MANUEL JOSÉ BAPTISTA EM GRANDE ENTREVISTA 

“Só quem não tem vistas largas 
e não é ambicioso é que quer 
que tudo fique na mesma.”

Administrador do F.C. Porto pediu apoios para a ‘AADVDB’ 
Reinaldo homenageado 
pelos invisuai

CNE de Fontarcada
Escuteiros  festejam 30 anos

EDITORIAL

Armindo Veloso




Verão quente
É inédito em Portugal haver uma sequência eleitoral como a deste ano. Tivemos o aperitivo das eleições europeias que já provocaram alguma indigestão no partido socialista.
Seguem-se os dois pratos principais, legislativas e autárquicas, que poderão provocar algumas congestões graves, a mais grave de todas poder-se-á chamar: ingovernabilidade de Portugal.
Se houver uma maioria relativa do PSD ou do PS e os deputados do PP não chegarem para completar maioria absoluta com o partido ganhador, estará o baile armado.
Não tenho dúvidas que nem o PSD nem o PS, um deles ganha de certeza, farão coligações pós eleitorais com a CDU ou com o bloco de esquerda.
Nem o partido vencedor tem condições para isso nem nenhum daqueles quererá praticar haraquiri. Sabemos que o PCP e o bloco são partidos contrapoder. Ou um dia, utopicamente, são maioritários e aí impõem a sua política ou não serão nunca moleta de um partido central. Lembremo-nos do que aconteceu com o activíssimo Zé Sá Fernandes enquanto opositor e o papa-açorda do mesmo José Sá Fernandes agora abocado, inteligentemente, por António Costa em Lisboa. É muito bonito dizer mal. O problema é quando somos nós a ter de fazer...
O Dr. Mário Soares e outros poderão dizer as vezes que quiserem que essas coligações são possíveis e necessárias – estranho, porque quando esteve lá fez coligações sempre à direita – que o máximo que poderão ter é acordos pontuais no parlamento.
Sendo assim, teremos, provavelmente, um parlamento retalhado com cada um a puxar para o seu lado – veja-se o caso da eleição para provedor da justiça...- “vendendo” caro cada acordo pontual até ao dia que o chefe de estado, talvez já no segundo mandato, crie condições para novas eleições legislativas. É uma das hipóteses que se vislumbra.
A outra, é o bloco central que abordarei noutra oportunidade.
Com estas e com outras, o espaço desta crónica esgota-se e não falei das autárquicas. Afinal, essas, são as mais previsíveis. O problema põe-se daqui a quatro anos. Aí sim, vai haver uma revolução. Uma coisa é certa, com esta azafama eleitoral o país não adormeceu em Agosto. Está a ter uma actividade fora do normal e os hotéis e resort's é que estão a sofrer porque os coitados dos políticos trabalham de sol-a-sol.

Até um dia destes.

Manuel José Baptista em grande entrevista

“Gosto muito de ser presidente”

Depois da apresentação da candidatura de Manuel José Baptista à Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, o “Maria da Fonte” conversou com o candidato do partido social-democrata. Confiando num resultado positivo, Manuel Baptista aponta o Fórum Municipal e os Centro Educativos como as grandes prioridades.
A maioria na Assembleia Municipal é uma das condições apontadas por Manuel Baptista para colocar em prática os seus projectos.

Maria da Fonte - É de novo candidato à presidência da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. Sente-se confiante na reeleição?
Manuel Baptista- Estou convencido que os povoenses reconhecem que a mudança foi positiva. O trabalho está à vista de todos e por esse motivo, por ter muito orgulho no trabalho que desenvolvemos, parto para esta campanha com humildade e respeito pelos adversários, mas confiante num resultado positivo.

MF - Que balanço faz destes quatro anos como presidente de Câmara?
MB- Esta pergunta dava para a entrevista toda. Sabe, quando assumimos o desafio de apresentar um projecto diferente aos povoenses tínhamos a certeza que a motivação e a capacidade da equipa ia fazer mudar muitas coisas na Póvoa de Lanhoso. Dou alguns exemplos. A juventude precisava de ter um espaço com o qual se identificasse. Por isso construímos e dinamizamos o Espaço Jovem. Os mais carenciados necessitavam de ter respostas sociais. Por isso criamos a Loja Social, o Banco de Voluntariado, reforçamos os apoios sociais aos alunos das escolas e apoiamos a renda de casa a várias famílias. Sabia que mais de 50 famílias já recebem este importante apoio? Mas tivemos, ainda, mais preocupações. Requalificamos a vila como forma de projectar a nossa sala de visitas, ainda se lembra onde estava a Sapataria Armando? E como estavam as nossas entradas principais, em Galegos e no Pinheiro? Apostamos, ainda, numa programação cultural que envolvesse as associações, avançamos com os Centros Educativos, desatamos o nó do PDM e investimos nos centros cívicos das freguesias tendo por objectivo levar o desenvolvimento a todo o território. São estes exemplos que me levam a concluir que, apesar de algumas dificuldades, o trabalho que desenvolvemos foi francamente positivo.

MF - O que destaca da experiência como presidente de Câmara?
MB- Destaco a minha total dedicação ao projecto que os povoenses escolheram. Acho que a maior recompensa é o carinho e o afecto que recebo diariamente de muitos povoenses. Sinto que a convicção humanista do meu executivo tem permitido uma forma diferente de fazer política, mais voltada para as pessoas e menos politizada. Gosto muito de ser presidente pois sinto que desta forma estou a ajudar mais pessoas e a desenvolver projectos que melhoram a qualidade de vida de todos nós.

“Só tendo maioria estão reunidas condições
para levar à prática os nossos projectos”

MF - O que espera das próximas eleições autárquicas?
MB- Uma vitória para continuar a servir os povoenses.

MF - O que não gostaria que acontecesse na campanha eleitoral para as autárquicas?
MB- O que de pior tem a política. Os ataques pessoais, a utilização de qualquer meio para atingir um fim. Espero que as candidaturas se respeitem, afinal somos todos povoenses que gostamos da nossa terra e que apenas nos distingue a visão que cada um tem do desenvolvimento do concelho. Da minha parte e foi isso que transmiti à direcção de campanha, continuarei a ter a mesma postura de lealdade, seriedade e de frontalidade.

MF - Na apresentação pública dos candidatos do PSD foi defendida a necessidade de ganhar um maior número de juntas, assim como obter a maioria na Assembleia Municipal. É esse o objectivo desta campanha?
MB- Por princípio, o PSD quando se candidata é sempre para ganhar. Esse é o objectivo principal, pois acreditamos que os nossos candidatos são os que reúnem as melhores condições para governarem as Juntas de Freguesia. A experiência destes quatro anos demonstrou, ainda, que os presidentes de junta do Partido Socialista não souberam separar o interesse da freguesia do interesse do partido. Esse facto causou-nos grandes dificuldades que prejudicaram o nosso trabalho. Claro que temos consciência que só tendo maioria na Assembleia Municipal teremos reunidas as condições para levar à prática os nossos projectos.

MF - Algumas obras, tidas como prioritárias em 2005, não saíram do papel. O parque industrial a custos controlados, a via circular urbana e o conselho consultivo de opinião são três desses exemplos. Quais as razões para a sua não concretização?
MB- Como lhe referi numa questão anterior, houve algumas dificuldades que apareceram no caminho. Estes quatro anos foram marcados por uma forte crise económica e social o que nos levou a redefinir as prioridades. Mas, não é verdade que não fizemos nada a esse nível. Reactivamos o Conselho Municipal de Educação, o Conselho Municipal da Juventude, de-mos uma nova dinâmica ao Conselho Local de Acção Social e criamos o Conselho Municipal da Cultura. Foi por este motivo que decidi redefinir a estratégia do Conselho Consultivo de Opinião, pois desta forma consegui-mos o mesmo objectivo que é partilhar as decisões ouvindo a sociedade civil. Sobre a variante, como sabe, este projecto não pode ser apenas suportado pelo município. Em primeiro lugar definimos um novo traçado que estamos a verter na proposta de revisão do PDM e em segundo lugar solicitamos uma audiência ao Secretário de Estados das Obras Públicas, que aguar-damos, para lhe apresentar a nossa proposta. Nós fizemos centenas de contactos com empresas, através de associações empresariais, temos promovido o nosso concelho ao mais alto nível, mas como sabemos a crise económica levou ao recuo de muitos projectos que certamente iriam criar muitos postos de trabalho. A realidade é nacional e internacional e contra isso pouco podemos fazer. Mesmo assim, já demos passos importantes que me levam a ter esperança no futuro.

“Actual pavilhão e piscina descoberta
estão obsoletos”

MF - Na lista de candidatos à Câmara Municipal, destaca-se a entrada de Armando Fernandes, presidente da comissão política concelhia do PSD, para o lugar de António Alves. Que motivos levaram à escolha deste elemento?
MB- Este é um processo natural e dentro do que estava já combinado desde 2005. O vereador Alves assumiu o compromisso de nos ajudar durante este mandato, fazendo agora a transição para o Dr. Armando Fernandes. Mais que o trabalho político desenvolvido pelo Dr. Armando, valorizo o seu profissionalismo, a sua lealdade e o amor que tem pela Póvoa. Ele partilha dos mesmos valores que o restante executivo e vai certamente desempenhar com igual rigor e transparência as funções até aqui confiadas ao Eng. Alves.

MF - A política social tem sido a grande bandeira deste executivo. Mantém-se a aposta nesta área?
MB- Quem nos conhece sabe que de outra forma não sabemos trabalhar. A política social é transversal a vários pelouros. Quando atribuímos as Bolsas de Estudo aos alunos do secundá-rio ou do superior estamos a fazer política social. Quando construímos novas escolas, quando realizamos programas de ocupação de tempos livres, quando levamos os idosos ao teatro. Enfim, esta área de intervenção é muito abrangente. Todo este trabalho tem como principal objectivo colocar as pessoas em primeiro lugar e certamente que o nosso programa eleitoral vai mostrar isso mesmo.

“Programa está em fase de elaboração...”


MF - Quais as grandes obras que integram o programa eleitoral do PSD para os próximos quatro anos?
MB- O programa está ainda em fase de elaboração, mas posso referir os projectos que já assumimos de continuidade. O Fórum Municipal e os Centros Educativos são a nossa grande prioridade. Acho que Fórum será um projecto que vai dinamizar o centro da vila criando respostas para todos os Povoenses. Já viu poder ir à Biblioteca levantar um livro, no mesmo edifício pode ir pagar a água, ir às finanças ou ver uma exposição? Não acha que este projecto deve orgulhar todos os povoenses? Mas não estou a falar apenas de ideias. Este projecto está aprovado e vamos construir se for a vontade dos povoenses. Permita-me que aproveite a oportunidade para esclarecer o seguinte. Nós decidimos construir neste local porque temos a noção clara de que não há nenhum prejuízo para a autarquia. O actual pavilhão e piscina descoberta estão obsoletos. A piscina tem um problema de impermeabilização e de filtragem da água que custa mais de 150.000 euros a sua resolução. Logo, porque estes projectos são todos financiados com pelo menos 70% de comparticipação, é mais vantajoso construirmos equipamentos novos do que reparar. Só quem não tem vistas largas e não é ambicioso é que quer que tudo fique na mesma. Nós somos diferentes, sem ambição não mudamos o nosso concelho.

“Só quem não tem vistas largas
e não é ambicioso é que quer
que tudo fique na mesma.”

MF - Que comentários lhe merecem as candidaturas de António Lourenço, pelo PS, e de Rodolfo Pontes, pela CDU?
MB – Não tenho que comentar outras candidaturas, isso deixo para os colunistas dos jornais. Farei uma campanha com respeito por todos os concorrentes e espero que tenham a mesma postura para comigo.

Quer deixar uma palavra final aos povoenses?
MB- Apenas dizer que o Manuel Baptista que conhecem é o mesmo de sempre. Ao longo da minha vida estive permanentemente disponível para ajudar as pessoas através das empresas, das associações e das instituições por onde passei. Agora, na autarquia, tenho a mesma postura. Estou convencido que o projecto e a equipa que vou apresentar são os que colocam a Póvoa no melhor caminho. Por isso, continuo totalmente disponível para servir a terra que muito amo.

Friande: festas da Sra. da Ajuda


Verdadeira enchente 

A freguesia de Friande viveu, de 7 a 10 de Agosto, momentos de grande animação com a celebração das festas em honra de N. Sra. da Ajuda. A actuação dos “Santa Maria”, na noite de sábado, dia 8, foi o momento alto das festas, com o espaço junto à capela de Nossa Senhora da Ajuda a receber centenas de pessoas que ali se deslocaram para acompanhar a actuação da famosa banda portuguesa. Segundo alguns dos populares, assistiu-se a uma verdadeira enchente como há muito não era vista. No principal dia de festa, domingo, os actos religiosos marcaram presença com a celebração da eucaristia, pelas 10h30, e a procissão, pelas 15 horas. No decurso da missa solene, o padre Marco Gil convidou os presentes a olhar para os desígnios de S. Paulo, caminhando na caridade e perdoando aos outros. O sacerdote desafiou ainda para que sejamos “verdadeiros peregrinos e verdadeiros devotos”
No final da eucaristia, na manhã de domingo, o povo uniu-se para a bênção de um novo cruzeiro, numa oferta da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. Para além da oferta do cruzeiro, a autarquia povoense comparticipou no arranjo dos envolventes à capela de Nossa Senhora da Ajuda, oferecendo uns portões para o recinto. A par destes melhoramentos, a comissão de festas procedeu à pintura da capela, dando, assim, uma maior dignidade ao local.
O último dia de festa, segunda-feira, ficou marcado por uma sardinhada, durante a tarde, e, à noite, a realização de uma garraiada. O grupo “Vozes de Echternach” animou musicalmente aquele dia, que encerrou as festas em honra de Nossa Senhora da Ajuda.

Vilela - Festa da Senhora das Maravilhas

Toy é a figura de cartaz

De 21 a 24 de Agosto, a freguesia de Vilela recebe as tradicionais festas em honra de Nossa Senhora das Maravilhas. Por aqueles dias, a freguesia vive momentos de alegria e de intenso movimento. Depois da música gravada no primeiro dia, sexta-feira, dia 21, a festa prossegue no sábado, dia 22, pelas 21 horas, com a realização dos actos religiosos e da procissão de velas. Durante aquele dia, a comissão de festas prossegue com o peditório ao longo de todos os lugares da freguesia. Às 22h30, o grupo “Bandaneira Evoluntiom Tour” promete momentos de grande animação, cuja actuação se prolonga até às 24 horas, ocasião em que será queimada uma sessão de fogo. No dia 23, domingo, pelas 11 horas, celebra-se a missa em honra de Nossa Senhora das Maravilhas, cantada pelo grupo coral da freguesia e, pelas 15 horas, entra no recinto a Fanfarra de Briteiros, do concelho de Guimarães. A procissão sai à rua pelas 16 horas, com diversos andores e figuras alegóricas a incorporar o acto.
Finda a cerimónia religiosa, o recinto das festas recebe a actuação do Rancho Infantil da Póvoa de Lanhoso. À noite, o folclore continua no centro das atenções e, às 21 horas, dá-se a actuação do Rancho Folclórico de Martim de Freitas e do Rancho Folclórico de Verim. Uma sessão de fogo, pelas 24 horas, encerra o dia de festa. Na segunda-feira, pelas 10 horas, celebra-se uma missa por todos os emigrantes da freguesia. Pelas 15h30, retomam os actos religiosos, com a reza do terço. No final, as atenções estão voltadas para os jogos tradicionais que decorrem no recinto das festas.
À noite, pelas 22h30, entra em palco o grupo de dança “Movistar”, da freguesia de Vilela, que antecipa a entrada em palco do famoso cantor Toy, cuja actuação está agendada para as 23 horas. Uma grandiosa sessão de fogo encerra as festas deste ano.

Freguesia de Verim


Junta melhorada

Cerca de 65 mil euros foi o valor investido pela Junta de Freguesia de Verim e Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso na ampliação e requalificação do edifício da sede de Junta de Freguesia de Verim.
As obras, que incidiram no exterior e interior do edifício, assim como no espaço envolvente, permitiram tornar aquele espaço mais funcional, conferindo-lhe ainda uma maior dignidade.
A inauguração daqueles benefícios ocorreu no dia 2 de Agosto e a cerimónia, para além das autoridades civis e religiosas, contou com a presença do povo da freguesia, que não deixou de se associar ao acto.
Por ocasião dos discursos, Carlos Sousa, presidente da Junta de Freguesia de Verim, salientou que aquele espaço “é a Casa do Povo de Verim”. Contando com um espaço público de internet, a sede de Junta de Verim encontra-se aberta ao público, das 13 às 18 horas, contando ainda com um espaço destinado ao rancho folclórico da freguesia.
Nas obras, a Junta de freguesia local investiu mais de vinte mil euros, como indicou Carlos Sousa. Pintura das paredes interiores e exteriores, novo telhado, colocação de alarme contra intrusão e detecção de incêndios, ar condicionado, sistema de comunicações estruturadas, sistema de segurança e intervenção nos espaços verdes, foram alguns dos melhoramentos realizados.
A ampliação daquele edifício permitiu a criação de uma garagem, assim como de um gabinete destinado à presidência. O anterior espaço destinado ao presidente da Junta de freguesia deu lugar a um posto de internet, com dois computadores, colocado ao serviço de toda a população.
Para além de agradecer o contributo da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, cujas verbas rondaram os 45 mil euros, Carlos Sousa solicitou, ao presidente da Câmara Municipal, a transferência das verbas para a obra projectada para o ano 2009, que diz respeito à construção de uma capela mortuária na freguesia.
“Esta obra está bonita. Foi uma requalificação bem feita”, considerou Manuel José Baptista, presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso. “Vamos continuar a transferir mas comece a capela mortuária. Só transferimos mediante medições. Estamos dispostos a transferir mas é preciso que comece a obra”, disse Manuel José Baptista, relativamente à transferência de verbas da autarquia para as juntas de freguesia.
Depois da cerimónia de inauguração, foi servido um verde de honra a todos os presentes.

Ass. Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito

Invisuais homenagearam 
Reinaldo Teles

A Praça Engenheiro Armando Rodrigues, no centro da Póvoa de Lanhoso, foi palco de uma homenagem a Reinaldo Teles, administrador da SAD do Futebol Clube do Porto, por parte da Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga (AADVDB).
Domingos Silva, presidente da associação, foi o timoneiro desta ho-menagem a Reinaldo Teles, como forma de agradecimento por tudo quanto este dirigente portista tem feito pela AADVDB.
Além de Reinaldo Teles, o homenageado da noite, várias glórias do FC Porto marcaram presença na Pó-voa de Lanhoso. Fernando Gomes, Seninho, Coelho, Frasco foram alguns dos ex-atletas que se associaram ao tributo a Reinaldo Teles.
Além destes, estiveram também presentes Álvaro Pinto, vice-presidente do FC Porto, o presidente da Associação de Futebol de Braga, Carlos Coutada, e Zé Mário, mas-sagista do FC Porto, assim como representantes de algumas delegações do clube. Fátima Moreira, vereadora da Cultura, foi a representante da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
Antes da homenagem, a comitiva visitou as instalações da AADVDB, à qual se seguiu um jantar no Narcisu’s Eventos, em Fontarcada.
“Esta associação está aberta a todos os clubes que a queiram ajudar”, destacou Domingos Silva, dando como exemplo a ajuda prestada pelo Vitória de Guimarães, aquando o último jogo do campeonato.
“Um homem que ajudou muito a associação. Um homem bom da solidariedade”, disse Domingos Silva em relação à pessoa de Reinaldo Teles, dando ainda conta dos graves problemas de saúde que têm afectado aquele responsável portista.
Destacando algumas das actividades que desenvolvem na ajuda aos deficientes visuais, Domingos Silva lançou o repto para que visitem a AADVDB. “Vão ver e depois é que podem dizer se é ou não uma grande obra”, disse.
Agradecendo a presença de todos, Reinaldo Teles apelou a que todos ajudem a associação. “Ajudem por-que ele merece. Ele não cuida dele, cuida dos outros”, disse Reinaldo Teles, referindo-se a Domingos Silva, revelando ainda que fará tudo o que puder para ajudar a Associação de Apoio aos Deficientes Visuais do Distrito de Braga. No final da cerimónia de homenagem foram sorteadas duas bolas e uma camisola autografadas pelos atletas do FCP.

Fontarcada


CNE comemorou 30 anos

O Agrupamento do CNE 726 – Fontarcada esteve em festa nos dias 11 e 12 de Julho. Comemorou 30 anos de existência e festejou a data num acampamento onde estiveram representados todos os agrupamentos do núcleo da Póvoa de Lanhoso.
O acampamento, realizado na Quinta do Ribeiro, no lugar de Arrifana, que teve como tema “Unidos por um Ideal”, começou bem cedo. No sábado de manhã, começaram a chegar, de mochila às costas, os primeiros elementos que iriam participar desta grande actividade. Durante a manhã, decorreu a montagem de campo, por secções, conforme os participantes iam chegando. A abertura oficial do acampamento foi às 14:30h, com hastear de bandeiras, onde estiveram presentes cerca de 250 escuteiros para dar início às actividades.
Durante a tarde, houve jogos por secções. Os lobitos viveram intensamente a vida num formigueiro. Todos eles eram formiguinhas que trabalhavam arduamente, unidas e organizadas para conseguirem ter o que precisam. Os exploradores partiram à conquista, através do jogo das Bolas de Cristal, que detinham poderes especiais e que, quando juntas, poderiam realizar desejos. Os pioneiros foram construindo a sua personalidade para poderem ser investidos Cavaleiros da Távola Redonda. Foi uma tarde bem preenchida com actividades que notoriamente agradaram a todos, pois iam chegando ao campo muito animados.
A noite foi dedicada ao Fogo de Conselho, onde foram apresentados os trabalhos feitos durante o dia sobre os vários temas, as peças de teatro e as canções que foram sendo preparadas antes deste dia. A animação e a alegria, tradicionais deste momento de encontro, estiveram sempre presentes.
No domingo, depois da alvorada e devidamente organizados, partiram em direcção ao parque da Trivima onde realizaram o Jogo da União, que havia sido preparado. Um jogo muito dinâmico para acordar o pessoal! Depois de terminado o jogo, e quase na hora de preparar o almoço, foram revelados os resultados das provas e, ordenadamente, regressaram ao campo.
Depois do almoço, começou a preparação do desfile, que seguiu orientado pela fanfarra até ao Mosteiro, onde se realizou a Eucaristia, pelas 15 horas, presidido pelo Padre Marco Gil, Assistente de Núcleo, e o Padre Fernando Eurico, Pároco de Fontarcada e Assistente do Agrupamento Aniversariante.
No final da Eucaristia foi o regresso ao campo para o encerramento oficial do acampamento, desmontagem de campo e voltar a casa com “a esperança de um dia voltar”.
O Agrupamento de Fontarcada deixa aqui o seu agradecimento a todos quantos participaram neste Acampamento e ao Sr. Álvaro Mendes da Silva, proprietário do local belíssimo onde se realizou esta grande festa.

CASO DE POLÍCIA

Ferreiros: casa de diversão
nocturna selada pela GNR


Três cidadãos nacionais, dois homens e uma mulher, foram constituídos arguidos e sujeitos a termo de identidade e residência no âmbito de uma operação de fiscalização a um estabelecimento de diversão nocturna localizado junto à Estrada Nacional 103, que liga Braga à Póvoa de Lanhoso, no lugar do Pêgo, na freguesia de Ferreiros.
A operação, resultante do cumprimento de um mandado de busca, que teve o seu início pelas 23 horas de terça-feira, dia 4 de Agosto, e terminou na manhã de quarta-feira, dia 5, envolveu os militares do NIC do Destacamento da GNR da Póvoa de Lanhoso, assim como elementos dos postos territoriais (PTER) da GNR da Póvoa de Lanhoso, Amares e Gerês, uma equipa cinotécnica e elementos do Pelotão de Intervenção Rápida da GNR.
No espaço de cerca de um ano, o Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do DTER da GNR da Póvoa de Lanhoso procedeu ao encerramento, pela segunda vez, daquele estabelecimento de diversão nocturna. No decurso das operações foram identificadas dez cidadãs, oito das quais de nacionalidade estrangeira. Duas das cidadãs estrangeiras foram notificadas para abandonar voluntariamente o território nacional e as restantes encontram-se a aguardar a regularização da sua permanência em Portugal.
Segundo apuramos, os cidadãos constituídos arguidos, cujas idades se situam entre os 27 e os 50 anos, e residem nos concelhos de Braga, Barcelos e Póvoa de Lanhoso, encontram-se alegadamente indiciados pela prática de lenocínio, auxílio à emigração ilegal e violação da obrigação de encerramento, que estava determinada por despacho judicial. No decurso das buscas, foram apreendidos objectos relacionados com a prática de lenocínio.

NIC apreende cannabis em busca domiciliária

No decorrer de uma busca domiciliária, realizada na tarde terça-feira, dia 4 de Agosto, no concelho de Amares, o Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do Destacamento Territorial da GNR da P. Lanhoso apreendeu várias plantas de cannabis, uma pequena quantidade de haxixe, sementes e plantas de cannabis em fase de secagem (liamba), assim como diverso material relacionado com o consumo/tráfico de produtos estupefacientes.
O alvo da busca foi uma residência, tendo os militares detectado as plantas num anexo agrícola, situado no quintal da residência.
O restante material apreendido encontrava-se no interior da referida residência. Nesta operação, para além dos elementos do NIC, estiveram envolvidos quatro militares do Posto Territorial da GNR de Amares, assim como uma equipa cinotécnica do Comando Territorial de Braga.
Dois indivíduos, residentes no concelho, com idades entre os 16 e os 22 anos, foram constituídos arguidos, tendo prestado termo de identidade e residência. Anteriormente, no dia 31 de Julho, o NIC da GNR da P. Lanhoso deteve, em Amares, um indivíduo por posse de haxixe. Por ocasião da detenção, o referido individuo, residente naquele concelho, tinha em sua posse cerca de 120 gramas de haxixe.
Ao longo dos últimos meses, tendo sido várias as apreensões de cannabis realizadas pelo NIC do DTER da GNR da P. Lanhoso, nos concelhos da sua área de intervenção.

Casal detido com material contrafeito

Um casal foi detido, na tarde de segunda-feira, dia 10, na Póvoa de Lanhoso, quando se preparava para vender material alegadamente contrafeito. A detenção, realizada pelo Núcleo de Investigação Criminal (NIC) do Destacamento Territorial (DTER) da GNR da Póvoa de Lanhoso, aconteceu por volta das 16h30, na Avenida dos Bombeiros Voluntários, na P. Lanhoso. O casal, de 23 e 28 anos, reside no concelho de Braga. Aquando da detenção, o casal tinha em sua posse cópias ilegais de CD’s e DVD’s, assim como relógios e óculos de sol alegadamente contrafeitos. Emporio Armani, Guess, Dolce e Gabbana, Diesel e Ray-Ban são algumas das marcas dos objectos apreendidas.
Depois da detenção, o casal foi identificado, tendo sido constituído arguido e prestado Termo de Identidade e Residência. Os mesmos estão indiciados por alegado crime de usurpação de direitos de autor.
No total, foram apreendidos quinze relógios, cerca de 160 DVD’s, 46 pares de óculos de sol e 23 CD’s. O material apreendido será entregue no Tribunal Judicial da Póvoa de Lanhoso.

Até ao final do mês

Verão con(vida) 

Contando com um conjunto diversificado de propostas, a iniciativa “Verão Con(Vida)” teve o seu início no mês de Julho e prolonga-se até ao dia 29 de Agosto. O programa, elaborado pela autarquia povoense, integra iniciativas na área da moda, música, teatro, cinema, folclore, dança e exposições.
A noite de hoje, sexta-feira, e a tarde de sábado, serão animadas pelo Festival de Folclore, que contará com a participação de cinco ranchos concelhios: Rancho Folclórico de Verim; Rancho Folclórico S. Julião, de Covelas; Rancho Folclórico Maria da Fonte, de Fontarcada; Rancho Folclórico de Garfe; e Rancho Folclórico da Póvoa de Lanhoso. O desfile dos ranchos inicia-se hoje, pelas 21h00, seguindo-se, pelas 21h30, a actuação dos grupos participantes. Amanhã, sábado, o festival de folclore tem início pelas 14h30. No domingo, pelas 22 horas, as atenções estão voltadas para a actuação do grupo “Akison”. Nos próximos dias, de 17 a 29 de Agosto, o programa é o seguinte: 17 de Agosto, às 22 horas, cinema, nos Paços do Concelho; 18 de Agosto, encerramento da Festa das Freguesias, no Parque do Pontido; 19 de Agosto, às 22 horas, noite do fado, no Largo António Lopes; 20 de Agosto, às 22 horas, actuação do conjunto “Estrelas da Madrugada”, na Praça Engenheiro Armando Rodrigues; 21 de Agosto, às 21h30, teatro “Eu Reino”, no Castelo de Lanhoso; 22 de Agosto, às 21h30, teatro “Eu Reino”, no Castelo de Lanhoso; 23 de Agosto, às 22, folclore com o Rancho Folclórico de Porto d’ Ave, de Taíde, na Praça Engenheiro Armando Rodrigues; 24 de Agosto, às 22 horas, cinema, nos Paços do Concelho; 25 de Agosto, às 22 horas, noite de música com “Neonírico”, no Parque do Pontido; 26 de Agosto, às 22 horas, Leandro e Martinha, na Praça Engenheiro Armando Rodrigues; 27 de Agosto, 22 horas, grupo “Atitude”, na Praça Engenheiro Armando Rodrigues; 28 de Agosto, às 22 horas, conjunto “Raios de Sol”, na Praça Engenheiro Armando Rodrigues - dia 29 de Agosto, às 22 horas, folclore com o Rancho Folclórico da Póvoa de Lanhoso, Praça Engenheiro Armando Rodrigues.

Geraz do Minho

Festa de Santo António

De 21 a 23 de Agosto, a freguesia de Geraz do Minho acolhe os festejos a Sto. António. Do programa consta, no dia 21, sexta-feira, pelas 21 horas, a realização da procissão de velas, à qual se segue os cantares ao desafio com Jorge Loureiro e Irene Passos. No sábado, dia 22, às 9 horas, inicia-se a volta à freguesia, com a presença de um grupo de bombos de Pedralvelas. À noite, pelas 21h30, inicia-se a actuação do grupo musical “Akisom”. Uma sessão de fogo encerra as festas deste dia. No domingo, às 10h30, iniciam-se os actos religiosos, com a celebração da missa solene em honra de S. António. De tarde, às 15 horas, dá-se a entrada do Rancho Folclórico de Covelas, e, às 16 horas, tem lugar a majestosa procissão em honra de Santo António, acompanhada pelos Escuteiros de S. João de Rei. Às 17h30, inicia-se a ac-tuação do Rancho Folclórico de Covelas. À noite, pelas 21h30, inicia-se a actuação do grupo “Attitude”. Às 24 horas, será queimada uma sessão de fogo, à qual se segue um tributo, pelo grupo “Attitude” às “Mamonas Assassinas”.

Lista de deputados de Braga do PS

Frederico Castro e Pedro Silva
representam concelhia da Póvoa

Para além de Frederico Castro, a lista de deputados do PS pelo círculo eleitoral de Braga, integra, também Pedro Silva, coordenador da concelhia da Juventude Socialista.
“O Partido Socialista (PS) da P. Lanhoso congratula-se com a composição da lista de candidatos a deputados à Assembleia da República pelo círculo de Braga que foi aprovada por unanimidade na Comissão Política Nacional do final do mês de Julho”, revela em comunicado.
“Frederico Castro foi democraticamente escolhido, tendo sido indigitado para representar a secção do PS, na Lista de candidatos a deputados do círculo eleitoral de Braga. Refira-se que o representante da P. Lanhoso nesta lista ficou colocado num lugar que em 2005 foi elegível, o que coloca Frederico Castro numa posição em que as probabilidades de ser eleito são muito elevadas, sendo para isso fundamental que o PS saia vitorioso das eleições legislativas do próximo dia 27 de Setembro”, refere a comissão política.
Pedro Silva, foi um dos três elementos indicados pela Federação Distrital da JS para integrar a lista. Para além de Pedro Silva, a distrital da JS indicou o seu presidente de Federação, Hugo Pires, e o presidente da Comissão Política distrital, Hernâni Loureiro, ou seja, os presidentes dos órgãos executivo e deliberativo da JS do distrito de Braga.
“O concelho da Póvo apresenta na lista do PS às eleições legislativas dois representantes, facto que merece por parte da concelhia da P. Lanhoso do PS o regozijo próprio resultante do facto de ter sido reconhecido o excelente trabalho que tem sido realizado, comprovando por outro lado, o prestígio e respeito que merece por parte dos órgãos distritais e nacionais”, revela a comissão política do PS.

Taíde em festa de 29 de Agosto a 6 de Setembro

Romaria de Porto d’Ave

De 29 de Agosto a 6 de Setembro a freguesia de Taíde acolhe a tradicional Romaria de Nossa Senhora do Porto d’Ave, também conhecida como a Romaria dos bifes e dos melões.
O início das festividades ocorre no dia 29 de Agosto, sábado, pelas 9 horas, com o começo das novenas em honra de Nossa Senhora e Ladaínha.
A pregação está a cargo do Padre Luís Miguel Figueiredo Rodrigues. Naquele dia, pelas 15 horas, realiza-se o desfile de cavalos pelas ruas de Porto d’Ave e, pelas 17 horas, a bênção dos animais.
À noite, o Terreiro dos Músicas recebe o Festival Folclórico. No domingo, dia 30, consta a procissão da Senhora da Boa Morte, às 10h15, a novena, pregação e ladainha, e, às 21h30, a animação estará a cargo do Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso, com um excerto da peça “Eu Reino”.
No dia 31 de Agosto, de manhã, tem lugar a novena, pregação e ladaínha e à noite, pelas 21h30, a música dos anos 70 estará em destaque. As novenas, pregações e ladainhas prolongam-se até ao dia 5 de Setembro; no dia 1 de Setembro, pelas 21h30, é a vez da actuação da Filármónica Juvenil de Golães (Fafe); no dia 2, pelas 21 horas, é a noite da comunidade EB1; no dia 3, a noite será dedicada ao Grupo Desportivo Porto d’Ave, com a apresentação dos vários escalões de futebol e sorteio de vários prémios. Aquela noite será ainda animada pelo conjunto “Novo Império”; no dia 4, pelas 21 horas, a gran-diosa procissão de velas, e, às 22 horas, a actuação da Banda “América Show”; no dia 5, às 14 horas, realiza-se a Rota dos Bi-fes, pelo BTT Porto d’Ave, e, às 22h30, a actuação da banda “Ukapa”.
No dia 6 de Setembro, principal dia de festa, as atenções estão voltadas para os actos religiosos. Pelas 8 horas, celebra-se a euca-ristia e, às 11 horas, tem lugar a eucaristia solenizada, presidida por um representante do Arcebispo Primaz de Braga. Às 14 horas, dá-se a entrada no recinto da Banda Musical de Golães (Fafe) e da Banda Musical Arcoense (Arcos de Valdevez).
De tarde, às 16 horas, tem início a eucaristia seguindo-se, pelas 17 horas, a grandiosa procissão, organizada pelos escuteiros de Taíde, que contará com um grande número de figurantes e vários andores, acompanhada pela Fanfarra dos Escuteiros de Garfe e com guarda de honra a cavalo.
Um espectáculo de fogo de cachoeira, fogo aquático, sessões variadas e fogo cruzado encerra a Romaria de Nossa Senhora do Porto d’Ave. A freguesia de Taíde está em festa de 29 de Agosto a 6 de Setembro.

Dia 5 de Setembro

Bombeiros e Santa Casa 
comemoram aniversário

No dia 5 de Setembro, as duas instituições mais representativas do concelho – A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da P. Lanhoso e a Santa Casa da Misericórdia da P. Lanhoso celebram o seu aniversário, completando 105 e 92 anos, respectivamente. Do programa elaborado, designado como Dia do Hospital António Lopes/Misericórdia e dos Bombeiros Voluntários, constam vários momentos solenes. Em termos de inauguração, a Santa Casa irá proceder à inauguração da remodelação e ampliação dos Serviços Administrativos Centrais da SCMPL, ao passo que, naquele dia, os Bombeiros Voluntários procedem à bênção de duas novas viaturas.
Do programa elaborado em conjunto por ambas as instituições, consta, pelas 9 horas, o hastear de bandeiras, com formatura geral na parada do Quartel Sede dos Bombeiros Voluntários e no Hospital António Lopes, seguindo-se a romagem ao cemitério para a deposição de flores e, pelas 10h30, a missa solenizada. Posteriormente, pelas 11h30, decorre a deposição de flores no monumento do Largo António Lopes e, às 11h45, a visita às obras de remodelação/ampliação da Casa do Feitor para a Unidade de Longa Duração D. Elvira Câmara Lopes e, às 12 horas, a inauguração da remodelação e ampliação dos serviços administrativos centrais. A sessão solene, no Salão Nobre do Hospital António Lopes, integra, entre outros momentos, a assinatura do protocolo de colaboração entre a Santa Casa e a EPAVE, no âmbito da formação, a distinção de colaboradores e o lançamento da 28.ª publicação da “Santa Causa”.
Findos os actos solenes, decorre um almoço de confraternização no Lar de S. José, com a presença de entidades oficiais e convidados.
De tarde, as cerimónias transitam para os Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, com a recepção às autoridades oficiais e convidados a ter lugar pelas 17 horas. Posteriormente, realiza-se uma homenagem aos saudosos comandantes, na figura do comandante Luís Pinto da Silva, com deposição de flores, homenagem ao Bombeiro Voluntário, a imposição de condecorações e promoções e a bênção de novas viaturas ao serviço da associação. A sessão solene tem início pelas 18 horas, seguindo-se, pelas 18 horas, um concerto pelas Banda de Música dos Bombeiros. Depois do jantar de confraternização, tem lugar, pelas 22 horas, um arraial com a presença do grupo “Cantares da Nossa Aldeia” e, pelas 24 horas, o desfile das viaturas da associação, num momento muito aguardado pelos povoenses.
Candidato diz que tratou todos por igual
Manuel Baptista
Gabriela Fonseca
Armando Fernandes
Fátima Moreira
e Luís Amaro da Costa
lideram lista do PSD

Festas em honra de S. Tiago e santa luzia
Monsul foi o centro
da tradição povoense

Eleições autárquicas
PS apresentou candidato
à Assembleia Municipal

No Intermaché da Póvoa
Assaltantes roubaram
ouro e causaram o pânico

EDITORIAL

Armindo Veloso




O dia D
Faz um ano que o Estatuto Político-Administrativo dos Açores fez com que o Presidente da República transmitisse uma comunicação inédita ao país através da televisão, facto esse que entreteve toda a comunicação social num período tão carente de noticias.
Relembro este facto porque constitui, na minha opinião, o dia D para que parte dos portugueses, nos quais me incluo, se tenham paulatinamente afastado de José Sócrates.
Se juntarmos a lei do divórcio e o casamento entre homossexuais, julgo que está quase tudo dito.
Portugal não é uma Nação qualquer. Quem não ver isso estatela-se. Foi o caso. José Sócrates afrontou sem pés nem cabeça o Presidente da República para agradar a Carlos César, presidente do governo regional dos Açores.
É claro que tinha atrás de si o voto irresponsável, como vieram a admitir alguns, de todas as bancadas parlamentares. Mas, José Sócrates sabe muito bem em que circunstâncias esse voto foi dado e deveria ter em atenção a unanimidade dos constitucionalistas e ex-Presidentes da República que diziam sem hesitar que aquela mudança não tinha razão de ser e até é inconstitucional como certamente se virá a provar na fiscalização sucessiva.
Ao obrigar o Presidente, depois do segundo veto à lei, a promulgá-la, o Primeiro-Ministro esticou a corda.
O Presidente da República, seja ele qual for, tem no nosso sistema uma legitimidade acima de qualquer suspeita. Ali, não há, como para o parlamento, método de hondt a dar maiorias parlamentares com 44% dos votos. Ali, ou há 50% mais 1, ou não há. Ainda por cima quando esses mais de 50% de votos são obtidos à primeira volta, não havendo a desculpa do mal menor.
Podemos gostar mais ou menos dos presidentes da República. O que é certo é que o povo se identifica no essencial com as suas atitudes.
O problema das reformas estruturais como a da educação que fez zangar milhares de professores, justificam muita coisa. Julgo, no entanto, que o divórcio de parte do eleitorado, fundamental para os resultados eleitorais, vem mais daquelas mudanças profundas. Que batem mais fundo...
Sócrates brincou com o fogo.
Está a sair chamuscado. A dúvida só está na intensidade das queimaduras.
Até um dia destes.
CASTELO

Emigrantes

O concelho da Póvoa de Lanhoso ganha cada vez mais vida com a chegada dos emigrantes, que se deslocam até à sua terra natal para aqui passarem uns merecidos dias de férias. As freguesias estão mais agitadas, há maior movimento de pessoas e veículos. À chegada dos emigrantes juntam-se as festas populares, um pouco por todo o concelho, e a Póvoa de Lanhoso vive, por estes dias, momentos mais alegres e animados. Convém é que saibamos receber bem estes filhos da terra. É que às vezes passa entre o povo aquela triste ideia de que vale a pena pedir mais nos preços porque eles trazem muito dinheiro no bolso.
CASTELO DE AREIA
Inaugurações
Por esta altura, assistimos a um fenómeno que se propaga por todos os concelhos. Sucedem-se inaugurações em série, algumas delas que podem levantar algumas dúvidas quanto ao 'timing', embora a opinião pública possa ser injusta ao fazer alguns juízos de valor. Poderão as autarquias e seus intervenientes alegar que só agora foi possível concretizar tais obras. Em alguns casos, acredito que sim. Mas, para não serem acusados de estarem a fazer campanha política, tais situações devem ser evitadas. E contas feitas, as eleições ganham-se em anos, e não em alguns dias de festa.

No Intermarché da Póvoa de Lanhoso

Assaltantes levaram ouro

Viveram-se momentos de pânico, na manhã do dia 17 de Julho, no Intermarché da Póvoa de Lanhoso, quando vários indivíduos, encapuzados e munidos de caçadeiras, irromperam por aquela superfície comercial. O alvo dos larápios foi a “Ourivesaria Sacramento”, localizada junto a uma das entradas. No decurso do assalto, os larápios levaram ainda vários tele-móveis da loja da “Phone House”, ali situada.
Eram cerca das 11 horas quando tudo aconteceu e, àquela hora, encontravam-se dezenas de pessoas naquela superfície a realizar as suas compras. Como forma de intimidar as pessoas que ali se encontravam, os assaltantes dispararam vários tiros. Junto à porta da entrada daquela superfície eram visíveis pelo menos dois cartuchos.
Um dos meliantes ficou junto à entrada e os restantes, ao que tudo indica serem três, deslocaram-se à ourivesaria onde se encontrava a esposa do proprietário e a neta, tendo as mesmas sido obrigadas a abandonar o local. Do interior, levaram uma grande quantidade de peças em ouro, cujo valor se situa entre os 80 e os 100 mil euros.
Posteriormente, deslocaram-se à loja do lado de onde levaram alguns telemóveis, por sinal os mais caros que ali se encontravam expostos. As funcionárias da loja, quando se aperceberam da situação refugiaram-se no armazém, com medo de represálias. Para além dos bens furtados, os larápios provocaram estragos nas montras das duas lojas.
Os quatro indivíduos faziam-se deslocar num Toyota, que veio a ser abandonado na freguesia de Taíde.
Dado o alerta, a GNR da Póvoa de Lanhoso deslocou-se rapidamente ao local, mas quando ali chegaram os militares os assaltantes já se tinham posto em fuga. A partir dali, foram alertados os postos da GNR de conce-lhos vizinhos, com vista a interceptar as viaturas em fuga, e encetada uma caça ao homem.
No local compareceram elementos do Departamento de Investigação Criminal de Braga da Polícia Judiciária, com vista à recolha de indícios que levem à identificação dos assaltantes. A investigação prossegue sob alçada da PJ.
Os Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso estiveram no local, com vista a prestar socorro a algumas pessoas, que apresentavam, na sua maioria, crises de ansiedade. Duas das pessoas assistidas foram conduzidas pelos soldados da paz povoenses ao Hospital de S. Marcos, em Braga.

Eleições autárquicas


PSD apresentou candidatos

O Campo da Feira, na Póvoa de Lanhoso, foi o local escolhido para a concelhia do Partido Social Democrata da Póvoa de Lanhoso apresentar Manuel José Baptista como o candidato às próximas eleições autárquicas. O candidato, actual presidente da Câmara Municipal, aposta, assim, na reeleição, depois de ter vencido as anteriores eleições autárquicas, em 2005, ano em que o PS deixou de ser poder, depois de doze anos à frente dos destinos da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso.
A tarde de festa, que teve animação musical, contou ainda com a apresentação do mandatário das listas do PSD, Amândio de Oliveira, do cabeça de lista à Assembleia Municipal, Humberto Carneiro, dos elementos que integram a lista à Câmara Municipal, assim como dos candidatos às Assembleias de Freguesia. Da lista que concorre à Câmara Municipal, destaca-se a entrada de Armando Fernandes, presidente da comissão política concelhia do PSD, que entra para o lugar anteriormente ocupado por António Alves. Com Manuel Baptista na liderança da lista à Câmara Municipal, o PSD apresenta ainda, nos cinco primeiros lugares, os no-mes de Gabriela Fonseca, Armando Fernandes, Fátima Moreira e Luís Amaro da Costa.
“Passados estes quatro anos, podemos fazer uma leitura diferente da Póvoa de Lanhoso. O Manuel Baptista e a sua equipa foi eleita dem-craticamente e exerceu o poder democraticamente. -lo com transparência, -lo com proximidade ao povo, -lo para servir e não para se servir “, considerou Amândio de Oliveira, mandatário das listas do PSD às autárquicas de 2009.
Depois da intervenção do mandatário da campanha, foi a vez dos candidatos às assembleias de freguesia se apresentarem ao público presente.
Simone Marreiros, presidente da JSD; Armando Fernandes, presidente da Comissão Política; Vírgilio Costa, presidente da distrital do PSD; e Miguel Macedo, representante do PSD; foram algumas das figuras que usaram da palavra.
No regresso à vida política, Humberto Carneiro apresentou-se como candidato à Assembleia Municipal.
Considerando que a Assembleia Municipal foi uma “força de bloqueio” ao trabalho de Manuel José Baptista, Humberto Carneiro destacou a necessidade de obterem o maior número de juntas de freguesia possível, obter a maioria na Assembleia, de forma a “governar de forma correcta”.
“Manuel Baptista, de forma séria e dedicada não partidarizou. Tratou as 29 freguesias de forma igual. Foi o primeiro presidente da Câmara que olhou para as freguesias de uma foram igual, de uma forma séria e justa”, considerou.
Manuel Baptista encerrou a tarde de discursos. O candidato do PSD à Câmara Municipal agradeceu o carinho recebido dos presentes e afirmou que “ao fim de quatro anos, tenho a certeza que a maioria dos povoenses reconhece que essa mudança foi importante para o desenvolvimento da Póvoa, pois o nosso concelho ganhou uma nova dinâmica”.
“Apesar das dificuldades que nos foram criadas pelo caminho, vamos a votos de cara levantada. Temos orgulho no que fizemos e temos um projecto que não está terminado e por esse motivo estamos aqui hoje para pedir novamente a confiança dos povoenses”.
Revelando que nem tudo correu como gostaríamos, o candidato do PSD apontou ainda baterias ao PS, nomeadamente quanto à actuação deste partido em sede de Assembleia Municipal. “Aguentamos durante estes anos um clima de política rasteira na Assembleia Municipal. Gastamos muitas energias a ultrapassar os chumbos sucessivos das nossas propostas. De uma forma injusta o PS votou contra tudo e contra todos. Ora era o Plano de Actividades, ora era a Carta Educativa, depois a regi-cooperativa e para concluir com chave de ouro até um empréstimo para a construção de uma escola chumbaram”, disse Manuel José Baptista.
Destacando as obras realizadas ao longo destes quatro anos, o candidato do PSD destacou ainda algumas das obras que pretende realizar nos próximos quatro anos. Aos candidatos às Assembleias de Freguesia, Manuel Baptista deixou uma palavra de apoio e dedicação.

Padre Luís Peixoto é mandatário concelhio


PS apresentou candidato

Depois da apresentação, no dia 23 de Janeiro, de António Lourenço como candidato à Câmara Municipal, a concelhia do Partido Socialista da Póvoa de Lanhoso, apresentou, na tarde de quarta-feira, dia 22 de Julho, António Ramalho, como cabeça de lista à Assembleia Municipal, e o Padre Luís Peixoto Fernandes, como mandatário concelhio.
A cerimónia, que inicialmente esteve marcada para o Castelo de Lanhoso, foi transferida para o interior do restaurante ali situado, devido ao mau tempo que se fez sentir. A apresentação dos dois elementos que integram a campanha eleitoral autárquica ficou a cargo de António Lourenço, candidato à Câmara Municipal. “Sempre demonstraram ser pessoas com valores, pessoas solidá-rias e tolerantes, qualidades imprescindíveis para quem está na política”, disse António Lourenço, referindo-se a António Ramalho e ao Padre Luís Fernandes.
“Estamos perfeitamente sintonizados, quer na forma que no conteúdo, em relação ao que deve ser feito e ao que é necessário realizar para que o nosso concelho, a Póvoa de Lanhoso, tenha um desenvolvimento integrado em todo o concelho”, adiantou ainda António Lourenço.
Nascido na freguesia de Garfe, onde reside, há 59 anos, Luís Peixoto Fernandes foi ordenado padre há 35 anos. A par de Garfe, o padre Luís Fernandes acumula ainda as paróquias de Castelões e Arosa, do concelho de Guimarães.
“Toda a gente sabe que sou amigo, há muitos anos, do António Lourenço e do António Ramalho. São duas pessoas que conheço bem e a quem reconheço competência intelectual e profissional para servirem devidamente as terras da Póvoa de Lanhoso e as suas gentes. Conheço os seus projectos, as suas ideias e aquilo de que são capazes. Nessa perspectiva aceitei com toda a alegria e com toda a honra ser o mandatário desta candidatura”, anunciou o padre Luís Fernandes.
“Não sou candidato a nada. O meu trabalho termina a 11 de Outubro. Não estou contra ninguém. Estou, sim, com estas pessoas e com este projecto que é de todos nós”, frisou ainda o mandatário do PS.
“Ao ser padre não deixei de ser povoense ou cidadão, não deixei de ter os meus direitos e deveres. Dou a cara. Não faço política na Igreja e nunca o fiz, como nunca fiz po-lítica às escondidas. Dou a cara pelos projectos que acre-dito e este projecto é um deles”, disse ainda o agora mandatário concelhio do PS.
António Ramalho, gerente numa instituição bancária do concelho, é o cabeça de lista do PS à Assembleia Municipal. Nascido na freguesia de Oliveira, este povoense reside actualmente na vila. Licenciado em Direito, exerce há cerca de duas décadas, a função de gerente numa instituição bancária.
“É imperioso dar um outro rumo aos destinos do conce-lho”, disse o candidato à Assembleia Municipal, que vincou ainda a importância de “impor uma gestão mais responsabilizante” e “dar uma imagem diferente da Câmara Municipal”.
Mobilizar todos os povoenses é a palavra de ordem, segundo António Ramalho. “é preciso mudar e mudar para melhor o desempenho político no concelho da Póvoa de Lanhoso”.