo Grupo Coral da freguesia, seguindo-se, às 15 horas, a entrada da Fanfarra do CNE de Garfe e, às 16 horas, a procissão em honra de Nossa Senhora das Maravilhas. Finda a mesma, segue-se o folclore, com a actuação do Rancho Folclórico da Póvoa de Lanhoso e do Rancho Folclórico de Garfe. Mais tarde, às 22 horas, a animação está a cargo do conjunto “Manuel Silva e Amigos”. Uma grandiosa sessão de fogo, às 24 horas, encerra aquele dia de festa.
O último dia de festa, segunda-feira, dia 22, conta, às 11 horas, com a missa dos emigrantes, seguindo-se, às 15h30, o início dos actos religiosos e reza de terço e, às 17h30, os jogos populares.
À noite, a partir das 23 horas, tem início a actuação do famoso artista José Malhoa. Uma grandiosa sessão de fogo encerra as festas de 2011.

São Martinho de Campo


Festividades muito concorridas

Realizadas de 29 de Julho a 1 de Agosto, as festividades em honra de Nossa Senhora do Rosário e S. Frutuoso, em S. Martinho do Campo, foram um sucesso. O bom tempo, aliado a um programa de qualidade, trouxe até àquela freguesia uma verdadeira multidão.
Rui Bandeira e Jorge Loureiro foram as estrelas do programa das festas deste ano, aos quais se juntaram ainda a banda “Belcanshow”, o grupo musical “O Milénio”, assim como a Banda de Música de Calvos e a Banda de Música das Caldas das Taipas.
Na tarde de domingo, dia 31 de Julho, a majestosa procissão saiu à rua, num acto que contou com diversos andores e inúmeras figuras alegóricas.
O povo compareceu em peso, apesar do intenso calor que se fazia sentir naquele dia.
Num momento de grande beleza, a procissão em honra de Nossa Senhora do Rosário e S. Frutuoso foi do agrado das centenas de pessoas que assistiram àquele acto religioso.
Acompanhada de uma amiga, Maria Adelaide, residente na vila da Póvoa de Lanhoso, estava maravilhada com a procissão. “Nunca tinha vindo a esta procissão. Fui convidada pela minha amiga e resolvi vir. É muito bonita e os vários figurados dão uma beleza ainda maior à procissão”, disse aquela povoense.
Também Rosa Sousa, residente na vila, se mostrou agradada com a procissão e com as festas deste ano. “Moro na vila mas costumo assistir a alguns momentos da festa. No sábado à noite era um mar de gente. Penso que as festas deste ano tiveram ainda mais público. Gostei muito do espectáculo e estou a gostar muito da procissão”, disse.
Antes da procissão, as bandas de música mereceram a atenção dos populares, que apreciaram a actuação das duas bandas. Grande apreciador deste tipo de espectáculo, o Padre António Couto, de Covelas, foi uma das presenças naquele momento.
O último dia de festa, segunda-feira, dia 1 de Agosto, foi dedicado ao emigrante. Jorge Loureiro e sua banda foram a atracção daquela noite. Uma grandiosa sessão de fogo de jardim e fogo preso encerram as festas para este ano.

Freguesia de Garfe


Festejos a S. Roque

De 13 a 16 de Agosto, a freguesia de Garfe recebe as festividades em honra de S. Roque, realizadas na sua capela, no lugar de S. Roque.
Do programa festivo consta, no sábado, dia 13, pelas 8 horas, a alvorada, seguindo-se a volta pela freguesia, num momento que contará com a presença dos Zés Pereira de S. Torcato (Guimarães).
Para além da música gravada, o primeiro dia de festejos fica marcado pelos jogos tradicionais, que se realizam durante a tarde. À noite, a partir das 22 horas, as atenções estão voltadas para a actuação do conjunto “Cantares da Nossa Aldeia”, desta vila. Uma sessão de fogo encerra o primeiro dia de festa.
Um torneio de malha e petanca animam a tarde de domingo, dia 14, num dia marcado pela actuação da artica Rebeca e sua banda.Uma grandiosa sessão de fogo encerra as festividades de domingo.
O dia 15, domingo, principal dia de festa, fica marcado, pelas 10 horas, pela missa cantada pelo grupo coral da freguesia e, à tarde, a partir das 15 horas, pela grandiosa procissão, com saída da Igreja paroquial de Garfe para a capela de S. Roque, acompanhada pela Fanfarra do CNE de Garfe, à qual se segue o sermão em honra de S. Roque.
Findo aquele acto religioso, segue-se o folclore, com a actuação, a partir das 17 horas, do Rancho Folclórico de Garfe e do Rancho Folclórico de Canedo de Basto (Celorico de Basto).
A actuação da banda Atlantis, a partir das 22 horas, encerra o principal dia de festa.
Na terça-feira, dia 16, Dia do Emigrante, às 11 horas, celebra-se a missa cantada em honra dos emigrantes e, às 14 horas, disputa-se uma grande torneio de malha.

Ajude juntou população em festa original


Teatro e música anima freguesia

No passado dia 5 de Agosto, a freguesia de Ajude recebeu a peça “A Visita”, protagonizada por Pedro Giestas. A celebração teatral realizou-se junto ao edifício da sede de junta de freguesia. Apesar da chuva, Pedro Giestas presenteou os espectadores com uma peça que fala do isolamento e da desertificação do mundo rural. No início do espectáculo, José Manuel Silva, presidente da Junta de Freguesia de Ajude, acompanhado dos restantes elementos do executivo, agradeceu o apoio dado por todos os moradores da freguesia, assim como à Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso por ter apostado na descentralização cultural.
Para além do teatro, a noite daquele dia foi animada com a música, por Luís Muxima, à qual se juntou um belo repasto, onde não faltaram os “comes e bebes”, acompanhados de um saboroso caldo verde.
A solidariedade marcou também presença. Os donativos recolhidos naquela noite reverteram, este ano, para a Casa de Trabalho de Fontarcada. “Nesta festa-convívio e num ambiente descontraído, queremos que aconteça a música, a festa popular mais genuína, que se acenda a fogareiro, se prove o vinho, o caldo verde, se faça a dança, o teatro, se partilhem afectos e se encontrem os amigos”, foram os votos deixados pelo presidente da Junta de Freguesia de Ajude.

Ajudenses à descoberta do concelho
Numa iniciativa promovida pela Junta de Freguesia de Ajude, os habitantes daquela freguesia partiram, no dia 30 de Julho, à descoberta do concelho da Póvoa de Lanhoso. Ao invés de procurarem outros locais na região, os elementos da Junta de Freguesia deram a conhecer alguns lugares do concelho aos habitantes de Ajude. “Vá para fora cá dentro” poderia ter sido o slogan associado à iniciativa.
O Núcleo Museológico do Castelo de Lanhoso, o Centro Interpretativo do Carvalho de Calvos, o Theatro Club, o Museu do Ouro de Travassos e o Santuário de Nossa Senhora do Porto d’Ave, com visita ao Museu de Arte Sacra, foram os locais percorridos. Pelas 13h30, os convivas realizaram o seu piquenique no espaço envolvente ao Santuário. Os cantares ao desafio e os jogos tradicionais animaram os presentes.

Câmara Municipal e Associação de Turismo


Moda povoense deu glamour
ao Parque do
Pontido


O anfiteatro do Pontido recebeu, na noite de terça-feira, dia 9 de Agosto, o ModaLanhoso, um desfile de moda que pretende dar a conhecer as propostas de moda do comércio local. À hora do fecho desta edição, davam-se os últimos retoques para que tudo estivesse a postos para o grande desfile. Mais uma vez, os jovens povoenses foram as estrelas da festa, desfilando as várias colecções.
Potencializar a actividade económica de estabelecimentos comerciais da Póvoa de Lanhoso é o principal objectivo do ModaLanhoso, organizado pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, em parceria com a ATPL – Associação de Turismo da Póvoa de Lanhoso. “Vamos poder assistir a uma montra através da qual várias dezenas de lojas poderão divulgar a sua oferta em termos de produtos. Lojas de vestuário, bijutaria, calçado, ópticas, ourivesarias e livrarias, bem como cabeleireiros e centros de estética, estão entre os estabelecimentos aderentes a mais uma edição da ModaLanhoso 2011, que é já uma referência no cartaz das actividades de relevância do concelho”, anunciava a Câmara Municipal. A edição deste ano contou com a participação especial da jovem modelo povoense Joana Cruz, vencedora feminina do concurso “A procura de um sonho – Face Model Of The Year 2010”.
“Pretende-se ainda dar oportunidade a três criadores de moda locais para apresentarem publicamente o seu talento e dar palco aos participantes do festival de Talentos, realizado em Junho deste ano no Theatro Club”, referia a autarquia, em nota de imprensa.
De acordo com a Câmara Municipal, o ModaLanhoso junta-se a causas sociais e este ano vão ser sorteados prémios, resultado da venda de rifas durante o espectáculo. As receitas revertem para a compra de uma cadeira de rodas para uma menina que sofre de paralisia cerebral profunda.

HabitaLanhoso

Candidaturas até final de Agosto

Destinado a apoiar a recuperação e beneficiação de habitações de indivíduos ou agregados familiares economicamente desfavorecidos, o programa HabitaLanhoso, instituído pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, alargou o prazo de entrega das candidaturas até ao final do mês de Agosto.
Para beneficiar de tal apoio é necessário que os indivíduos ou agregados familiares preencham os requisitos que constam no regulamento daquele programa de apoio, que mostrem condições habitacionais precárias, isto é, que tenham comprometidas as condições mínimas de habitabilidade ou esteja dificultada a mobilidade (barreiras arquitectónicas), salubridade e/ou segurança no domicílio devido a doenças crónicas debilitantes e/ou deficiência, conforme destaca a autarquia, em nota de imprensa.
Os interessados em candidatar-se ao HabitaLanhoso devem dirigir-se ao Gabinete de Apoio ao Munícipe, no edifício dos Paços do Concelho, para organização dos processos.
As candidaturas deverão ser depois entregues na Divisão Administrativa da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, no mesmo edifício.

Sport Clube Maria da Fonte


Benfica Castelo Branco no caminho da Taça de Portugal

Realizado no dia 4 de Agosto, o sorteio da 1.ª eliminatória da Taça de Portugal ditou como adversário do Maria da Fonte a formação do Benfica Castelo Branco. Os jogos da primeira eliminatória realizam-se no dia 28 de Agosto. O Maria, que disputa a primeira eliminatória da taça no seu reduto, recebe uma equipa que terminou a época passada na terceira posição, da fase de manutenção, da série D, da III Divisão Nacional. Vinte clubes, que ficaram isentos nesta eliminatória, transitam para a ronda seguinte. São eles o Sesimbra, Mafra, Oliveira Frades, Pêro Pinheiro, Merelinense, Académico Viseu, Pinhalnovense, Gondomar, Coimbrões, São João Ver, Fafe, Monsanto, 1º Dezembro, Marinhas, Esperança Lago, Oeiras, Sampedrense, Joane, Tirsense e Angrense.

Clube ainda na expectativa de ser ‘repescado’

Emilianos quer subir de divisão

Marinho, ex-técnico da formação do Porto d’Ave, é o novo treinador do Emilianos FC para a próxima temporada, sucedendo no cargo a José Maria, que falhou o objectivo da subida no ano passado, terminando na quarta posição da série C da II Divisão da AF Braga.
E Marinho já sabe qual o objectivo para que foi contratado: “o mesmo do ano passado, subir de divisão!”, afirmou taxativamente o presidente do Emilianos FC, Jorge Lopes, dando conta que já tem o novo grupo de trabalho praticamente definido para a temporada 2011/2012, com 23 jogadores assegurados, estando apenas em aberto um lugar de adjunto para reforçar a equipa técnica.
O médio Machado, ex-Porto d’Ave, e o avançado Hugo, ex-júnior do Maria da Fonte, são os único reforços do novo plantel, cuja base e estrutura principal transitou quase por completo da época transacta, com 19 renovações garantidas.
Destaque ainda para o regresso de duas caras conhecidas do balneário, o extremo esquerdo Renato e o avançado Flávio, que na época passada saíram por motivos profissionais (emigraram), mas já estão de volta à terra e ao clube, e para ajudar o Emilianos a atacar, mais uma vez, em força a subida de divisão.
Com tudo a postos para o início dos trabalhos, em Santo Emilião há, no entanto, ainda a expectativa do clube povoense ser repescado para a I Divisão distrital, face às muitas desistências e indefinições que têm havido em vários emblemas, e que já beneficiaram alguns, como casos dos Parada de Tibães (para o lugar do Lagense) e Sp. Cabreiros (para o do Polvoreira)...

EDITORIAL

Armindo Veloso



Mercado, esse traficante

O chamado ‘Mercado’ tem nas últimas décadas funcionado como autêntico traficante de droga.
A frase parece dura. Mas será?
Vejamos: o grande traficante de droga distribui no mercado centenas ou até milhares de pequenos traficantes que, por sua vez, vão distribuindo doses, muitas das vezes de graça, em locais estratégicos como escolas, bares, discotecas, salas de jogo, concertos e outros espectáculos, universidades, etc., para que essa ‘semente’ dê os seus frutos no futuro. Uma vez dependentes, essa gente pagará o que for necessário para obter a dose “sagrada”. Aí, os grandes senhores da droga enchem-se de milhões à custa da desgraça de milhares e milhares de incautos.
E o tal mercado? Esse, funcionou a papel químico. Distribuiu pelo mundo ocidental dinheiro barato ao ponto de fornecer créditos aprovados pelo telemóvel que muita gente julgava, ou fazia que julgava, que aquilo não era para pagar.
Criaram uma autêntica ‘bebedeira’ colectiva no povo que chegava a gastar, via banco, claro, o subsídio de Natal do ano seguinte ou até o hipotético reembolso de IRS. Dessa forma criaram-se hábitos de consumo sem paralelo na história.
Toda a gente resolveu gastar à fartura.
O problema é que o tal traficante, o Mercado personificado nos grandes bancos do mundo, agora que tem o povo dependente da droga, consumo desenfreado, cortou. Agora há que pagar!
E conseguir?... Quando não houver cheta para consumir já não chegará arrumar carros... Como se vê já não chega. E dentro de pouco tempo será muito mais complicado. Dantes, a maior parte dos roubos eram para necessidades primárias como comer. Agora, com a “droga” no corpo, já se rouba e roubar-se-á cada vez mais para as dependências que os senhores nos impingiram.

Até um dia destes.
CASTELO

Férias
O mês de Agosto está próximo e a sua chegada anuncia a vinda de muitos povoenses que permanecem, quase todo o ano, além-fronteiras. A chegada dos emigrantes, que se deslocam ao nosso concelho para rever familiares ou amigos, traz uma nova vida às Terras da Maria da Fonte. A circulação de pessoas e veículos aumenta e a vila e as freguesias do concelho ganham novo ânimo.
Num clima de desânimo, são bem-vindos os nossos emigrantes, contribuindo para o crescimento dos negócios no comércio local e para transformar o mês de Agosto num mês cheio de vida. Cá os esperamos!