Secretário de estado do desporto e juventude
visitou a Póvoa de Lanhoso

Antiga escola de Esperança
transforma-se em albergue


Menos dinheiro para cada estudante
mas mais jovens contemplados

Câmara entrega bolsas de estudo
a 53 alunos do concelho

EDITORIAL

Armindo Veloso



Panos e nódoas
Habituei-me ao longo destas quase duas décadas e meia a admirar o professor Cavaco Silva. Num mundo de ‘invertebrados’, sempre o vi como um homem de carácter e que põe o interesse colectivo à frente do interesse individual ou de facções. Essa admiração fez com que lhe perdoasse, enquanto cidadão eleitor, algumas falhas e algumas opões erradas que foi tendo ao longo do tempo. Uma das características algo antipática mas útil de Cavaco Silva foi sempre dizer só o que quis e quando quis. Até se dizia que a melhor maneira de Cavaco não fazer qualquer coisa era especular sobre ela nos jornais.
Esta personagem, com estas características, teve há dias os seus dois minutos fatais. Querendo, na sua lógica de relógio suíço, falar sobre as remunerações em tempo de crise, disse-o no sítio errado e da forma mais atabalhoada que poderia ter.
Como se pode dizer sem afronta a um povo sufocado com dívidas e com rendimentos baixos que as suas reformas, cerca de sete mil euros líquidos, mal lhe darão para pagar as despesas? Saberá o professor de finanças públicas que as receitas chegarem ou não chegarem depende sempre das despesas que lhe estão associadas? Se tivesse um milhão de euros de despesa mensal seria pouco ganhar outro tanto? O professor Marcelo explicou mais ou menos aquilo que Cavaco Silva quereria dizer mas não disse: que a reforma de professor catedrático, cerca de mil e trezentos euros, é baixa, e é, para quem descontou quarenta anos. O que Cavaco Silva não disse, e deveria ter dito, é o valor do somatório das reformas e não só a de professor.
Francamente não deu para entender. Teria sido um “ataque de senilidade” momentânea ou teremos de parafraseá-lo nos tempos de Mário Soares presidente quando disse que devemos ajudar o senhor presidente a terminar o seu mandato com dignidade?
Até um dia destes.
CASTELO

S. C. Maria da Fonte

Nos últimos três jogos, com Alberto Fernandes no comando da equipa técnica, o Sport Clube Maria da Fonte somou 7 pontos, fruto de um empate e duas vitórias. Vianense e Joane viram fugir-lhes a liderança na sua deslocação à Póvoa de Lanhoso. Depois de tirar o ‘trono’ ao Vianense, a 7 de Janeiro, o Maria da Fonte recebeu o Joane, até então líder, e impôs-lhe uma derrota que levou a equipa a perder a liderança da Série A. Os bons resultados do clube trouxeram novo ânimo ao plantel e responsáveis do Maria da Fonte.
CASTELO DE AREIA
Capital da Cultura

Apesar de terem sido apresentadas propostas, a Póvoa de Lanhoso não se encontra envolvida na Capital Europeia da Cultura. Tal como a Póvoa de Lanhoso, outros municípios vizinhos ficaram “à margem” da programação da Guimarães 2012 – Capital Europeia de Cultura.
"Efectivamente, não estamos envolvidos, mas chega-mos a apresentar algumas propostas que ficaram sem resposta", disse Fátima Moreira, vereadora da Cultura da Póvoa de Lanhoso, em declarações a um jornal nacional.

Em Ferreiros e Garfe


Presidência aberta

As freguesias de Ferreiros e Garfe receberam, nos dias 12 e 18 de Janeiro, respectivamente, a visita do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, no âmbito da Presidência Aberta que percorrerá todas as freguesias do concelho.
Em ambas, o autarca, acompanhado dos elementos do executivo e do seu gabinete, contactou com os autarcas locais, representantes de entidades e associações daquelas freguesias, e com a população.
Na visita à freguesia de Ferreiros, cuja Junta de Freguesia é presidida por José Manuel Alves, o presidente da Câmara Municipal esteve em alguns locais, constatando necessidades e ainda os efeitos do mau tempo verificado em finais do ano passado. A este nível, Manuel Baptista assegurou que, muito em breve, vai ser reconstruído um muro, danificado pela intempérie de 26 de Outubro de 2011.
“Temos de dar prioridade àquilo que é prioritário”, referiu ainda o Presidente da Câmara, em linha com o que afirmou nas Presidências Abertas anteriores em Esperança, Campo e Serzedelo. Manuel Baptista destacou os condicionalismos presentes à actividade autárquica.
“Há três anos, não sabíamos que seria assim. Com a conjuntura actual e com aquilo que ainda pode vir, vai ser complicado cumprir com aspectos que assumimos. A Póvoa de Lanhoso deixou de receber dois milhões e 800 mil euros por causa da diminuição das transferências do Estado”, sublinhou, o que traz consequências.
“A promessa da Rua das Boucinhas mantém-se desde que tenha condições para a fazer. Mas, neste momento, não tenho essas condições. Com Ferreiros, temos feito um bom trabalho nestes seis anos. Fizemos aquilo que foi possível, mas agora as coisas estão muito, mas muito complicadas” disse Manuel Baptista, que abordou ainda o assunto da estrada Geraz-Ferreiros. Lembrou que qualquer intervenção só pode ser executada se tiver cabimento orçamental e que a aposta é nos investimentos que possam ser financiados. “Hoje tem de ser tudo muito bem pensado e partilhado. Todos gostamos de fazer e de inaugurar obras, mas, com esta conjuntura, vai ser muito complicado”, transmitiu ainda. Desde 2006, a Câmara Municipal investiu em Ferreiros muito perto de 600 mil euros.

Em Garfe, populares marcaram presença em grande número
Na visita à freguesia de Garfe, a 18 de Janeiro, Manuel Baptista e a sua equipa foi recebido pelo presidente da Junta de Freguesia, José Gomes Castro, e restantes elementos da sua equipa, num momento que contou com a presença de muitos populares.
Obras e investimentos na freguesia, acessibilidades, água e saneamento, limites territoriais e reforma administrativa do poder local e PDM foram alguns dos assuntos que marcaram o encontro do presidente da Câmara Municipal com a população.
“Compreendo as vossas preocupações. O concelho tem 29 freguesias e temos de chegar a todas. Mas, neste momento, só podemos dar prioridade nos investimentos ao que é prioritário”, foi expressando, de uma maneira geral, Manuel Baptista.
Apesar de alertar para os constrangimentos financeiros da autarquia povoense, o autarca destacou, de entre outras ideias, que, desde 2006, a edilidade já investiu cerca de 800 mil euros em Garfe e anunciou a existência de projectos, como o que vai permitir o desvio do trânsito de pesados numa das zonas da freguesia, solicitação antiga dos moradores. “Essa é uma preocupação nossa”, referiu, de entre outras considerações, o edil.
De entre outros aspectos, o presidente da Câmara anunciou, igualmente, que estão a ser preparadas paragens de autocarros para a freguesia.

Alexandre Mestre, Sec. de Estado do Desporto


Secretário de Estado no concelho

O concelho da Póvoa de Lanhoso recebeu, no dia 14 de Janeiro, a visita do Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Alexandre Mestre. Conhecer os equipamentos existentes e verificar, no terreno, as necessidades sentidas foi um dos objectivos da visita daquele membro do governo às Terras da Maria da Fonte.
Durante a presença no concelho, o Secretário de Estado do Desporto e Juventude visitou o Diver Lanhoso, na freguesia de Oliveira, o Parque de Jogos do Grupo Desportivo de Porto d’Ave, em Taíde, e a antiga Escola EB1 de Esperança, local que acolhe o Centro de Convívio daquela freguesia.
Acompanhado do presidente da Câmara Municipal da Pó-voa de Lanhoso, Manuel José Baptista, e respectivo executivo, Alexandre Mestre iniciou a sua visita pelo Diver Lanhoso.
Recebido pelos responsáveis daquela unidade de animação turística, Alexandre Mestre ficou a conhecer os projectos e as actividades desenvolvidas naquele que é um dos maiores parques de desporto aventura da Península Ibérica. Conhecidos os projectos, a comitiva teve oportunidade de assistir a uma demostração de Hip Hop, pelos jovens que integram o projecto In_Jovem. Posto isto, foi realizada uma visita pelo parque.

Desejo da autarquia povoense


Escola de Esperança poderá
transformar-se em albergue


A criação de um albergue para jovens é o projecto que a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso gostaria de ver implementado na antiga escola da freguesia de Esperança que, actualmente, numa das salas de aula, acolhe as actividades do Centro de Convívio da freguesia.
Um grupo de idosos aguardava a chegada da comitiva, tendo presenteado os visitantes com uma melodia alusiva aos Reis.
Depois de contactar com os utentes do Centro de Convívio de Esperança, o Secretário de Estado realizou uma visita às instalações, ficando a conhecer, em pormenor, as potencialidades para acolher um projecto voltado para a juventude.
Uma vez que o Centro de Convívio apenas ocupa uma sala do edifício, as restantes alas poderão ser aproveitadas e transformadas num albergue para jovens, nacionais e estrangeiros.
Também aqui, o estabelecimento de parcerias entre diversas entidades é fundamental para a concretização do projecto.
No final da visita pelo concelho, Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso mostrou-se satisfeito pela vinda do Secretário de Estado da Juventude e Desporto à Pó-voa de Lanhoso. “É sempre importante e uma honra para o concelho receber um membro do governo”, destacou Manuel Baptista. O autarca realçou, mais uma vez, a necessidade de estabelecer parceiras para a concretização dos projectos da autarquia, que contribuem para o desenvolvimento das Terras da Maria da Fonte.
“Hoje, pelas grandes dificuldades orçamentais que temos, o que queremos, mais do que apresentar projectos, é tirar partido daquilo que já temos, é rentabilizar, e é esse trabalho que estamos a fazer”, referiu ainda o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.

Apoio da Câmara da Póvoa de Lanhoso


Bolsas de estudo para 53 alunos

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso atribui, no dia 16 de Janeiro, 53 bolsas de estudo a alunos do ensino secundário e superior. Neste ano lectivo, a autarquia investiu mais de 37 mil euros nas bolsas de estudo, que contemplam 41 alunos do ensino superior e 12 do secundário
Os cheques foram entregues, aos alunos bolseiros ou seus representantes, por Gabriela Fonseca, vice-presidente da Câmara Municipal e vereadora da Educação.
“Tendo a Câmara Municipal cada vez menos receitas, também tem menos dinheiro para aquilo que é essencial e nomeadamente para as Bolsas, pelo que temos que adaptar as estratégias à nova realidade. Para não diminuir ao número de Bolsas a atribuir, fizemos um reajuste no valor de cada uma”, explicou a responsável autárquica.

Menos dinheiro mas mais jovens apoiados
De acordo com a Câmara Municipal, os alunos do Ensino Secundário ficam a receber 30 euros; os do Ensino Superior a estudar fora do distrito, passam a receber 100 euros e os que estudam no próprio distrito receberão 60 euros mensais.
“Diminuímos o montante de cada bolsa e, desta forma, podemos atribuir mais 12 Bolsas, beneficiando assim mais 12 famílias, porque o objectivo desta Bolsa não é, com certeza, pagar os estudos, mas é uma pequena ajuda. O regulamento permite que, em cada ano, possamos definir o montante e foi isso que fizemos para não prejudicar ninguém e beneficiar ainda mais pessoas, atendendo à situação em que o país e toda a gente se encontra”, salientou aquela responsável.

Voluntariado
Outra das novidades é de que os beneficiários serão chamados a participar em programas de voluntariado. “Quem beneficia de algum apoio prestado pela Câmara Municipal, como as Bolsas de Estudo ou os subsídios às rendas, por exemplo, deve dar alguma coisa de si à comunidade, pelo que é natural que os beneficiários depois sejam contactados pelo Banco de Voluntariado para, dentro da sua disponibilidade e apetência, possam também dar algo deles. O que se pretende não custa nada e é uma forma de beneficiar também outras pessoas”, expressou.

Garfe: Maria da Luz festejou 1OO anos


Familiares e amigos em festa

Maria da Luz Carvalho conta um século de vida. No dia 12 de Janeiro, dia em que celebrou o seu 100.º aniversário, Maria da Luz Carvalho, foi presenteada com uma Missa de Acção de Graças, celebrada pelo seu grande amigo, o padre Luís Peixoto Fernandes. A aniversariante esteve no centro das atenções. Depois da cerimónia religiosa, seguiu-se o cantar de parabéns, num momento que reuniu familiares e amigos, com a emoção a tomar conta de muitos dos presentes. Maria da Luz foi acarinhada por todos. Com um sorriso, lá ia respondendo aos gestos de carinho recebidos.
Na homília, o padre Luís Fernandes destacou a pessoa justa, especial e de espírito jovem. “A sua preocupação foi sempre a de fazer o bem e seguir a voz da sua consciência”, referiu o sacerdote, agradecendo, também, o paramento oferecido pela família da aniversariante.
Para além do padre Luís Peixoto, a missa de Acção de Graças contou com a presença do padre Eduardo Duque, assim como do padre Sanches, que se deslocou de Castelo Branco para se associar à data festiva.
Destacando a ocasião única e singular, o padre Sanches disse que a aniversariante encarnou, na sua vida o espírito das bem-aventuranças. O grande exemplo de mulher, de cristã e de cidadã foi também destacado pelo sacerdote. “A melhor lembrança que lhe podemos dar é imitar os bons exemplos”, referiu ainda o padre Sanches.
São 100 anos de uma vida recheada de emoções, de trabalho e de luta. Maria da Luz Carvalho escreveu, no dia 12 de Janeiro, uma nova página na vida da freguesia de Garfe. A data especial – 100 anos, será para sempre recordada por todos.

Projecto liderado pela ATAHCA


Prove para dinamizar a agricultura

Promover e Vender é o lema do PROVE, um projecto de comercialização de proximidade no Alto Cávado. O projecto, li-derado pela Atahca, foi apresentado, no dia 19 de Janeiro, na Casa da Botica e tem como parceiros, nas Terras da Maria da Fonte, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e a Associação de Turismo.
Criar redes de comercialização dos produtos locais é um dos objectivos do projecto, que pretende estabelecer uma ligação entre os produtores e os consumidores locais. Des-te modo, os produtores têm a garantia de escoamento dos produtos produzidos, com os consumidores a poderem adquirir produtos frescos e a melhores preços, uma vez que são eliminados os intermediários no processo de venda.
Valorizar e escolar os produtos da agricultura tradicional; criar alternativas de comercialização para os produtores agrícolas e viabilizar econo-micamente as explorações agrícolas de pequena dimensão são alguns dos objectivos do projecto PROVE.
Em termos concretos, os produtores distribuem-se por núcleos, com cada núcleo de produtores a abastecer, semanalmente, um grupo de consumidores, fornecendo, a cada um deles, um cabaz de produtos hortofrutícolas. Em cada semana, os consumidores escolhem, de um lista apresentada, os produtos que não pretendem no cabaz semanal, que serão entregues num dia previamente definido. Nesse dia, os produtores reúnem-se e organizam os cabazes de acordo com as encomendas dos seus clientes.
Na apresentação, e destacando as excelentes condições para a agricultura na Pó-voa de Lanhoso, concelho que possui jovens produtores, Mota Alves, da Atahca, frisou que “a agricultura não pode ser vista como uma actividade menor”.
Para Fátima Moreira, vereadora do Turismo da Câmara Municipal, o concelho possui condições de excelência para dinamizar projectos agrícolas.
“É preciso olharmos para estas estratégias de cooperação e abraçá-las com muito empenho para também ajudar esses que continuam neste árduo trabalho de acreditar que a agricultura pode ser uma forma de ganhar e de desenvolver este território”, destacou ainda a vereadora Fátima Moreira.

Fontarcada


Seniores cantaram os Reis

Cerca de 200 utentes das instituições particulares de solidariedade social (IPSS’s) do concelho participaram, na tarde de sexta-feira, dia 20 de Janeiro, no Encontro de Reis, numa actividade organizada pelo quarto ano consecutivo pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e que teve lugar na Casa de Trabalho de Fontarcada.
Pelo palco do auditório de Casa de Trabalho de Fontarcada passaram sete instituições concelhias. De voz afinada, os mais velhos mostraram que a idade não é barreira e cumpriram uma das tradições do seu tempo de juventude – o cantar dos Reis.
O evento reuniu todas as IPSS’s do concelho para cantar e encantar, numa tarde em que os mais velhos foram as estrelas.
A dificuldade de locomoção de alguns dos presentes não foi impeditivo para participarem na festa.
Com o apoio de canadianas, e até de cadeira de rodas, os mais velhos marcaram presença no palco, brindando os “companheiros de idade” com músicas alusivas aos Reis. Anfitriões do evento, os utentes da Casa de Trabalho de Fontarcada foram os primeiros a subir ao palco, aos quais se seguiram os utentes da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, Centro Social de Taíde, Centro Social de Monsul e Centro Teresiano de Verim, ASSIS, Centro Social de Calvos e Centro Social de Serzedelo.
No final das actuações, brindadas com palmas pelos presentes, os responsáveis das instituições presentes receberam um certificado de participação. Depois dos Reis segue-se a Festa de Carnaval, a 20 de Fevereiro, numa iniciativa promovida pela autarquia povoense e destinada aos utentes das IPSS’s do concelho.

Comissão de melhoramentos de Santo Emilião


Eleitos novos órgãos sociais

Manuel Neves é o novo presidente da direcção da Comissão de Melhoramentos de Santo Emilião para o triénio 2012 a 2014. Os novos órgãos sociais foram empossados numa cerimónia realizada no dia 14 de Janeiro. O novo presidente sucede no cargo a Ana Maria Leite.
No momento de tomada de posse, Manuel Neves, dirigindo-se aos representantes do poder político local e concelhio, assumiu que conta com ambos para a realização de novos projectos na instituição. A nova direcção garantiu o amor à causa social, razão essa que levou, em 1982, à criação da Comissão de Melhoramentos, que completa 30 anos a 2 de Julho.
No seu discurso, Manuel Neves deixou uma palavra de apreço às anteriores direcções, em especial à última direcção, presidida por Ana Maria Leite, reconhecendo, publicamente, o seu trabalho, a sua competência e dedicação à causa social.
Garantindo que a nova direcção tudo fará para que todos os utentes, das valências de infância e sénior, sejam tratados com carinho e dignidade, assumiu que o maior activo daquela instituição são os funcionários, esperando dos mesmos todo o profissionalismo e dedicação. A tudo isto, a nova direcção prometeu uma gestão rigorosa para que a subsistência da mesma se prolongue por muitos anos.
Alfredo Rodrigues Martins, Amaro Marques Salgado, António Vale da Silva, David Guimarães de Macedo, Fernando Manuel Lopes, José Gomes do Vale, José Leite, José Luís Amorim Aguiar, José da Silva Fernandes, Maria Paulo Casalta, Maria Teresa Rodrigues Vilas Boas Xavier Ferreira e Paulino Cardoso de Oliveira foram os seus ilustres fundadores desta instituição que se prepara para comemorar 30 anos e que se assume como uma referência no concelho e no distrito.

Transparência e diálogo
Foram razões pessoais que levaram, há seis anos atrás, Manuel Neves a abandonar a direcção da Comissão de Melhoramentos de Santo Emilião, instituição onde desempenhava o cargo de tesoureiro. Mesmo sem desempenhar funções directivas, o novo presidente da direcção sempre manteve um contacto permanente com aquela instituição particular de solidariedade social. Volvidos seis anos, Manuel Neves regressa à vida directiva, desta feita como presidente.
À margem da cerimónia de tomada de posse, Manuel Neves assume que a transparência, o rigor e o diálogo são as bases para um trabalho profícuo em prol de todos os utentes e colaboradores da Comissão de Melhoramentos de Santo Emilião
A todos aqueles que o acompanham nesta caminhada de três anos, no elenco directivo e restantes órgãos sociais, Manuel Neves deixa uma palavra de agradecimento pois, só com a ajuda de todos, é possível concretizar os objectivos a que se propõem.
“Foi uma direcção fantástica e deram o seu melhor”, refere o novo presidente em relação à anterior direcção presidida por Ana Maria Leite.
A todos, Manuel Neves promete dar o seu melhor em prol da instituição, contribuindo para o bem-estar de todos utentes e colaboradores. O apoio domiciliário poderá ser o próximo projecto a colocar no terreno, dando seguimento a um projecto previsto pela anterior direcção.
Aos 140 utentes nas valências de infância – creche, prolongamento de jardim e ATL, juntam-se 12 utentes no Centro de Dia e 9 utentes no Lar de Idosos. As valências seniores têm muita procura e a instituição tem utentes em lista de espera para o Lar de Idosos, assim como para o Centro de Dia.
Na infância, os mais peque-nos trabalham, neste ano lectivo, os valores sociais. De entre as várias iniciativas que marcam o calendário escolar, a festa de Natal e o Carnaval são duas das actividades mais marcantes. Aproveitando o meio rural onde a instituição se insere, os mais pequenos contactam, ao longo do ano, com actividades como as vindimas e as desfolhadas.
No âmbito do tema deste ano – Valores Sociais, está prevista uma visita à Casa de Trabalho de Fontarcada. Todos os anos, em Outubro, a instituição procede à recolha de roupas e brinquedos a fim de ajudar as famílias carenciadas, assim como outras instituições do concelho.

Taça A.F. Braga

Porto d’Ave segue em frente

A formação do Porto d’Ave carimbou a passagem de acesso à próxima ronda da Taça A. F. Braga ao vencer a equipa do Ronfe, no seu reduto, num jogo a contar para a 3.º eliminatória da, disputada a uma “só mão”. A vitória da formação portodavense chegou através da marcação de grandes penalidades. A primeira parte foi equilibrada mas foi ao Porto d’Ave a quem pertenceu, à passagem da meia hora de jogo, uma grande oportunidade para passar para a frente no marcador. Grande jogada de Pesca que deixou dois adversários pelo caminho e proporcionou uma grande defesa ao guarda-redes do Ronfe.
A formação do Porto d’Ave dominou no segundo tempo e o Ronfe só conseguiu incomodar através de lances de bola parada. Findos os 90 minutos, o nulo manteve-se. Depois do prolongamento, com o marcador a não funcionar, apesar da vontade da turma da turma da casa em resolver a partida, ambas as equipas partiram para a marcação de grandes penalidades.
Na marcação das grandes penalidades, a formação do Porto d’Ave não teve necessidade de proceder à marcação das cinco penalidades, uma vez que Pedroto conseguiu segurar o esférico por duas ocasiões, evitando o golo dos adversários. Do lado dos homens do Porto d’Ave, as grandes penalidades foram marcadas por Pesca, Daniel, Neves e Gonça.
No próximo domingo, pelas 15 horas, num jogo a contar para a 17.ª jornada da Divisão de Honra da AF Braga, a formação do Porto d’Ave recebe a equipa do Santa Eulália, líder da tabela classificativa.
Na 12.ª posição, com 19 pontos, o Porto d’Ave recebe a formação comandada por João Fernando - homem que bem conhece a equipa da casa, que ocupa a liderança com 33 pontos.
Em 16 jogos disputados, o Porto d’Ave soma 4 vitórias, 7 empates e 5 derrotas, num total de 19 pontos.

III Divisão Nacional

Maria da Fonte, o tomba líderes

O Maria da Fonte parece dar-se bem nos confrontos com os líderes da tabela classificativa. Depois do empate frente ao Vianense, no dia 15 de Janeiro, a formação povoense recebeu e venceu, por 2-1, a equipa do Joane. Tal como o Vianense, aquando do início do jogo o Joane liderava a tabela classificativa da série A. Com a derrota na Póvoa de Lanhoso, a formação comandada por Francisco Costa perdeu a liderança e desceu ao segundo lugar da tabela classificativa.
Nos confrontos com o Maria da Fonte, tanto o Vianense como o Joane perderam a liderança.
A formação povoense, orientada por Alberto Fernandes foi a primeira a abrir o activo, quando apenas estavam decorridos 4 minutos de jogo. O guarda-redes do Joane interpôs-se ao primeiro remate de Gil mas, na recarga, o camisola 10 do Maria da Fonte atirou para o fundo das redes da baliza visitante, colocando a formação da casa na frente do marcador.
A perder, cabia ao Joane correr atrás do prejuízo mas a tarefa parecia complicada, com o Maria da Fonte a não facilitar a vida aos forasteiros.
O golo do empate apareceu aos 28 minutos, num livre apontado por Carvalhinho, com o esférico a parar no interior das redes da baliza do Maria da Fonte. Estava reposto o empate, com o jogo a ficar novamente em aberto.
Tal como na primeira parte, aos 4 minutos da etapa complementar o Maria da Fonte voltou a marcar, num cabeceamento de Nuno Mendes, após livre marcado do lado esquerdo do ataque da turma da casa.
Aos 54 minutos deu-se o lance que colocou o Maria da Fonte em inferioridade numérica. Depois de ter visto a cartolina amarela, aos 52 minutos, Rui Abreu viu a segunda cartolina amarela dois minutos depois (aos 54 minutos) e a consequente cartolina vermelha, com os adeptos da casa a apontar o dedo ao árbitro, considerando excesso de rigor. A partir daqui, assistimos a um Maria da Fonte que procurava segurar a vantagem no marcador, sem descurar, também, o ataque, e a um Joane na procura do golo do empate. O equilíbrio manteve-se e o Maria da Fonte saiu vencedor do encontro, naquela que é a terceira vitória no campeonato.
Maria da Luz vive em Garfe
A princesa lá de casa fez 100 anos

Cultura
IN_Jovem promove
desenvolvimento saudável


Câmara Municipal
As grandes apostas da autarquia
para
os próximos dois anos


Reforma Administrativa
Presidentes de junta do PS
discordam
do Documento Verde

EDITORIAL

Armindo Veloso



Vergonha na cara
No final do ano passado morreram dois líderes históricos em cada um dos seus países: Kim Jong-il, o ‘querido líder’, presidente da Coreia do Norte e Václav Havel, ex-presidente da Checoslováquia e posteriormente da República Checa.
O primeiro isolou o país e oprimiu o povo tornando a Coreia do Norte o reduto mais recôndito deste planeta. O segundo participou de forma decisiva para a liberdade do seu povo e tornou as duas repúblicas daí resultantes em dois países com francos progressos a todos os níveis.
Em Portugal, o nosso ‘querido’ partido comunista português deu-se ao desplante de no caso de Kim Jong-il enviar uma mensagem sentida ao governo da Coreia do Norte e em relação a Václav Havel, quando o nosso parlamento propôs um voto de pesar votou contra e, mais, o seu líder, neste caso não querido, espero..., saiu do hemiciclo enquanto decorria a votação. De notar que votaram a favor, por aclamação, PSD, PS, CDS-PP e dois deputados do Bloco.
Francamente não tenho conhecimentos profundos da história da Coreia do Norte e da ex-Checoslováquia. Mas, mesmo assim, acho que tendo o PCP as razões que tiver, deviam deixar de encher a boca com liberdade, justiça e democracia.
Deviam ter vergonha na cara.
Pior do que eles só a nossa comunicação social que com os complexos de esquerda, qual?..., deixa passar quase em branco este assunto.
O que teria acontecido se um partido conserva-dor fizesse metade daquilo? Caía o carmo e a trindade! Tínhamos novela editorial para pelo menos um mês e todas as liberdades estariam em causa.
São estes dois pesos e duas medidas que eu e muita mais gente nunca entendemos. Uma ditadura é sempre uma ditadura. Não há as boas, as de esquerda, e as más, as de direita.
Para estas atitudes, só um choro colectivo...
Até um dia destes!
CASTELO

Presidentes de Junta

É aos presidentes de Junta que cabe a defesa das suas terras e gentes. No âmbito da Comissão Eventual para a Reforma Administrativa, emanada da Assembleia Municipal, os presidentes de Junta eleitos pelo PS assumiram um posição conjunta e mostraram-se contra o Documento Verde. Uma atitude de louvar já que a bandeira dos presidentes de junta deve ser, sempre, a bandeira da sua freguesia.
CASTELO DE AREIA
Desemprego

Em 10 anos, o concelho da Póvoa de Lanhoso perdeu 886 residentes, de acordo com os resultados provisórios dos Censos 2011. Dos 22.772 residentes, em 2011, o concelho conta, em 2001, com 21.886 residentes. Cada vez mais, os jovens procuram novas oportunidades de vida lá fora, fruto do desemprego que se vai verificando um pouco por todo o país, e ao qual o concelho da Póvoa de Lanhoso não é alheio.

Hotel Rural Maria da Fonte, a 4 de fevereiro


Workshop e Show Cooking
promovem porco bísaro


Porco Bísaro – Um valor alimentar” é o tema do workshop a realizar no Hotel Rural Maria da Fonte, em S. Gens de Calvos, no dia 4 de Fevereiro.
A esta acção, iniciada pelas 17h45, que pretende fazer uma breve contextualização das vantagens do consumo de produtos biológicos para a saúde dos consumidores e da qualidade particular dos produtos do porco bísaro, segue-se um Show Cooking, em que os interessados poderão aprender a confeccionar uma refeição com produtos do porco bísaro, seguido de jantar, cuja inscrição é realizada junto do promotor da iniciativa.
A Câmara Municipal da Pó-voa de Lanhoso apoia, ao vel da divulgação do evento, a iniciativa de promoção do porco bísaro, raça autóctone, organizada por um produtor do concelho certificado para o modo de produção biológico.
No seguimento do projecto internacional Biologic@ (promovido pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso em conjunto com outros parceiros), aquela entidade - o Hotel Rural Maria da Fonte - foi o primeiro produtor do concelho povoense a aderir ao modo biológico de produção e à criação da raça porco bísaro em regime de ar livre. Esta acção contribui para demonstrar a aposta ganha da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso na promoção da produção biológica.
Recorde-se que o Município da Póvoa de Lanhoso, no âmbito do projecto Biologic@, executou um conjunto de acções para a valorização de produtos agrícolas autóctones no concelho, para a implementação de práticas agrícolas mais amigas do ambiente, para a criação de bolsa de terras para o combate à desertificação rural e para o apoio a jovens agricultores na área da agricultura biológica. Estes são apoios que continuam através do Gabinete de Apoio ao Bioagricultor da Câmara Municipal, que colabora com o evento do dia 4 de Fevereiro, através do Workshop: “Porco Bísaro – Um valor alimentar”, fazendo uma breve contextualização das vantagens do consumo de produtos biológicos para a saúde dos consumidores e da qualidade particular dos produtos do porco bísaro.
O porco bísaro é uma das raças suínas autóctones portuguesas que, nos anos 90, se encontrou perto da extinção. Após a sua recuperação, hoje já existe maior número de animais reprodutores em Portugal. Na Póvoa de Lanhoso, a experiência pioneira foi desenvolvida com o Biologic@ e este produtor certificado organiza esta acção para promover e divulgar a qualidade excepcional dos produtos frescos (carne) e transformados do porco bísaro e para sensibilizar para o seu consumo. Neste momento, existem oito produtores biológicos de hortícolas, frutícolas, produção animal (suína e bovina) no concelho da Póvoa de Lanhoso e a qualidade dos seus produtos justifica a divulgação junto de potenciais consumidores. É neste sentido que esta acção permite uma degustação e um conhecimento mais próximo e intrínseco das qualidades de produtos do porco bísaro, em particular, e da produção biológica animal, em geral.

“Prove”: dia 19, na casa da botica

Câmara esclarece população

A auditório da Casa da Botica acolhe, no dia 19 de Janeiro, pelas 14h30, uma acção de sensibilização e esclarecimento sobre o “Prove”, um projecto de cooperação interterritorial.
Esta acção surge da preocupação do Município da Póvoa de Lanhoso em “ajudar a criar mecanismos de apoio à microeconomia, ao desenvolvimento rural e ao consumo de produtos locais e de qualidade”.
A iniciativa conta com o apoio e a colaboração da ATAHCA (Associação de Desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave) e intitula-se “Comercialização de Proximidade no Alto Cávado”.
A criação de escoamento para produtos agrícolas hortícolas (legumes) e frutícolas (frutos frescos e secos) produzidos no concelho por pequenos produtores locais é um dos objectivos do programa “Prove”, já implementado noutros municípios e entidades públicas.
“Irão participar representantes da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, como a Vereadora Fátima Moreira, da ATAHCA, como José Mota Alves, que falará sobre “A importância do PROVE para o Alto Cávado” e como Paulo Pereira que falará sobre “A metodologia PROVE”.
Haverá ainda um debate e uma merenda bio”, revela a autarquia em nota de imprensa.
O público-alvo desta acção vai desde pequenos produtores, produtores biológicos até potenciais produtores biológicos ou não, que pretendam criar uma mais-valia para o rendimento familiar, promovendo o uso sustentado dos recursos.
Abrange ainda os mais jovens, quer pela vertente empreendedora quer pela possível vertente consumidora”, adianta ainda a autarquia, frisando que a acção é desenvolvida pelo gabinete de apoio ao bioagricultor da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, que presta esclarecimento técnico e apoio à agricultura biológica e de proximidade.

Organização da autarquia povoense


IN_Jovem: crescimento saudável

Promover o crescimento e o desenvolvimento saudáveis de crianças e jovens é um dos objectivos do programa “In_Jovem”, dinamizado e organizado pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, que integra actividades de carácter lúdico, desportivo, cultural, recreativo e formativo, numa perspectiva de aprendizagem através da partilha e da experiência. As inscrições estão abertas e dirigem-se a crianças e jovens dos 10 aos 15 anos.
“Através deste projecto, os participantes podem contactar com actividades ao nível do acompanhamento escolar, da expressão artística, dramática e corporal, do desporto e de sessões formativas para enriquecimento pessoal, de entre outras”, refere a Câmara Municipal, dando conta de, neste momento, já há 21 jovens a frequentar o atelier de Hip-Hop, sendo que a primeira apresentação pública aconteceu durante o Encontrartes.
“Este projecto tem a mesma dinâmica de funcionamento que a iniciativa criada no âmbito do projecto Territórios_IN, que visou a criação de um grupo de percussão “Trupe-Tap”.
Conta com a colaboração dos Agrupamentos de Escolas Gonçalo Sampaio e do Ave, da Junta de Freguesia de Taíde, da Confraria de Porto d´Ave e do Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso e funciona em dois espaços distintos localizados quer na vila da Póvoa de Lanhoso quer na freguesia de Taíde”, destaca a autarquia, em nota de imprensa.

Horários
As actividades desenvolvem-se às quartas-feiras das 14h30 às 17h00, no pavilhão da EB 2,3 de Taíde e às sextas-feiras das 14h30 às 17h00 e sábados das 10h00 às 12h00 no Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso. Os interessados podem-se inscrever pelo email in_jovem@mun-planhoso.pt, pelo telefone 253 639791 ou através do Conselho Directivo das EB 2,3 Professor Gonçalo Sampaio e de Taíde.

Num apartamento em Fontarcada

Fogo provocou estragos elevados

Um cobertor eléctrico poderá estar na origem de um incêndio que deflagrou, na manhã de quinta-feira, dia 5 de Janeiro, num apartamento localizado na Rua da Trivima, na freguesia de Fontarcada. Os estragos provocados pelo fogo são elevados. O alerta foi dado, pelas 11 horas, por um popular que avistou fumo a sair de uma das janelas da habitação. À hora a que tudo aconteceu não estava ninguém no interior do apartamento, que se encontra arrendado e onde reside uma senhora, de 35 anos, e a filha, de 12 anos.
A investigação prossegue a cargo da GNR da P. Lanhoso, mas tudo aponta para que a causa do incêndio esteja no cobertor eléctrico que se encontrava num dos quartos da habitação, local onde se deu início o incêndio. As altas temperaturas e o fumo provocaram estragos nas restantes divisões da habitação, que ficaram cobertas de negro.
Dado o alerta, os Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso responderam de imediato, comparecendo no sinistro com 12 homens, apoiados por duas viaturas de combate a incêndio, uma auto-escada e uma ambulância.
Com o apoio da auto-escada, uma vez que o apartamento se situava no 3.º andar, os soldados da paz acederam ao interior da habitação por uma janela, depois de partir um dos vidros. A cor da persiana, que ficou negra, denunciava o local da ocorrência.
De acordo com António Veloso, adjunto do Comando dos Bombeiros, o incêndio foi rapidamente extinto pelos bombeiros povoenses mas o apartamento ficou sem condições de habitabilidade.

Comemorou 100 anos dia 12 de Janeiro


Maria da Luz: princesa lá de casa

Maria da Luz de Carvalho come-mora, esta quinta-feira, dia 12 de Janeiro, 100 anos de vida. Reside no Caminho do Carvalhinho, precisamente no local onde nasceu há 100 anos atrás. A modesta habitação deu agora lugar a um bonita vivenda. Vive com a única filha, Maria Alice, e restantes familiares. Acarinhada por todos, é a princesa lá de casa e a “menina dos olhos” dos seus entes queridos. Com um brilho nos olhos, e emocionados, os seus familiares vão contando algumas das passagens da sua vida.
Mostrando uma enorme vontade em estar informada, Maria da Luz passa a “pente fino” tudo quanto é jornais e revistas, a fim de ficar a par dos vários assuntos. A sua leitura preferida são as várias cartas que vão chegando pelo correio. Há cerca de 15 anos atrás, as cataratas retiraram-lhe a visão mas uma operação realizada nos Hospitais de Coimbra voltou a dar luz aos seus belos olhos.
O seu espírito mantém-se jovem, acompanhando as várias mudanças que ocorreram na sociedade. Tem no pároco Luís Peixoto Fernandes o seu maior amigo, amizade que é retribuída pelo sacerdote. “Gosto muito dele”, refere Maria da Luz. E é por ele que a anciã vai participar na missa de Acção de Graças que é celebrada esta quinta-feira, dia 12, pelas 18 horas, na Igreja Paroquial de Garfe. Foi precisamente às 18 horas que Maria da Luz de Carvalho veio ao mundo.
Filha única não teve muito tempo para se dedicar às brincadeiras próprias das crianças. O pai, como aconteceu com muitos povoenses, emigrou para o Brasil e nunca mais voltou, deixando Maria da Luz, ainda de tenra idade, ao cuidado de sua mãe, Eufrásia de Matos. Juntas, lutaram pela vida, trabalhando “ao jornal e tecendo” como a própria afirma. Depois das peças tecidas, Maria da Luz ia a pé até Guimarães para as vendas e para ganhar uns trocos tão necessários para a sua vida. “Trabalhei sempre muito”, revela Maria da Luz. Os problemas de audição levam a que seja parca nas palavras para, como diz a sua neta, Maria da Luz, que partilha o nome com a avó, não cometer qualquer incorrecção.
Tal como a mãe, também Maria da Luz só teve uma única filha, Maria Alice. À filha, juntam-se cinco netos, oito bisnetos e dois trinetos. A vida de trabalho prosseguiu na idade adulta. O destino não lhe deu sossego e ficou viúva com a filha, de 9 anos, ao seu encargo. Nesta vida de trabalho, recebeu o apoio de sua mãe, assim como da sogra, que a considerava como uma filha. Sua mãe, Eufrásia de Matos, veio a falecer com 96 anos de idade, tendo estado durante cega cerca de 22 anos.

Autónoma nas várias tarefas
Todos os dias, três a quatro vezes por dia, Maria da Luz desce os 14 degraus das escadas, com a ajuda de uma bengala, desde o primeiro andar até ao rés-do-chão. Mesmo nessa tarefa, não gosta que a ajudem. Por volta das 9 horas, levanta-se e arruma a sua cama. Depois da higiene pessoal, desce até ao rés-do-chão para preparar o pequeno-almoço. “Gosta de ser ela a preparar o pequeno-almoço. Quando tentamos ajudar diz-nos que não é nenhum bebé”, revela a neta Maria da Luz. Briosa, gosta que lhe coloquem creme e não dispensa a manicure e a depilação.
Durante o dia, junto à varanda, vai acenando às pessoas que vão passando junto à habitação, cumprimento que é retribuído por quem ali passa. A sua perfeita visão permite-lhe reconhecer muitos dos conhecidos que por ali passam.
Com uma visão apurada, apenas a audição lhe vai pregando umas partidas e as conversas com a anciã têm que ser tidas em voz alta.
Lúcida, não esquece nenhum pormenor e vai recordando algumas das passagens da sua vida, uma vida de trabalho e luta. “Vieste de carro ou de avião? O pequenino já anda?”, questionou o bisneto Leandro, que se deslocou de França para assistir à festa de aniversário da sua bisavó.
“Come pela sua mão, lê todos os jornais que apanha e todas as cartas que chegam pelo correio. Tem que andar a par dos acontecimentos. Gosta de estar informada, pelo que temos que lhe contar tudo o que acontece”, recorda a neta, Maria da Luz, revelando que a avó é muito divertida e engraçada mas também “senhora do céu nariz”.
Antes de casar, com aquele que foi o seu único marido, Maria da Luz namorou um jovem da freguesia, oriundo de uma família com posses, que emigrou para o Brasil. A condição financeira foi um entrave ao namoro. Nunca mais se viram até que, há uns dez anos atrás, recebeu uma carta desse senhor, desde o Brasil. Estabelecido o contacto, todos os anos lhe enviava as boas-festas pelo correio, até há dois anos atrás, quando veio a falecer.

“A capela é nossa”
A disputa dos terrenos, junto à Senhora do Monte, entre as freguesias de Garfe e Gonça já vem de há muitos anos atrás. Nos seus tempos de criança, Maria da Liz e outros jovens de Garfe iam pastorear os animais para junto da antiga capela da Senhora do Monte.
“Era sempre lá um barulho. Eles diziam que era deles e nós dizíamos que era nossa. E é nossa. A capela é nossa, é daqui”, revela Maria da Luz.
Pegamo-nos, uma vez, ao barulho uns com os outros e eles (os de Gonça) foram chamar os pais deles. Nós dissemos que tanto vale vir os pais como não vir. A capela é nossa, está no que é nosso”, afirma ainda Maria da Luz.

Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso

As grandes apostas para dois anos

A valorização dos projectos com financiamento comunitário é um dos pilares do Plano Plurianual de Investimentos da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
De fora das concretizações fica o projecto do Fórum Municipal, da Piscina Descoberta, do Pavilhão Gimnodesportivo da vila e da Regeneração Urbana da vila. Uma das apostas, para o próximo ano, passa pela requalificação dos Centros Cívicos de várias freguesias, o Pavilhão
Gimnodesportivo de Monsul e a conclusão do Centro Educativo D. Elvira Câmara Lopes.
Deste modo, a autarquia pretende concretizar projectos que contribuam para um efectivo desenvolvimento das freguesias do nosso concelho.

Plano Plurianual de Investimentos
O Plano Plurianual de Investimentos, para os próximos dois anos, prevê a execução das seguintes obras: Centro Cívico de Garfe (320.000 euros); Centro Cívico de São João de Rei (220.000 euros); Centro Cívico de Travassos (220.000 euros); Centro Cívico de Sobradelo da Goma (220.000 euros); Centro Cívico de Santo Emilião (220.000 euros); Centro Cívico de Campo (150.000 euros); Centro Cívico de Monsul (150.000 euros); Centro Cívico de Taíde (186.000 euros); Polidesportido do Pontido (70.000 euros); Pavilhão Gimnodesportivo de Monsul (801.000 euros); Beneficiação e pavimentação da estrada do Bobeiro, freguesia de Taíde (401.000 euros); Beneficiação e pavimentação da EM 592 que liga as freguesias de Geraz e de Ferreiros (400.000 euros); Beneficiação do caminho agrícola do Carvalho de Calvos (118.000 euros); Beneficiação do caminho agrícola da Camaroa em Serzedelo (199.800 euros); e Beneficiação do caminho agrícola em Sobradelo da Goma (147.105 euros);
A estes projectos, junta-se o Centro Educativo D. Elvira Câmara Lopes (2.485.000 euros); o projecto de melhoramento da eficiência energética na Piscina Coberta (296.200 euros); o projecto de redução da factura energética na iluminação pública (252.226 euros) e o alargamento da rede de água e saneamento em várias freguesias num montante global de 1.261.000 euros.

Documento Verde da Reforma Administrativa

Juntas do PS discordam

Os presidente de Junta eleitos pelo Partido Socialista manifestaram, em carta enviada à comissão eventual para a Reforma Administrativa do Poder Local, emanada da Assembleia Municipal, a sua “absoluta discordância do Documento Verde para a Reforma da Administração Local apresentado pelo governo”.
Os signatários – os presidentes das Juntas de Freguesia de Águas Santas, Bru-nhais, Calvos, Campo, Covelas, Ferreiros, Fontarcada, Frades, Geraz do Minho, Louredo, Moure, Oliveira, Rendufinho, Sobradelo da Goma e Verim, eleitos pelo Partido Socialista não concordam com uma reforma feita “à pressão” e a "régua e esquadro".
Na missiva, aponta a falta de respeito pela identidade, pela cultura e pela história do povo e do país.
“Com esta reforma o Governo Português está a destruir um dos pilares fundamentais da nossa democracia: as nossas freguesias. As freguesias desenvolvem um papel fundamental junto das populações, é em torno delas que se firmaram no dia-a-dia os vínculos religiosos, culturais, educacionais e assistências das populações, substituindo em muitos aspectos a acção do Estado central”, pode ler-se na carta enviada à comissão.

Autarcas socialistas contra a extinção do nome das freguesias
“Qualquer uma das soluções do Documento Verde conduz obrigatoriamente à extinção das freguesias, à eliminação dos respectivos nomes, bem como dos símbolos das mesmas, acabando por se perder, irremediavelmente, as tradições e a história das freguesias”, refere ainda a carta.
“A história mostra-nos que uma reforma desta natureza não é possível ser imposta e incrementada em pouco mais de meio ano. Uma reforma séria, sustentada e proficiente exige tempo e não se compadece com “urgências” de carácter meramente econo-micista.

Não há benefícios
E a verdade é que desta reforma não se descortina qualquer proposta de benefício tangível para as populações. Todos sabemos o que perdemos – que é muito –, e ninguém sabe o que se ganha!...”, pode ainda ler-se.
“Por outro lado, importa considerar que ainda não foi publicada qualquer lei, sendo o Documento Verde um conjunto de orientações e de intenções sem qualquer tipo de obrigatoriedade. Acresce que, por força da forte contestação social sentida, têm vindo a público nos órgãos de comunicação social notícias da possível alteração dos critérios vertidos no Documento Verde, que podem condicionar, por completo, os mapas que hoje se possam desenhar. Pelas razões acabas de expor, os signatários são frontalmente contra esta reforma administrativa, recusando-se veementemente a analisar quaisquer propostas de agregação, estando determinados a, num clima de participação e respeito democrático, lutar com todos os meios ao seu alcance para que a mesma não se venha a concretizar”, dizem ainda os presidentes de Junta eleitos pelo PS.

Aldeia de Garfe

Crianças deslumbradas

De olhar curioso, os mais pequenos apreciavam as várias figuras do presépio da Igreja, uma das quinze construções que integram a “Aldeia dos Presépios”, em Garfe. Ao longo dos últimos dias, e numa iniciativa que conta com a colaboração da Câmara, as crianças dos jardins-de-infância do concelho visitaram os presépios de Garfe. Na tarde de dia 5 de Janeiro, foi a vez dos alunos do jardim-de-infância do Centro Educativo do Cávado visitarem a “Aldeia dos Presépios”. Para além das figuras centrais – José, Maria e o Menino Jesus, os vários presépios integram imagens que retratam as várias profissões do meio rural. O lenhador, o pescador e o agricultor, com o malhar do milho, podem ser encontrados nos vários presépios.
Com imagens movimentadas, o presépio do lugar da Igreja cativou os mais pequenos que “em bicos de pés” lá iam espreitando as várias figuras. “Gostei de todos os presépios”, referiu Nuno Coelho, do Centro Educativo do Cávado, no final da visita ao presépio da Igreja. “Vi o homem a pescar, a fazer o pão e vi uma igreja. São bonitos”; disse ainda aquele aluno.
Tal como o Nuno, também o Dinis, de 4 anos, gostou dos presépios. “Vi o presépio, com jesus e a senhora e vi o homem a pescar. Estou a gostar”, referiu o Dinis.
Para a professora Graça Duarte, do Centro Educativo do Cávado, a “visita foi vivida com grande entusiasmo”.
“Gostam muito e acho que se revêem e reconhecem certas profissões. Eu gosto e eles gostam também porque alarga um pouco a ideia do presépio pois tem vivência do meio local, representadas no próprio presépio e acho que isso enriquece o próprio presépio e eles gostam bastante”, referiu ainda a professora Graça.
Depois da visita ao presépio da Igreja, os mais pequenos apreciaram as imagens que integram o Monumento aos Presépios de Garfe, localizado junto à Igreja Paroquial. O Menino Jesus foi quem mais cativou a atenção dos mais pequenos.
Inaugurados a 11 de Dezembro, os Presépios de Garfe terminam no dia de hoje. Quem ainda não o fez, tem oportunidade neste dia para o fazer.

Presépios de Garfe integram Roteiro dos Presépios da Diocese
Aquando da visita aos presépios de Garfe, D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga, deu a conhecer um dos futuros projectos da Diocese – a criação de um roteiro, que abarque os vários presépios existentes na Diocese de Braga. Esta poderá ser uma das grandes novidades na próxima edição dos Presépios de Garfe. “A ideia que o Senhor Arcebispo deixou na visita aos presépios é de agarrar, que é fazer um roteiro dos presépios da Diocese e Garfe, naturalmente, ocupa um dos primeiros lugares. Penso que pode ser bom já no próximo ano fazer esse roteiro a nível de diocese”, adiantou o padre Luís Peixoto Fernandes, pároco de Garfe.
“De certeza que os presépios de Garfe vão ganhar outra dimensão e certamente que muita gente que ainda não os conhece vai passar a conhecê-los”, revelou ainda o sacerdote.
Traçando um balanço muito positivo dos dez anos de existência dos presépios, o padre Luís Peixoto Fernandes revelou que os mesmos cresceram, de ano para ano, em quantidade e em qualidade, assim como no número de visitantes.
Deixando uma palavra de apreço ao povo de Garfe, o sacerdote aponta que os pre-sépios se devem a eles, que neles trabalham e que procuram, em cada ano, inovar e fazer mais e melhor.
Para o Natal de 2012, a aposta passará por aumentar o número dos presépios existentes. Outra das novidades poderá acontecer no dia da missa em cada um dos presépios. “No presépio da Devesa, por ocasião da celebração da missa, os moradores ocuparam o lugar de algumas das figuras do presépio. A ideia poderá ser alargada a todos os presépios, por ocasião da celebração da missa em cada um deles”, adiantou o padre Luís Peixoto Fernandes.

Fontarcada

Auditório recebe “Quebra Nozes”

A Póvoa de Lanhoso recebe, pela primeira vez, no dia 21 de Janeiro, sábado, o espectáculo de ballet clássico “O Quebras Nozes”, de Tchaikovsky. O espectáculo, trazido à Póvoa de Lanhoso pelo Centro de Dança do Porto, tem lugar no Auditório de Fontarcada e insere-se no programa das comemorações dos 10 anos de reabertura e de programação cultural do Theatro Club, que dedica o mês de Janeiro à temática da Dança. “Desta forma, os povoenses e suas famílias poderão assistir à versão reduzida e narrada, com cerca de 80 minutos, de “O Quebra Nozes”, um espectáculo para maiores de três anos. Trata-se de uma oportunidade, por certo, por muitos ansiada e, por isso, a não perder, pois, como já foi referido, é a primeira vez que o nosso concelho acolhe este tipo de espectáculo, que vai envolver cerca de 40 bailarinos”, revela.
O preço dos bilhetes é de 10 euros para adultos e de 5 euros para crianças. As crianças com idades entre os três e os cinco anos não pagam bilhete, desde que fiquem sentadas ao colo.

TT Lanhoso

3.º Enduro é já no dia 29

A Póvoa de Lanhoso prepara-se para receber, no dia 29 de Janeiro, o 3.º Enduro Póvoa de Lanhoso, numa organização levada a cabo pelo TT Lanhoso. De recordar que, no ano transacto, o evento contou com a presença de cerca de 200 participantes, numa prova carimbada pelo sucesso. A boa organização, aliada aos traçados repleto de emoção, têm trazido muitos adeptos das duas rodas até às Terras da Maria da Fonte. Mais uma vez, a organização promete não deixar o crédito por mãos alheias e tem preparada uma prova de agrado de todos os participantes.
Elite, para pilotos profissionais; enduro 1, 2 e 3, são as categorias que integram esta terceira edição do Enduro Póvoa de Lanhoso. Os interessados devem aceder ao site da organização – www.ttlanhoso.com - para realizar a sua inscrição.
Mais do que uma prova de desporto motorizado, a organização pretende, com mais uma edição do Enduro Póvoa de Lanhoso, promo-ver as Terras da Maria da Fonte, levando o nome da Póvoa de Lanhoso a todos os cantos do país.
Até ao momento, e segundo informações prestadas por Adelino Soutinho, já estão inscritos 190 pilotos, pelo que se adivinha que o número exceda o da edição passada, realizada a 6 de Fevereiro de 2011.
Paulo Felícia, campeão nacional e europeu de enduro; e Luís Oliveira, vice-campeão mundial youth-cup de enduro, são as presenças já confirmadas, às quais se juntarão outros nomes de referência no pano-rama nacional. Tal como no ano transacto, a edição deste ano contará com pilotos espanhóis. O início do 3.º Enduro está agendado para as 11 horas e terminará por volta das 17 horas. Fazer do 3.º Enduro uma referência concelhia ao nível do desporto é um dos objectivos da organização, que espera uma grande adesão do -blico povoense.
“Para este ano, a organização mantém os moldes das bem-sucedidas edições anteriores mas promete novos desafios, novas imagens e algumas surpresas que serão divulgadas a seu tempo. Uma das características deste Enduro é a acessibilidade a todos os pilotos, sendo, claramente, direccionado para os pilotos amadores. O percurso e especiais não apresentam grandes dificuldades e pode-se definir como um percurso técnico em redor do Castelo de Lanhoso”, adianta Adelino Soutinho, da organização. As inscrições decorrem, no Espaço Jovem, das 8 às 10 horas, e a partida está prevista para junto do Anfiteatro do Pontido.