EDITORIAL

Armindo Veloso



Escalar e cair

Certo dia, num parque de diversões, tive uma sensação horrível. Entusiasmado pelos amigos entrei numa gaiola que subia lentamente a pique, suportada numa coluna metálica, cerca de quarenta metros e, lá no topo, era deixada cair, em queda livre, até meia dúzia de metros do chão, cujo sistema hidráulico a ia aparando.
Os órgãos internos eram atirados, pela força da gravidade, contra todos os pára-choques existentes nas entranhas.
Tenho nessa “armadilha” uma estupidez irrepetível.
Esta história, salvo as devidas proporções, faz-me lembrar um pouco o que se está a passar com a nossa economia; finanças públicas e privadas.
Enquanto as nossas finanças privadas, em última instância são essas que contam, iam subindo lentamente durante estes vinte anos “loucos”, nós fomos gostando tanto quanto eu gostei da paisagem na subida da tal gaiola. Chegados ao topo do consumismo, enganados, não por amigos de feira mas por mercados insaciáveis, e fomos largados às feras desses mesmos mercados, a queda foi, é e será brutal.
Ainda estamos a tempo de fazer com que a rampa não desça a pique e se transforme num desfiladeiro íngreme. Talvez a maior dificuldade vá ser a de desfazermos as ilusões que, complacentemente, fomos deixando incutir nas novas gerações. Para esses, a queda vai mesmo ser a pique. Que tenham pára-choques resistentes. É o que esperamos.

Estamos outra vez no Natal.
Ainda ontem o tempo nunca mais passava.

BOAS FESTAS PARA TODOS

Até um dia destes!
CASTELO

Presépios de Garfe

A freguesia de Garfe vestiu-se a rigor para a época natalícia. Quinze presépios, espalhados pela freguesia, dão um colorido diferente àquelas paragens. O trabalho e a dedicação dos moradores de Garfe deram lugar a 15 belas construções. A tudo isto, juntam-se alegres momentos de convívio entre os moradores dos vários lugares. Parabéns a todos pela 10.ª edição da “Aldeia dos Presépios”.
CASTELO DE AREIA
Iluminação

A contenção chegou, este ano, à iluminação natalícia na vila. Ao invés de outros anos, com a vila lindamente iluminada, a Câmara Municipal optou por não colocar qualquer enfeite ou iluminação. Fosse qual fosse a decisão (colocar ou não), a mesma iria originar os mais diversos comentários. Compreende-se que os tempos não são para esbanjar, mas passar do “muito” para o “nada” poderá não ter sido a melhor opção. É a crise!

No passado dia 1O de Dezembro


Município assinalou
Dia da adopção da Declaração
Universal dos Direito Humanos

Na passagem dos 63 anos da adopção da Declaração Universal dos Direitos Humanos, celebrada no passado sábado, dia 10 de Dezembro, a Câmara Municipal, através do SIGO – Serviço para a Igualdade de Género e do projecto Localdiguais, em colaboração com alunas da Escola de Educação da Universidade, procedeu à auscultação de cerca de 120 pessoas relativamente à temática dos Direitos Humanos.
“Cada um dos inquiridos escolheu um dos cinco valores postos a votação – Liberdade; Igualdade; Pessoa; Dignidade Humana e Solidariedade. À semelhança da escolha feita pelo presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Humana foi o valor por quem mais pessoas deram a cara, posando para o efeito, com a sua escolha”, revelou Carla Melo, coordenadora do SIGO e do Localdiguais. Cada inquirido recebeu uma t-shirt alusiva ao dia, fazendo referência ao projecto Localdiguais, onde se podia ver inscrita a frase que representa o Artigo 1º da Declaração: Todos as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos.

Garfe


Presépios de encantar
Até ao dia 8 de Janeiro, a freguesia de Garfe transforma-se na “Aldeia dos Presépios”. Espalhados pelos vários lugares da freguesia, os 15 presépios colocam Garfe num dos pontos de passagem obrigatória na época natalícia.
Do concelho da Póvoa de Lanhoso, dos concelhos vizinhos e de vários pontos do país, a freguesia de Garfe recebe milhares de visitantes que ali se deslocam para apreciar os presépios construídos pelos habitantes da freguesia.
A abertura da “Aldeia dos Presépios”, na tarde de do-mingo, dia 11 de Dezembro, ficou marcada pela inauguração do monumento que assinala a 10.ª edição dos Presépios de Garfe, numa ocasião em que aquela freguesia recebeu a visita de uma comitiva vinda da localidade francesa de La Fare Les Oliveira, vila com a qual a freguesia de Garfe se encontra geminada.
Por ocasião da inauguração do monumento – um presépio com as principais figuras do presépio, construídas por Fernando Vieira, habitante da freguesia, o padre Luís Peixoto Fernandes, pároco de Garfe, referiu que aquele marco “ficará para sempre a perpetuar os dez anos dos presépios de Garfe”, numa homenagem a todos aqueles que trabalham nos vários presépios ao longo dos dez anos, bem como a todos quantos colaboraram, nomeadamente a Junta de Freguesia de Garfe e a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
O momento foi também aproveitado, com o descerrar de uma placa, para “homenagear a terra amiga e irmã” de La Fare Les Oliviers. Para além de todos os agradecimentos, o padre Luís Fernandes recordou que, “por esta altura, a freguesia de Garfe transforma-se num grande presépio, um presépio cheio de encanto e beleza”.
Depois da cerimónia de inauguração, seguiu-se a visita aos quinze presépios, assim como à Feira da “Aldeia dos Presépios”.
O Presépio da Devesa foi o primeiro a receber a celebração da eucaristia. O momento da inauguração daquele presépio contou com uma surpresa, com os habitantes a substituir, naquela ocasião, algumas das figuras que integram o presépio. A Sílvia, a bebé Margarida e o Eusébio, assumiram as figuras centrais do presépio, representando Maria, o Menino Jesus e S. José.
Igreja, Centro Social, Gondiães, Pena, Comenda, S. Pedro, S. Roque, Escola EB 1/JI, Rancho, Salgueiros, Costa, Quintã, Cilindro, Devesa e Carvalhinho são os quinze presépios desta edição de 2011.
De ano para ano, os habitantes de Garfe incutem cada vez mais qualidade às várias construções, deliciando todos aqueles que se deslocam àquela freguesia para apreciar os vários presépios.

Garfe recebe visitantes de vários pontos do país


Pároco satisfeito
com a qualidade dos presépios

São maravilhosos. Temos presépios que são melhores que em anos anteriores. Todos os anos temos vindo a melhorar. Nunca diminuímos em quantidade. Há dez anos eram sete, hoje são quinze e são cada vez mais belos, como podem comprovar”, disse o padre Luís Peixoto Fernandes, à margem da cerimónia de inauguração.
“Temos muita gente de vários pontos do país que passam por aqui, como Elvas e Évora, e já recebemos solicitações de Espanha”, recorda o padre Luís Fernandes, vincando que no dia anterior à inauguração a freguesia recebeu algumas excursões.
Para os próximos anos, o sacerdote reiterou o desejo de aumentar o número de presépios. A sede de Junta de Freguesia poderá ser a instituição a construir um presépio no próximo ano.

Feira dos Produtos Regionais
atrai visitantes

Aos sábados e domingos, a “Aldeia dos Presépios” é abrilhantada pela feira dos produtos regionais. A Feira da “Aldeia dos Presépios” pode ser visitada aos sábados, das 14h30 às 23 horas e aos domingos, das 14h30 às 18 horas.
Flores, cestaria, produtos hortícolas, mel, compotas, broa, objectos em madeira, bolos, velas, tapetes e bijutarias são alguns dos produtos que ali podem ser adquiridos.
A Associação de Turismo da Póvoa de Lanhoso é uma das entidades que marca presença na feira. Promover os produtos do concelho é um dos objectivos da presença. Ali, os visitantes podem adquirir, entre outros, peças de filigrana, comportas e vinhos.
Composta, maioritariamente por vendedores da freguesia, a feira dos produtos regionais é visitada por muitos dos que ali se deslocam para apreciar os presépios construídos pelos habitantes da freguesia. Na banca do Centro Social de Garfe, os visitantes podem encontrar compotas e pequenos presépios construídos pelos utentes da instituição. Queijadas de coco, de amêndoa e feijão, folhados de ovos moles com amêndoa, filhoses, rabanadas e sonhos foram algumas das iguarias preparadas por Alda Gonçalves, moradora de Garfe. Mais uma vez, marca presença na feira da “Aldeia dos Presépios” com os produtos caseiros. Outra das moradoras presentes na feira foi Aida Machado. Na sua banca, os visitantes puderam adquirir mel, hortaliças, alfaces, broa, feijão, chouriço e água-pé.
“Está a correr muito bem. Adoro esta feira”, revelou Aida Machado, satisfeita com o negócio no dia de inauguração.

Garfe


Capelas antigas
e modernas em livro

A abertura da “Aldeia dos Presépios”, no passado domingo, ficou marcada pelo lançamento do livro “Capelas de Garfe – As Antigas e as Modernas”, da autoria do padre Luís Peixoto Fernandes.
A apresentação da obra, composta por cerca de 50 páginas, esteve a cargo do jornalista e escritor José Abílio Coelho. No decurso da apresentação da obra, José Abílio Coelho vincou que “o tempo de um livro não passa tanto pelo que dele se diz mas pelo que ele nos diz”.
“Lê-lo, entendê-lo, valorizá-lo por aquilo que ele nos trouxe à luz do nosso saber sempre pequeno e pobre é a melhor das homenagens a quem passou meses, às vezes anos, a pesquisar, a escrever, ou a reescrever, a corrigir aquilo que as páginas do livro encerram e tantas vezes se lê num par de horas”, considerou José Abílio Coelho.
“Pequeno em tamanho mas enorme em conteúdo”, referiu ainda o jornalista José Abílio Coelho.

livro marca história

“Por toda a informação que nos deixa, por todos os nomes que invoca, fazendo com que ressaltem do esquecimento aqueles que em séculos já distantes deram muito de si e do que tinham para que Garfe possuísse os seus lugares de devoção, pela memória que ressuscita dos homens e mulheres desse tempo e deste tempo em que vivemos ou porque resguarda do esquecimento quanto aos vindouros, este livro marca definitivamente a história desta freguesia e, porque não dizê-lo, da história deste concelho da Póvoa de Lanhoso”, referiu ainda o apresentador da obra.
Quanto à obra, o padre Luís Peixoto Fernandes salientou que se trata de um “trabalho pequenino mas muito cuidado e fundamentado sobre as capelas de Garfe.” “Penso que é um trabalho histórico, cultural e, naturalmente, religioso”, considerou ainda o sacerdote. Para além de dar a conhecer as antigas e as modernas capelas, o sacerdote considerou que a obra é um “importante contributo para desfazer algumas dúvidas que, porventura, alguém tenha sobre os limites da freguesia e do concelho”.

No passado dia 2 de dezembro


Professor José Bento da Silva homenageado
No dia 2 de Dezembro, o professor José Bento da Silva disse adeus aos bancos de escola, terminando a sua carreira como docente. Uma aula, sobre a toponímia povoense, marcou o ponto final na carreira do docente que contou com uma distinta plateia, constituída pelos docentes e responsáveis da Escola Secundária da P. Lanhoso.
O momento foi aproveitado pelo Conselho Pedagógico da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso para prestar um voto de louvor ao professor José Bento da Silva que, durante 17 anos, leccionou naquele estabelecimento de ensino.
O acto, considerado como de inteira justiça, reconheceu a dedicação e o empenho de José Bento da Silva nos 17 anos em que esteve ligado à Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso.
A diligente coordenação pedagógica do grupo de Português; a atenta e humanizadora missão como director de turma; a competente e empenhada acção pedagógica em prol do ensino e da língua e literatura portuguesa; a esmerada entrega ao projecto do jornal “Preto no Branco”; a extraordinária entrega à causa da educação e a grandiosidade do seu carácter foram destacados pelo Conselho Pedagógico, no momento de leitura do Voto de Louvor.
“Será sempre um modelo, um exemplo para todos que com ele privaram”, referiu a professora Rosa Sousa.
Depois da “aula” sobre toponímia, José Bento da Silva foi presenteado com a obra “As Ruas do Porto” de Luís Miguel Queirós, assim como os Lusíadas.
“Eu amei muito a minha escola. A minha escola é toda a gente que lhe dá vida: os alunos, os professores e os funcionários. A escola do meu coração foi a Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso. Mas nunca fui um professor à medida do amor que tive à minha escola. Mas tentei sempre fazer o melhor e ser um profissional á altura dos meus colegas e dos alunos que me foram confiados”, foi a mensagem deixada pelo professor José Bento da Silva.

Câmara Municipal

Formação procura potenciar
recursos dos parceiros sociais

O Eu na relação com os outros” é o tema da formação de coaching, que está a de-correr nas CSIF’s – Comissões Sociais Inter Freguesias da Rede Social da Póvoa de Lanhoso e que tem como principal objectivo dotar os parceiros sociais de um maior nível de consciência das potencialidades de que dispõem enquanto indivíduos e na relação com os outros. Participam nesta acção cerca de 50 pessoas.
Fornecer ferramentas simples de desenvolvimento pessoal e profissional, que possam ser implementadas na realidade do dia-a-dia para maximizar a participação activa e o envolvimento de todos no trabalho de rede é outro dos objectivos desta formação, promovida pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
Plenamente conscientes de que se torna cada vez mais necessário reforçar os laços sociais existentes, com vista a fortalecer os canais de comunicação, a optimizar os recursos existentes, potenciando o que cada um faz de melhor, partilhando ideias e experiências, baseados no respeito e na confiança interinstitucional e colaborando em prol do melhor desenvolvimento social ao nível local.
A formação é dinamizada por Nuria Mendoza e decorre num total de quatro sessões por grupo.
O primeiro grupo da CSIF VidaCentro já terminou a 15 de Novembro, tendo já iniciado o segundo grupo da CSIF do Alto Ave a 16 de Novembro. No que concerne ao Baixo Concelho, a formação teve início a 22 de Novembro.

De 19 a 3O de dezembro


Férias Activas – Natal 2011
no Espaço Jovem

Destinado a crianças e jovens, dos 6 aos 16 anos, o programa “Férias Activas”, promovido pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, através do Espaço Jovem e do Centro Ambiental do Carvalho de Calvos, tem o seu início a 19 de Dezembro e prolonga-se até ao dia 30 de Dezembro, aproveitando o período de paragem na escola por motivo das festas natalícias.
Proporcionar às crianças e jovens um programa organizado de carácter educativo, cultural, desportivo, recreativo e ambiental nas diferentes interrupções lectivas é um dos objectivos do programa “Férias Activas”.
A este junta-se a implementação de resposta ao nível da ocupação saudável dos tempos livres das crianças e jovens, privilegiando a intenção de criar alternativas para os encarregados de educação que não têm onde nem com quem deixar os filhos nos períodos de interrupção lectiva.
As inscrições podem ser realizadas no Espaço Jovem e no Centro Ambiental de Calvos, nos horários habituais.

Obra custou 1O8 mil euros


Cemitério sofreu intervenção

Cerca de 108 mil euros foi a verba investida pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso no cemitério municipal.
As recentes obras, concluídas por ocasião do Dia de Todos os Santos, compreenderam a construção de um acesso pedonal em calçada, para facilitar o acesso das pessoas com mobilidade reduzida ao segundo campo do cemitério, assim como a criação de sanitários e de uma arrecadação.
Além destas intervenções, na escadaria principal foi colocado um corrimão, para facilitar o acesso das pessoas ao campo santo.
“Esta intervenção era uma necessidade há muito sentida pela população da vila utilizadora daquele espaço municipal”, revelam os responsáveis da autarquia povoense.
“As melhorias realizadas têm recebido diversos elogios por parte da população local”, deu conta a Câmara Municipal da P. Lanhoso.

na freguesia de Fontarcada


Centro de Criatividade
inaugurou “nova casa”

Ao som da Fanfarra dos Escuteiros de Fontarcada e dos Gaiteiros de Braga, o público foi convidado, na tarde de quinta-feira, dia 8 de Dezembro, a conhecer a “nova casa”, do Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso, na freguesia de Fontarcada, num espaço que, há anos atrás, acolheu o Instituto Superior de Saúde do Alto Ave.
O momento marcou, também, o arranque do “Encontrartes”, um encontro de artes promovido pelo Centro de Criatividade e pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, aos quais se juntaram as Juntas de Freguesias, colectividades e associações do concelho.
De quinta-feira a sábado, de 8 a 10 de Dezembro, o “Encontrartes”, que decorreu no Auditório de Fontarcada, ficou marcado por mais de 80 apresentações, numa verdadeira aliança do tradicional com o contemporâneo. A tudo isto, juntou-se a gastronomia, o artesanato, com a filigrana e os objectos em madeira, bem como uma mostra de produtos regionais.
Durante aqueles dias, a freguesia de Fontarcada transformou-se no centro das artes do concelho da Póvoa de Lanhoso.
Canto, dança, teatro, música, vídeo, artes plásticas, artesanato, gastronomia e música foram algumas das ofertas disponíveis para todos quantos visitaram, por aqueles dias, o Auditório de Fontarcada.
No momento de apresentação da iniciativa, a vereadora Fátima Moreira, vincou que o “Encontrartes” alia o princípio da celebração e o princípio de desafio. “Encerra dois princípios, o princípio da celebração e o princípio do desafio. Da celebração, por-que queremos festejar juntos a dignificação deste espaço, um espaço que estava morto, devoluto, um espaço que vai ganhar vida e um espaço que vai servir de palco para colocar a Póvoa de Lanhoso na estratégia cultural e artística da região”, referiu Fátima Moreira, referindo-se ao Auditório de Fontarcada, um espaço que acolheu, há anos atrás, o ISAVE.

Fazer diferente

“Este é o desafio de olharmos para o que temos, porque isso é a nossa génese, e sermos capazes de fazer de forma diferente, de inovar, de criar e de, por via disso, criar competitividade neste território”, revelou ainda Fátima Moreira.
Às fanfarras, ranchos folclóricos, grupos corais, cavaquinhos, concertinas, cantares ao desafio e bandas de música, juntou-se a dança e um conjunto variado de oficinas, desde a interpretação, passando pela sensibilização ambiental, compotas, pelo yoga e danças orientais.

Manuel Baptista revela desejo


Assumir-se como concelho da criatividade
Assumindo a vontade em afirmar a Póvoa de Lanhoso como o concelho da Criatividade, Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, destacou que nas Terras da Maria da Fonte “a cultura é vista não apenas na vertente de lazer e de formação cultural, mas também como contributo efectivo para o desenvolvimento económico do concelho”.
“Como é do conhecimento público, projectamos e candidatamos um novo equipamento a construir no centro da vila que serviria de alavanca para alcançar os objectivos atrás definidos. O Fórum Municipal seria a resposta física que permitiria concretizar a estratégia de concentração, num espaço de excelência, de várias respostas ao nível da promoção de manifestações culturais, organização de congressos, apoio às dinâmicas próprias das associações e de palco principal das actividades dos vários pelouros da autarquia. Entretanto, a realidade do país mudou. Os cortes orçamentais nas transferências do Orçamento Geral do Estado e a diminuição da receita própria da autarquia vieram condicionar a execução deste equipamento, o que nos levou a adiar a vontade que sempre manifestamos na sua construção. Tivemos, com sentido de responsabilidade, de tomar esta decisão”, anunciou o presidente da Câmara Municipal, dando conta do adiamento da construção do Fórum Municipal e da escolha por uma alternativa, o Auditório de Fontarcada.
“Mesmo assim, como não desistimos do objectivo que pretendemos levar à prática, porque acreditamos nele, encontramos uma alternativa que não sendo a óptima é certamente muito boa. E por isso aqui estamos hoje, em Fontarcada, a tornar pública a parceria que efectuamos com os proprietários deste imóvel que nos permite a sua utilização sem custos e onde vamos concentrar parte da estratégia que definimos para o Fórum Municipal”, revelou ainda Manuel Baptista, no momento de apresentação do “Encontrartes”, destacando que a P. Lanhoso “não pode ficar indiferente a esta nova forma de encarar a cultura, nem distante dos dois projectos europeus que os concelhos vizinhos de Guimarães e Braga vão acolher em 2012”.
Homenagem marcada pela emoção
Francisco Tinoco de Faria:
Homem simples de grandes causas


Garfe - ‘aldeia dos presépios’
Monumento e livro das capelas
são
a novidade deste ano

EDITORIAL

Armindo Veloso



Mentes

O caso Duarte Lima é para mim dos assuntos mais chocantes dos últimos tempos. Sei que perante as desgraças que vão ocorrendo por esse mundo fora e mesmo nas nossas barbas este caso pode parecer menor. Para mim não o é. E não o é porque toca em algo muito íntimo em mim que nem eu sei explicar.
Há, é claro, que ter em conta a presunção da inocência de Domingos Duarte Lima. No entanto, tendo sido a investigação feita por uma das polícias criminais mais qualificadas e treinadas do mundo e lendo a acusação largamos a réstia de esperança e apenas falamos de presunção de inocência por uma questão de direitos humanos e estado de direito.
Duarte Lima tem uma história de vida que toca de perto nos provincianos com dois dedos de mundo como eu me considero.
Homem que cresceu por mérito próprio no grande centro vindo de Bragança, que trepou a difícil corda da grande política para “intrusos” vindos do fim do mundo, que falava e praticava música, em órgão, como poucos, teve um baque: detectaram-lhe leucemia que lhe teria sido fatal se a medula do irmão não fosse compatível com a sua.
Ultrapassada a fase dramática da sua saúde, fundou e liderou, até há bem pouco tempo, uma instituição de apoio a doentes com leucemia. Acompanhou e apoiou desinteressadamente casos semelhantes ao seu de gente anónima.
Esse homem, que eu aprendi a admirar, está acusado de ter assassinado a sangue frio com tiros de pistola, previamente(!) comprada, uma senhora septuagenária e indefesa, atirando-a para uma valeta na esperança que fosse enterrada como indigente. Mais, essa senhora relacionava-se com ele há anos e confiava nele como homem e como advogado. As contas bancárias comprovam-no.
Como é possível? Que raio lhe terá passado pela cabeça?! Foi pelo dinheiro como parece? Como é possível, repito?!
Dizia-me o meu saudoso irmão mais velho, Januário, distinto psiquiatra e assinante/leitor deste jornal, que a mente humana pode ser a máquina mais terrível que existe à face da terra.
Digo eu: terrível porque pode destruir em massa. Mas terrível também porque é capaz de praticar crimes que sendo individuais, como é o caso, nos tocam no mais fundo da nossa alma.
Que tenhamos a mente sã. Sempre.
Até um dia destes.
CASTELO

SIGO

Juntamente com um conjunto de parceiros, dos quais se destaca o Ministério Público, a GNR, a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens e as IPSS’s do concelho, o SIGO – Serviço para a Igualdade de Género, instituído pela Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, tem prestado um contributo valioso às vítimas de violência doméstica. Com o projecto “Localdiguais”, a actividade do SIGO sairá reforçada, para bem de todos aqueles que são vítimas de violência.
CASTELO DE AREIA
Violência

Em apenas 5 meses, o SIGO – Serviço para a Igualdade de Género registou, 31 denúncias por violência doméstica, com apenas três dos casos a revelarem-se falsas denúncias. Estes números deixam preocupados os responsáveis concelhios uma vez que nos casais com filhos, em 100% dos casos, os menores assistiram aos actos de violência. Como se trata de um crime público, a denúncia pode ser feita por qualquer pessoa.

Câmara Municipal e EDP

Populações com melhor serviço

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso reuniu com responsáveis da EDP, no sentido de ficar a conhecer os projectos daquela entidade para o concelho da Póvoa de Lanhoso.
Da reunião, realizada a 14 de Novembro, ficou a saber-se que a EDP “tem várias obras previstas e em curso para melhorar significativamente a qualidade e a continuidade de serviço no nosso concelho”.
Em nota de imprensa, a autarquia refere que “o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista, e representantes da EDP (directores da zona norte e de Braga) reuniram, no dia 14 de Novembro, no sentido de analisarem a realização de melhoramentos nas freguesias do concelho no que se refere ao fornecimento da energia eléctrica e que vão contribuir para o aumento da qualidade de vida das populações”.
Segundo informação da EDP, a instalação de uma nova subestação em Caniçada é a obra mais emblemática prevista que vai melhorar a qualidade de serviço na Póvoa de Lanhoso. Quanto a investimentos no concelho, até ao final do ano fica concluída a construção de um novo posto de transformação, bem como as respectivas redes de média e baixa tensão, no lugar de Vale Grande, na freguesia de Friande.
Para o primeiro trimestre de 2012, e segundo nota da autarquia, será instalado um novo posto de transformação no lugar de Seides, freguesia de Galegos, com o lugar de Varzielas, em Sobradelo da Goma, a receber um posto de transformação no segundo trimestre de 2012.
A par destas novas construções, está também prevista a remodelação dos ramais de média tensão em Rendufinho e Friande, com condutores de maiores seções para aumento de fiabilidade e da capacidade de veicular mais energia. Obras que segundo os responsáveis da Câmara e da EDP, terão reflexos significativos na continuidade de serviço nas zonas que alimentam de energia eléctrica.

No passado dia 15 de Novembro


Rotary recebeu Governador

O Rotary Club da Póvoa de Lanhoso recebeu, no dia 15 de Novembro, a visita do Governador do Distrito 1970, António Goes Madeira. O momento, um dos mais importantes nas actividades de um clube rotário, ficou marcado por um jantar festivo, realizado no Hotel Rural Maria da Fonte, em S. Gens de Calvos.
Por ocasião dos discursos, António Lourenço, presidente do Rotary Club da Póvoa de Lanhoso, deu conta da sua satisfação pela visita do governador do distrito, António Goes Madeira. Destacando a reunião de trabalho, mas também o dia de festa, António Lourenço salientou que “sendo um dia de festa é, sobretudo, um dia para ouvirmos a mensagem que nos traz o governador ao clube da Póvoa de Lanhoso e a todos nós que part-lhamos estes ideais do clube rotário”.
Apontando o Rotary Club da Póvoa de Lanhoso como um exemplo a seguir, no que diz respeito à renovação do seu quadro social, Carlos Vale Rêgo, presidente do Rotary Club Braga Norte, clube padrinho do rotary povoense, destacou que o Rotary Club da Póvoa de Lanhoso está no bom caminho. “O seu futuro, com trabalho e projectos, está garantido”, referiu o presidente do clube padrinho.
Quanto ao lema do ano rotário, “Conheça-se a si mesmo para envolver a comunidade”, Fátima Moreira, vereadora da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, e em representação do presidente Manuel José Baptista, considerou que se trata de um tema pertinente face à conjuntura que se vive. Na sua intervenção, a responsável do Pelouro da Acção Social e Saúde, deu conta do trabalho desenvolvido pela autarquia na área social, assim como a preocupação de estar perto dos mais carenciados.
Dando conta da visita à vila da Póvoa de Lanhoso, nomeadamente à Câmara Municipal e aos Bombeiros Voluntários, o governador do Distrito, António Goes Madeira, salientou a grande aposta do rotary povoense na Universidade Sénior e destacou a preocupação do Rotary Club da Póvoa de Lanhoso no rejuvenescimento do quando social e apontou-o como um exemplo a seguir.
Durante a sua intervenção, o Governador do Distrito 1970, abordou o Rotary Fundation assim como as iniciativas mais marcantes a ocorrer nos próximos tempos.

Presidência Aberta

Serzedelo em análise

A freguesia de Serzedelo foi a terceira a receber a Presidência Aberta, que o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel José Baptista, está a realizar pelo concelho. Esta visita, que decorreu no dia 21 de Novembro, iniciou na sede de Junta de Freguesia para uma reunião de trabalho. Manuel Baptista esteve acompanhado da vereadora Gabriela Fonseca e do vereador Armando Fernandes, assim como do seu chefe de gabinete, Bruno Fernandes, e do seu adjunto, Avelino Silva. O presidente da Junta de Freguesia de Serzedelo, Álvaro Vieira, e elementos do seu executivo e da Assembleia de Freguesia também estiveram presentes. Durante este encontro, os autarcas apresentaram as suas visões sobre a conjuntura actual e sobre o que deve ser prioridade ao nível do concelho e ao nível da freguesia.
Durante a referida reunião de trabalho, foram abordados assuntos como o da realização de um caminho agrícola em Serzedelo, com comparticipação financeira comunitária, como o da sede de Junta ou o da Capela Mortuária, de entre outras questões.
Manuel Baptista sublinhou a redução das transferências do Estado para a autarquia, referindo que perdeu cerca de dois milhões e 800 mil euros; destacou o agravamento desta situação, nos últimos anos, e considerou que há que, mais do que nunca, estabelecer prioridades. “Todos nós gostamos de fazer obras, mas, neste momento, as nossas restrições são maiores. A situação de 2010 e 2011 é diferente da dos anos anteriores”, explicou. Por outro lado, Manuel Baptista apontou como sendo uma “boa notícia” a possibilidade de as taxas de financiamento comunitário subirem para os 95 por cento, o que poderá ser importante para projectos da autarquia.
Desde 2006, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso já investiu em Serzedelo cerca de um milhão e cem mil euros.
Esta Presidência Aberta prosseguiu com uma visita ao recém-inaugurado Lar João Paulo II, construído no âmbito do PARES e que recebeu uma comparticipação da Câmara Municipal no valor de 140 mil euros.

Oportunidades

Psicoterapia Social e Comunitária

Já está disponível na ‘Oportunidades’ – Associação Portuguesa de Prevenção e Apoio à Saúde Mental, localizada na Póvoa de Lanhoso, o serviço de Psicoterapia Social e Comunitária. “Na sociedade actual e respectiva conjuntura económica/social, reverter a ausência de saúde mental em conceito de igualdade tem sido um longo trabalho do qual importa não esmorecer.
No campo da saúde mental e de cidadania, vários são os desafios que se podem apontar às Organizações do Terceiro Sector (sem fins lucrativas) com responsabilidade social específica. A valorização traduzida em acréscimo de cidadania dos utentes portadores de doença mental é, sabe-se hoje um proveito de que a sociedade é directamente beneficiária e, por isso também, se impõe um padrão exigente de cidadania no âmbito da saúde mental”, destaca a “Oportunidades”.
O novo serviço, já disponível, assenta nos imperativos dos valores da inclusão social, através da intervenção no campo da saúde mental, contexto social, reabilitação psicossocial e comunitária.
Desde a sua criação, a “Oportunidades” assegura à população concelhia e supraconcelhia, o acesso a serviços habilitados a promover a saúde mental das populações, prestando cuidados de saúde e facilitando a reintegração e a recuperação das pessoas portadores de doença mental.

Dia 18 de Dezembro


Passeio de Pais Natal

O Moto Clube Maria da Fonte promove no dia 18 de Dezembro (domingo) o Passeio de Pais Natais. Vir vestido de Pai Natal e trazer um bem alimentar são as condições impostas aos participantes, num passeio aberto a todo o tipo de motos.
A concentração está marcada para as 13 horas, na Praça Engenheiro Armando Rodrigues, com o passeio a ter início pelas 14 horas. Saídos da vila, os pais natais iniciam um passeio que os levará por Fontarcada, Vilela, Taíde, Garfe, Vilela, Santo Emilião e S. Martinho do Campo são algumas das freguesias a percorrer pelos participantes. O passeio de Pais Natais integra, também, uma visita aos Presépios de Garfe.
Para além do convívio, o passeio de Pais Natais, assume um cariz solidário, com os bens recolhidos a reverter para a Loja Social da Póvoa de Lanhoso.

Iniciativa do Ano Europeu do Voluntariado


Escuteiros envolvidos nas 48 horas

A construção de uma cabana em madeira para um invisual, que integra a Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga, foi o projecto desenvolvido pelos escuteiros do Agrupamento de Nossa Senhora do Amparo e do Agrupamento de S. João de Rei, no âmbito das 48 horas do Voluntariado, uma das iniciativas do Projecto de Celebração do CNE para Ano Europeu do Voluntariado.
“Este invisual necessita deste espaço para a realização de alguns trabalhos manuais em resina e cola. Os objectos são todos construídos por ele, desde a realização do molde até à pintura. A casa onde habitava tinha uma garagem onde executava estes trabalhos mas a casa para onde vem não tem garagem mas tem um quintal onde nos permitem a construção desta barraca, que é essencial para o bem-estar do invisual”, revela Clarisse Matos, Coordenadora de Núcleo da Póvoa de Lanhoso para as 48h de Voluntariado e vice presidente da AADVDB.
Sensibilizar os jovens para a importância do espírito de serviço e da solidariedade são os objectivos do projecto.
A construção da cabana em madeira decorreu na freguesia de Galegos, local para onde vem habituar o invisual. O projecto teve o seu início no dia 12 de Novembro, com os escuteiros a construir um muro de suporte, pavimentando, também, o espaço onde foi erguida a cabana.
No passado dia 26 de Novembro, os escuteiros procederam à colocação da estrutura em madeira.
“O objectivo deste projecto será o de dar oportunidade dos invisuais serem activos, mostrarem que são capazes de fazer algo em que são bons”, refere ainda Clarisse Matos, coordenadora do projecto.

Comenius

EPAVE visitou a Turquia

No âmbito do projecto Comenius, um grupo composto por três colaboradores e três formandos da Epave - Escola Profissional do Alto Ave, da Póvoa de Lanhoso, visitaram, na semana de 22 a 29 de Outubro, a cidade de Kahramanmaras na Turquia.
“Esta visita foi promovida pelo Programa Europeu Aprendizagem ao Longo da Vida que visa melhorar a qualidade e reforçar a dimensão europeia da educação escolar através da promoção de diversos tipos de actividades de cooperação e de mobilidade com outros países da Europa”, revela a EPAVE, em nota de imprensa.
Assim, a EPAVE em parceria conjunta com as escolas de outros países europeus - Polónia, Turquia, Itália e Grécia, proporcionou aos seus formandos o desenvolvimento de conhecimentos e sensibilização sobre os “Direitos Humanos”, “Ambiente”, “Voluntariado” e “Preservação da Cultura”, tendo os 5 países envolvidos desenvolvido um projecto cujo tema “3R” – Heritage: Rights, Respects and Responsabilities” contempla aquelas questões. Este programa compreende, também, visitas alterna-das entre os parceiros, de forma a que cada um possa conhecer e dar a conhecer as suas gentes, região, escola/ensino, cultura, etc. É neste contexto que a equipa da EPAVE fez a sua 2ª visita, desta vez à Turquia e no futuro próximo à Grécia e à Itália.
Este intercâmbio vai permitir aos formandos e respectivos colabora-dores, a oportunidade de conhecer e dar a conhecer todos os países europeus envolvidos, promovendo a sensibilização e respeito intercultural, contactando com outras gentes e suas culturas, conhecendo as suas diferenças e aprender a respeita-las e a enriquecerem-se com elas.
Numa Europa Unida, apesar das diferenças, todos têm em comum a cidadania europeia, a tomada de consciência de “ser cidadão europeu”, sendo a par de todos os outros, um dos objectivos que se pretende alcançar com programas como este.

Ministério Público abriu 31 inquéritos em 2O1O


Violência doméstica é preocupante

No ano passado, o Ministério Público da Póvoa de Lanhoso abriu 31 inquéritos relacionados com violência doméstica, um número que preocupa a Câmara Municipal. Dos 51 inquéritos realizados nos últimos cinco anos, 31 deles referem-se a 2010. Estes dados foram avançados por Fátima Moreira, vereadora da Acção Social, no decurso da assinatura dos protocolos, no dia 18 de Novembro, com entidades parceiras do SIGO – Serviço para a Promoção da Igualdade do nero. Em termos nacionais, em 2010 foram mortas 43 mulheres, vítimas de violência doméstica. Nos últimos cinco anos, esse número eleva-se para 176 mulheres. Quanto a denúncias, foram realizadas, no ano passado, 31500 participações às forças de segurança, relacionadas com violência doméstica.
“Na Póvoa de Lanhoso, têm sido também preocupantes, para nós, os dados que têm surgido das denúncias associadas à violência”, referiu a vereadora Fátima Moreira.
“Há cerca de um ano e meio fomos desafiados por alguns parceiros da rede social a tentar encontrar uma resposta que, no concelho, pudesse minimizar este problema”, revelou Fátima Moreira, dando a conhecer o ponto de partida da criação do SIGO que conta, actualmente, com 13 parceiros.
O desafio foi, posteriormente, lançado a Carla Melo, a realizar um estágio profissional na Câmara Municipal. O SIGO - Serviço para a Promoção da Igualdade do nero foi apresentado o ano passado. Desde a sua apresentação, a autarquia desenvolveu um conjunto de acções de sensibilização nas escolas, promoveu a assinatura de um protocolo de colaboração com a CIG – Comissão para a Igualdade do Género e elaborou uma candidatura, ao abrigo da CIG e do POPH, no sentido de elaborar o Plano Municipal para a Igualdade e consolidar o SIGO.
“Estes números são números que nos devem preocupar e eu diria que nos devem até envergonhar e que nos devem como cidadãos e como responsáveis de intervenção vica na comunidade de pensarmos que isto tem que ser alterado. Tem que ser altera-do numa situação de emergência, em que uma vítima chega e precisa de ser atendida e precisa de uma resolução imediata, mas também tem que ser alterado na sua base, na sensibilização e na alteração de comportamentos”, vincou a vereadora da Acção Social.
“Se não conseguirmos cortar estes ciclos de violência, nunca mais vamos ter uma sociedade diferente”, alertou ainda Fátima Moreira.
O momento foi também aproveitado pela vereadora da Acção Social para dar a conhecer que o SIGO é um projecto de referência num projecto internacional desenvolvido com duas regiões da vizinha Espanha, e tem servido como um exemplo de boas práticas.
Mais do que dar resposta às vítimas, em termos de alimentação, alojamento e afastamento do agressor, o SIGO pretende estabelecer para as vítimas e suas famílias um plano de continuado de intervenção, que lhes possa proporcionar uma mudança de vida. De entre os vários parceiros do SIGO, destaca-se o Ministério Público, a GNR, a Comissão de Igualdade de Género, a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) e as IPSS’s do concelho.

‘Localdiguais’


Promover a igualdade de género

No dia 25 de Novembro, dia em que se comemorou o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, a Câmara Municipal apresentou o projecto “Localdiguais”, no âmbito do qual será elaborado o Plano Municipal para a Igualdade da Póvoa de Lanhoso.
A apresentação do projecto, a cargo de Fátima Moreira, vereadora da Acção Social e Saúde da Câmara Municipal, teve lugar durante o seminário “Igualdade e Conciliação – Perspectiva em Debate”, realizado no Theatro Club, num momento que encerrou a Semana da Igualdade, iniciada a 20 de Novembro.
Elaborar um diagnóstico local das questões de igualdade; construir, implementar, executar e avaliar o Plano Municipal para a Igualdade de Género; reduzir as assimetrias sociais e promover uma cidadania activa; desmistificar estereótipos de género e contribuir para a minimização de todas as formas de discriminação múltipla em meio escolar, e reforçar e acentuar as potencialidades do SIGO (Serviço para a Promoção da Igualdade do Género) são alguns dos objectivos do projecto “Localdiguais”.
Com a duração de dois anos, o projecto “Localdiguais”, financiado em 70% ao abrigo da medida 7.2 do POPH (Programa Operacional Potencial Humano) e da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, integra, entre outros, a realização do diagnóstico municipal para a Igualdade de Género, a elaboração e implementação do Plano Municipal para a Igualdade (PMI), acções de informação e sensibilização na comunidade e nos parceiros informais, acções de formação para os funcionários das autarquias, em especial para os dirigentes, uma avaliação final do PMI, assim como um seminário final. “Um projecto que vai desenvolver-se ao longo de dois anos e que visa implementar as políticas de igualdade de género, não só na autarquia mas também na comunidade”, frisou Fátima Moreira.
“Conhecer a realidade da igualdade de género será o ponto de partida para uma organização social mais justa, onde os homens e mulheres da Póvoa de Lanhoso possam ver incrementada a sua participação em cada uma das esferas da sua vida”, referiu ainda a vereadora Fátima Moreira.
A importância dos Planos Municipais para a Igualdade; o papel dos municípios na promoção da igualdade de género; a condição trabalho/ /família como condição de igualdade entre mulheres e homens; a conciliação entre a vida profissional e a vida familiar; e as boas práticas nas organizações foram alguns dos temas abordados no decurso do seminário “Igualdade e Conciliação”, que decorreu no Theatro Club.

Aldeia dos Presépios de Garfe


Monumento e livro são novidade

Para além dos 15 presépios, a edição deste ano da “Aldeia dos Presépios” fica marcada pela inauguração de um monumento, junto à Igreja Paroquial, e pela apresentação do livro alusivo às Capelas de Garfe, da autoria do Padre Luís Peixoto Fernandes.
Depois da missa solenizada pelo Agrupamento de Escuteiros, no do-mingo, dia 11 de Dezembro, pelas 10 horas, segue-se, às 14h30, a abertura solene da “Aldeia dos Presépios”, com a inauguração do monumento alusivo aos Presépios de Garfe, prosseguindo a cerimónia com a visita a todos os presépios. Às 17 horas, celebra-se a missa no presépio do lugar das Devesas, à qual se segue o convívio entre os presentes.
Posteriormente, pelas 19 horas, no Salão Paroquial, é apresentado o livro “As Capelas de Garfe”, da autoria do pároco daquela freguesia.
Desde o início de Novembro que os moradores de Garfe deitaram mãos à obra na preparação dos vários presépios. No interior das habitações, e num trabalho que não é visível, preparam-se as figuras e as roupas, para que tudo esteja a postos para o dia de inauguração. Os terrenos, que recebem as várias construções já estão a ser preparados. Limpa-se o espaço, repara-se as construções existentes e preparam-se algumas novidades para a edição deste ano.
No sábado, dia 26 de Novembro, eram visíveis os trabalhos de limpeza em alguns dos presépios. No presépio da Igreja, que compreende os mora-dores do lugar de Igreja de Cima, Rande e Assento, procedia-se à construção da estrutura que acolherá as várias figuras movimentadas. Contando com mecânicos e marceneiros daqueles lugares, a estrutura vai ganhando forma. Este ano, a mudança de local, para a parte lateral da Igreja Paroquial, permite a construção de uma cobertura que abrigará todos aqueles que visitem aquele presépio. A esta nova estrutura, juntam-se, também, algumas novidades que só serão desvendadas por ocasião da inauguração.
No Presépio da Devesa, Carvalhinho e de Salgueiros, os trabalhos de limpeza e preparação do terreno eram visíveis. No presépio da Devesa, foi construída uma pequena ponte para os visitantes terem uma melhor vista do presépio. Em casa, estão a ser preparadas as imagens e as roupas. “Fica-mos contentes por vermos o trabalho reconhecido. Os presépios têm recebido a visita de pessoas de todo o país. Esta é, também, uma forma dos moradores conviverem”, referiu um morador do lugar da Devesa.

Padre Luís fernandes traça balanço positivo
“Desde o Natal de 2002 que têm sido construídos com o objectivo de que, os garfenses e as muitas pessoas que os visitam, vivam o Natal como tempo de paz, alegria e fraternidade. E não só na ocasião do Natal, mas sempre”, recorda o padre Luís Fernandes, pároco de Garfe, relembrando o início da construção dos presépios naquela freguesia
Iniciada com 7 presépios, em 2002, a “Aldeia dos Presépios” foi crescendo de ano para ano, chegando aos 15 presépios, em 2009, número que se mantém até ao momento. O desafio futuro, apontado pelo padre Luís Peixoto Fernandes como difícil mas não impossível, é ultrapassar a barreira dos 15 presépios.
Destacando que o objectivo inicial foi deveras superado, e relembrando o seu início, o padre Luís Fernandes aponta que “nunca se pensava, naquele ano, que ia atingir estas dimensões, com notícias nos vários órgãos de comunicação social, desde televisões, jornais e rádio. Os presépios são conhecidos ao nível do país e também além-fronteiras”.

Monumento alusivo aos presépios
Junto à Igreja Paroquial, decorrem os trabalhos para a preparação do espaço que recebe, no dia 11 de Dezembro, o monumento alusivo à 10.ª edição dos Presépios de Garfe, num momento em que aquela freguesia recebe uma comitiva vinda de França, da localidade de La Fare Les Oliviers, vila geminada com a freguesia de Garfe.
Neste ano, o monumento, um presépio, será composto com as figuras centrais – Nossa Senhora, S. José e o Menino Jesus. Nos próximos anos, fica aberta a possibilidade de outras figuras se juntarem.

Livro esclarece limites do concelho
Numa obra da autoria do padre Luís Peixoto Fernandes, o livro “As Cape-las de Garfe” dá a conhecer as antigas e as novas capelas daquela freguesia, contando com prefácio do jornalista e escritor José Abílio Coelho e capa e contracapa com a assinatura de Tiago Barros Coelho. “Fala das antigas e das modernas capelas. Procura mostrar um pouco a história de Garfe no que diz respeito a capelas, Penso que é uma resposta, muito grande, e muito forte, àqueles que tem dúvidas sobre os limites do concelho”, esclarece o padre Luís Fernandes.
Temos duas capelas, a da Senhora do Monte, em Gondiães e a capela da Senhora do Monte, a antiga, nas Tapadinhas do Senhora do Monte que, claramente, com documentação que nunca foi publicada, diz de quem eram e a quem pertenceram aqueles terrenos e diz até onde ia e até onde vai o concelho da Póvoa de Lanhoso. É pena que haja muita gente a dormir e que não acordem para os verdadeiros limites do concelho. Toda a gente sabe, as pessoas com consciência e com responsabilidade, sabem até onde vai o concelho da Póvoa de Lanhoso”, alerta o sacerdote.

Feira dos Produtos da Terra e Artesanato
A Paróquia de Garfe, em parceira com o Município da Póvoa de Lanhoso e a Associação de Turismo, organiza, novamente, a Feira dos Produtos da Terra e Artesanato, por ocasião da “Aldeia dos Presépios”.
A feira, que se realiza em espaço coberto, nas antigas instalações da AMI Transportes, acolhe vendedores de produtos hortícolas, frutícolas, doçaria, padaria, artesanato, entre outros. O espaço assume-se como o palco privilegiado para a venda dos produtos da terra. Quanto ao horário, a feira encontra-se aberta ao público a partir do dia 11 de Dezembro, aos bados, das 14 às 23 horas, e aos domingos, das 14h30 às 18 horas. Da freguesia de Garfe, serão oito os expositores presentes, aos quais se devem juntar alguns artesãos.

Homenagem a Francisco Tinoco de Faria


Homem simples de grandes causas

Foi num clima de grande emoção que decorreu a homenagem a Francisco Tinoco de Faria, na tarde de sábado, dia 26 de Novembro, na passagem do 1.º aniversário da sua morte. A homenagem, pelo Partido Socialista da Póvoa de Lanhoso, ficou marcada pela projecção de um documentário biográfico – A Linha em Vida Recta, da autoria de José Abílio Coelho – escritor e jornalista, e Tiago Barros Coelho, assim como de uma mesa redonda sobre a vida do homenageado, com a participação de amigos e familiares.
Francisco Tinoco de Faria, fundador do Partido Socialista e reputado advogado, faleceu a 25 de Novembro de 2010, dois dias antes de completar 85 anos de idade.
No início da cerimónia, realizada no Theatro Club, na Póvoa de Lanhoso, Belarmino Dias, presidente da comissão política concelhia do Partido Socialista, referiu que se tratava de uma homenagem simples, tal como o homenageado gostava que o vissem, mas, simultaneamente, muito significativa, como a sua vida foi para todos. A simplicidade na forma de estar e a enorme grandeza na hora de servir foi também referida por Belarmino Dias. “No contexto em que vivemos, onde a ausência de valores é gritante, a desconfiança aumenta, a solidariedade diminui e a liberdade tende a perder significado, cada vez são mais raras pessoas e personalidades como o dr. Francisco Tinoco de Faria”, referiu Belarmino Dias, na sua intervenção, destacando o legado de valores e de causas deixadas pelo homenageado.
Na tela, e durante cerca de 30 minutos, José Abílio Coelho e Tiago Barros Coelho deram a conhecer aos presentes, o político, o advogado e o cidadão Francisco Tinoco de Faria.
A luta travada pela democracia, opondo-se ao regime de Salazar, que lhe valeu 19 dias de cadeia, aquando da candidatura de Humberto Delgado; as incursões no PCP e no MUD, onde conviveu com figuras como Almeida Santos e Mário Soares; a passagem pela ASP (Acção Socialista Portuguesa), que se veio a transformar no PS; a fundação do Partido Socialista; a sua carreira como advogado, tendo exercido advocacia durante 21 anos na Póvoa de Lanhoso; e o seu papel como marido e pai foram alguns dos aspectos focados no excelente documentário produzido por José Abílio Coelho e Tiago Barros Coelho.
Em Braga, com Artur Cunha Coe-lho, Ferreira Salgado, Lopes Tavares, Agostinho Domingues e Jerónimo Louro procedeu à instalação do Partido Socialista no distrito e responsabilizou-se pela secção do concelho da Póvoa de Lanhoso, onde contou com o apoio de Casimiro Pinto, Adriano Sá e José Acácio Pereira Dias. Regressando a Lisboa, integrou a Comissão Política Nacional do PS, integrou a lista por Braga, em 1975, à Assembleia Constituinte, tendo sido eleito deputado.
“A carreira política nunca esteve nos seus objectivos. Por isso, assumiu sempre uma posição discreta na bancada socialista, muito embora, no silêncio dos gabinetes de S. Bento, tenha dado valiosíssima contribuição na redacção do texto constitucional, onde trabalhou directamente com Jorge Miranda, Vital Moreira e Amaro da Costa, entre muitos outros”, refere José Abílio Coelho, no documentário. A carreira política, ao mais alto nível, terminou a 2 de Abril de 1976, por opção própria.
A pedido dos socialistas da Póvoa de Lanhoso regressou à vida política e, de 1989 a 1993, desempenhou o cargo de presidente da Assembleia Municipal da Póvoa de Lanhoso.
Do casamento, em 1953, com Amália Holbeche, nasceram dois filhos, João Manuel Holbeche Tinoco de Faria, reputado advogado e presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, de 1993 a 2003, e Maria Amália Holbeche Tinoco de Faria.
Um ano após a sua morte, o Partido Socialista da Póvoa de Lanhoso prestou-lhe uma singela mas sentida homenagem, que culminou com o descerramento de uma fotografia que ficará exposta na sede do PS. (...)

Sociedade Columbófila


Prémios marcam final de época

A Sociedade Columbófila da Póvoa de Lanhoso entregou, no passado sábado, dia 26 de Novembro, os prémios relativos à campanha desportiva de 2011. Um jantar festivo antecipou a entrega de prémios. Para além de columbófilos e familiares, a cerimónia contou com a presença de representantes da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso, assim como do presidente da direcção da Associação Columbófila do Distrito de Braga, João Armindo Macedo Gomes.
Na sua intervenção, José Eduardo Vieira, o novo presidente da direcção da sociedade columbófila, agradeceu a todos quantos têm ajudado a colectividade. Os agradecimentos estenderam-se, também, à Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso e Câmara Municipal. A estas entidades foi deixado o pedido para que continuem a apoiar financeiramente a columbofilia da Póvoa de Lanhoso, uma vez que se trata de um apoio fundamental para o desenvolvimento das actividades da Sociedade Columbófila da Póvoa de Lanhoso
A anterior direcção, presidida por Belarmino Marques Dias, não foi esquecida, com o actual presidente a agradecer àquele responsável por, através da Escola EB 2,3 Prof. Gonçalo Sampaio, continuar a manter viva a chama da columbofilia, que faz despertar os jovens para este desporto, promovendo, hoje em dia, a existência de várias gerações de columbófilos na Sociedade Columbófila da Póvoa de Lanhoso.
“Esta nova direcção tudo irá fazer para continuar a dignificar o bom nome da Sociedade Columbófila da Póvoa de Lanhoso”, assegurou José Eduardo Vieira.
“Peço a todos que cooperem, que ajudem, que tentem dar o vosso melhor para continuarmos a existir por muitos e bons anos”, disse o presidente da colectividade. “Estou aqui para trabalhar, para dar o meu melhor e quero ver o nome da nossa sociedade bem alto, com muitos sócios e mais jovens, se possível, e que possamos fazer, daqui para a frente, um trabalho ainda melhor”, frisou o presidente José Eduardo Vieira. Quanto à campanha deste ano, Alfredo Fernandes foi o grande vencedor, tanto na classificação geral como em velocidade, fundo e meio fundo.