125 anos do jornal Maria da Fonte
Arquivo do ‘MF’
- um acervo de conhecimento


Tragédia num apartamento da rua maria da fonte, na vila
Recusou transporte para o hospital
e faleceu horas depois


Parque Industrial de Mirão
Três novas empresas criam
mais de cem postos de trabalho

EDITORIAL

Armindo Veloso




(De)formação

As televisões generalistas põem-me os nervos em franja.
Quantas vezes estamos entusiasmados com um debate, um comentário interessante ou com uma entrevista das boas e o pivot desse espaço, forçado pelo ‘comandante’ da régie, termina abruptamente dizendo que o tempo em televisão é o que é e ponto final.
Ao contrário desta guilhotina em produtos que valem a pena, verificamos que os telejornais são alargados sem qualquer critério com grandes espaços temporais dedicados a comentários e treinos de clubes de futebol - Benfica, Porto e Sporting, pois claro - treinos esses perfeitamente inócuos acompanhados por comentários de “analfabetos funcionais” que desempenham lugares de treinadores ou dirigentes desportivos.
O entretenimento e o futebol fazem parte da vida das pessoas e em alturas de crise mais necessários são. Não tenho nada contra. No entanto, terem uma guilhotina sempre afiada para assuntos importantes na vida de todos nós e darem dez ou quinze minutos de uma conferência de imprensa de um qualquer senhor da bola há uma grande diferença.
Na publicidade passa-se o mesmo. Quando se produzem campanhas de sensibilização como a prevenção rodoviária, spot's de grande interesse público, são inseridos nas calendas ou então no segundo canal, cujos espectadores são os que menos precisam de ser elucidados.
Então esse tipo de alertas, gratuito ou não, não de-veriam ser encaixados nas novelas ou no futebol, espaço esse visto por milhões de pessoas?
Ou essas mensagens são só para as estatísticas dos institutos então criados e não têm como objectivo efeitos práticos?
Se a televisão só serve para deformar mentalidades estamos feitos.
Uma nota final. A maior parte dos colegas de ERASMUS do meu filho na Lituânia eram de países da Europa mais desenvolvida: Alemanha, Inglaterra, França, etc.
Os alemães, por exemplo, têm doze anos de ensino obrigatório mais um de serviços comunitários.
A um dos colegas alemães coube-lhe a tarefa de durante um ano lectivo dar apoio num lar de terceira idade com todos os serviços inerentes. Mudou milhares de vezes a fralda a velhinhos.
Como a juventude cresce com este 13.º ano.
Nós, os portugueses, com o ensino/formação que damos aos nossos filhos ficaremos os eternos atarracados.
Até um dia destes.
CASTELO

Casa da Botica/Biblioteca
O trabalho de vários anos, que envolveu a digitalização de milhares de jornais, foi apresentado no decurso das comemorações do 125.º aniversário do 'Maria da Fonte'. À distância de um simples clique, os interessados acedem ao arquivo digitalizado jornal. Ao longo dos últimos 3/4 anos, foram várias as pessoas que integraram o processo de criação do Arquivo Digital do MF, desde elementos afectos à Divisão de Cultura do município povoense, nomeadamente os serviços da Casa da Botica e Biblioteca Municipal.
CASTELO DE AREIA
S.C. Maria da Fonte

O Maria da Fonte atravessa um período menos positivo no campeonato, ocupando a penúltima posição na tabela classificativa da Série A, da III Divisão Nacional. As contas estão complicadas para alcançar a tão desejada permanência nos seis primeiros lugares. Nas horas o apoio dos sócios e simpatizantes torna-se necessário.

COMEMORAÇÕES DOS 125 ANOS

Arquivo do ‘Maria da Fonte’
.

– um acervo de conhecimento


“A revelação a partir do arquivo foi maravilhosa e fantástica. Emocionava-me com aquilo que descobria”, disse José Bento da Silva, professor da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso, investigador e autor de várias obras, na conferência de encerramento do 125.º aniversário do Jornal “Maria da Fonte”, realizada a 29 de Janeiro, no Theatro Club. Profundo conhecedor do arquivo do Jornal “Maria da Fonte”, ao qual acedeu para a elaboração das suas obras, José Bento da Silva, iniciou, em 1990, a consulta dos milhares de exemplares que integram a colecção do “Maria da Fonte”, naquela que considera ser “uma experiência fantástica” e “uma fonte fantástica, inesgotável, um cofre de ouro fantástico de informação sobre a vida social, a política, o teatro, a toponímia, desporto, crescimento e desenvolvimento, sobre a vida toda da Póvoa de Lanhoso e do concelho”.
“De facto, as suas páginas mostram a vida da comunidade da Póvoa de Lanhoso e do concelho. Os jornalistas do “Maria da Fonte” foram sempre jornalistas talentosos”, destacou José Bento da Silva, relembrando a pessoa de Cremildo Pereira, que durante largos anos foi colaborador assíduo e dedicado do jornal e fruto das suas investigações, em Maio de 1982, foi ratificada a data do jornal, passando dos 92 para os 97 anos.
“Lendo as suas páginas, eu sinto, leio, vejo e oiço a Póvoa de palpitar”, destacou o docente, prestando homenagem a João Carvalho, que durante décadas orientou o “Maria da Fonte”.
Além da consulta do arquivo, presente na redacção do jornal, as pesquisas ao longo dos milhares de jornais foi realizada na Biblioteca Nacional, Biblioteca do Porto e Arquivo Distrital de Braga.
“Arquivos locais e tecnologias digitais: recursos autênticos para aprender e criar passado, presente e futuro” foi o tema apresentado por António José Osório, docente e investigador do Instituto de Estudos e da Criança, da Universidade do Minho. Apresentando exemplos de como a Internet alterou o projecto de vida de muitos portugueses, o docente da UM trouxe ao conhecimento dos presentes algumas ferramentas que podem ser utilizadas para levarmos o conhecimento junto dos mais novos.

Daniel Catalão, da RTP sobre os arquivos:

Preservação é o desafio no futuro

No encerramento das comemorações dos 125 anos do Jornal “Maria da Fonte”, Daniel Catalão, jornalista da RTP, deixou algumas preocupações relativamente à preservação dos arquivos digitais. Numa intervenção subordinada ao tema “Arquivos Digitais – Uma bomba relógio”, Daniel Catalão foi uma das presenças na segunda conferência do 125.º Aniversário do “Maria da Fonte”.
Profundo defensor do digital, para o qual aponta como vantagens a rapidez de acesso, o acesso simultâneo, o acesso directamente do posto de trabalho e a preservação, Daniel Catalão deixou algumas preocupações quanto à sobrevivência dos documentos guardados digitalmente, no tocante às incompatibilidades e à obsolescência do hardware e software. Na sua intervenção, o jornalista da RTP garantiu que “é preciso não só preservar os ficheiros como garantir que conseguem ser lidos e interpretados pelos sistemas”. Quanto ao futuro, e segundo Daniel Catalão, os arquivos digitais representam uma preocupação muito grande quanto à forma como vamos guardar os nossos dados.
Garantir a sobrevivência dos documentos guardados e garantir a sua leitura, uma vez que uma parte corrompida num ficheiro pode inviabilizar a sua compreensão, são alguns dos desafios futuros.
Desde modo, a recuperação de dados e a sua legibilidade são os dois problemas que se apresentam à arqueologia digital.
Para garantir o acesso à verdadeira informação, Daniel Catalão alertou para a necessidade de preservação dos documentos originais.
“Acho que a arqueologia digital vai ser mais difícil e um desafio mais complexo e, provavelmente, com me-nos êxito que a arqueologia tradicional”, disse o jornalista da RTP, no final da sua intervenção.

Arquivo

Jornal à distância de um clique

No final da conferência de encerramento das comemorações do 125.º aniversário do “Maria da Fonte”, Paulo Freitas, chefe da Divisão de Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso reforçou a importância e a potencialidade que pode representar, ao nível das novas gerações e da forma como vêem o passado da Póvoa de Lanhoso, o facto de existir o arquivo do Jornal “Maria da Fonte” em formato digital e à distância de um clique.
Paulo Freitas apelou ainda às escolas e a quem tem responsabilidade ao nível da educação, para que “não desperdicem a nova ferramenta que é agora disponibilizada”.
Após alguns anos e milhares de horas de trabalho, as comemorações do 125.º aniversário do “Maria da Fonte” ficaram marcados pela apresentação do arquivo digitalizado. Face às dificuldades sentidas ao longo do processo de digitalização, dada à falta de meios adequados, Paulo Freitas deu conta da enorme satisfação por disponibilizarem 125 anos de história.
“É um trabalho que deve ser reconhecido e sublinhado. Este é um trabalho que temos orgulho em apresentar à Póvoa de Lanhoso”, disse o chefe da Divisão de Cultura do município povoense.
“O trabalho de digitalização é um dos marcos que fica das comemorações dos 125 anos. O passado é agora presente e um passado disponível para todos. Uma ferramenta importantíssima para o futuro de todos”, frisou Fátima Moreira, vereadora da Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, agradecendo a todos quantos colaboraram nas comemorações do 125.º aniversário do Jornal “Maria da Fonte”, tanto na edição especial como nas duas conferências.
O trabalho realizado pela Biblioteca Municipal foi também destacado por Fátima Moreira. Até ao dia 28 de Fevereiro, os interessados podem visitar a exposição documental do 125.º aniversário do “Maria da Fonte”. O arquivo digitalizado é um dos elementos que integra a exposição dos 125 anos. Através de um simples “clique”, os interessados podem percorrer as várias páginas que narraram os acontecimentos mais marcantes do concelho e do país.

Empresas

Mais cem postos de trabalho


O Parque Industrial de Mirão, na Póvoa de Lanhoso, e o edifício da Escola EB1/JI de Ferreiros, são os locais que se preparam para receber as três novas empresas que vão estabelecer a sua actividade no concelho. A vinda de três novas empresas para o concelho povoense vai gerar mais de cem postos de trabalho directos.
A criação duma incubadora de empresas, no antigo edifício da Escola EB1/JI de Ferreiros irá dar nova vida ao edifício que encerrou as suas portas no passado mês de Setembro, com a abertura do Centro Educativo do Cávado, em Monsul, que alberga os alunos das dez freguesias do baixo concelho. A Plako, empresa sediada em Braga, é a primeira empresa a integrar aquele projecto empresarial.
O anúncio da vinda das novas empresas, e a celebração de acordos de parcerias com duas das empresas decorreu no dia 28 de Janeiro, na Câmara Municipal.
“Concelho amigo do investimento” foi o slogan que acompanhou o momento de apresentação dos novos projectos.
Mobiliário estofado, caixilharia e desenvolvimento de soluções que tenham por base a infraestrutura da internet são as áreas a que estão ligadas as três empresas que se preparam para implantar as suas unidades no concelho da Póvoa de Lanhoso.
Depois da apresentação das três empresas, uma das quais espanhola, e da assinatura dos contra-tos de parceria, Manuel Baptista considerou aquele como “um dia muito especial para o concelho” e agradeceu a “todas as empresas que acreditaram neste executivo e neste concelho”.
Atendendo à crise que se vive neste momento, o presidente da Câmara Municipal referiu que valoriza qualquer empresa que venha para o concelho, independentemente de criar 10, 20 ou 100 postos de trabalho.
Destacando o trabalho colectivo do executivo e de vários elementos ligados à autarquia, o presidente, visivelmente feliz, considerou que “a Póvoa de Lanhoso sai mais rica neste momento, atendendo à crise que se vive”.
A vinda das três novas empresas para a P. Lanhoso permitirá, numa primeira fase, a criação de mais de cem postos de trabalho directos. A Plako, criada em 2004, e actualmente instalada em Braga, é a primeira empresa a integrar a incubadora de empresas, localizada na freguesia de Ferreiros. Para isso, a Câmara vai adaptar o espaço da antiga escola às necessidades dos projectos, cabendo aos inquilinos uma mensalidade que ajudará a suportar as despesas de funcionamento, manutenção e conservação. A antiga escola ficará transformada, de acordo com dados avançados pela autarquia, num espaço que disponibiliza serviços partilhados aos interessados.
Ligada à criação e desenvolvimento de soluções que tenham por base a infra-estrutura da internet, esta empresa, que aposta na inovação e qualidade dos produtos e serviços, irá gerar, numa primeira fase, a criação de cerca de 10 postos de trabalho directos. Ao contrário de muitas outras, que transferem as suas unidades para os grandes centros urbanos, esta empresa, ligada às novas tecnologias, optou pela vinda para uma área rural. Moisés Campos, da Plako, considerou que “a ideia da incubadora foi uma excelente ideia e aquele vai ser um projecto de sucesso”.
A Aquinos, ligada à produção de mobiliário estofado, com origem em Tábua, no distrito de Coimbra, e a Allplas, empresas originária da Galiza (Espanha), e vocacionada para a produção de todos os tipos de soluções de cai-xilharia, são as duas empresas que ficarão instaladas no Parque Industrial do Mirão, na Póvoa de Lanhoso. Numa primeira fase, a unidade produtiva da Aquinos permitirá a criação de cerca de 100 postos de trabalho directos.
Trabalhando com materiais como o alumínio, pvc, aço inoxidável e ferro, a Allplas irá gerar cerca de 15 novos postos de trabalho, podendo esse número duplicar ou triplicar dentro de dois a três anos.
A Câmara informa que as pessoas que desejem entregar os seus currículos para estas novas empresas podem fazê-lo no Gabinete de Apoio ao Munícipe, que funciona no edifício dos Paços do Concelho, na Avenida da República, ou no Gabinete de Inserção Profissional (GIP), que funciona junto ao Banco de Voluntariado, na Avenida 25 de Abril, na vila povoense.

Na Rua Maria da Fonte, na vila

Recusou transporte ao hospital
.
e faleceu horas depois


Apesar das tentativas de reanimação pelos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso e equipa médica do INEM, um homem de 33 anos, de nacionalidade brasileira, morreu, dia 29 de Janeiro, horas depois de alguém ter recusado que fosse transportado ao hospital. O caso teve lugar num apartamento na Rua Maria da Fonte, nesta vila, tendo os Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso sido accionados, às 11H34, para socorrer uma pessoa que estava em paragem cardio-respiratória. De acordo com o que foi possível apurar, aquela foi a segunda vez, no espaço sete horas, que os soldados da paz povoenses foram chamados para acorrer àquela residência.
De madrugada, às 04H08, via CODU, foi accionado socorro para a mesma morada, mas foi recusado o transporte para o hospital.
De acordo com o comandante dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, António Lourenço, os bombeiros foram recebidos por uma mulher - também de nacionalidade brasileira - que confirmou que tinham solicitado socorro, mas que não valia a pena porque já era costume, que estava embriagado e que “o que precisava era de dormir”.
Tal como se impõe, a pessoa foi instada a assinar o verbete em que assume a responsabilidade pelo não socorro.
Só que à segunda vez que foram chamados, os bombeiros já nada puderam fazer e a vítima acabou por falecer, apesar das manobras de reanimação e da acção da equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital de Braga.
De acordo com o que foi possível apurar, o homem estava na Póvoa de Lanhoso desde o dia 23 de Janeiro.
Ao que tudo indica, estaria de visita, já que não tinha residência em Portugal. Foi acolhido pelo casal que ocupa a residência - também de nacionalidade brasileira - com cuja filha terá tido, em tempos, um relacionamento amoroso de que nasceu uma criança.
Desconhece-se se a vítima tinha algum problema de saúde. O cadáver foi removido para a morgue cerca de três horas depois, tendo sido submetido a autópsia para apurar a causa da morte, o que ditará o desenrolar do processo.
Ao local, foi também chamada a GNR da Póvoa de Lanhoso e elementos do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) daquele Destacamento. O caso foi participado ao Ministério Público.

Póvoa de Lanhoso: tráfico de droga

Detidos quatro suspeitos

Cerca de mil doses de produto estupefaciente, cocaína e haxixe, foram apreendidas, na madrugada de domingo, dia 6, pelo Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento da GNR da Póvoa de Lanhoso.
Da operação, que se desenrolou na Póvoa de Lanhoso, resultou ainda a detenção de quatro pessoas, três homens e uma mulher, com idades entre os 20 e os 25 anos, residentes no concelho da Póvoa de Lanhoso, assim como a apreensão de diverso material.
De entre o material apreendido consta uma viatura ligeira, uma pistola, seis armas brancas (facas, navalhas e punhais), um bastão, uma balança digital, dinheiro, liamba, 30 doses de barbitúricos e material conotado com o tráfico de droga.
De acordo com o site da GNR, a detenção foi realizada durante uma fiscalização rodoviária, tendo sido, posteriormente, realizadas buscas domiciliárias na vila da Póvoa de Lanhoso.
A operação decorreu no âmbito de um inquérito que está sob alçada do Núcleo de Investigação Criminal da GNR da Póvoa de Lanhoso.
Dois dos detidos foram notificados para comparecer, na passada segunda-feira, ao Tribunal Judicial da Comarca da Póvoa de Lanhoso. Os restantes, um casal, permaneceram detidos até serem presentes a tribunal.

Na área Braval

Reciclagem aumentou 7%

“Durante o ano de 2010, a Braval recolheu 15 mil toneladas de resíduos recicláveis, o que significa um aumento de 7% relativamente a 2009, batendo, mais uma vez, o recorde desde o início da recolha selectiva”, revela a Braval, em nota de imprensa.
Durante o ano que findou, foram recolhidas 15 mil toneladas de resíduos recicláveis nos ecopontos existentes na área de abrangência da Braval, que integra Amares, Braga, Póvoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Vila Verde, enquanto que em 2009 o valor ficou-se pelas 14 mil toneladas.
“O aumento foi significativo em quase todos os materiais, destacando-se o papel e cartão com 7.226 toneladas, face às 6300 de 2009. As embalagens de plástico e metal correspondem a 1454 toneladas tendo, em 2009, ficado pelas 1.389 toneladas. Relativamente ao vidro, as quantidades recolhidas têm vindo a estabilizar, tendo aumentado ligeiramente das 6314 toneladas para as 6320 toneladas em 2010”, referem os responsáveis da Braval, que destacam o aumento contínuo do número de eco- pontos com um dos aspectos que muito contribuiu para os resultados alcançados no ano transacto.
A este aumento do número de ecopontos, junta-se ainda a sensibilização ambiental, factor determinante para os resultados atingidos. (...)
A Braval pretende continuar a trabalhar para que em 2011 novos recordes sejam alcançados, no sentido de melhorar, cada vez mais, a qualidade de vida ambiental dos 6 concelhos.

Póvoa de Lanhoso

População venerou S. Brás

A procissão, na tarde de domingo, dia 6 de Fevereiro, foi o ponto alto dos festejos em honra de S. Brás, realizados na sua capela, na Póvoa de Lanhoso.
Pelas 10h30, teve início a cerimónia celebrada pelo padre Armindo Gonçalves, com o sermão a ficar a cargo do Padre Eduardo Duque, responsável pela Pastoral Universitária da Diocese de Braga.
“Venho aqui tentar rezar convosco, trazer-vos a mensagem de Jesus Cristo. Ou a igreja adapta a linguagem ao tempo em que estamos a viver ou então continuamos a pregar para os peixes”, alertou o Padre Eduardo Duque, incentivando os fiéis a agarrar a palavra de Deus, rezá-la e tentar perceber o que transmite.
“De que nos importa a nós observar os ritos e ter uma piedade popular, ter a nossa piedade, se essa piedade não se manifesta no dia-a-dia, na nossa vida, na nossa relação com os outros?”, questionou o Padre Eduardo Duque, fazendo alusão às leituras daquele dia. Dando conta da vida de S. Brás, médico e sábio, que viveu de forma humilde e que em tempo de perseguições teve que fugir para as montanhas, o sacerdote incentivou os presentes a seguir duas lições de vida: ser o sal da terra, dando sabor à nossa família e dar sabor aos outro, e ser a luz do mundo, sermos capazes de derreter o mal do mundo.
“A mensagem de S. Brás foi uma mensagem de esperança. Nós, cristão, devemos ser a esperança do mundo”, alertou o Padre Eduardo Duque.
Depois da Eucaristia, os actos religiosos regressaram pelas 14h30, com a oração da tarde, seguindo-se a procissão em honra de S. Brás. O último dia de festa ficou ainda marcado pela actuação do grupo “Motocavaquinhos”, de Barcelos.

Rotary Clube da Póvoa de Lanhoso

Cidadania em debate

Esteve presente, na Casa da Botica, na Póvoa de Lanhoso, no dia 18 de Janeiro, o Prof. Dr. António José Fernandes, professor catedrático aposentado da Universidade do Minho e professor catedrático na Universidade Lusófona, do Porto, que abordou questões relacionadas com a Cidadania.
As diferenças entre nacionalidade e cidadania, esta última quando o indivíduo partilha da coisa pública e tem o direito de participar, directa ou indirectamente no exercício de soberania, foram também abordadas.
As confusões entre civismo e cidadania, com esta última a ser usada muitas vezes de forma indevida, foi também alvo de explicação por parte do orador presente.
Cidadania é, segundo o prof. Dr. António José Fernandes, o vínculo político-jurídico que liga o indivíduo ao estado.
“Nem todos aqueles que são nacionais de um estado são cidadãos desse estado. Todos aqueles que são nacionais de um estado têm a nacionalidade desse estado. Cidadãos são aqueles que usufruem dos direitos políticos”, explicou o convidado do clube rotário. As alterações no regime eleitoral ao longo dos anos em vários países foram também abordadas no decurso daquela sessão.

António Celestino

Concurso literário

Criar e consolidar hábitos de leitura, fortalecer hábitos de escrita criativa e valorizar a expressão literária são os objectivos do Concurso Literário António Celestino, promovido pelo Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (SABE) da Biblioteca Municipal da Póvoa de Lanhoso e a Rede Concelhia das Bibliotecas Escolares vai promover.
Nascido na Póvoa de Lanhoso, em 1917, e autor de várias obras como “Gente da Terra”, prefaciada por Jorge Amado, “Antigamente era san johan de rei”, e “Uma Vida em Si Menor”, António Celestino dá nome ao concurso literário.
De entre os vários itens, o regulamento do “Concurso Literário António Celestino” determina que “os concorrentes deverão produzir um texto narrativo original e inédito, em Língua Portuguesa, com um mínimo de uma página e um máximo de dez páginas de tamanho A4.
O tema é livre e vai-se processar em três escalões etários: 1º ciclo (até aos 10 anos); 2º e 3º ciclos (entre os 10 e os 16 anos); e público em geral (maiores de 16 anos)”.
“Os trabalhos serão apreciados e seriados por um júri constituído por elementos de cada Agrupamento/Escola e da Biblioteca Municipal”, revela a autarquia, em nota de imprensa.
Os trabalhos, que devem ser entregues até ao dia 1 de Abril, podem ser entregues nos seguintes locais. Biblioteca Municipal/Casa da Botica, Biblioteca do Agrupamento de Escolas Prof. Gonçalo Sampaio, Biblioteca do Agrupamento Vertical de Escolas do Ave e Biblioteca da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso.
Os interessados em participar, são obrigados a consultar o regulamento criado para o efeito. Quanto a prémios, o regulamento estabelece que será atribuído um prémio de um dia no DiverLanhoso e de cheques-livro aos três melhores trabalhos do 1º Ciclo e três melhores trabalhos do 2º e 3º ciclo, assim como um prémio de uma Visita à Casa da Música – Porto, com direito a assistir a um espectáculo aos três melhores trabalhos a partir dos 16 anos.

Voluntários envolvidos

Na descoberta do património

Aproximar as populações do património e envolver, activamente, voluntários nos trabalhos de prospecção e escavação é um dos objectivos do projecto “O Núcleo de Megalítico da Carvallha, Pó-voa de Lanhoso, no contexto do Megalítico do Noroeste Português”, a desenvolver pelo Gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, em parceria com o CITCEM, da Universidade do Minho, e a Palimpcesto.
Na apresentação do projecto, que decorreu na sexta-feira, dia 4 de Fevereiro, na Sala de Interpretação do Território, na Póvoa de Lanhoso, Fátima Moreira, vereadora da Cultura do município povoense, destacou que o projecto do Núcleo Megalítico da Carvalha, que se estende de 2011 a 2014, pretende dar continuidade aos trabalhos iniciados, em 2007, na Ma-moa da Tojeira, em S. Gens de Calvos, e alargar esses mesmos trabalhos a uma outra Mamoa existente nas proximidades. Deste modo, os trabalhos têm o seu início na Mamoa da Tojeira e estendem-se à Mamoa de Madorro, localizada a cerca de 220 metros.
Num ano em que se come-mora o Ano Internacional do Voluntariado, a autarquia povoense pretende que o trabalho envolva voluntários, sobretudo jovens estudantes, aproximando os mais novos das questões relacionadas com o património cultural.
“Pela primeira vez, na Póvoa de Lanhoso, lançamos um projecto que visa estudar um período da história que não tem sido muito trabalhado, nem muito investigado”, revelou Fátima Moreira, adiantando ainda que o projecto pretende “aproximar o público, e sobretudo o público jovem, ao património da Póvoa de Lanhoso, no sentido de o conhecer e o preservar”.
Para além do envolvimento do voluntariado nos vários trabalhos, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso espera conseguir, no final, a elaboração dum trabalho científico, resultante dos trabalhos de prospecção e investigação que ali vão ser realizados.
A recolha bibliográfica, o levantamento histórico, o levantamento etnográfico, a prospecção, por sistema de batida-a-pé e por métodos geofísicos são algumas das etapas que antecedem a escavação, que será realizada, de forma sistemática, em Julho de 2011, conforme deu conta o arqueólogo Rui Barbosa, do CITCEM. O início dos trabalhos está previsto para o próximo mês de Abril.
Depois da escavação segue-se o tratamento do espólio exumado, as várias análises laboratoriais e redacção e publicação de resultados, com o estudo monográfico do arqueosítio. Promover, anualmente, a comunicação/exposição do balanço dos resultados, apresentar dados à comunidade científica e a divulgação dos resultados através da realização de artigos cinetificos são alguns dos pontos que constam do projecto que se estende até 2014.
Para além dos trabalhos de sensibilização, o Gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso está a preparar, para Agosto de 2001, uma escavação em Viacova, na freguesia de Lanhoso.

NEGÓCIOS

Farmácia S. José recebe prémio

Inaugurada em Julho de 2010, a Farmácia de S. José, localizada na Av. da Republica, na P. Lanhoso, foi, recentemente, distinguida pela Glintt, empresa que integra a Associação Nacional de Farmácias. Galardoada com a categoria “Evolução”, a Farmácia S. José foi uma das três farmácias do Norte do país a ser distinguida na categoria de melhor projecto.
As vertentes arquitectura e obra foram avaliadas pelos responsáveis da Glintt, que reconheceram a qualidade dos recursos humanos e a inovação presentes na farmácia povoense. Na base dos prémios esteve o Eng. Carlos Costa Freire que recentemente abraçou outros projectos profissionais. A oferta de produtos em segmentos complementares, como é o caso da dermocosmética, os equipamentos de última geração e a aposta na inovação foram factores de destaque. Podologia; determinação dos parâmetros bioquímicos, medição de tensão arterial; determinação do Indice de Massa Corporal; apoio ao domicílio e administração de medicamentos são algumas das ofertas presentes na Farmácia S. José que se prepara para, dentro em breve, iniciar o apoio ao diabético. A par desta variada oferta de serviços, a Farmácia S. José tem sido parceira em algumas iniciativas que se vão realizando no concelho, como é o caso dos rastreios médicos à população de Santo Emilião e a palestra de sensiblização para o cancro do cólon do útero.
Licenciada em Ciências Farmacêuticas, na Univ. Coimbra, e depois de 15 anos numa farmácia de Braga, Rosa Maria Costa, natural de Rendufinho, regressou à sua terra natal e cumpriu o sonho que vinha acalentado, criando a sua própria farmácia: a Farmácia de S. José.

BTT

Pelos Trilhos da Maria da Fonte VII

Está a ser ultimado o percurso do “Pelos Trilhos da Maria da Fonte VII”, que se realiza a 12 de Março, numa organização do BTT Maria da Fonte. De acordo com a organização, o percurso, com 40 km, terá um nível de dificuldade 4, quer físico, quer técnico. numa escala de 0 a 5.
“A primeira parte, aproximadamente 20km, terá no essencial subida mais ou menos técnica com posteriores 20km em praticamente descida, mas com alguma pedra típica da região”, refere o BTT Maria da Fonte.
“O percurso desenrolar-se-á na vertente mais a norte do concelho da Póvoa de Lanhoso nas freguesias limítrofes do concelho de Vieira do Minho. Haverá travessia de pequenos cursos de água, que darão uma beleza aos trilhos e single tracks (em particular na segunda parte, após abastecimento sólido e liquido). Será um percurso equilibrado mas ao bom estilo Minhoto”, pode ler-se na página do BTT Maria da Fonte.
As inscrições estão abertas até ao dia 10 de Março. Os interessados podem obter mais informações consultando a página do BTT Maria da Fonte: www.bttmariadafonte.com.

Futebol - III Divisão Nacional

Maria deixa fugir vitória

O Maria da Fonte não tem sido feliz nos jogos em casa. Das cinco vitórias conseguidas até ao momento, apenas uma delas foi conseguida no seu reduto.
Na recepção ao Amares, a equipa povoense foi a primeira a abrir o activo mas acabou por sair derrotada por 2-1, resultado que coloca a formação povoense no penúltimo lugar da tabela classificativa.
Estavam apenas decorridos quatro minutos quando o Maria da Fonte abriu o activo. De Rui Abreu, o esférico passou por Magno e terminou em Daniel, que enviou a bola para o fundo das redes do Amares, colocando os povoenses em vantagem.
A resposta dos visitantes apareceu quando estavam decorridos 21 minutos, com Bispo, completamente à vontade, a cabecear para o fundo das redes da baliza do Maria da Fonte.
Estava tudo em aberto e as duas equipas à procura da vitória, mas as jogadas desenvolvidas até ao intervalo, quer por uma, quer por outra equipa, não resultaram em grande perigo.
Pikuá, Tiago Costa e Bispo foram alguns dos elementos que procuraram, com os seus remates, chegar com perigo à baliza adversária, mas sem grande sucesso.
Aos 59 minutos, a bola voltou a entrar na baliza do Amares mas o fiscal de linha assinalou fora-de-jogo a Zé Fernandes, que tinha entrado em campo minutos antes, e o golo foi invalidado pelo árbitro do encontro.
As expulsões parecem acompanhar o Maria da Fonte ao longo dos últimos jogos. Aos 70 minutos, Pikuá viu a segunda cartolina amarela e foi expulso, ficando o Maria da Fonte reduzido a dez unidades. A igualdade em campo voltou a ser reposta, com Jeremy a ver a segunda cartolina amarela e a abandonar as quatro linhas.
Aos 85 minutos deu-se o lance que ditou a vitória do Amares, com o árbitro a considerar mão na bola a Nuno Mendes, que viu a cartolina amarela. Hélder foi o homem chamado para a converter a grande penalidade e, na hora decisiva, o jogador do Amares não falhou e garantiu a vitória para os forasteiros.

Cerca de 200 participantes

2.º Enduro da Póvoa de Lanhoso

Decorreu no passado domingo, dia 6 de Fevereiro, o 2º Enduro da Póvoa de Lanhoso, com a organização a preparar um percurso e especiais que foram do agrado generalizado dos 188 pilotos presentes na competição. O percurso, constituído por cerca de 40 Km em volta do Castelo da Póvoa de Lanhoso, foi percorrido duas vezes por casa um dos pilotos em prova. Foi um Enduro aberto a todo o tipo de pilotos, desde pilotos federados, nomeadamente o campeão nacional da Categoria E2 Paulo Felícia, Luís Oliveira (CRN/MOTOFUNDADOR), Paulo Marques, Pedro Oliveira, Fábio Pereira, entre outros e pilotos entusiasmantes da modalidade, os quais vieram de várias zonas do país e mesmo bastantes participantes espanhóis. No final, os pilotos mostravam muita satisfação, falando mesmo de uma grande festa de enduro e prometeram mesmo voltar em futuras organizações. Foi uma prova com uma exigência física e técnica bem elevada, pois, as cerca de 5 horas de prova fizeram “mossa” nos menos preparados. A revisão de pequenos pormenores, para que este seja um Enduro de referência nacional a este nível é um dos objectivos da organização, TT Lanhoso, que aproveitou o ensejo para agradecer a todos os participantes, às entidades patrocinadoras, nomeadamente, Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso e Junta de Freguesia da Póvoa de Lanhoso e ainda a todos os intervenientes que ajudaram nesta grande iniciativa de desporto motorizado.
Classificações em www.ttcronometragens.com

Editorial

Armindo Veloso




SOS 53

Os cerca de cinquenta e três por cento de abstenção que se verificaram nas últimas eleições presidenciais são um absurdo.
Até nisso nos estamos a americanizar. Nos EUA, já foram eleitos presidentes em cujas eleições votaram trinta por cento dos eleitores inscritos.
Julgo que se não houver uma campanha de sensibilização junto dos jovens, escalões etários onde a abstenção é gigante, nos vamos rapidamente aproximar daqueles números.
A maior parte dos jovens, uma vez que não conheceram outro sistema para além do democrático, estão-se nas tintas para as eleições. Atenção(!), caros jovens.
Ao contrário do que disseram muitos comentadores, julgo que estas foram as eleições, de reeleição de um Presidente, mais disputadas.
Vejamos: Defensor Moura, um franco-atirador de esquerda; José Manuel Coelho, um candidato, caricato, para mobilizar o voto de protesto; Manuel Alegre, um grande senhor de esquerda apoiado pelo PS, Bloco de Esquerda e MRPP; Fernando Nobre, um homem intocável que representou como nunca o voto da chamada cidadania; Cavaco Silva, apenas o homem que ganhou mais eleições em Portugal e logo com que votações. Mas que grande “Carta” de candidatos.
Houve, para mim, três grandes surpresas nestas eleições.
A primeira, a percentagem de abstenção. Segunda, o número de votos, pequeno em valores absolutos, em Cavaco Silva. Terceira, a ridícula votação em Manuel Alegre tendo em conta os partidos que o apoiavam.
Senhores políticos, registem uma lição: Os partidos não são donos dos votos. Não façam dos eleitores trouxas.
Uma pergunta: Como pode um homem inteligente como Manuel Alegre, rodeado por um staff de pessoas inteligentes, cometer erros de estratégia clamorosos?
Ainda gostaria de saber, o que nunca acontecerá, qual seria o resultado de Manuel Alegre se este fosse o de há cinco anos - arejado, verdadeiro e distante dos partidos.
Independentemente de tudo isto, facto é facto, Cavaco Silva tem toda a legitimidade do mundo para exercer o seu mandato. As maiorias absolutas nas eleições para o Parlamento atingem-se com bem menor número de votos.
Um bom mandato para si, Presidente Cavaco Silva.
E para nós.
Até um dia destes.

CASTELO

Clube de Caçadores


Após quatro anos à frente dos destinos do Clube de Caçadores, e após terem herdado um passivo de 35 mil euros, a equipa liderada por António Novais cessou funções, deixando o clube com uma saúde financeira estável, com um saldo positivo de cerca de 7 600 euros. Apesar das dificuldades, que levam à redução do mero de caçadores, a direcção cessante desenvolveu um bom trabalho, conseguindo abater o défice e terminar com um saldo positivo.
CASTELO DE AREIA
Luz Pública

Parte da recta de Lanhoso e o arruamento de acesso ao lugar do Souto são alguns dos locais, na freguesia de Lanhoso, onde há já vários dias não há luz pública. Tal situação é comum a muitos outros pontos no concelho e a demora na reparação das avarias tem sido motivo de queixa por parte de moradores e autarcas.

Feira semanal

CDS/PP critica
“estado deplorável” da feira

Em nota de imprensa, a comissão política do CDS/PP dá conta do “estado deplorável” da feira semanal da Póvoa de Lanhoso. Na referida nota, José Eduardo Vieira, presidente da concelhia, revela que “a convite de alguns feirantes e utentes da Feira Semanal, a concelhia do CDS-PP deslocou-se ao recinto da Feira Semanal para aí constatar "in loco" as condições de funcionamento do referido mercado e auscultar os queixumes de uns e outros”.
Da referida visita, o CDS/PP revela que “nos wc's que servem feirantes e utentes, chovia copiosamente, como se em plena rua estivéssemos, fruto da água que pingava da placa de cobertura dos mesmos, isto para além de os mesmos se apresentarem em perfeito estado de imundice”. A par desta situação, a comissão política do CDS dá conta das queixas dos feirantes, relativamente ao recinto onde decorre a feira semanal. “Os feirantes queixam-se de que, apesar das taxas que lhes são cobradas, o recinto é um parque de poeiras no Verão e um verdadeiro lameiro no Inverno, situação que constatamos, o que lhes causa enormes prejuízos pela degradação continuada dos artigos comercializados, havendo mesmo quem comparasse a situação àquela que se vive nos mercados terceiro-mundistas de Luanda, onde a sensação de lixeira é permanente”, dizem...

Ano 2010 em revista



Julho
“Já nos habituamos às críticas repetidas e sem fundamento do PS”, atira Manuel Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, em entrevista ao “Maria da Fonte”.
Deixando uma mensagem de esperança, o autarca garantiu que o fórum municipal, a piscina e o pavilhão municipal são para construir neste mandato.

Após uma verdadeira operação de “caça ao homem”, a GNR da Póvoa de Lanhoso deteve três indivíduos, com idades compreendidas entre os 21 e 27 anos, por suspeita de assalto a uma residência em Lanhoso. Naquele momento, foi ainda apreendida uma viatura furtada em Vila do Conde. No interior do automóvel encontrava-se diverso material furtado.

Quando andava a apanhar fruta, um morador da freguesia de Águas Santas, caiu da escada onde se encontrava e acabou por falecer no local. António Azevedo Costa tinha 66 anos e esteve durante largas dezenas de anos emigrado em França.

A alteração ao Regulamento Municipal da Urbanização e Edificação, a alteração ao Regulamento para a Atribuição de Subsídio ao Arrendamento a Estratos Sociais Desfavorecidos e a Declaração de Relevante Interesse Público do Regadio da Levada da Varziela, de Sobradelo da Goma, foram os assuntos que geraram consenso no seio da Assembleia Municipal. De fora, retirado pelo executivo municipal, ficou o Regulamento Municipal de Atribuição de Honrarias Municipais.

Com capacidade para 29 utentes, a Unidade de Longa Duração da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso entrou em funcionamento. Prestar cuidados de saúde de manutenção a pessoas com doenças ou processos, com variados níveis de dependência é um dos objectivos da ULDM.

A freguesia de Taíde recebeu, por estes dias, as comemorações do 25.º aniversário do Agrupamento 817 de Taíde e a Feira da Primavera, esta última nas instalações da Escola EB 2, 3 de Taíde. Ambas as iniciativas, muito acarinhadas pelos Taídenses e comunidade em geral, foram brindadas pelo sucesso.

Além de Taíde, também o Agrupamento 856 de Louredo celebrou o seu aniversário. As comemorações do 30.º aniversário daquele agrupamento integraram, entre outros, uma missa campal e a entrega de lembranças a alguns dos presentes.


Uma caminhada de protesto contra o encerramento do SAP, desde os Paços do Concelho até ao Hospital António Lopes, culminou com a entrega de uma moção em defesa do direito à saúde na Póvoa de Lanhoso aos responsáveis da Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso...

Agosto
Numa noite de verdadeiro glamour, dezenas de jovens povoenses brilharam na passerelle, numa noite em que o comércio local deu-se a conhecer no “Modalanhoso”. O evento contou com a participação de 31 estabelecimentos comerciais, assim como de duas criadoras e duas entidades que apresentaram as suas propostas.

Com vista a dar uma melhor resposta aos seus utentes, a Unidade de Saúde Familiar (USF) Terras de Lanhoso entrou em obras. Atendimento aos utentes desta unidade, que funciona nas instalações do Centro de Saúde, passou a ser prestado nas antigas instalações do SAP.

A Peregrinação Internacional a Roma 2010, realizada nos dias 3 e 4 de Agosto, contou com a presença de 99 jovens acólitos portugueses, 15 dos quais da Póvoa de Lanhoso. Os jovens acólitos, das paróquias de Geraz do Minho, Monsul e S. João de Rei, juntamente com o Padre Marco Paulo Gil, marcaram presença na União Internacional de Acólitos.

Agosto é o mês das romarias. Um pouco por todo o concelho, as várias paróquias veneram os seus santos e padroeiros. S. Bento, em Águas Santas; Senhora das Maravilhas, em Vilela; Senhora da Ajuda, em Friande; Santo António, em Gerás; S. Julião, em Covelas; S. Mamede, em Frades; S. Roque, em Frades e S. Gens, em Frades foram algumas das festividades realizadas por estes dias .

A Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso conseguiu financiamento do PIDDAC para a Biblioteca Escolar que vai surgir no Centro Educativo do Cávado, em Monsul. O valor do financiamento foi superior a 10 mil euros.

PSD e CDS elegem comissões políticas. Manuel Baptista, actual presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, preside à comissão política laranja. Do lado do CDS/PP, o cargo é desempenhado por José Eduardo Vieira.

Depois de dias de intenso combate, os incêndios deram alguma trégua aos Bombeiros povoenses. Um incêndio iniciado em Moure, e que alastrou às freguesias vizinhas, foi a maior ocorrência por estes dias.

Setembro

Joana Cruz foi eleita a modelo do ano. A jovem povoense, residente em Esperança, foi a grande vencedora na classe feminina do concurso “Face Model of The Year”, da Sic. A sua elegância na passerelle encantou os jurados e o país.

Tendo como objectivo a reflexão e a recolha de contributos, com vista à actualização do Plano de Desenvolvimento Social do concelho, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso promove o Fórum Social, dirigido aos parceiros da rede social e à comunidade em geral.

“I-Healt – Um novo paradigma” foi o tema das Jornadas de Saúde, realizadas pela Santa Casa da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso, nas quais participaram cerca de 250 profissionais de saúde. Inês Guerreiro, coordenadora nacional Unidade Missão dos Cuidados Continuados Integrados marcou presença nos trabalhos. Com o enfoque a passar da doença para o bem-estar, Humberto Carneiro, Provedor da Santa Casa, de entre outras considerações, destacou que o novo paradigma se centra nos cuidados de saúde integrados.

Num programa conjunto, como vem acontecendo há já vários anos, Bombeiros Voluntários e Santa Casa celebraram o seu aniversário. A bênção de novas viaturas ao serviço dos Bombeiros Voluntários, a inauguração da Unidade de Longa Duração e Manutenção D. Elvira Câmara Lopes e da remodelação dos espaços exteriores da creche e do jardim-de-infância foram algumas das novidades deste ano.

Gabriela Fonseca, Vereadora da Educação da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, em entrevista ao “Maria da Fonte”, assegura que o Centro Educativo do Cávado é a marca do novo ano escolar. A conversa estendeu-se, a par de outros assuntos, ao estado da educação no concelho, apoio social escolar e concretização da Carta Educativa.

Milhares de devotos participaram, ao longo de vários dias, na Romaria de Nossa Senhora do Porto d’Ave, em Taíde. Procissão, na tarde do dia 5, foi ponto alto nos festejos.

A freguesia de Covelas prestou homenagem ao padre António Couto, pelos 50 anos de permanência do sacerdote naquela paróquia. Para além do descerramento de uma placa comemorativa, os festejos integraram ainda uma eucaristia e um lanche-convívio.

A entrega de manuais escolares, pela Câmara Municipal, aos alunos do 1.º ciclo; a vigilância das florestas; a atribuição, à Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso do título de “Autarquia Familiarmente Responsável” e a celebração do Dia Mundial do Coração foram algumas das actividades em destaque no mês de Setembro.


Outubro
O Dia do Concelho, a par da sessão solene, ficou marcado pela inauguração do Centro Educativo do Cávado, em Monsul. A primeira edição de Outubro dá destaque àquela iniciativa, realizada a 28 de Setembro. Na visita às instalações do Centro Educativo, pais e alunos mostraram-se satisfeitos com as condições físicas e de aprendizagem colocadas à disposição dos mais novos.

Tal como Covelas, também a freguesia de Ferreiros prestou homenagem ao padre António Couto, pelos 50 anos como sacerdote daquela freguesia. Cerimónias integraram a realização de uma eucaristia, descerramento de placa comemorativa e almoço-convívio.

“Mobilidade Inteligente, Uma vida melhor” foi o tema deste ano da Semana Europeia da Mobilidade, da qual fez parte o Dia Europeu Sem Carros. Acção de sensibilização, percurso sinalizado em cadeira de rodas, atelier de pintura e jogos tradicionais foram algumas das actividades que marcaram o Dia Europeu Sem Carros.

Gabriela Canavilhas, Ministra da Cultura, apadrinhou o lançamento da campanha “Com os olhos nas mãos”, lançada pela “Ouronor”, com vista a apoiar a Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga. No âmbito daquela campanha, a “Ouronor” criou um coração em filigrana e 12% do valor da venda de cada uma das peças reverte a favor da Associação de Invisuais.

A Póvoa de Lanhoso recebeu, este ano, a abertura do Ano Regional do Ano Escutista. Parque do Pontido, na Póvoa de Lanhoso, recebeu 7000 escuteiros pertencente a 180 agrupamentos da região.

O Parlamento Jovem, as Jornadas de Cultura Local e exposições foram algumas das actividades que integraram as comemorações do Centenário da República na Póvoa de Lanhoso, numa organização da Câmara Municipal. A par da autarquia povoense, também as escolas associara-se às comemorações e promoveram diversas actividades para a comunidade estudantil.

Tendo por objectivo a prevenção de roubos e burlas, a GNR da Póvoa de Lanhoso realizou uma campanha de sensibilização junto da população sénior do concelho. Os cuidados a ter para evitar roubos e burlas e as atitudes a tomar caso os mesmos ocorram foram algumas dos aspectos abordados pelos militares da Póvoa de Lanhoso.

Novembro
Em entrevista ao MF, Clarisse Matos Sá, presidente da Associação “Em Diálogo” revela que uma das grandes batalhas tem sido a manutenção dos postos de trabalho. No decurso da conversa, a presidente da “Em Diálogo” falou de projectos, de dificuldade e de muitas esperanças para o trabalho da associação.

O Banco do Voluntariado, a Loja Social e o Centro de Interpretação da Carvalha de Calvos foram os locais visitados pelos elementos da Comissão Municipal de Responsabilidade Social e Comissão Municipal de Ambiente, ambas criadas no seio da Assembleia Municipal.

O sonho concretizou-se. A construção da capela mortuária e o alargamento do cemitério, em Frades, foram inaugurados. No seu discurso, António Macieira, presidente da Junta de frades, destacou que ambos os melhoramentos eram há muito ansiados pela população e Junta de Freguesia.

Na freguesia de Travassos, as atenções centraram-se na inauguração da capela mortuária. A par da capela mortuária, foi ainda beneficiada toda a área envolvente que contemplou, entre outros, a pavimentação e a iluminação do espaço.

Dezembro
Concelho de Luta por Francisco Tinoco de Faria. A morte deste grande lutador da liberdade deixou o concelho da Póvoa de Lanhoso mais pobre. Para além de conceituado advogado, Francisco Tinoco de Faria é recordado pelos amigos como um homem culto, afável e respeitador.

Garantir os cuidados de continuidade às pessoas idosas ou em situação de dependência é uma das competências da Unidade de Saúde Móvel. Depois da assinatura do protocolo, seguiu-se a entrega da viatura que percorrerá as freguesias do concelho. Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso fica responsável pelos custos com o motorista e combustível.

Reconduzido na presidência da Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga, Domingos Silva, revela o sonho de construir uma Casa Residencial para os deficientes visuais do distrito. Revelando os projectos que gostaria de ver concretizados, Domingos Silva não esquece aqueles que têm ajudado a associação ao longo dos anos.

Pelo nono ano consecutivo, a freguesia de Garfe volta a transformar-se na “Aldeia dos Presépios”. A iniciativa, que ganha cada vez mais visitantes, assume-se com uma das grandes marcas do concelho. Moradores deitaram mãos à obra e presentearam os visitantes com quinze belas construções...

Taíde

Queda poderá ter sido
a causa da morte de sexagenário

A queda de um muro, com três metros, poderá ter sido a causa da morte de um homem de 67 anos, residente em Taíde. De acordo com populares, João Maria Pereira, de 67 anos, foi visto na tarde de domingo, dia 16, na festa de Santo Amaro, na freguesia vizinha de Arosa, já no concelho de Guimarães, tendo estado também com um dos filhos.
A partir daí, nunca mais foi visto, tendo o seu corpo sido encontrado, ao início da tarde de segunda-feira, por um sobrinho. A hipótese de crime parece estar afastada mas só o resultado da autópsia irá revelar, com rigor, as causas da morte.
João Maia Pereira vivia com João Carlos, um dos seus cinco filhos, numa habitação modesta, na Rua Mata da Bouça, em Taíde, a poucas centenas de metros do local onde foi encontrado sem vida.
A ausência de João Maia Pereira, que frequentava o Centro de Dia do Centro Social e Paroquial de Taíde, preocupou as funcionárias daquela instituição. Questionando o filho, e dada a preocupação demonstrada pelo mesmo, descobriram que o idoso não terá passado a noite em casa.
De imediato, o alerta foi dado e familiares e populares terão partido em busca do sexagenário, percorrendo as freguesias de Arosa, local onde foi visto, Castelões, bem como vários locais daquela freguesia de Taíde...

Festividades


Freguesia de Serzedelo
celebrou São Sebastião

A procissão, desde a Igreja Paroquial até à capela de S. Sebastião foi o ponto alto das festividades em honra daquele santo, celebradas na freguesia de Serzedelo, de 20 a 23 de Janeiro. A par das actividades constantes do programa, a celebração em honra daquele santo contemplou a realização de novena, de 15 a 21 de Janeiro, cujo início ocorreu pelas 18h30.
O programa teve o seu início no dia 20, quinta-feira, com a realização da Missa em honra de S. Sebastião, seguindo-se no bado, dia 22, a música gravada, um grupo de bombos, zés pereiras e cabeçudos, assim como a actuação do conjunto “Costa Rica”.
O último e principal dia de festa ocorreu no passado domingo, dia 23, com a realização da procissão, pelas 10 horas, desde a Igreja até à capela de S. Sebastião, à qual se seguiu a missa cantada pela Banda de Música de Calvos e o sermão em honra de S. Sebastião, num acto celebrado pelo padre Albino Carneiro, de Vieira do Minho...

Fontarcada


Tampinhas trocadas
por cadeira de rodas

A tarefa foi cumprida e o esforço dos alunos e comunidade escolar da EB1/JI de Simães, em Fontarcada, foi premiado com a entrega de uma cadeira de rodas, no âmbito da campanha “Tampinhas Mágicas”, promovida pela Águas do Noroeste. Volvido cerca de um ano e meio, desde o início da recolha das tampinhas, alunos e professores da EB1/J1 de Simães deslocaram-se, na manhã de terça-feira, dia 18 de Janeiro, às instalações da Águas do Noroeste, em Guimarães, para receber a cadeira de rodas, que reverterá para uma habitante daquela freguesia.
Numa intensa alegria, os mais novos mostraram-se satisfeitos com a iniciativa e dispostos a continuar a recolha de tampinhas, com vista a ajudar outras pessoas do concelho. Maria de Fátima Machado da Silva, residente em Simães, naquela freguesia de Fontarcada, com um problema de saúde desde nascença que a torna totalmente dependente dos outros para todas as tarefas, é a pessoa para quem reverte a cadeira de rodas. Iniciada na escola, a recolha de tampinhas alargou-se aos vários familiares dos alunos. Da Suíça, familiares da jovem Sofia, enviaram tampas para participar na campanha. Deveras empenhados, os alunos fizeram chegar a mensagem a familiares e amigos de outras freguesias, tendo os mesmos contribuído com a entrega de tampinhas para a campanha “Tampinha Mágica”.
Para além da entrega da cadeira de rodas, a Escola EB1/JI de Simães recebeu, da Águas do Noroeste, um certificado de participação de participação na campanha.

Câmara Municipal


Carta aos munícipes
para explicar aumentos
na água e saneamento

Em comunicado, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso anuncia que, juntamente com a primeira factura emitida este ano aos consumidores, que irá reflectir os aumentos nas tarifas da água e saneamento, será remetida uma carta explicativa desses mesmos aumentos. “A referida carta que os munícipes irão receber explica que, ao longo dos últimos anos, a autarquia foi suportando prejuízos sucessivos no fornecimento de água e no tratamento do saneamento e que, actualmente, os valores desses mesmos prejuízos são superiores a 44% na água e a 86% no saneamento, o que representa um valor na ordem de 1 milhão de euros por ano”, refere a autarquia, anunciando que “esse desequilíbrio resulta, fundamentalmente, da diferença entre o preço que a Câmara Municipal paga na compra da água e o valor que cobra aos munícipes”.

Câmara paga mais
do que aquilo que cobra

“A título de exemplo, em 2010, a autarquia informa que comprou o metro cúbico de água, em média, a 0,86 euros, vendendo-o a 0,47 euros. Um outro exemplo refere-se ao saneamento, em que a Câmara Municipal pagou pelo tratamento de saneamento 0,50 euros por metro cúbico, cobrando 0,20 euros aos Munícipes”, dá conta o comunicado, destacando alguns dos pontos que fazem parte da carta enviada aos munícipes. “Apesar de representar uma situação deficitária, a política municipal seguida ao longo dos últimos cinco anos foi no sentido de ser efectuado um ajustamento gradual dos preços, tendo por objectivo ir equilibrando a gestão deste importante serviço”, explica o mesmo documento...

Póvoa de Lanhoso


PS classifica como brutal
o aumento das taxas
de água, lixo e saneamento

Esta Câmara Municipal está completamente desgovernada e tem uma necessidade imperiosa de realizar receitas”, disse Belarmino Dias, presidente da Comissão Política do PS, no decurso de uma conferência de imprensa, realizada a 14 de Janeiro, na sede do PS.
Acompanhado de António Lourenço, vereador do PS na Câmara Municipal, Belarmino Dias revelou que a Câmara Municipal pretende implementar um aumento brutal nas tarifas da água, lixo e saneamento, aumentos esses aprovados no âmbito da reunião de Câmara de 20 de Dezembro.
Para além de tecer críticas a tais aumentos, Belarmino Dias acusa ainda o executivo municipal de “autêntica caça do dinheiro num regime de contra-ciclo”. Exemplo disso é, e de acordo com aquele responsável do PS, a cobrança das taxas de publicidade. Destacando o “lufa lufa tremendo para cobrar taxas ao comércio”, Belarmino Dias refere que tal situação “só se explica pela ruptura financeira a que esta Câmara chegou”.
Vereador do PS na Câmara Municipal, António Lourenço apontou o dedo à Câmara Municipal, acusando o executivo liderado por Manuel Baptista de “não ter capacidade de planear, se organizar, de pensar o futuro de uma forma global e eficaz”...

Colóquio


'Maria da Fonte' surgiu
para responder a livro
de Camilo Castelo Branco

No decurso do primeiro colóquio alusivo aos 125 anos do “Maria da Fonte”, realizado a 15 de Janeiro, Paulo Freitas, Chefe da Divisão de Cultura da Câmara Municipal e autor de diversas publicações, assegura que o nascimento de ‘A Maria da Fonte’, a 3 de Janeiro de 1886, na segunda página do Jornal “Castelo de Lanhoso” se deve à defesa da P. Lanhoso face às palavras de Camilo Castelo Branco, no seu livro “A Maria da Fonte”, editado em 1885. Lendo algumas passagens do livro de Camilo Castelo Branco, Paulo Freitas considera que o autor “insulta e apelida as mulheres da P. Lanhoso de tudo o que se pode imaginar”. “Como poderia a P. Lanhoso responder?”, questiona, referindo-se aos insultos que são dirigidos às mulheres da Póvoa de Lanhoso.
“A fundação do Jornal Maria da Fonte cruza-se intimamente com um livro de Camilo Castelo Branco, “Maria da Fonte”, publicado em 1885, que comemorou 125 anos o ano passado”, dá conta Paulo Freitas.
Fundado a 1 de Junho de 1885, o Jornal Castelo de Lanhoso, muda de nome, a 3 de Janeiro de 1886, para “A Maria da Fonte”, para a defesa da Póvoa de Lanhoso face às palavras de Camilo Castelo Branco. “A memória da Maria da Fonte, déssa mulher varonil, que, excitando os ánimos, já em convulsão latente, fez surgir uma revolução popular, que, em pouco tempo ganhando poderosos alentos, abalou um throno, e que abateria um sceptro e não fôra a intervenção estrangeira, a memória d'essa heroina vae ser emfim perpectuada n'esta folha semanal, que vê hoje a luz da publicidade”, referia o editorial de “A Maria da Fonte”, na sua edição de 3 de Janeiro de 1886.
O livro “Maria da Fonte”, de Camilo Castelo Branco, tem por base o relato de um povoense, José Joaquim Ferreira de Melo e Andrade, enviado ao escritor em 1874 e que, onze anos depois, será a base do livro de Camilo Castelo Branco, conforme deu conta Paulo Freitas. Tal relato é ampliado por Camilo, que assume os relatos como a verdadeira história da Revolução da Maria da Fonte. “Nesse relato, o povoense Ferreira de Melo dá uma ideia má das mulheres da P. Lanhoso, usando umas dezenas de vezes os epítetos de amazonas e bacantes, apelidando-as de embriagadas, mulheres fáceis e promíscuas”, revela Paulo Freitas...