Passeio concelhio decorreu a 16 de setembro
Dois mil povoenses foram a Fátima

III Divisão Nacional
Maria da Fonte ainda não pontuou

Póvoa de Lanhoso
Dia do Concelho

Geraz do Minho
ISAVE abriu aos novos alunos

'Vencer o tempo nas 7 cidades'
Os mais velhos como prioridade
CASTELO

Passeio a Fátima

Os passeios concelhios, proporcionados pela Câmara Municipal e pelas Juntas de Freguesia, são um dos momentos privilegiados para o reencontro de amigos. O passeio a Fátima, no dia 16, não foi excepção e a ocasião foi aproveitada por muitos para reverem amigos de outras freguesias. O convívio e a alegria proporcionados por este tipo de eventos levam os autarcas a manterem a aposta. Cerca de dois mil povoenses participaram no passeio sénior concelhio.

Editorial

Armindo Veloso



Querida RTP

Nos meios de comunicação social regional, cuja grande maioria anda há anos com um “ai Jesus” financeiro e mesmo nos grandes grupos nacionais, privados, que à proporção não andam muito melhor, ainda perdoo que, não ultrapassando os limites da decência, se protejam nos critérios editoriais para não noticiar, ou noticiar mais meiguinhos, factos que digam respeito a empresas, ou grupos económicos, que sejam investidores significativos em publicidade nesses mesmos meios de comunicação social.
Sabendo como sabemos que os meios de comunicação social dependem em grande medida dos investimentos publicitários essa atitude é entendível.
Há dias atrás, num dos noticiários mais importantes da RTP, o das treze horas, o pivot apresentou uma peça assim: “um dos maiores grupos nacionais de distribuição fechou em Coimbra uma das suas lojas mandando para o desemprego 37 pessoas”. A partir da apresentação da peça foram em directo para Coimbra onde um repórter, à porta da tal loja, entrevistava os funcionários agrupados a reclamarem da situação. Todas as filmagens feitas durante os cerca de dois minutos da peça fugiam, como o diabo da cruz, das dezenas de logotipos inseridos nos cartazes das montras e a filmagem global era sempre baixa para não apanhar o grande anúncio da fachada.
Não consegui, nem eu nem as muitas dezenas de milhar de espectadores, vislumbrar quem era o tal grupo.
Por minha dedução, falível, seria o grupo Jerónimo Martins ou o grupo Sonae que são claramente os maiores deste país. Pois é. O problema é que estes grupos devem ser dos maiores investidores em publicidade na RTP. Daí as instruções... É a vida, como diria o Eng. Guterres.
Meus amigos, perdoo a quase todos os meios de comunicação social portugueses aquele comportamento dada a crise que vivemos.
A RTP recebe todos os anos trezentos milhões de euros dos contribuintes e mesmo assim tem uma dívida de quinhentos milhões de euros.
Não te perdoo RTP.

Até um dia destes.
CASTELO DE AREIA
Furtos

Não há dia em que os noticiários dos canais televisivos e os jornais não falem de assaltos. No nosso concelho, apesar dos números não serem preocupantes, os pequenos furtos são frequentes. Nos últimos dias, várias habitações ficaram sem luz, em Friande, devido ao roubo de cobre dos PT’s. A isto, junta-se o furto de animais, em Águas Santas, o furto em veículos e o roubo por esticão, na vila.

Póvoa de Lanhoso


Dia do Concelho

No próximo domingo, dia 25 de Setembro, a Póvoa de Lanhoso festeja o “Dia do Concelho”. Foi a 25 de Setembro de 1292 que o Rei D. Dinis outorgou a carta de Foral das Terras de Lanhoso, documento que instituiu o concelho da Póvoa de Lanhoso.
Tal como no ano passado, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso preparou um programa festivo para assinalar a passagem de uma data histórica para as Terras de Lanhoso.
O programa, que se estende ao longo de dois dias, dias 24 e 25, visa assinalar a passagem dos 719 anos da criação do concelho da Póvoa de Lanhoso.
No sábado, dia 24 de Setembro, pelas 21h30, tem lugar o concerto gala, com o lançamento da revista “Entre Notas” da Banda Musical dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, no Forúm dos Bombeiros. Para domingo, dia 25, Dia do Concelho, o programa festivo prevê, às 10h30, a visita às obras do Centro Educativo D. Elvira Câmara Lopes, em S. Martinho do Campo, seguindo-se, pelas 11h30, a visita à Incubadora de Empresas, na freguesia de Ferreiros.
À tarde, a partir das 15 horas, o programa prossegue no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com a sessão evocativa do Dia do Concelho.

Zé Amaro na Póvoa
O programa comemorativo encerra com o concerto do artista Zé Amaro, pelas 16 horas, na Praça Engenheiro Armando Rodrigues, no centro da vila.

Produção biológica


Póvoa de Lanhoso apoia Colóquios

A cidade de Braga acolhe, por estes dias, o 3.º Colóquio Nacional de Horticultura Biológica e 1.º Colóquio Nacional de Produção Animal Biológica, num momento que conta com o apoio institucional da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, assim como de outras entidades.
“Estes colóquios que se realizam em Braga, no Auditório Vita, resultam de uma organização conjunta entre a Associação Portuguesa de Horticultura e a Associação Portuguesa de Engenharia Zootécnica, contando com o apoio institucional da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e de outras entidades”, anuncia a autarquia povoense. Iniciados na quinta-feira, dia 22 de Setembro, os colóquios prolongam-se até sábado, dia 24 de Setembro. “Esta será uma oportunidade ímpar para falar da importância da agricultura biológica. Está na hora de olharmos para a agricultura, sobretudo para a que tem práticas amigas do ambiente, como motor para o desenvolvimento dos territórios e como uma alavanca importantíssima para combater a desertificação dos territórios”, referiu a Vereadora da Câmara Municipal povoense.
“Em territórios como o nosso, de baixa densidade, urge ter estratégias de desenvolvimento assentes na preservação do ambiente, da qualidade de vida, filosofia que este modo de produção agrícola defende e que deve ser também uma filosofia defendida nas estratégias políticas. Por isso, é com muita satisfação que a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso se associa a esta iniciativa”, salientou ainda, de entre outros aspectos, Fátima Moreira. Especialistas nacionais e estrangeiros partilham, por estes dias, experiências e conhecimentos.

Aos novos alunos...


ISAVE abriu portas

A manhã de segunda-feira, dia 19 de Setembro, ficou marcada pela cerimónia de boas-vindas aos novos alunos do ISAVE – Instituto de Saúde do Alto Ave, localizado em Geraz do Minho. Jónatas Pego, presidente daquela unidade de ensino, recebeu os novos alunos que integram, a partir deste momento, a família ISAVE. O momento contou, ainda, com a presença de elementos do Conselho Pedagógico, Conselho Técnico-científico e do corpo docente.
“O ISAVE são pessoas, o ISAVE é uma família. Vocês, a partir de hoje, fazem parte dessa família”, destacou Jónatas Pego, dirigindo-se aos novos alunos. O presidente do ISAVE apontou que aquela “família” é uma família digna, trabalhadora, honesta a autoconfiante.
“O ISAVE tem muito valor. Vocês têm muito valor. Que-remos que vocês sintam esse valor”, elucidou o presidente do ISAVE.
Na conversa com os jovens alunos, Jónatas Pego aconselhou os novos elementos da família ISAVE a “manter os olhos no alvo, na razão pela qual decidiram estudar saúde. O alvo de ajudar alguém, de contribuir para a saúde de alguém”.
“O nosso papel não é subir por vocês, não é puxar-vos, não é empurrar-vos, é acompanhar-vos na vossa subida. Queremos que, quando chegarem lá acima sintam: fui eu que fiz. Que sintam que o rito é vosso. Essa autoconfiança é essencial para poderem ser bons profissionais”, destacou ainda o presidente do ISAVE. Depois da recepção, os novos alunos partiram à descoberta do ISAVE, acompanhados pelos respectivos directores de curso. Para o início de Outubro, está agendado o início formal do ano lectivo.

Número de alunos preocupa instituições privadas

“O número de alunos que ingressou é superior àquele que tínhamos projectado para este ano, a nível de análise financeira. O número de alunos nas instituições privadas é uma preocupação em todas as instituições de ensino privadas e deriva de uma política que é nacional, de aposta, dos anteriores governos em particular, na exclusividade do ensino superior público”, revelou Jónatas Pego, à margem da recepção aos novos alunos. A conjectura economia do país, que afecta as famílias e a política governamental para o ensino superior foram dois dos factores destacados pelo responsável do ISAVE. De acordo com o presidente da instituição, “esses dois factores influenciam mais do que outro qualquer factor interno e são incógnitas”. A unidade e estabilidade, consolidada ao longo dos últimos 6 meses, entre o corpo docente e não docente do ISAVE foi também vincada por Jónatas Pego.
“As dificuldades pelas quais o ISAVE passou tiveram essa mais-valia, serviram para aproximar as pessoas”, disse ainda aquele responsável.

Alunos do 1.º ciclo


Câmara ofereceu livros

Numa iniciativa que visa apoiar as famílias povoenses, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, tal como no ano passado, ofereceu os livros aos alunos do primeiro ciclo de ensino. O investimento feito pela autarquia povoense ronda os 30 mil euros.
De acordo com a nota de imprensa enviada pela autarquia, tal medida abrange cerca de 1100 crianças e “terá um impacto positivo no orçamento das famílias povoenses”.
“A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso implementa, pelo segundo ano consecutivo, esta medida que irá abranger cerca de 1100 crianças e que A entrega simbólica a alguns alunos decorreu durante a sessão de abertura do ano lectivo 2011/2012, que se realizou na noite de 14 de Setembro, no pavilhão de desporto do Centro Educativo António Lopes, estabelecimento que acolhe cerca de 250 crianças do primeiro ciclo de ensino, na Vila”, destaca a Câmara Municipal, em nota de imprensa.
A entrega simbólica foi realizada por Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. Na sua intervenção, o autarca realçou, de entre outros aspectos, o enorme investimento que a Autarquia está a realizar no capítulo da Educação, e que passa pela construção dos Centros Educativos, conforme estipula a Carta Educativa, e por apoios ao nível da Acção Social Escolar, de transportes e outros, como as Bolsas de Estudo (atribuídas anualmente a alunos do Ensino Secundário e ou Profissional e do Ensino Superior e ou Politécnico).
“Sabendo das dificuldades que as famílias têm e mesmo com as dificuldades que a Câmara também tem, este ano, vamos ainda oferecer estes manuais. Mas para além de tudo isto e para que os alunos tenham sucesso, é preciso ter condições. E a Câmara Municipal está empenhada em criar condições para as nossas crianças”, referiu o autarca, salientando, que, este ano, será também lançado o Centro Educativo de Taíde e que o Centro Educativo D. Elvira Câmara Lopes está em construção. “São estas as condições que estamos a criar. Entendemos que todos os jovens do Concelho têm os mesmos direitos e devem ter as mesmas condições. É essa a nossa preocupação. O sucesso dos nossos filhos depende de todos nós e estão reunidas as condições para que a Póvoa de Lanhoso seja uma referência ao nível da educação”, considerou.
Presentes na sessão de abertura do ano lectivo estiveram ainda a Vereadora da Educação, Gabriela Fonseca, a Presidente do Agrupamento de Escolas Prof. Gonçalo Sampaio, Luísa Rodrigues Sousa Dias, e o Coordenador do CE António Lopes, Manuel Luís Ferreira, assim como pais, mães e encarregados de educação e crianças do primeiro ciclo.
“Acho que esta é uma medida muito importante, pelo menos para mim, que sou mãe divorciada com três crianças”, referiu Aurora, a mãe da primeira menina a receber os manuais escolares das mãos do Presidente da Câmara. Maria da Conceição é avó, reformada, e encarregada de educação de dois alunos do quarto ano, irmão e irmã gémeos. “Já senti muito na carteira, mas tendo o apoio ao nível dos livros, já é muito bom, porque as despesas são a dobrar e assim já sobra alguma coisa mais para outras necessidades”, manifestou.

Livros devolvidos no final do ano

“Este ano, a acompanhar os manuais escolares, os pais, mães e encarregados de educação recebem uma declaração que devem devolver preenchida à escola, em que se comprometem pela devolução dos livros, em bom estado, no final do ano lectivo. O objectivo é de que possam, no próximo ano, ser utilizados por outra criança, com poupança de recursos financeiros da autarquia, que assim ficarão disponíveis para outras aplicações”, dá conta a Câmara Municipal.
As crianças com escalão A, para além dos manuais escolares, recebem ainda os cadernos de actividades.

Furto de cobre

Friande às escuras


Algumas habitações da freguesia de Friande ficaram às escuras durante várias horas, na passada semana, devido ao furto de cobre nos postes de transformação.
Por duas ocasiões, e em pontos diferentes da estrada principal da freguesia, os larápios surripiaram o cobre e deixaram os moradores às escuras. De acordo com um morador daquela freguesia, o último caso aconteceu na madrugada de sexta-feira, dia 16 de Setembro. Pelas 3 horas da madrugada, um dos moradores apercebeu-se da falta da corrente eléctrica. Alertada a entidade responsável, os técnicos procederam à reparação, tendo colocado um camião, com um gerador, por volta do meio-dia, para abastecer as casas afectadas pelo corte de energia. Neste último caso, quase toda a freguesia de Friande viu-se privada da luz eléctrica durante várias horas.
O primeiro caso de furto de cobre teve lugar de quarta para quinta-feira, de 14 para 15 de Setembro, mas o corte de energia apenas afectou algumas habitações. No espaço de três dias, a freguesia de Friande viu-se privada de energia eléctrica por duas ocasiões.

‘A Póvoa e a sua herança’


Povoenses elegeram

personalidades
e a figura histórica


Figuras Históricas e Personalidades Povoenses foi o tema deste ano do concurso “A Póvoa e a sua Herança”, promovido pela Associação “Em Diálogo”. A edição deste ano registou mais de 32 mil votos e visou escolher as figuras históricas e personalidades com relevância para o concelho da Póvoa de Lanhoso.
António Ferreira Lopes, D. Elvira Câmara Lopes, Gonçalo Sampaio e o Eng. Armando Rodrigues foram as personalidades eleitas pelos povoenses. Quanto à figura histórica, os povoenses ele-geram a Maria da Fonte.
Depois de vários adiamentos, a cerimónia final, com a apresentação das escolhas dos povoenses, decorreu na noite de sexta-feira, dia 16 de Setembro, no Auditório de Fontarcada.
A abertura do espectáculo ficou a cargo do Rancho Folclórico da Póvoa de Lanhoso que presenteou a plateia com quatro danças que integram o seu reportório. “Viva a Póvoa” foi o tema escolhido para encerrar a exibição do rancho povoense.
O nome do grande benemérito – António Ferreira Lopes foi o primeiro a ser anunciado. De um conjunto de nomes como Augusto Távora, D. Joaquim da Boa Morte, Azevedo Coutinho e o padre José António Dias, o benemérito António Lopes foi o escolhido. A este, seguiram-se os nomes de Gonçalo Sampaio, Eng. Armando Rodrigues, Elvira Câmara Lopes e Maria da Fonte, a grande heroína do concelho, que destronou nomes como D. Dinis, Godinho Fafes, Martim Moniz e D. Teresa.
As figuras eleitas pelos povoenses foram apresentadas pelos elementos da ACJP – Associação da Juventude Cultural Povoense que preparou uma pequena encenação para cada um dos vencedores.
A recriação de um baile da corte portuguesa, pelos professores da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso foi outros dos momentos de animação da cerimónia final do concurso “A Póvoa e a sua Herança”.
No final do espectáculo, Clarisse Matos Sá, presidente da “Em Diálogo”, agradeceu o empenho, a dedicação e o esforço de todos quantos integram o projecto a “Póvoa de Lanhoso e a sua Herança” que tem, como grandes parceiros, os agrupamentos de escolas do Ave, Gonçalo Sampaio e Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso.

Concurso Literário
“A simplicidade de um rei” foi o texto escrito por Diogo José Magalhães Araújo, da Escola EB 2,3 de Taíde que lhe permitiu arrecadar o primeiro prémio do concurso literário promovido no âmbito do projecto “A Póvoa e a sua Herança”.
A este, junta-se ainda uma menção honrosa para Bruno Filipe Silva, também ele aluno da EB 2,3 de Taíde, que apresentou o texto “António Lopes”.

Sobradelo da Goma: chegada do novo pároco

População em festa

Foi num clima de grande festa que o padre Albino Carneiro foi recebido, no dia 11 de Setembro, em Sobradelo da Goma. Naquele dia, teve lugar a cerimónia de tomada de posse do novo pároco.
Durante 54 anos, os destinos espirituais da freguesia foram comandados pelo padre Aquilino Pereira, falecido a 2 de Maio do corrente ano.
Cerca de 500 pessoas, da freguesia de Sobradelo da Goma e de Vieira do Minho, marcaram presença na cerimónia de boas-vindas ao novo pároco.
Pelas 15 horas, o sacerdote foi recebido pela Fanfarra dos Escuteiros de Arosa, seguindo-se a recepção na Junta de Freguesia de Sobradelo da Goma, que contou com a presença do presidente da Assembleia de Freguesia, Luís Monteiro, do presidente da Junta de Freguesia, Aristides Costa, assim como do Tesoureiro Arlindo Rodrigues, e da secretária Sílvia Fernandes.
A estes, juntaram-se ainda os restantes elementos que integram a Assembleia de Freguesia.
Das mãos do presidente da Junta de Freguesia de Sobradelo da Goma o padre Albino Carneiro recebeu a chave da freguesia, em filigrana.
As cerimónias prosseguiram com a realização da Eucaristia, à qual se seguiu um lanche para os presentes, confeccionado pelos habitantes de Sobradelo da Goma. Desta forma, a paróquia de Sobradelo da Goma escreve mais uma importante página na sua história. Depois da tristeza do falecimento do padre Aquilino, segue-se agora um momento de júbilo com a chegada do novo pároco.

Festas de Fontarcada


S. Francisco está à porta

O lugar de Simães, em Fontarcada, recebe, de 4 a 9 de Outubro, as festividades em honra de S. Francisco, realizadas na sua capela. Do programa elaborado consta, no dia 4 de Outubro (terça-feira), às 19h30, uma missa em honra de S. Francisco. Mais tarde, pelas 21h30, a música está em destaque com a actuação do artista Johnny Abreu, à qual se segue a “Noite da Juventude”, com a presença de Dj’s.
“Amigos da Borguinha” é o grupo musical responsável pela animação da noite de quarta-feira, dia 5 de Outubro. O início da actuação está marcado para as 21h30. Na noite do dia 6 (quinta-feira), as atenções estão voltadas para a actuação do grupo povoense “Cantares da Nossa Aldeia”.
No dia 7 (sexta-feira) o folclore marca presença nas festas, com a actuação do Rancho Folclórico Maria da Fonte, de Fontarcada, e do Ran-cho Folclórico Moleirinhas de Esposende.
Para sábado, dia 8, o programa contempla uma sessão de fogo, pelas 12 horas, seguindo-se, pelas 14 horas, a entrada no recinto do grupo “Bombos Pedralvelas”. À noite, a animação fica a cargo da orquestra “Réplica 7”, cuja actuação tem lugar pelas 21h30. No domingo, dia 9, principal dia dos festejos, os actos religiosos estão em destaque. Depois da entrada no recinto, pelas 9h30, da Fanfarra dos Escuteiros de Fontarcada, segue-se, às 10 horas, a missa solene com sermão a S. Francisco e, às 15h30, a majestosa procissão, com vários andores e figurados.
Findo aquele acto religioso, seguem-se os cantares ao desafio com Duarte, Irene e Sara Gaia. À noite, a partir das 21 horas, tem lugar a actuação do grupo “Amigos de Guimarães”, seguindo-se as actuações do artista Dino Freitas (22 horas), Andreia Martins (22h30) e Kikas Freitas (23 horas).
Uma sessão de fogo encerra as festividades deste ano.

Visita ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima


Dois mil povoenses reunidos

Distribuídos por 39 autocarros, cerca de dois mil povoenses participaram, na sexta-feira, dia 16 de Setembro, no passeio sénior concelhio ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima. Oriundos das 29 freguesias do concelho da Póvoa de Lanhoso, os seniores iniciaram a caminhada, pelas 8 horas, desde o campo da feira, na vila da Póvoa de Lanhoso, até ao Santuário de Fátima. Logo de manhã, a azáfama era grande. De caixotes nas mãos, os presidentes de Junta, ou os seus representantes, levavam os lanches para cada um dos autocarros. A paragem na vila foi aproveitada por muitos dos presentes para uma animada conversa e o reencontro com amigos de outras freguesias. Com tudo pronto, foi a vez de se iniciar viagem até Fátima, num percurso que ficou ainda marcado por uma paragem numa estação de serviço. O relógio marcava 11h30 quando se deu a chegada ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima. Antes da Eucaristia, marcada para as 12h15, os participantes no passeio sénior tiveram ainda a oportunidade de visitar a Capela das Aparições e cumprir as suas promessas. Neste passeio, a fé e o convívio andaram de mãos dadas e o Santuário de Fátima assume-se como um lugar especial para os povoenses.
Neste ano, o passeio a Fátima contou com a presença de seis párocos do concelho – Padre Armindo Gonçalves, padre Luís Fernandes, padre António Couto, padre Fernando Eurico, padre Elias Amaral e padre Albino Carneiro, o novo pároco de Sobradelo da Goma, que conjuntamente celebraram a Eucaristia na Igreja da Santíssima Trindade.
No decurso da homilia, e de entre outras considerações, o padre Armindo Gonçalves, que presidiu à Eucaristia, considerou que “Fátima é o altar do mundo”. “Fátima é sempre um apelo a todas as mulheres e homens de boa vontade. É um lugar onde Deus nos procura e onde procuramos Deus”, disse ainda o sacerdote.
Depois dos actos religiosos, foi a vez do almoço. Aqui, a tradição manteve-se e foram muitos os povoenses que trouxeram o tradicional farnel, onde não faltaram apetitosas iguarias regadas com o bom vinho verde. O bom tempo e a boa disposição marcaram presença. Os ingredientes para um dia bem passado estavam reunidos e os povoenses não deixaram o crédito por mãos alheias.
Ao som da concertina, do bombo e ferrinhos, trazidos por moradores de Ajude, houve ainda tempo para um pezinho de dança bem animado.
Pelas 16 horas, foi a vez dos 39 autocarros iniciarem a viagem até ao concelho da P. Lanhoso. Como sempre, o passeio a Fátima é do agrado de todos os participantes, num momento que alia a fé a momentos de alegre convívio.

Manuel José Baptista era um homem feliz


Presidente revela que passeio vai continuar

Depois do almoço, Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, foi convervando com alguns dos povoenses presentes no passeio ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima.
Acompanhado da vereadora da Acção Social, Fátima Moreira, o presidente da autarquia apontou que realizaram alguns cortes mas mantiveram o passeio a Fátima.
“Houve diálogo com os senhores presidentes de Junta e, como deve calcular, o nosso concelho é um concelho religioso e os idosos gostam muito de vir a Fátima. Conversando com os senhores presidentes e até com algumas pessoas, eles optaram, em vez de não terem nada, pelo passeio a Fátima. Mantivemos este passeio a Fátima pois é, também, uma forma de convivermos. Fátima é uma referência e as pessoas sentem-se felizes”, destacou Manuel Baptista.
“Como o padre Armindo disse, Fátima é o altar do mundo e a Póvoa de Lanhoso associa-se a esse altar do mundo, trazendo as populações e os autarcas. Este é um passeio articulado entre a Câmara e as Juntas de Freguesia. É uma forma de convívio, é o convívio anual do concelho e é já uma referência da Póvoa de Lanhoso”, adiantou ainda o presidente da Câmara, assegurando que o passeio a Fátima terá continuidade nos próximos anos, dada a sua importância.
“Está a correr muito bem. Fico contente porque está a correr bem. Toda a gente está satisfeita. As pessoas mantêm a tradição e trazem os merendeiros”, disse ainda Manuel Baptista.

‘Vencer o Tempo nas 7 Cidades’


Os seniores como prioridade

A criação de espaços de lazer, com a colocação de bancos e mesas, a construção de passeios ao longo das estradas, a criação de sanitários públicos nas freguesias, a melhoria dos serviços de saúde, no tocante ao atendimento prestado, a falta de segurança e a melhoria da rede de transportes foram alguns dos aspectos mais focados pelos 63 seniores que integram o projecto “Vencer o Tempo nas 7 Cidades”, do qual faz parte o município da Póvoa de Lanhoso. A falta de atenção dos mais novos foi também apontada pelos inquiridos.
No decurso do “focus group”, os idosos deram a conhecer as suas opiniões, as suas necessidades e anseios. Espaços exteriores e interiores, transportes, habitação, participação social, respeito e inclusão social, participação cívica e emprego, comunicação e informação e apoio comunitário e serviços de saúde foram as áreas abordadas ao longo do inquérito dirigido aos mais velhos. Identificar as rotinas dos mais velhos, as dificuldades que têm na concretização dessas mesmas rotinas e criar condições para superar os problemas identificados foram alguns dos objectivos, partilha dirigida aos utentes do Centro Social e Paroquial de Taíde, Centro de Convívio de Vilela, Centro de Convívio de S. João de Rei e Universidade Sénior.
A apresentação dos resultados do “focus group”, no âmbito do projecto “Vencer o Tempo nas 7 Cidades” de-correu na tarde do dia 14 de Setembro, no Theatro Club. Naquele momento, Ivone Dias Ferreira, presidente da associação “Vencer o Tempo nas 7 Cidades” destacou que “só ouvindo os mais velhos é que podemos perceber o que querem e como podem ser mais felizes na terra onde vivem”.
De entre as várias considerações, os mais velhos consideram, de forma geral, a sua área de residência como bonita e manifestam vontade de lá continuarem a viver. A grande maio-ria dos inquirido possui casa própria e, de forma geral, com as condições básicas suficientes.
“A segurança é um dos pontos mais acentuados em todos os discursos e de uma forma geral apontam na mesma direcção: a falta de segurança que, nos dias de hoje, todos sentem nas mais diversas áreas”, revelou Ivone Ferreira.
“De uma forma geral, sentem que os mais novos não lhes dão atenção, os olham com algum desinteresse e muitas vezes os tratam de uma forma desinteressada e, até, humilhante porque não lhes reconhecem já capacidades de afirmação”, revelou Ivone Ferreira.
Ser considerada, pela Organização Mundial de Saúde, como uma vila amiga dos idosos é um dos objectivos do município da Póvoa de Lanhoso que, depois de analisar as preocupações e recomendações deixadas pelos mais velhos, se prepara para colocar no terreno algumas acções que visam ir de encontro às aspirações dos idosos. Algumas das necessidades apontadas pelos mais velhos já tinham sido identificadas pela autarquia. A intervenção nos centros cívicos de algumas freguesias do concelho é uma das apostas da Câmara Municipal que vai de encontro aos anseios do público sénior. No tocante aos aspectos ligados à saúde e segurança, o município pretende fazer chegar às autoridades competentes os resultados do “focus group”. A realização de campanhas de sensibilização nas escolas e de prevenção rodoviária são algumas das medidas a implementar.

Jovens e idosos na escola
A abertura do ano escolar na Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso teve, este ano, um “sabor” diferente. Depois da ida dos mais jovens aos centros de convívio, foi a vez dos mais velhos visitarem a escola frequentada por alguns dos jovens que os acompanham no projecto “Vencer o Tempo nas 7 Cidades”. Na manhã de quarta-feira, dia 14 de Setembro, os mais velhos “invadiram” a Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso. Ali, os mais novos receberam de braços abertos os cerca de 70 seniores do concelho. “O sénior vai à escola” foi a iniciativa que permitiu reunir jovens e idosos, dando a oportunidade, a estes últimos, de conheceram o ambiente escolar dos tempos actuais. Depois da recepção, pelos alunos e professores, os mais velhos foram presenteados com o lanche, recheado de mimos e carinho. Saciado o apetite, os mais velhos deitaram mãos à obra e confeccionaram broa, dando a conhecer, aos mais jovens, uma das tarefas que marcava a sua juventude. Na resposta, os jovens presentearam os seniores com as danças tradicionais. Enquanto alguns dos presentes se entretinham com os jogos, Maria Amélia Fernandes, de 66 anos, utente do Centro Social e Paroquial de Taíde, construía trança com tecido e rafia.
Tinha 11 anos quando aprendeu a fazer tranças com rafia, que por sua vez eram usadas para confeccionar chapéus. “Fazia tranças com 9 metros. Aprendia na infância, com apenas 11 anos. Depois fui servir e mais tarde fui para França”, revela Amélia Fernandes, mostrando-se satisfeita com o convívio com os mais jovens. “Estou a gostar muito. Dá-me muito prazer estar aqui”, revelou , satisfeita, aquela utente do Centro Social de Taíde.
Com a “mão na massa”, Alzira Cruz, de 65 anos, do Centro de Convívio de Esperança, mostrava aos mais novos como se confeccionava a broa caseira. “Estou a gostar. É bonito”, revelou, mostrando-se satisfeita com a ideia dos jovens acompanharam os mais velhos, quer conversando, quer visitando-os para se inteirarem da sua situação e das suas necessidades.
Residente em Rendufinho, Rebeca Jager, de 16 anos, é uma das jovens que integra o projecto “Vencer o Tempo nas 7 Cidades”. A seu cargo tem, como carinhosamente chama, duas madrinhas: Fernanda e Lurdes, da Universidade Sénior.
“Está a correr bastante bem. Além das pessoas serem simpáticas, são bastante acolhedoras e tratam-nos muito bem”, revelou a jovem Rebeca.
Com 17 anos e residente em Santo Emilião, Cátia Sousa acompanha, no projecto, um casal de Esperança: Alberto e Graça. O contacto é mantido, na maior parte das vezes, por telemóvel. A par disso, as actividades organizadas pela autarquia possibilitam o encontro com o casal.
“Acho óptimo porque é uma maneira de acabar com a solidão. Mesmo cá na Póvoa, que parece um sitio muito urbanizado, há muita solidão. Costumo visitar o lar e para alguns daqueles idosos eu sou a única visita. Não acho que isso seja bom. Os idosos, não é por serem velhos ou por não fazerem aquilo que fazemos, que não são pessoas importantes. São eles que nos ensinam tudo aquilo que sabemos e se estamos aqui é por causa deles. Se não fossem eles, nenhum de nós existia e acho que não merecem passar pelo que passam”, revelou a jovem Cátia Sousa.

Balanço positivo
O projecto “Vencer o Tempo nas 7 Cidades” tenta melhorar as condições dos seniores. Queremos ser uma vila cada vez mais amiga dos idosos e por isso abraçamos este projecto, em que estão envolvidos sete cidades e vilas de Portugal, que têm este desafio de serem consideradas, pela Organização Mundial de Saúde, como cidades amigas dos idosos”, destacou Fátima Moreira, vereadora do Pelouro da Saúde e Acção Social da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
“A Póvoa de Lanhoso, com esta actividade, vai retomar laços criados no ano lectivo anterior dos jovens com os idosos. Os laços reatam-se aqui neste momento, com a abertura do ano lectivo. Hoje, esta escola fica com o ano lectivo marcado de uma forma diferente, em que os idosos tiveram a oportunidade de conhecer o contexto escolar dos seus jovens”, vincou Fátima Moreira.

Povoenses ocupam o último lugar


Maria da Fonte ainda sem vencer

Depois da derrota em casa, na jornada inaugural do campeonato, frente à formação do Santa Maria, o Sport Cube Maria da Fonte voltou a derrapar, saindo derrotado, no passado domingo, por 3-0, no confronto com o Vianense. Após dois jogos, a equipa comandada por Artur Correia ainda não somou qualquer ponto.
No embate frente aos vianenses, a primeira jogada digna de registo pertenceu à equipa do Maria da Fonte, logo aos 3 minutos, com a falhar o pontapé de bicicleta e o esférico a sair pela linha de cabeceira.
E quando nada o fazia prever, a formação do Vianense adiantou-se no marcado, aos 15 minutos, por Gomes, que aproveitou a passividade defensiva do Maria da Fonte e rematou para o fundo das redes da baliza à guarda de Salgueiro.
A resposta do Maria da Fonte apareceu aos 31 minutos, com o remate de Ruizinho a sair ao lado da baliza do Vianense. Minutos depois, aos 35 minutos, o Maria da Fonte teve uma grande oportunidade de igualar o encontro. Ruizinho cruzou para e este não conseguiu fazer o golo, num momento em que apenas tinha pela frente o guarda-redes adversário.
Aos 40 minutos, cai na área mas o árbitro do encontro considera que houve simulação por parte do atleta do Maria da Fonte e mostra a cartolina amarela ao jogador marifontista. Pedia-se falta de Paulo Cunha sobre mas o árbitro do encontro, que estava próximo do lance, considerou que tal falta não existiu.
Ao cair do pano da primeira parte, o Vianense consegue o segundo golo, por intermédio de Nandinho. O resultado ao intervalo, 2-0, assumia-se como algo pesado, perante a postura dos homens da Póvoa de Lanhoso.
Aos 55 minutos, o Maria da Fonte ficou privado de um dos mais influentes atletas no encontro. lesionou-se e foi substituído por Rui Abreu.
O Maria da Fonte rentou responder ao golos sofridos mas as investidas dos seus homens mais avançados não tiveram sucesso.
A formação da casa conseguiu ainda o terceiro golo, aos 86 minutos, por Branco, que de pontapé livre directo conseguiu o terceiro tento para a formação do Vianense.
Após dois jogos, o Maria da Fonte ocupa o último lugar da tabela classificativa (12.º lugar).
No próximo domingo, dia 25 de Setembro, o Maria da Fonte desloca-se ao terreno do Joane.

Pesca


Atletas do Maria em grande

A disputar a primeira divisão do campeonato regional, Manuel Magalhães, da secção de pesca do Maria da Fonte, alcançou o primeiro lugar e foi o campeão da primeira divisão regional, somando 11 pontos.
A primeira divisão, na qual participaram 50 atletas, contou com a presença de três elementos da secção de pesca marifontista. Para além de Manuel Magalhães, estiveram em prova Armando Macedo do Vale, que somou 24 pontos e subiu de divisão, e José Gomes do Vale, que, devido a alguns contratempos que não lhe permitiram participar em todas as provas, desceu à segunda regional. No campeonato regional de esperanças, o Maria da Fonte contou com mais um campeão, o atleta Luís Antunes, de 17 anos. Mais um grande resultado para a secção de pesca do Maria da Fonte.
No campeonato regional da segunda divisão, a secção de pesca do Maria da Fonte teve três atletas em competição. Eduardo Pereira, de Taíde, e Hermínio Martins conseguiram subir à primeira divisão regional, ficando em 8 e 10.º lugar, respectivamente. Já Filipe Queirós, de Taíde, manteve-se na segunda divisão regional.

Freguesia de Fontarcada venceu Torneio de Pesca
Realizado no dia 10 de Setembro, na Pista de Pesca de Santo Emilião, o Torneio Inter-freguesias organizado pela secção de pesca do Sport Clube Maria da Fonte, contou com a presença de algumas freguesias do concelho da Póvoa de Lanhoso, com o primeiro lugar a ficar entregue à freguesia de Fontarcada.
A freguesia vencedora teve em provas três atletas: António Fernandes, António Duarte e Ernesto Rodrigues, que demonstraram a sua arte e saíram vencedores do Torneio Inter-freguesias.
Instituições comemoraram 107 e 94 anos, respectivamente
Bombeiros Voluntários
e Misericórdia de parabéns


Na antiga escola
Esperança ‘vira’ Centro de convívio

2011/12
Novo ano lectivo
dentro da normalidade


Cortes nas transferências
Autarquia obrigada
a redefinir prioridades

Editorial

Armindo Veloso



Escondidinhos

Escrever um texto de quinze em quinze dias implica que se abordem muitas das vezes temas requentados. Há que tentar dar-lhes um cunho pessoal e abordá-los com a maior intemporalidade possível.
Já aqui abordei a inveja como sendo um dos sentimentos mais destrutivos do ser humano. Ao de leve também já aqui falei da covardia. Hoje quero ir mais fundo, nesta.
Nós, humanos, somos capazes de fazer as maiores barbaridades se tivermos a “mão escondida”. E se forem outros a fazer por nós, melhor. A história está cheia de atrocidades onde os “seres pensantes” lavaram as mãos como Pilatos.
Este sentimento, residente no ser humano, vê-se nos mais pequenos sinais. Não vou chamar a este texto a revolta que está por detrás de certas votações telefónicas, porque esta também existe e seria, será, tema excelente para outra crónica, chamo, isso sim, a covardia à tona.
Se perguntássemos ao vivo e em directo aos portugueses quem seria a figura que elegeriam como o maior português do século XX eles diriam, na sua maioria, Salazar? Não me parece. No entanto, o resultado da votação telefónica foi esse: Salazar.
Se perguntássemos ao vivo e em directo aos portugueses se elegiam “Os Homens da Luta” para representarem Portugal no Festival da Eurovisão da Canção duvido que a maioria dissesse que sim como veio a acontecer.
Ora, os portugueses que mostraram ao longo dos séculos serem capazes de ter atitudes de grande coragem precisam de uma “parede” para dizerem o que pensam.
Talvez seja por saberem o que a casa gasta que os nossos constitucionalistas, ao elaborarem a nossa lei fundamental, excluíram do espectro partidário partidos com pensamento racista ou xenófobo.
Se eles fossem legais quem sabe se no segredo da câmara de voto haveria grandes surpresas.
Tanta gente estaria em lugares de destaque se tivesse a ousadia de dizer de forma correcta e construtiva aquilo que pensa no lugar certo e no tempo certo. O maior exemplo contemporâneo disso é o de Obama, Presidente dos Estados Unidos, na falta do sena-dor requisitado como orador, passou-lhe o “cavalo branco” da vida e ele não o deixou fugir. Disse o que pensava.
Até um dia destes.
CASTELO

Passeio a Fátima

Os passeios concelhios, proporcionados pela Câmara Municipal e pelas Juntas de Freguesia, são um dos momentos privilegiados para o reencontro de amigos. O passeio a Fátima, no dia 16, não foi excepção e a ocasião foi aproveitada por muitos para reverem amigos de outras freguesias. O convívio e a alegria proporcionados por este tipo de eventos levam os autarcas a manterem a aposta. Cerca de dois mil povoenses participaram no passeio sénior concelhio.
CASTELO DE AREIA
Lixo

A natureza continua a ser desrespeitada pelas pessoas que insistem em usar as bermas das estradas para depositar lixo e entulho. A estrada que dá acesso ao Monte do Pilar, próximo do cruzamento de Arcas, é um dos locais procurados para despejar todo o tipo de lixo, criando um péssimo cenário a quem ali passa.

Abertura do novo ano lectivo


Dentro da normalidade

Está tudo a postos para a abertura do novo ano lectivo no concelho da Póvoa de Lanhoso. Com o transporte, alimentação, as actividades de enriquecimento curricular e livros assegurados, espera-se que tudo corra dentro da normalidade. No tocante ao primeiro ciclo e pré-escolar, o novo ano lectivo arranca com menos escolas. Neste ano, encerram as suas portas o jardim-de-infância de Frades assim como os estabelecimentos de ensino do 1.º ciclo de S. Gens de Calvos, Esperança e Arosa, que pertencendo esta ao concelho de Guimarães integra o Agrupamento de Escolas do Ave.
O transporte foi negociado com as Juntas de Freguesia de Travassos e Esperança e com o Centro Social de Calvos, excepto o dos alunos de Arosa que está a cargo, como é óbvio, da autarquia de Guimarães.
De acordo com Gabriela Fonseca, vereadora da educação e vice-presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, o Ministério da Educação, através da DREN (Direcção Regional de Educação do Norte) foi peremptório ao não permitir o funcionamento de escolas com menos de 21 alunos. A este processo escapou a escola do 1.º ciclo de Louredo, uma vez que a autarquia tem já em construção o Centro Educativo D. Elvira Câmara Lopes, que integrará os alunos das freguesias de Louredo, S. Martinho do Campo, Vilela e Santo Emilião.
“Já reunimos com os pais e os presidentes de Junta e está tudo tratado, quer o transporte, quer a alimentação das crianças. Os livros já estão também encomendados”, referiu a responsável pela educação concelhia, no tocante às freguesias que vêem encerrar os seus estabelecimentos escolares.
“Decidiram fechar as escolas mas não se comprometeram a pagar o transporte. O ano passado, com as escolas do baixo concelho a encerrar as suas portas, conseguimos que o poder central suportasse 60% do custo com o transporte mas essa verba ainda não foi remetida à autarquia ”, dá conta Gabriela Fonseca. O atraso estende-se, também, à alimentação e ao prolongamento do horário.
Cerca de cinquenta mil euros por mês é o valor despendido pela Câmara Muni-cipal para a alimentação dos alunos do pré-escolar, prolongamento de horário do pré-escolar e alimentação dos alunos do primeiro ciclo de ensino. A estes custos, junta-se, também, a verba gasta com o transporte dos alunos. Quanto ao número de alunos, o pré-escolar conta com 228 alunos, ficando o primeiro ciclo com 1060 alunos.

Centro D. Elvira Câmara Lopes abre portas no ano lectivo
Cerca de 2,5 milhões de euros é o valor a investir na construção do Centro Educativo D. Elvira Câmara Lopes, localizado na freguesia de S. Martinho do Campo. Com data prevista de abertura para o ano lectivo de 2012/2013, o equipamento integra, de entre outros espaços, oito salas para o primeiro ciclo e quatro salas de aulas para o jardim-de-infância. Um mini-pavi-lhão, com campo de jogos, completa aquela construção. A inauguração, ao que tudo indica, ocorre no dia 25 de Setembro de 2012, dia em que se assinala o “Dia do Municipio”.
Além deste, o baixo concelho prepara-se para, dentro em breve, receber as obras de construção do pavilhão gimnodesportivo. Neste momento, as propostas estão a ser analisadas e aquela estrutura irá surgir no terreno contíguo ao Centro Educativo do Cávado, em Monsul, e ficará disponível, após o período de aulas, para os habitantes e colectividades do baixo concelho.
“Vamos continuar a investir muito forte na educação. É uma das prioridades. Vamos aproveitar o QREN, que financia em boa parte estes investimentos. É claro que exige um esforço muito grande da Câmara até porque há algum equipamento que não é ilegível em termos de candidatura”, destaca a vereadora Gabriela Fonseca.
“Como executamos as candidaturas que tínhamos previsto em mais de 70%, vamos poder apresentar candidaturas à ‘Bolsa de Mérito’”, anuncia a responsável, dando conta que o Centro Educativo de Taíde será uma das candidaturas a apresentar à ‘Bolsa de Mérito’.

Oferta dos livros ao 1.º ciclo novas regras
“Efectivamente, o dinheiro é menos quer para as famílias quer para as autarquias. Desde o início do ano, temos vindo a assistir a uma redução dos benefícios sociais às famílias. Isso foi capa dos jornais, em que 595 mil famílias ficaram sem abono de família. Naturalmente, que estão aí incluídos povoenses”, revela Gabriela Fonseca.
“Este ano, constatamos que há menos crianças com escalão A e B, o que significa que houve, efectivamente, um número significativo de famílias que ficaram sem abono de família”, adianta a vereadora da educação, assegurando que a autarquia vai apoiar as famílias povoenses com a distribuição gratuita dos manuais escolares a todos os alunos do 1.º ciclo , do 1º ao 4º ano de escolarideade.
Exceptuando os livros de fichas, gratuitos para os alunos do escalão A, todos os outros livros são entregues, no final do ano, à Câmara Municipal para que, no ano seguinte, esses mesmos livros possam ser utilizados por outros alunos. Juntamente com os livros, cada encarregado de educação compromete-se a devolver os livros no final do ano lectivo. Tal opção, permite à autarquia a redução dos custos com os manuais escolares, mantendo o apoio aos alunos do concelho. Cerca de 30 mil euros é o valor gasto pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso com os livros dos quatro anos do 1.º ciclo.
“Vamos sensibilizar as pessoas para que mantenham os livros em bom estado para que outros alunos possam beneficiar dos mesmos livros”, frisou a vereadora da Educação.

Jovens apoiados pela autarquia
Para além do apoio no transporte, alimentação e livros aos alunos do concelho, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso despende de uma verba de 36 mil euros com a atribuição de bolsas de estudo. Podendo ser encarado como um apoio à família, o programa “Juventude em Movimento”, aberto todo o ano, com maior visibilidade no Verão, permite um primeiro contacto com o mundo do trabalho e com os jovens a adquirir novas competências.
Apesar de todos os constrangimentos financeiros a autarquia está atenta e preocupada com a situação das famílias povoenses e tudo faz para apoiar e estar perto das pessoas. Como se pode constatar, a Câmara Municipal nunca investiu tanto na educação como agora. A par destas medidas na educação e juventude existem outras medidas de apoio às famílias no âmbito da Acção Social.

Cortes nas transferências

Autarquia obrigada
a redefinir prioridades


A rede de água e saneamento, os centros educativos e os centros vicos nas freguesias, aos quais se junta a requalificação urbana da vila da Póvoa de Lanhoso são as grandes apostas da Câmara Municipal para os próximos tempos.
Com uma taxa de execução de 75% dos apoios contratualizados ao abrigo do QREN, a autarquia da Póvoa de Lanhoso prepara-se para apresentar novos projectos à “Bolsa de Mérito de Execução Municipal”.
A rede de saneamento e água será pois, e segundo Manuel Baptista, uma das grandes apostas da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso que irá ser submetida à Bolsa de Mérito. A estes, junta-se o Centro Educativo de Taíde
Com os cortes sofridos por parte das transferências vindas do poder central, Manuel Baptista salientou a necessidade de uma política de contenção e redefinição de prioridades.
Segundo Manuel Baptista, os cortes estendem-se, nestes quatro anos (2009 a 2013) a mais de dois milhões de euros. A estes cortes, juntam-se o atraso nas transferências dos fundos comunitários, que ascendem a um milhão de euros.
De acordo com o autarca, tais cortes obrigaram a dar prioridade a outro tipo de investimentos. Um dos casos é o projecto para a construção da biblioteca, arquivo e pavilhão municipal, o qual teve que ser recalendarizado quanto à sua prioridade. Segundo o autarca, estes projectos apenas seriam financiados na ordem dos 50%.
“Estes três projectos obrigariam a um esforço financeiro do município de 1,5 milhões de euros. Vamos ver para o próximo mandato. Neste momento, iremos só investir naquilo que efectivamente é necessário e investimentos que sejam financiados a 85%, porque a componente da Câmara é só de 15% e é essa a prioridade que iremos dar”.
Estes dados foram adiantados pelo presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, à margem do encontro dos utentes dos centros de convívio, realizado, em Esperança, no passado dia 3 de Setembro.
“Está, neste momento, a decorrer um concurso público para a requalificação urbana da vila”, anunciou o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. A intervenção estende-se, de acordo com Manuel Baptista, à Avenida 25 de Abril, Rua 1.º de Maio, Rua Sá Carneiro, Praça Engenheiro Armando Rodrigues e Avenida dos Bombeiros Voluntários. Cerca de 2,2 milhões de euros é o valor da intervenção a realizar, a qual deverá estar concluída em Março de 2012.
A intervenção nos centros cívicos das freguesias são outra das apostas da Câmara Municipal. Garfe, Travassos, Sobradelo da Goma, S. João de Rei, S. Martinho do Campo e Águas Santas são algumas das freguesias se preparam para receber obras de requalificação dos seus centros cívicos.
A captação de novas empresas para o concelho é uma das preocupações do executivo liderado por Manuel Baptista, que assumiu uma nova candidatura para 2013.
Depois da criação de uma incubadora de empresas, na freguesia de Ferreiros, e da vinda das duas empresas para o Parque Industrial de Mirão, uma serralharia e uma empresa ligada à área têxtil, que emprega cerca de cem pessoas, o executivo municipal está em negociações e a encetar esforços para a vinda de uma empresa para o Parque Industrial de Fontarcada.

Preço da água vai aumentar
Destacando que muitos povoenses não pagam a água nem o lixo, com a valor em débito deste último a ascender aos 120 mil euros, Manuel José Baptista anunciou aumentos no preço da água.
“Neste momento, estamos a fazer um regulamento para a taxa social. Temos que aumentar a água porque, neste momento, a água está a dar prejuízo ao município”, anunciou o autarca.
O aumento será, segundo o autarca, de forma ligeira e a realizar anualmente. Para os povoenses com baixos rendimentos está a ser criada uma taxa social.

Instituições comemoraram 107 e 94 anos


Bombeiros Voluntários
e
Misericórdia de parabéns

No dia 5 de Setembro, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso e a Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso/Hospital António Lopes celebraram o seu aniversário. Naquele dia, as duas nobres instituições comemoraram 107 e 94 anos, respectivamente.
Do programa festivo constou o hastear das bandeiras, com formatura geral na parada do Quartel Sede dos Bombeiros Voluntários e no Hospital António Lopes; a romagem ao cemitério, com homenagem aos Bombeiros, benfeitores e Irmãos falecidos; e a missa solenizada, presidida pelo Cónego José Paulo de Abreu, na Igreja de Nossa Senhora do Amparo, evocando a memória dos que passaram pelas instituições aniversariantes.
Findo a cerimónia religiosa, seguiu-se a deposição de flores, no Monumento do Largo António Lopes, e a sessão solene da Santa Casa da Misericórdia, no Salão Nobre do Hospital António Lopes, seguida de um almoço de confraternização.
A partir das 16 horas, as cerimónias prosseguiram na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, com a recepção às autoridades oficiais e convidados, a imposição de condecorações e promoções, a bênção de uma nova viatura, a homenagem aos saudosos comandantes na figura do comandante Luís Pinto da Silva, com deposição de flores no seu busto; a homenagem ao Bombeiro Voluntário junto ao monumento na Avenida da República; e a sessão solene, no Cine-Fórum, que contou com a intervenção de entidades oficiais e convidados.
À noite, as atenções estiveram voltadas para o concerto pela Banda de Música dos Bombeiros e o desfile das viaturas, num momento muito apreciado pelos povoenses.

Provedor da Santa Casa defendeu


Misericórdias na gestão
das unidades hospitalares


O estabelecimento de parcerias público-sociais, na área da saúde, foi defendida por Humberto Carneiro, Provedor da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, no decurso da sessão solene que integrou as comemorações do 94.º aniversário da instituição.
“As Misericórdias já comprovaram, ao longo destes tempos que, de facto, conseguem fazer mais com me-nos, mais e melhor. No contexto actual em que, de facto, o bem escasso é o dinheiro, ele tem que ser entregue a quem pode, efectivamente, fazer mais e melhor e fazer mais com menos”, referiu o Provedor da Santa Casa. A possibilidade das Misericórdias trabalharem em rede e se associarem para concorrer à gestão de unidades hospitalares foi defendida por Humberto Carneiro.
Aquele responsável salientou a necessidade da União das Misericórdias estabelecer, no terreno, as áreas as áreas de influência de cada Misericórdia, para que se potencie as suas sinergias e os resultados.
O agravamento das contas das Misericórdias devido à não dedução do IVA nas obras de construção ou remodelação foi uma das preocupações deixadas pelo Provedor da Misericórdia povoen-se, que considerou tal facto como “extremamente penalizador”.
A possibilidade da cobrança do IVA nos serviços prestados pelas instituições de solidariedade social, nomeadamente as Misericórdias, nas valências de Infância e Sénior, foi outras das preocupações trazidas a público por Humberto Carneiro, que apelou a que haja sensibilidade social e que tal situação não se concretize.
Para além das preocupações, Humberto Carneiro deixou também uma nota de esperança. “Tenho consciência que as Misericórdias saberão encarar os problemas, as dificuldades, com sentido positivo. Mais uma vez, com espírito de entreajuda, humildade, com espírito de sacrifício e de serviço à comunidade, saberemos cumprir a nossa missão misericordiana.
Para além do Provedor da Santa Casa da Misericórdia, usaram ainda da palavra o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, assim como Alberto Reis, em representação da União das Misericórdias.
O momento contou, ainda, com a distinção a colaboradores e o lançamento da 33.ª publicação do “Santa Causa”.

Taíde


“A verdadeira dívida é o amor”

A missa em honra de Nossa Senhora do Porto d’Ave e a majestosa procissão, no domingo, dia 4 de Setembro, foram dois dos pontos altos da Romaria de Nossa Senhora do Porto d’Ave, realizada na freguesia de Taíde. Num momento de grande fé, muitos devotos de Nossa Senhora do Porto d’Ave deslocaram-se ao santuário mariano para cumprir as suas promessas e assistir aos momentos religiosos que integraram aquela romaria. Iniciada a 27 de Agosto, a romaria de Nossa Senhora do Porto d’Ave teve o seu culminar no domingo, dia 4. Durante os vários dias, a fé e a devoção a Nossa Senhora trouxe a Porto d’Ave milhares de devotos, vindos de vários pontos da região.
No domingo, e logo pela manhã, os fiéis cumpriam as suas promessas em volta do santuário, alguns deles de joelhos e transportando objectos em cera. Ao recinto, foram chegando alguns romeiros que realizaram a viagem a pé desde outras freguesias do concelho e de outros concelhos vizinhos.
Cumpridas as promessas, os fiéis marcaram presença na missa em Honra de Nossa Senhora do Porto d’Ave, presidida pelo bispo-auxiliar de Braga, D. António Couto.
Pegando na liturgia da palavra, o bispo-auxiliar de Braga alertou para a responsabilidade de cada um de nós perante os Irmãos que nos rodeiam. Das suas palavras, sobressaiu a necessidade de manter os corações abertos para ajudar, orientar e auxiliar os outros.
“Somos mais ou menos assim, capazes de humilhar, capazes de desprezar, capazes de abandonar os nossos irmãos, talvez, quando eles mais precisam de nós”, referiu D. António Couto.
“Nunca abandoneis ninguém, nunca rejeiteis ninguém, nunca ponhais ninguém de lado, nunca humilheis ninguém”, alertou o bispo-auxiliar de Braga.
“Irmãos, tendes uma grande dívida uns para com os outros”, revelou D. António Couto, pegando nas palavras de S. Paulo.
“De dívida nós percebemos todos nos tempos em que estamos. Mas, não é de euros, nem de dólares, nem de ouro. Somos todos devedores de amor uns para com os outros. A nossa dívida, a nossa dívida mais funda e a nossa dívida verdadeira é o amor. Estamos sempre a dever o amor uns aos outros. Felizmente, nunca conseguiremos saldar esta dívida. Poderemos saldar a dívida de euros ou de dólares mas, felizmente, nunca saldaremos a dívida do amor que devemos ao nosso irmão”, destacou D. António Couto. “É bom que sintamos isso: que eu te devo o amor e que tu me deves o amor e que nós somos devedores do amor uns para com os outros. Quando tivermos esta sensibilidade, esta maneira de abrir o coração e de ver de maneira diferente nós saberemos entender também o mundo de forma diferente”, disse ainda D. António Couto que, no decurso da homilia, incentivou os cristãos a serem verdadeiros sentinelas para ajudar as pessoas, dando as melhores orientações para a sua vida e os seus corações.